23 de nov de 2011

Não existe nada de bom no heavy metal atual? Mais uma vez, a gente prova que você está errado!


Dando sequência à série de posts sobre as novas caras do heavy metal, essa semana trago mais 10 bandas. Ponderei em colocar o Ghost na lista porque pensava que todo mundo já conhecia o grupo, mas, para a minha surpresa, muita gente nunca ouviu os caras, então mudei de ideia.

O que você vai ler abaixo são dez indicações de grupos que fazem heavy metal, hard rock e música de qualidade agora, nesse momento, e você provavalmente não conhece.

Então, acomode-se na cadeira, aumente o volume e diga o que achou dessas dez bandas nos comentários. E, é claro, mande mais dicas de novos sons!

Ghost

Uma série de matérias sobre as novas caras do heavy metal não estaria completa sem o Ghost. Essa banda sueca veio ao mundo em 2008, e tem apenas um disco em sua curta carreira. Opus Eponymous foi lançado em 18 de outubro de 2010 na Europa, mas só chegou ao mercado norte-americano três meses depois, em 18 de janeiro de 2011. Os caras fazem um som que é influenciadíssimo, na parte instrumental, pelo Blue Öyster Cult, enquanto o timbre do vocalista Papa Emeritus remete ao estilo de King Diamond. Fechando o pacote, composições cativantes, letras explicitamente satânicas e um visual elaboradíssimo, com o cantor vestido como uma espécie de papa satânico e os demais músicos com os rostos escondidos atrás de capuzes. Um dos melhores discos dos últimos anos, e já com status de clássico.


Red Fang

Quarteto de Portland, Estados Unidos, o Red Fang tem apenas um álbum, Murder the Mountains, lançado esse ano pela Relapse. O som é aquele típico stoner que se equilibra entre o hard rock e o heavy metal, tudo com um agradável sabor setentista. Com um bom humor gigantesco, a banda tem clipes engraçadíssimos, que dão cara para a sua ótima música. Um dos melhores nomes saídos dos EUA nos últimos anos, sem dúvida.


Volbeat

Apesar de já estar na estrada há mais de 10 anos, essa banda dinamarquesa ainda não pegou no Brasil. Já com status de grande na Europa, onde são figura fácil nos inúmeros festivais que rolam por lá, o Volbeat tem quatro discos de estúdio e um ao vivo. O som se destaca por ser ao mesmo tempo pesado e com um surpreendente tempero pop. Mas antes de dar play nos vídeos abaixo, um aviso: a banda é viciante, então não me responsabilizo se você passar os próximos dias ouvindo apenas os caras!


Myrath

Esse quinteto natural da Tunísia segue a linha dos israelenses do Orphaned Land, executando um heavy metal temperado com acentuados sabores orientais. Já com três discos no currículo – Hope (2007), Desert Call (2010) e Tales of the Sands (2011) -, o grupo vem conquistando cada vez mais espaço, e tem tudo para ser um dos nomes mais falados em um futuro bem próximo. Fique de olho!


Graveyard

Dona de uma dos melhores álbuns de 2011, a banda sueca Graveyard sobe a passos largos para se tornar uma das preferidas de quem curte hard rock com aquela típica sonoridade setentista. Com apenas dois discos – Graveyard (2007) e Hisingen Blues (2011) -, o quarteto mostra que tem talento de sobra. Em tempo: o sensacional Hisingen Blues ganhará lançamento nacional via Hellion Records em breve!


Fleshgod Apocalypse

Da Itália vem uma das bandas mais originais dos últimos anos. O Fleshgod Apocalypse une o lado mais brutal e extremo do death metal com a sofisticação e a riqueza melódica e harmônica da música clássica. O resultado é um som único, intenso e inquietante. Os dois discos do grupo – Oracles (2009) e Agony (2011) – merecem uma audição atenta, pois são obras, no mínimo, impressionantes.


Samsara Blues Experiment

Alemães, os caras do Samsara Blues Experiment unem o peso característico do do hard à psicodelia, criando algo como um stoner embebido em generosas doses de ácido. Ao vivo a banda voa ainda mais alto, soando como uma autêntica jam band, levando às suas composições ao limite. Com dois discos na bagagem – Long Distance Trip (2010) e Revelation & Mystery (2011) -, é a banda perfeita para aquele seu amigo que acha que nada de bom foi produzido depois de 1972.


Blood Ceremony

Espécie de versão headbanger do Flautista de Hamelin, o Blood Ceremony vem do Canadá. A figura central da banda é a bela Alia O'Brien, responsável pelos vocais e pela flauta, que dá uma cara única ao som do grupo. Com dois discos já lançados – Blood Ceremony (2008) e Living with the Ancients (2011) -, o Blood Ceremony agrada pela intensa musicalidade, que vai do doom metal ao rock psicodélico. Ouça e apaixone-se!


Devil

Essa banda norueguesa lançou o seu primeiro disco agora em 2011. Time to Repent recebeu críticas positicas e vem chamando a atenção por apresentar um heavy metal bastante influenciado por nomes como Black Sabbath e Pentagram. Ou seja, o lance aqui é aquele metal sombrio e escuro típico dos anos setenta, baseado nos riffs de guitarra. Ouça, você vai adorar!


Kyng

Esse trio californiano acabou de lançar o seu primeiro disco, o excelente Trampled Sun. O som é aquele clássico stoner com enormes doses de testosterona, que vai do hard ao heavy metal sem maiores cerimônias. A principal influência dos caras é o Black Sabbath. A banda tem talento e sabe criar composições cativantes, como o hit “Falling Down”. Para mim, um dos melhores discos do ano.


29 comentários:

Everton disse...

boa!!!!

só uma pequena observação: o "Murder the mountain" do Red Fang é, na verdade, o segundo álbum da banda, o primeiro (auto-intitulado), data de 2009!!!

abrçs!!!!

Socram disse...

Cadão, tem uma galera que rejeita a inserção das bandas Stoner dentro do Metal, rolavam altas discussões no finado stonerrock.com e, dentre outras coisas, alegava-se que se fosse assim, o grunge também deveria ser classificado como um sub-gênero do Metal.

Felipe de Paula disse...

Ricardo, podia preparar uma lista nacional algum dia. Sempre vejo o pessoal discutindo que existem bandas ótimas por aqui, mas eu, pelo menos, conheço pouco de novo.

Ricardo Seelig disse...

Everton, o primeiro do Red Fang consta como EP em alguns sites, por isso não citei. Mas valeu pela dica.

E Socram, o que você acha disso? Eu, pessoalmente, acho uma besteira. Pra mim, o stoner nada mais é que o metal feito pelo Black Sabbath e bandas similares na primeira metada dos anos 70.

Obrigado pelos comentários.

Ricardo Seelig disse...

Está nos planos, Felipe.

Socram disse...

Concordo e discordo 50% (risos), eu acho que no fundo a controvérsia reside em dois fatos distintos: 1) quem reclama das bandas não serem Metal geralmente associa o gênero a grupos como Judas Priest e Iron Maiden, que costumamos denominar como sendo "Metal Clássico"; 2) geralmente quem reclamava eram os europeus, já que os americanos classificam até aquele hard farofa dos 80s (Poison, Motley Crue etc) como Metal. Então, se assumirmos que Black Sabbath e similares dos 70s eram Metal sem dúvida o Stoner se classifica no gênero... mas não sei se notaste, hoje em dia há quem chame estas bandas dos 70s de Stoner, vide por exemplo o próprio relançamento do Buffalo (australiano) pela Aztec, no selo que vinha na capa está escrito "Stoner Rock from 70s" ou coisa parecida :)

Ricardo Seelig disse...

Sim, note isso, mas pra mim não é assim. É claro que o Judas, o Maiden e a turma da NWOBHM afastaram o heavy metal das raízes do blues, criando um novo som que é, de maneira clara, diferente do que o Black Sabbath fazia. No entanto, para mim ambos continuam sendo heavy metal.

Socram disse...

Sem contar que textos dos próprios anos setenta já chamavam bandas da época (Grand Funk, Led Zeppelin, BOC, Sir Lord etc) de Heavy, Metal ou Heavy Metal mesmo. Mas muitos até hoje renegam o termo, inclusive, me parece, o próprio Iommi, se não estou enganado (precisaria pesquisar, posso estar falando besteira).

Castillo disse...

Excelentes dicas. Juntando com a lista anterior, são horas e horas de sons dos mais diversos. É só dar uma chance. Parabéns ao Seelig pela iniciativa.

metalmilitia disse...

Excelentes indicações, Ricardo!! De todas essas eu conheço o Devil e o Ghost ( inclusive comprei o primeiro deles "Opus Eponymous" ). Uma outra banda que eu conheci a pouco tempo e foi ate aqui pelo blog foi o Rival Sons ( ouvi o disco "Pressure And Time" e gostei muito ). Muito boa essas materias sobre novas bandas, pois é uma bela resposta pra mostrar que não tem essa de dizer que hoje em dia não se tem bandas que valem a pena ouvir, que o que vale é ouvir apenas as classicas bandas, etc, etc. Claro que so o tempo vai dizer se uma dessas bandas se tornará classica ou não, porem isso não impede de ouvir e conhecer novas bandas. Mais um vez parabéns pelas otimas materias sobre novas bandas

Fábio RT disse...

Todas estas bandas são de Heavy Metal...

O Metal é muito mais amplo do que a maioria pensa... o próprio LED ZEPPELIN é considerado por muitos veículos importantes como a banda de Heavy metal padrão... a que solidificou e definiu os caminhos.... mas isso é papo pra outra hora....

Em tempo.... ótimo texto, ótima idéia e Cadão...acho que vc deveria expandirm esta idéia pra outros genêros ou tipos de rock...claro se tiver tempo e vontade

Abraços

Rodrigo disse...

Vendo estes posts sobre bandas recentemente, resolvi colocar uma questão que há muito venho pensando, desde o mimimi do cara do Shaman. Pegue por exemplo uma banda como o Red Fang. Som simples, pesado, que vc gosta na primeira vez que ouve. Pois bem, existe alguma banda brasileira que faz som igual? Lembrei só do Matanza e (não falo das antigas e clássicas, se bem que Matanza já é das antigas tb)... ninguém mais. Pra não ficar só no Redfang, listo algumas que só de ouvir a primeira vez já me instigou a conhecer: Saviours, ASG, todas dos postos anteriores e deste, The Sword, Dopetrone e outras mais que me fogem agora. A minha dúvida é: pq bandas brasileiras não conseguem fazer esse tipo de som, pesado e consistente, com várias músicas de qualidade dentro de um álbum. É produção? É grana? É apoio? Ou será que a "paunocuzisse" do Edu Falaschi e do cara do Shaman são padrão entre os músicos brasileiros? Espero que tenha me explicado bem e que alguém me ajude a resolver esta questão.
Abraço,

Ricardo Seelig disse...

Acho que existe um excesso de bandas de metal melódico no Brasil, Rodrigo, como se só esse estilo representasse todo o heavy metal. Realmente é difícil ouvir algo nessa linha que você citou. Um exemplo que lembrei agora é o excelente Cavalar. Já ouviu?

Hugo disse...

Nossa... Todas são boas! Sério! São posts cada vez melhores! MUITO BOM! Parabéns!

Ricardo Seelig disse...

Valeu, Hugo. De qual você mais curtiu?

Nathan Petrin disse...

Bela lista. Não ouvi todos que estão aí, mas dos que ouvi, o meu favorito é o "Graveyard".

Se me permite uma sugestão (caso ainda não conheça), a banda sueca "Three Seasons". Ela está destruidora no álbum "Life's Road".

O som é estilo "Graveyard" também, um pouco mais pesado.

Outra banda boa, só que mais pro lado do Power Metal, é o "Wisdom", da Hungria.

pedro jucá. disse...

São legais as bandas !
Achei um video do show do Ghost, não sei se já foi postado aqui, mas a qualidade está boa:

http://www.youtube.com/watch?v=Avj5QO-RgCc

Rodrigo Rroio Carvalho disse...

Cara, essa coluna é uma das melhores que eu já vi por aí afora. O "Collector's Room Apresenta" me apresentou bandas fantásticas, como o Rival Sons, Sheepdogs e o Night Horse, e esses dois últimos posts já me apresentaram coisas ótimas pra conhecer a fundo nos próximos meses!

Se me permite a ousadia, tem algumas bandas nessa linha mais ou menos que vou deixar como sugestão (provavelmente vocês já conhecem e de repente podem ser usadas em futuros posts!): Black Spiders, Ape Machine, Priestess, The Answer e Lonely kamel, sons que eu ando ouvindo MUITO ultimamente.

É isso aí, valeu pelas indicações!

Flávio Dantas disse...

Putz, com esses dois últimos posts tem mt coisa nova para eu ouvir... devo ter ouvido uns 20% só até agora, e a maioria eu tomei contato pelo Ricardo (devil's blood, etc) hehehehe.

Mas até agora oq me causou a maior impressão foi, sem sombra de dúvidas, o Ghost.
Fiquei tão viciado no CD deles, q foi a maior luta pra largar o osso e ir escutar outras coisas.

Isso gruda mt na cabeça.

SCOBAR disse...

Ricardo, já é sua segunda lista, e a ideia dos posts é salutar! Fiquei deveras empolgado em ver um blog relativamente bem acessado escancarando esse tema: HÁ MUITA coisa boa no metal moderno, fato que, associado aos grandes nomes - que ainda fazem tours e, vez ou outra, ainda lançam alguns clássicos eles mesmos - formam uma cena muito forte neste começo de década!

Porém, me decepcionei um pouco porque você manteve tudo entre bandas - sim, competentes, algumas muito boas - que remetem a seu provável gosto pessoal. E bandas que, algumas, até fazem um som com personalidade (fator essencial!), mas não necessariamente revolucionam a cena, pois bebem demais nas fontes que vc mesmo cita (alguns mais setentistas, outros mais no doom, stoner, etc)...

Tem muito mais coisa rolando no metal. Em especial o Prog Metal, que insistem em achar que é formado por "covers de Dream Theater", é onde a renovação mais ocorre! Fora isso, cada vez mais as bandas inovam, ainda que não se queira rotulá-las de Prog, mas fazem parte da renovação, adicionam elementos a seu som, criam algo novo. Você costuma citar algumas delas... Machine Head, Mastodon, Lamb of God... Nevermore mandou e desmandou no metal da década passada... bandas como Kamelot, A.C.T, BigElf, Devin Townsend, Pure Reason Revolution, Royal Hunt, Evergrey, Pain Of Salvation, Shining, Dillinger Escape Plan, King's X, Coheed And Cambria, Threshold, Enslaved, Frost*, Book Of Knots, Estradasphere, Diablo Swing Orchestra, UneXpect, Leprous, Between The Buried And Me, Gojira, Protest The Hero... o Jon Oliva's Pain segue o legado do Savatage... no Brasil, os projetos do Andre Matos... do próprio Thiago Bianchi (Karma, Vox, etc)... o já grande Torture Squad...

escrevo de modo rápido e já sai essa enxurrada, como vc disse, mesclando nomes mais e menos conhecidos, nomes com um pouco mais ou menos tempo de estrada, mas que formam uma cena sólida e AINDA criativa! Mais, na minha humilde opinião, que as listas (boas!) que vc postou... faço a sugestão! abço!

Fábio RT disse...

Contribuindo pra que este ótimo tópico seja eterno

Rose Hill Drive.... também fazem um som retro 70´s..... outra também é o Crystal Caravan...também retro 70´s... valem uma conferida...

Sobre o que o SCOBAR escreveu acho que por isso mesmo é extremamente importante a participação dos leitores...tem tanta...mas tanta coisa acontecendo que é praticamente impossível dar conta de escavar tudo...ainda mais quem tem em seu ganha pão outra atividade profissional...por isso as dicas são tão importantes...

Ricardo Seelig disse...

Nathan, obrigado pela dica. Não conheço o Three Seasons, mas irei atrás, assim como do Wisdom.

Ricardo Seelig disse...

Rroio, também agradeço as dicas. Black Spiders e The Answer são realmente excelentes. Manda umas dicas de grupos prog metal aí, já que essa é a sua praia.

Ricardo Seelig disse...

Scobar, o Fábio RT matou a charada: é por causa de tudo que você citou que a participação dos leitores é tão importantes. Ninguém irá conhecer tudo, então as dicas que vocês passam são essenciais para os próximos posts.

Obrigado pelo comentário.

Saulo Carvalho disse...

Sempre muito legal esses posts sobre bandas novas... que tenha sempre Ricardo!
Tou vendo que não dá, realmente, pra acompanhar todas as bandas boas por aí, a gente tem que pescar algumas mesmo e se contentar!
Uma banda que não foi citada, que tou gostando muito e não canso de ouvir é o Maligno (MEX), que fazem um heavy metal/stoner bem técnico, na linha "sabbathiana". Ouçam primeiro o debut (Maligno - 2007), que tem uma pegada mais vintage, depois os outros de 2008 e 2011, mais pesados ainda... Mto bom!!

Grande abraço pessoal!

Leonardo disse...

Totalmente excelente!

Minhas dicas: ACT e Circus Maximus(prog), Textures e Across the Sun (metal), Vidhjarta e Periphery (Djent), Halestorm e Burn Halo (hard rock) e sim, existem bandas tentando sair da mesmisse no metal melódico: Nocturnal Rites (usam guitarras de 7 cordas) e Voyager (com um apelo mais prog e vocal em tons baixos)

Felipe de Paula disse...

Adorei esse Red Fang. O disco é bom demais.

Rodrigo Rroio Carvalho disse...

Ricardo, dentro do Prog Metal acho que podemos destacar o Riverside (uma das minhas favoritas atualmente), o Beardfish, o Winds (formado por músicos da cena Black Metal norueguesa), Communic (O "Nevermore nogueguês", hehe) e o Fair To Midland, uma das boas surpresas americanas. E vale um adendo aqui, os espanhóis do Albatros, que lançaram agora em 2011 um álbum belíssimo.

No lado mais pesado, tem o Arsis (mais um Tech Death Metal), o Textures, o Tesseract e o Haken, bandas que têm uma boa dose Djent.

Além delas, o Ghost Brigade e o Insomnium também tem lançados trabalhos legais nos últimos anos.

Acho que é isso, hehehehe.

Ricardo Seelig disse...

Saulo, Leonardo e Rroio, obrigado pelas dicas. Tem bandas ótimas aí, e que certamente estarão presentes nos próximos posts.

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE