5 de ago de 2011

4 de ago de 2011

Deep Purple: quatro álbuns duplos com performances históricas são relançados

quinta-feira, agosto 04, 2011


Por Ricardo Seelig


Você, fã do Deep Purple, separe a grana. Se você ainda não tem os álbuns ao vivo Scandinavian Nights, In Concert 1970-1972, Live in London e MK III: The Final Concerts abra um sorriso, porque a Eagle está relançando esses discos.


Todos esses quatro álbuns ao vivo voltam às lojas em edições duplas caprichadas. Relembrando: Scandinavian Nights traz um show transmitido por uma rádio escandinava durante a turnê do álbum In Rock, com a formação clásssica do grupo – Ian Gillan, Ritchie Blackmore, Roger Glover, Jon Lord e Ian Paice. Esse line-up também está em In Concert 1970-1972, com faixas retiradas de duas apresentações realizadas para a BBC, sendo que no segundo show a banda tocou o álbum Machine Head na íntegra.


Live in London foi lançado originalmente em 1982 e conta com David Coverdade e Glenn Hughes em uma apresentação da tour de Burn. E, fechando o pacote, MK III: The Final Concerts registra para a eternidade os últimos shows de Blackmore com a banda, em 1975, na turnê de Stormbringer.


E aí, vai encarar?

Tonho Crocco e a “Gangue da Matriz”

quinta-feira, agosto 04, 2011



Por Ricardo Seelig


Tonho Crocco, ex-vocalista do Ultramen, uma das melhores bandas a surgir nos últimos anos no Rio Grande do Sul, gravou um vídeo com um rap criticando os deputados gaúchos, que votaram um aumento de 73% para os seus próprios salários.


O resultado? Um dos deputados, Giovani Cherini, abriu um processo contra Tonho devido à letra da música. Ou seja, regressamos ao tempo da ditadura militar, ou, para usar uma analogia mais contemporânea, é como se estivéssemos vivendo em um país como a Líbia, onde não se pode ter opinião própria.


Esse autoritarismo arrogante dos deputados da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul - um comportamento tipicamente gaúcho, que posa de macho e quer sempre estar no comando de tudo - não pode ser tolerado. O motivo é simples: se o Ministério Público realmente levar o processo adiante será aberto um precedente perigoso em nosso país, reativando a censura e fazendo com que não só a classe artística – da qual Tonho Crocco faz parte -, mas todos nós, não possamos discordar do que os nossos tão competentes políticos e autoridades em geral fazem ao seu próprio gosto.


Cherini e seus comparsas perderam uma ótima oportunidade de ficar calados. Já eu, você e todo mundo temos mais é que divulgar o que achamos errado em nosso país. Matéria-prima para isso não falta, não é mesmo?


P.S.: e aí Cherini, vai me processar também?

Collector´s Room Apresenta: The Sheepdogs

quinta-feira, agosto 04, 2011


Por Ricardo Seelig


Eles são da cidade de Saskatoon, no Canadá.


O quarteto é formado por Ewan Currie (vocal e guitarra), Leot Hanson (guitarra), Ryan Gullen (baixo) e Sam Corbett (bateria).


Eles tem três discos gravados – Trying to Grow (2007), Big Stand (2008) e Learn & Burn (2010).


O som é um rock tipicamente norte-americano com influências de country e blues, o que faz com que algumas pessoas classifiquem o grupo como southern rock.


A música dos caras é herdeira direta de ícones como a Allman Brothers Band.


Eles venceram o concurso “Choose the Cover” e são primeira banda sem contrato a figurar na capa da Rolling Stone norte-americana.


Eles são cabeludos e barbudos, e tem um som de primeira.


Com vocês, The Sheepdogs!






















Mastodon: veja o tracklist do novo álbum

quinta-feira, agosto 04, 2011


Por Ricardo Seelig


O Mastodon revelou o tracklist de seu novo álbum, The Hunter, que chegará às lojas dia 27 de setembro.


Confira as faixas que estarão no disco:


1. Black Tongue
2. Curl Of The Burl
3. Blasteroid
4. Stargasm
5. Octopus Has No Friends
6. All The Heavy Lifting
7. The Hunter
8. Dry Bone Valley
9. Thickening
10. Creature Lives
11. Spectrelight
12. Bedazzled Fingernails
13. The Sparrow
14. The Ruiner (limited-edition bonus track)
15. Deathbound (limited-edition bonus track)




3 de ago de 2011

Adrenaline Mob: saiba como será o EP de estreia

quarta-feira, agosto 03, 2011


Por Ricardo Seelig


O Adrenaline Mob, banda formada por Mike Portnoy, Russell Allen, Mike Orlando, Paul DiLeo e Rich Ward, lançará no dia 9 de agosto o seu primeiro registro.


O disco será um EP auto-intitulado com apenas cinco faixas, sendo quatro delas composições próprias inéditas mais uma versão para “The Mob Rules”, do Black Sabbath. O EP estará disponível em formato digital através do iTunes e em formato físico nos shows do grupo e na loja virtual do quinteto.


A capa ainda não foi divulgada, mas o tracklist sim:


1.Psychosane
2.Believe Me
3.Hit the Wall
4.Down to the Floor
5.The Mob Rules


Pra sentir a pegada da banda, assista abaixo a excelente versão para “The Mob Rules”:




Resultado da promoção Mês do Rock Hellion Records e Collector´s Room: confira quem foram os sortudos ganhadores

quarta-feira, agosto 03, 2011


Por Ricardo Seelig


A maior promoção já realizada pela Collector´s Room chehou ao seu final. Em parceria com a Hellion Records, a principal gravadora de heavy metal e hard rock do Brasil e uma das maiores da América Latina, disponibilizamos prêmios de dar água na boca em qualquer pessoa que gosta de música.


O plano inicial era publicar o resultado na segunda-feira, dia 01/08, mas devida a problemas na plataforma Sorteie.me – onde a promoção foi montada – só conseguimos realizar o sorteio hoje.


Então, vamos aos vencedores:


Ganhador do box The Incident, do Porcupine Tree: 
Rafael Prada

Ganhadores dos boxes de vinil 
Death Magnetic, do Metallica: 
Hugo P. (@Senhor_H)
Gabriel Albuquerque (@RockySimpson)
Rodrigo Zuzzi Ferrari
David Cunha

Ganhadores dos Kits Hellion com 6 CDs e uma camiseta: 
~le jenio~(@Son_of_a_Beast)
Marcos Oliveira (@Marcos_pos)
Paulo Freire
Arthur Chaves
João Marcos
Ukju Pacha.


Todos os vencedores serão avisados através dos seus perfis nas redes sociais, e devem enviar os seus endereços completos para este e-mail para que o prêmio seja enviado.


Obrigado a todos os participantes, e um agradecimento pra lá de especial ao pessoal da Hellion por ter disponibilizado os prêmios.


Obrigado por tudo, e até a próxima!

2 de ago de 2011

Tim Maia: resenha do álbum 'Racional 3' (2011)

terça-feira, agosto 02, 2011


Por Marcelo Vieira


Nota: 7


A fase Racional (1975-1976) de Tim Maia, indiscutivelmente, reúne seus melhores trabalhos. Longe do álcool, das drogas e dos maus hábitos alimentares, Maia estava desmagnetizado, mais magro e em sua melhor fase vocal. A banda do cara só tinha músicos de primeira, todos vestidos de branco e tocando instrumentos – inclusive metais – pintados de branco. Com a bênção de Manoel Jacinto Coelho, o Grão-Mestre da Cultura Racional, o cantor fundou a Seroma (abreviação de Sebastião Rodrigues Maia) e lançou, por sua conta e risco, Racional e Racional Vol. 2, ambos em 1975. Os discos eram vendidos de porta em porta pelo próprio Tim, juntamente com exemplares do livro Universo em Desencanto. A devoção era tão grande que foi Manoel que escolheu o nome do primeiro filho do cantor, Carmelo.


O problema é que, por mais seduzido que estivesse pelo espiritismo ufológico da doutrina, Tim Maia ainda era um artista e começou a perceber que ninguém mais ia aos seus shows nem comprava seus discos 'racionais'. Endividado e desiludido, Maia se magnetizou novamente e abandonou a Cultura Racional tão repentinamente quanto aderiu à ela. A primeira providência foi retirar os LPs Racional e Racional Vol. 2 de circulação, transformando-os em objeto de desejo de colecionadores mundo afora. Com a chegada do CD não faltaram pedidos para que Tim liberasse sua obra cósmica para lançamento no formato, mas até sua morte, em março de 1998, a resposta era sempre não.


Em 2006, após um OK da família que administra o espólio de Tim Maia, o primeiro volume ganhou versão em CD pela Trama e reavivou o interesse por essa fase de valor artístico incontestável. Foi mais ou menos nessa época que surgiram na internet versões inacabadas de canções que fariam o terceiro volume de Racional. Cinco anos mais tarde, eis que Tim Maia Racional Vol. 3 é lançado, infelizmente por enquanto apenas como bônus exclusivo para quem adquiriu os 14 CDs da Coleção Tim Maia da Editora Abril. Das seis faixas presentes, cinco já são velhas conhecidas, mas aqui receberam tratamento em estúdio e contaram com novas trilhas gravadas, entre outros, por Kassin e Paulinho Guitarra, que tocaram com Tim na época.




As composições deste Racional Vol. 3 são mais na linha de Racional Vol. 2 que de Racional, na medida em que incorporam de tudo um pouco. Soul, funk, MPB e um caráter psicodélico que permite ao ouvinte imaginar todo mundo viajandão dentro do estúdio. A faixa de abertura, “É Preciso Ler e Reler” (antes “Escrituração Racional”), é o melhor exemplo desse lisergismo musical. A letra curtinha e cíclica fica na cabeça pra valer. Outro ponto forte por aqui são os metais, já indicando o que viria a seguir na carreira de Tim. Não fosse o messianismo das letras, “I Am Rational” (antes “You Gotta Be Rational”) e a engraçadíssima “Nação Cósmica” (antes “Brasil Racional”, na qual Tim literalmente lê o livro Universo em Desencanto) seriam hits em potencial.


Por ser a única, digamos, 100% inédita, “O Supermundo Racional” é a faixa que desperta maior curiosidade. Baladinha, com Tim cantando horrores (talvez sua melhor performance na fase Racional), elevando sua voz a tons altíssimos com muita firmeza e sustentando-os. O instrumental inclui ainda solos de teclado, para o deleite dos apreciadores de improvisos ao vivo. Aliás, o clima “ao vivo em estúdio” perdura o tempo inteiro no play, que chega ao fim numa versão mais hype e mais trabalhada de “Que Legal” (de Racional Vol. 2).


Não sei se vale o investimento de comprar toda a coleção só para receber Racional Vol. 3 em casa, mas com certeza vale o tempo que for baixando isso aqui na internet, e torcendo para que a obra chegue ao grande público em breve.



Faixas:
1 É Preciso Ler e Reler
2 I Am Rational
3 Lendo o Livro
4 O Supermundo Racional
5 Nação Cósmica
6 Que Legal

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE