22 de jul de 2011

Enquete da semana: master, master!

sexta-feira, julho 22, 2011


Por Ricardo Seelig


Perguntamos durante toda a semana qual é o melhor álbum do Metallica. Você participou, e o resultado foi o seguinte:


Master of Puppets (1986) - 30%
Ride the Lightning (1984) - 28%
... And Justice for All (1988) - 25%
Kill 'Em All (1983) - 25%
Metallica (1991) - 23%
Load (1996) - 2%
Death Magnetic (2008) - 1%
St Anger (2003) - 1%
Reload (1997) - 0,5%
Garage Inc. (1998) - 0%


E aí, o que achou do resultado? É isso mesmo? 

Collector´s Room Apresenta: Wolf People!

sexta-feira, julho 22, 2011


Por Ricardo Seelig


Eles são de Londres.


O quarteto é formado por Jack Sharp (vocal e guitarra), Joe Hollick (guitarra), Daniel Davies (baixo) e Tom Watt (bateria).


Eles já tem dois discos, ambos lançados em 2010: Tidings e Steeple.


O som é uma mistura de rock psicodélico com folk.


Eles não são indies e não querem soar moderninhos. O que esses quatro curtem é o bom e inesquecível rock clássico da Terra da Rainha.


Eles são uma das melhores bandas nascidas na Inglaterra nos últimos anos.


Com vocês, o Wolf People!













Pink Floyd: ao infinito, e além!

sexta-feira, julho 22, 2011


Por Ricardo Seelig


O Pink Floyd acaba de lançar uma série de itens em edição limitada que irão fazer os fãs abrirem as suas carteiras e terem orgasmos múltiplos.


Há tigelas e mesas de Dark Side of the Moon, sacolas de viagem, as mitológicas cabeças da capa de The Division Bell, o porco de Animals, uma mala de viagem cheia de camisetas e até capas para iPads e carteiras de couro.


Todos são produtos oficiais e todos têm tiragem limitada que variam entre 200 e 250 cópias cada. Ou seja, um 'must have' para colecionadores.


Você vai ficar maluco com as fotos abaixo, então clique aqui e compre o que desejar.

















































Fantômas: primeiro DVD ao vivo em setembro!

sexta-feira, julho 22, 2011


Por Ricardo Seelig


O supergrupo formado por Mike Patton (Faith No More), Buzz Osborne (Melvins), Trevor Dunn (Mr. Bungle) e Dale Crover (Melvins) anunciou o lançamento do seu primeiro DVD. 


O Fantômas colocará nas lojas dia 6 de setembro The Director's Cut Live: A New Year's Revolution. O vídeo foi gravado em 31 de dezembro de 2008 no Great American Hall, em San Francisco, e traz o álbum gravado pela banda em 2001 - The Director's Cut - na íntegra, mais versões para "Simply Beautiful" de Al Green e "Chariot Choogle" do T. Rex.


Confira abaixo o tracklist completo:


1. The Godfather
2. Night of the Hunter
3. Cape Fear
4. Experiment in Terror
5. One Step Beyond
6. Rosemary's Baby
7. The Devil Rides Out
8. Spider Baby
9. The Omen (Ave Satani)
10. Henry: Portrait Of A Serial Killer
11. Vendetta
12. Investigation Of A Citizen Above Suspicion
13. Twin Peaks: Fire Walk With Me
14. Der Golem
15. Charade
16. Intermission
17. Simply Beautiful
18. Chariot Choogle

21 de jul de 2011

Bai Bang: review do álbum Livin' My Dream (2011)!

quinta-feira, julho 21, 2011


Por Marcelo Vieira


Nota: 6


Dois anos após o excelente Are You Ready (sem exagero, um dos melhores discos de hard rock de 2009), o Bai Bang está de volta mais com Livin’ My Dream. A formação atual consiste em Diddi Kastenholt (vocais), Pelle Eliaz (guitarra), Joacim Sandin (baixo) e Johnny Benson (bateria). Livin’ My Dream tem lançamento previsto para o próximo dia 22, via AOR Heaven.


A proposta é a mesma de seus antecessores: hard rock festeiro, alto astral, com aquele tempero escandinavo que é quase um selo Qualidade Total ISO 9000. A única diferença reside nos teclados a mais, quase sempre fazendo ambiência apenas. A maioria das letras exalta as, digamos, “coisas boas da vida” com a perícia de quem viveu o auge no final dos anos 80 e, mesmo tanto tempo depois, ainda não abriu mão do visual e de parte das convicções musicais.


“We’re United” abre o álbum de forma explosiva. Batida forte, acelerada, refrão marcante cantado em coro, wah-wah no solo, enfim, todos os ingredientes outrora indispensáveis para um hit hard rocker estão aqui. Mais melódica, “Come On” tem sangue azul e amarelo e é um dos destaques. Logo em seguida a primeira música mais cadenciada, “Rock On”, é a típica power ballad que tem cadeira cativa em todo álbum de hard rock.


Apesar de ser a mais curtinha de todas, “Stay” figura entre as melhores, com seu refrão chiclete que não desgruda dos ouvidos. “Rock It” é aquele hino perdido que remete a grandes concertos de rock em arenas lotadas. “Put On Her Dress” coloca um ponto final no trabalho com a impressão de que ficou faltando algo. E ficou: energia!


O fato de Are You Ready ser tão bom depõe contra Livin’ My Dream, colocando-o na berlinda. Infelizmente, o Bai Bang não conseguiu repetir a dose “um hit após o outro” aqui, mas continua mandando bem naquilo que se propõe a fazer. Espero que no palco, a energia dessas canções se multiplique e o padrão das apresentações do quarteto continue alto. No mais, Livin’ My Dream apenas vale o investimento.


1. We're United
2. Livin' My Dream
3. Come On
4. Rock On
5. Stay
6. Gonna Have It All
7. Tonight
8. Rock It
9. Die For You
10. Put On Her Dress

Pain of Salvation: confira capa e tracklist do novo álbum!

quinta-feira, julho 21, 2011


Por Ricardo Seelig


O Pain of Salvation divulgou a capa e o título das faixas de seu novo álbum, Road Salt Two, sequência de Road Salt One (2010) e que chegará às lojas europeias no próximo dia 26 de setembro e nos EUA em 11 de outubro,


Confira abaixo o tracklist de Road Salt Two:


1. Road Salt Theme
2. Softly She Cries
3. Conditioned
4. Healing Now
5. To the Shoreline
6. Eleven
7. 1979
8. The Deeper Cut
9. Mortar Grind
10. Through the Distance
11. The Physics of Gridlock
12. End Credits

20 de jul de 2011

Todo mundo cantando “Black Dog”!

quarta-feira, julho 20, 2011


Por Márcio Grings


Um tal de Kutiman, um israelense vidrado em fusões musicais que se tornou um prodígio na internet com recriações de canções originais do pop, aprontou mais uma. A bola da vez é versão para “Black Dog” do Led Zeppelin, postada no canal do YouTube do artista.


Músicos, estudantes de música e fãs tiveram seus áudios capturados pelo artista (muitas vezes sem saber do propósito do registro). E o mais incrível: de acordo com seu feeling, Kutiman conseguiu manter o ritmo e groove intactos durante as troca de áudios e vídeos, mesmo alternando as performances. Ele oscilou entre vídeos instrutivos, filmagens de concertos em pequenos clubes, shows de caça-talentos e gravações caseiras.


O resultado desse divertido mashup você confere num clique.




Bruce Dickinson recebe título de Doutor em Música!

quarta-feira, julho 20, 2011


Por Ricardo Seelig


Bruce Dickinson, o vocalista do Iron Maiden, recebeu o título de Doutor em Música pela Universidade Queen Mary, de Londres, nesta terça, dia 19 de julho. A condecoração foi entregue pelo profeddor David Backer, do Centro de Neurociência e Trauma, pela contribuição do agora Dr. Dickinson para a indústria da música.


Demais, hein?



Accept: veja qual será o tracklist do novo DVD ao vivo!

quarta-feira, julho 20, 2011


Por Ricardo Seelig


Coroando a ótima recepção do excelente Blood of the Nations (2010), o Accept filmou a sua participação no festival Bang Your Head!!!, que rolou no último dia 15 de julho na cidade alemã de Balingen. 


Esse show será lançado em breve em DVD, com o seguinte setlist:


1. Teutonic Terror
2. Bucket Full of Hate
3. Starlight
4. Breaker
5. New World Comin'
6. Restless And Wild
7. Son Of A Bitch
8. Metal Heart
9. Neon Nights
10. Bulletproof
11. Losers And Winners
12. Aiming High
13. Princess Of The Dawn
14. Up To The Limit
15. No Shelter
16. Fast As A Shark
17. Pandemic
18. Balls To The Wall


A banda ainda não informou a data do lançamento, mas com certeza vem coisa boa por aí!

Derek Sherinian: veja como será o novo álbum solo!

quarta-feira, julho 20, 2011


Por Ricardo Seelig


O tecladista do Black Country Communion, Derek Sherinian, deu detalhes de como será o seu novo álbum solo. O disco se chamará Oceana e chegará às lojas no próximo dia 5 de setembro. Lançado pela Mascot Records, o álbum tem produção de Derek e de Simon Philips (que também participa do CD) e traz participações especiais de Steve Lukather, Steve Stevens, Tony MacAlpine, Doug Aldrich, Tony Franklin e Jimmy Johnson, além do chapa do BCC Joe Bonamassa.


Segundo Sherinian, o disco foi muito inspirado pelos trabalhos antigos de Jeff Beck.


Confira abaixo o tracklist:


1. Five Elements
2. Mercury 7
3. Mulholland
4. Euphoria
5. Ghost Runner
6. El Camino Diablo
7. I Heard That
8. Seven Sins
9. Oceana

19 de jul de 2011

The Devil's Blood: review do álbum 'The Time of No Time Evermore' (2009)!

terça-feira, julho 19, 2011


Por Ricardo Seelig


Nota: 8,5


Os temas mais polêmicos do heavy metal, principalmente aqueles relacionados à religião, costumam vir acompanhados de uma grande dose de violência sonora. Quanto mais agressivas as letras, mais pesado o som. Foi seguindo esse raciocínio que surgiram estilos como o death e o black metal. Traduzindo: o incômodo transmitido pelas letras vinha sempre acompanhado pelo transtorno e caos da parte instrumental, resultando em uma sonoridade propositadamente pouquíssimo acessível e com nenhum apelo comercial.


Esse paradigma é quebrado pela banda holandesa The Devil's Blood. O primeiro álbum do grupo, The Time of No Time Evermore, lançado em 2009, é uma jóia obscura do heavy metal contemporâneo. O caminho seguido pelos caras é originalíssimo: instrumental hard rock com abundantes melodias e guitarras gêmeas, tudo temperado por doses certeiras de psicodelismo, adornando com uma sonoridade agradável e acessível letras que casariam perfeitamente com a mais radical das bandas de black metal. Isso faz com que o debut do The Devil's Blood soe como um excelente álbum de rock pesado lançado há 30 anos atrás, gravado por músicos que parecem um bando de hippies a serviço de Satanás.


A psicodelia vintage faz com que The Time of No Time Evermore tenha uma sonoridade bem setentista. Os vocais – femininos – a cargo de F. The Mouth of Satan, sempre limpos e jamais guturais, variam entre momentos etéreos e trechos onde soam fantasmagóricos e mal assombrados, como se estivéssemos ouvindo uma versão endiabrada de Jennie Haan (Babe Ruth). A parte instrumental traz grande influência de Thin Lizzy, Iron Maiden e NWOBHM e, para efeito de comparação, pode-se dizer que o The Devil's Blood é uma espécie de Coven – cultuada banda norte-americana que lançou o clássico Witchcraft Destroys Minds & Reaps Souls em 1969 - do novo milênio.


O contraste gritante entre as composições cativantes e repletas de melodia com as letras que exploram temas sombrios e satânicos é um ponto interessantíssimo na sonoridade do The Devil's Blood. A banda consegue transformar o mal em algo agradável aos ouvidos, tornando digeríveis tópicos tradicionalmente polêmicos. Não à toa Erik Danielsson, vocalista do Watain – um dos nomes mais celebrados do black metal atual – colabora com o grupo e é o autor de uma das melhores músicas do disco, “The Yonker Beckons”.





O álbum é rico em ótimas faixas. “I'll Be Your Ghost”, lançada como single, é um exemplo. A bela “House of 10.000 Voices” tem passagens mais atmosféricas e trechos cadenciados que entregam uma tensão absurda. A sensacional “Christ or Cocaine” é uma blasfêmia grudenta que viraria hit sem esforço se chegasse ao grande público.


É espantoso como o disco consegue se manter nas alturas, alternando uma composição excelente atrás da outra. Isso se dá principalmente pelas excelentes guitarras, que sempre trazem para o primeiro plano melodias que deliciam os ouvidos. Ouça “Queen of My Burning Heart” e “Angel's Prayer” e comprove. “The Anti-Kosmic Magick”, com mais de onze minutos, encerra o trabalho deixando um inevitável desejo de quero mais no ouvinte. A boa notícia é que o novo álbum do grupo, The Thousandfold Epicentre, já tem confirmada a sua data de lançamento para o próximo dia 11 de novembro.


Se você curtiu o Ghost certamente irá gostar do The Devil's Blood. The Time of No Time Evermore resgata uma atmosfera que havia sido deixada de lado no metal atual, utilizando com talento elementos já conhecidos e consagrados do estilo – como as fartas doses de melodia e as sempre bem-vindas guitarras gêmeas – para construir uma sonoridade original e fascinante.


O diabo nunca soou tão agradável quanto aqui.





Faixas:
1 The Time of No Time
2 Evermore
3 I'll Be Your Ghost
4 The Yonder Beckons
5 House of 10.000 Voices
6 Christ or Cocaine
7 Queen of My Burning Heart
8 Angel's Prayer
9 Feeding the Fire With Tears and Blood
10 Rake Your Nails Across the Firmament
11 The Anti-Kosmik Magick

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE