31 de dez de 2012

John Bonham e a bateria de dois bumbos

segunda-feira, dezembro 31, 2012

O baterista do Vanilla Fudge, Carmine Appice, de quem Bonham havia se aproximado durante o período em que o Led Zeppelin tocou com eles, telefonara para Bill Ludwig e sugerira que a empresa oferecesse ao jovem baterista do Led o mesmo apoio que Appice já recebia, incluindo uma bateria feita sob encomenda. Depois de ouvir o primeiro álbum do grupo, Bill concordou. O conjunto incluía dois bumbos de 66 centímetros – iguais aos de Appice -, que Bonham adorou, mas Jimmy Page e John Paul Jones odiaram. Ao contrário de Appice, Bonzo tinha “uma técnica com o pé direito diferente de todos os bateristas que conheci”, diz o escritor Chris Welch, ele mesmo um baterista e especialista no instrumento. “Ele já conseguia fazer com um bumbo o que alguém como Carmine – excelente baterista mas nada que se comparasse a Bonham – fazia com dois”.

O ex-roadie do Led Zeppelin, Glen Colson, lembra de ter montado o conjunto pela primeira vez e como Bonham “mandou ver”. O resultado, disse, foi que “Jimmy Page não conseguir entender o que Bonzo estava fazendo. O som da bateria era tão forte que ele não podia se concentrar – não conseguia manter o tempo. Por isso Jimmy me disse para nunca mais montar os dois bumbos de novo. Eles assustavam todo mundo”.

Na verdade, Bonham usaria a bateria com dois bumbos inúmeras vezes durante a segunda turnê da banda pelos Estados Unidos antes de que um exasperado Jimmy Page acabasse com aquilo. Apesar disso, eles reapareceriam esporadicamente. Appice insiste que Bonham depois teria dito que os usou na gravação de “Whole Lotta Love”, enquanto Jones recorda Bonham trazendo-os na surdina para as sessões de gravação de Physical Graffiti até Page perder completamente a cabeça e mandar os roadies esconderem o segundo bumbo para sempre.

(trecho do livro Led Zeppelin: Quando Os Gigantes Caminhavam Sobre a Terra, de Mick Wall)

30 de dez de 2012

Os 30 discos de rock mais vendidos de 2012

domingo, dezembro 30, 2012
A Billboard, em parceria com a Nielsen Soundscan, divulgou o seu relatório anual com os discos mais vendidos do ano. O primeiro lugar ficou com 21, de Adele, o álbum mais vendido em todo o mundo em 2012. A inglesa emplacou também a sua estreia, 19, que ficou na posição número 16.


Abaixo estão os 30 álbuns de rock mais vendidos em 2012 segundo a Billboard / Nielsen Soundscan. Destaque para o Black Keys, que emplacou os seus dois últimos discos e caminha a passos largos para se tornar um gigante nos próximos anos.

Confira abaixo:

1 The Black Keys – El Camino
2 Nickelback – Here and Now
3 Linkin Park – Living Things
4 John Mayer – Born and Raised
5 Daughtry – Break the Spell
6 Bruce Springsteen – Wrecking Ball
7 Dave Matthews Band – Away from the World
8 Jack White – Blunderbuss
9 Van Halen – A Different King of Truth
10 Shinedown – Amaryllis
11 Five Finger Death Punch – American Capitalist
12 Alabama Shakes – Boys & Girls
13 The Black Keys – Brothers
14 Bonnie Raitt – Slipstream
15 Guns N´ Roses – Greatest Hits
16 Rush – Clockwork Angels
17 Journey – Journey´s Greatest Hits
18 OST – Rock of Ages
19 Green Day – Uno!
20 Korn – The Path of Totality
21 Bob Dylan – Tempest
22 The Killers – Battle Born
23 Creedence Clearwater Revival – Chronicle: The 20 Greatest Hits
24 Muse – The 2nd Law
25 Evanescence – Evanescence
26 Lynyrd Skynyrd – The Best of Lynyrd Skynyrd
27 Foo Fighters – Wasting Light
28 Neil Young & Crazy Horse – Americana
29 The Beach Boys – That´s Why God Made the Radio
30 Pink Floyd – Dark Side of the Moon

29 de dez de 2012

Brasil, o país onde a música cisca pra trás

sábado, dezembro 29, 2012

Daí você liga a TV no final do ano, ou pega um jornal para ler, e dá de cara com inúmeras retrospectivas a respeito do que, supostamente, aconteceu de melhor nas mais variadas áreas durante 2012. Com a música não é diferente. Mas, se pensarmos um pouquinho, na verdade é muito diferente.

A música brasileira sempre foi considerada uma das mais inventivas e originais do mundo. Demos ao planeta gêneros como a bossa nova (que virou o jazz do avesso), o samba, o embalo e o ritmo sensual que é único em todo o planeta. Somos a terra natal de gênios singulares do quilate de Antônio Carlos Jobim, Chico Buarque, Jorge Ben e Chico Science. Mas, nos últimos anos, a música brasileira segue, em alta velocidade, rumo ladeira abaixo.

Hoje, o país que já viu nascer Caetano, Gil e João Gilberto só quer pegar você a bordo de um Camaro amarelo. É deprimente, triste, mas qual a origem dessa realidade? Se formos analisar o cenário de maneira antropológica, podemos identificar o surgimento do Plano Real, em 1994, como o ponto zero da mudança. Ao mesmo tempo em que estabilizou a economia e deu maior poder aquisitivo a uma parcela maior da população, transformou essa mesma parcela em protagonista de um país. Vimos isso em diversos segmentos, como o boom das grandes redes de varejo como Casas Bahia (onde o que importa é poder pagar o valor da prestação no final do mês e não se essa prestação, no final das contas, faz você pagar o dobro no final), a explosão no consumo de carros (que tornou o trânsito das grandes cidades, historicamente complicado, ainda pior), o crédito fácil que faz com que qualquer pessoa hoje tenha um imóvel (o Minha Casa Minha Vida é responsável pelo inchamento da bolha imobiliária, que em algum momento vai estourar e trazer consequências muito desagradáveis para toda a economia, vide o exemplo recente da crise norte-americana), e muitas outras situações.

Uma das mais evidentes é percebida na cultura popular. Para se moldar à audiência, que hoje é dominada pelas classes C e D, os provedores de conteúdo – sejam eles emissoras de TV, rádio, jornais, revistas ou sites -, abriram espaços gigantescos para artistas de nível rasteiro nos últimos anos. Dessa maneira, a Música Popular Brasileira, berço de obra-primas como “Construção”, por exemplo, hoje agoniza em letras como “Ai, Se Eu Te Pego” e, em casos ainda mais extremos, em composições que até deixam de lado esse elemento supérfluo que é a letra, a poesia, responsável por tocar a alma e causar identificação entre o artista e o público, como a pra lá de lamentável “Eu Quero Tchu, Eu Quero Tcha”.

Esse país que idolatra duplas sertanejas (querendo ou não, o sertanejo universitário é a música pop brasileira atualmente) e artistas como Gustavo Lima e Michel Teló não é a terra em que eu nasci. Está longe disso. Esse país que não sabe diferenciar “mas” de “mais” em redes sociais, que elege Tiriricas e se endivida em carnês infinitos nas Ricardo Eletros da vida não representa o chão onde eu vim ao mundo. Não se trata de preconceito com um ou outro estilo, mas sim capacidade de percepção para identificar uma música rasteira, vazia de argumentos e totalmente sem relevância. Ela até  pode representar um povo, mas o povo que ela representa é o que, ao invés de aproveitar a ótima maré que o Brasil atravessa, ostenta orgulho de sua ignorância.

Não estamos falando de rock, de MPB, de pop ou de qualquer gênero específico. Estamos falando da decadência da cultura popular brasileira, externada tanto em artistas como os citados acima como em fenômenos de audiência como a lamentável Avenida Brasil.

Não sou um cientista social ou um antropólogo, só um cidadão, mas o que eu sei é que essa tal cultura popular brasileira, levada ao grande público por nomes como Regina Casé e Luciano Huck, em nada me representa e me traduz, não causando nenhuma identificação não só comigo, mas com milhões de pessoas em todos os cantos do Brasil.

Está na hora de substituir os carnês da Casas Bahia por mensalidades em escolas melhores, ou daqui há alguns anos estaremos literalmente pastando. Enquanto Tulipas Ruiz continuarem valendo menos que Munhoz & Marianos, o poço continuará sem fundo.

Podem me chamar de arrogante, mas não de burro ...

2012 em 50 imagens

sábado, dezembro 29, 2012
Estamos chegando ao final de 2012, e para relembrarmos o que rolou no ano preparamos uma retrospectiva visual do que de mais interessante, importante e revelante aconteceu na música nos últimos 12 meses. Grandes discos, novas bandas, reuniões, mortes, fatos, notícias - tudo o que deu pano pra manga está nestas cinquenta imagens, em ordem cronológica, abaixo. Se você acompanhou a Collectors o ano todo, dispensa legendas para saber a que assunto cada uma delas se refere.

Acomode-se na cadeira, repasse o ano com a gente e que venha 2013!




23 de dez de 2012

Escolha qual foi o melhor disco lançado pela Hellion Records em 2012 e concorra a 1 LP importado do Ghost e um CD+DVD do Slash

domingo, dezembro 23, 2012
Em parceria com os nossos parceiros da Hellion Records, preparamos uma promoção legal pra começar o ano com tudo.

A Hellion quer saber a sua opinião sobre os discos que lançou no mercado nacional durante todo o ano de 2012.  Listamos todos os títulos colocados no mercado pela gravadora este ano, e você pode escolher quais foram os seus favoritos. 

A enquete está na barra lateral do site, abaixo do banner da Hellion.

Respondendo à pesquisa, você concorre a 1 LP importado de Opus Eponymous, do Ghost, e 1 CD + DVD Apocalyptic Love, do Slash.

Você precisa votar aqui na Collectors, curtir a página da Hellion no Facebook e clicar aqui para concorrer aos prêmios.

A enquete e a promoção vão até o dia 20 de janeiro, participe e boa sorte!

21 de dez de 2012

Os 50 melhores discos de 2012 segundo a Collectors Room

sexta-feira, dezembro 21, 2012

De Abayomy Afrobeat Orquestra a Wolfsbane, nossas listas de melhores de 2012 elaboradas por jornalistas, blogueiros e músicos convidados citaram nada mais nada menos do que145 discos diferentes. Você pode conferir todas as 25 listas publicadas clicando aqui

O resultado final é fruto dos votos dados para cada disco, mais a soma citações de cada título em todas as categorias, e mais pontos extras para os álbuns que encabeçaram cada lista e os vencedores de cada categoria. Assim, chegamos ao seguinte resultado final, com 50 álbuns que demonstram o que de melhor aconteceu na música em 2012.

Uma última dica: basta clicar no título de cada álbum para ler o seu respectivo review.


Com vocês, os 50 melhores discos de 2012 segundo a Collectors Room:

1. Jack White - Blunderbuss 
2. Baroness - Yellow & Green 
3. Testament - Dark Roots of Earth 
4. Van Halen - A Different Kind of Truth 
5. Graveyard - Lights Out 
6. Bruce Springsteen - Wrecking Ball
7. Kiss - Monster 
8. Rush - Clockwork Angels 
9, ZZ Top - La Futura 
10. Rival Sons - Head Down 
11. Frank Ocean - Channel Orange  
12. Alabama Shakes - Boys & Girls 
13. Bob Dylan - Tempest 
14. Soulfly - Enslaved 
15. The Gaslight Anthem - Handwritten 
16. Leonard Cohen - Old Ideas 
17. Soundgarden - King Animal 
18. The Night Flight Orchestra - Internal Affairs 
19. Accept - Stalingrad 
20. Adrenaline Mob - Omertá 
21. Dr. John - Locked Down 
22. Patti Smith - Banga 
23. Soen - Cognitive 
24. Chris Robinson Brotherhood - Big Moon Ritual 
25. Dave Matthews Band - Away From the World 
26. Lamb of God - Resolution 
27. Neil Young - Psychedelic Pill 
28. The Beach Boys - That’s Why God Made the Radio  
29. Black Country Communion - Afterglow 
30. Blackberry Smoke - The Whippoorwill 
31. Europe - Bag of Bones 
32. Flying Colors - Flying Colors 
33. Howlin’ Rain - The Russian Wilds 
34. Michael Kiwanuka - Home Again 
35. Spiritualized - Sweet Heart Sweet Light 
36. Stone Sour - House of Gold & Bones Part 1 
37. The Cult - Choice of Weapon 
38. BNegão e os Seletores de Frequência - Sintoniza Lá! 
39. Candlemass - Psalms for the Dead 
40. Cloud Nothings - Attack on Memory 
41. Fiona Apple - The Idler Wheel ... 
42. Green Day - ¡Uno! 
43. Kreator - Phantom Antichrist 
44. Mark Lanegan Band - Blues Funeral 
45. Slash - Apocalyptic Love 
46. Spectrum Road - Spectrum Road 
47. Storm Corrosion – Storm Corrosion 
48. The Smashing Pumpkins - Oceania 
49. Torche - Harmonicraft 
50. Witchcraft - Legend 


Comentários, please!

As 10 melhores músicas de 2012 segundo a Collectors Room

sexta-feira, dezembro 21, 2012
2012 foi um ótimo ano para a música. Uma das provas disso é que os jornalistas, blogueiros e músicos que convidamos para elegerem os seus melhores do ano citaram nada mais nada menos que 207 faixas na categoria Melhor Música. 

Abaixo você confere as 10 mais votadas, e também pode ouvi-las clicando nos players. 

E, é claro, conte o que achou do resultado nos comentários, queremos saber a sua opinião:

Top 2012 Collectors Room: chegou a hora de conhecer quem foram os vencedores

sexta-feira, dezembro 21, 2012
Durante um mês, publicamos 25 listas de melhores do ano aqui no site, elaboradas por jornalistas, músicos e blogueiros de todo o país, especializados nos mais diversos estilos. O objetivo era mostrar o que de melhor aconteceu na música durante 2012, por pontos de vistas diferentes. Para ler todas, clique aqui.

Agora, chegou a hora de conhecer quem os nossos especialistas elegeram como os melhores do ano em todas as categorias que fizeram parte da nossa pesquisa. 


Abaixo, os primeiros resultados. E, na sequência, posts exclusivos sobre os 20 melhores sites, as 20 melhores músicas e os 50 melhores discos de 2012. 


Foi muito legal fazer toda essa brincadeira, e espero que vocês tenham curtido as listas! Vamos lá! 


Clipe do Ano 
Rolling Stones - Doom and Gloom


Melhor Estreia 
Alabama Shakes - Boys & Girls 
Leia aqui o nosso review sobre o disco





Retorno do Ano 
Van Halen – A Different Kind of Truth 
Leia aqui o nosso duplo review sobre o disco 







Disco Decepção

Steve Harris - British Lion 
Leia aqui o nosso review sobre o disco 






Melhor Álbum ao Vivo 
Led Zeppelin - Celebration Day 












DVD do Ano 

Led Zeppelin - Celebration Day 
Leia aqui o nosso review 











Melhor Documentário 

Pink Floyd - The Story of Wish You Were Here 
Leia aqui o nosso review 










Melhor Livro 

Luz e Sombra: Conversas com Jimmy Page 
Leia aqui o nosso review sobre o livro  








Show do Ano 
Roger Waters – The Wall 









Melhor Capa 

Empate entre Yellow & Green, do Baroness, e Celebration Day, do Led Zeppelin 








Mico do Ano 

Metal Open Air 
Leia aqui tudo o que publicamos sobre o MOA  








Melhor Filme 

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge 







Melhores Rádios 
Não houve vencedores aqui, empate geral, então listamos todas as citadas: 

ARfm  
Oi FM  
Sonora  

19 de dez de 2012

Feliz Natal, ótimo 2013, obrigado por tudo e uma surpresinha no final

quarta-feira, dezembro 19, 2012
2012 foi um grande ano para a Collectors Room. Quem disse isso foram vocês, leitores, e os números comprovam. Tivemos um crescimento de 90% na audiência do site. Nos consolidamos como uma das principais fontes de informação para quem curte rock, metal e música em geral na web brasileira. Reformulamos totalmente o nosso layout, oferecendo aos leitores um site mais eficiente e prático. E, por fim, deixamos de ser apenas um blog e nos transformamos em um site sobre música, em um processo que só tende a crescer nos próximos anos.

Gostaria de agradecer profundamente você que esteve ao nosso lado durante todo o ano, concordando e discordando das opiniões que publicamos. Você que chegou agora ou nos últimos meses, seja bem-vindo e saiba que a principal característica da Collectors Room continua a mesma: transparência e sinceridade em tudo, sem tapinhas nas costas em ninguém, tendo um compromisso apenas com você.

Estou saindo para umas merecidas férias hoje, e só volto à ativa lá por 10 de janeiro, aproximadamente. Vou para o interior do Rio Grande do Sul rever a família, encontrar amigos de infância e recarregar as baterias. Pego uma praia no caminho, porque, afinal de contas, ninguém é de ferro. Por isso, já desejo um Feliz Natal e um ótimo 2013 a todos que nos acompanham todos os dias, e que vocês passem momentos bem legais neste final de ano com quem faz a diferença em suas vidas.

Para finalizar, a surpresinha do título: este post também é um convite para você participar do nosso melhores do ano. Vá nos comentários e nos conte quais foram os 10 melhores discos de 2012 na sua opinião. Você tem até o dia 14 de janeiro para comentar. Depois disso, computaremos os votos e descobriremos, juntos, quais foram os melhores discos de 2012 na opinião dos leitores da Collectors Room.

Valeu povo, obrigado por tudo e que o final de ano seja bem legal pra todos nós!

Top 2012 Collectors Room: Marcelo Costa, do Scream & Yell, e os seus melhores do ano

quarta-feira, dezembro 19, 2012
Na falta de uma palavra melhor, dá para definir o trabalho do Marcelo Costa com o bom e velho “foda”. O cara escreve bem pra caramba, comanda o excelente Scream & Yell, escreve para revistas, está no rádio e na TV - enfim, atua em todas as frentes, sempre com alto grau de qualidade em tudo o que faz. Por isso, fiquei muito feliz quando o Mac respondeu o convite e enviou a sua lista com os melhores do ano para a Collectors Room. 

Com ela, chegamos também ao final do nosso especial sobre o que de melhor aconteceu em 2012. Ao todo, publicamos 25 listas diferentes de jornalistas, músicos e blogueiros, formando um painel muito legal do que rolou de mais interessante nos últimos doze meses. Você pode acessar todas elas clicando aqui.

Sem mais delongas, vamos à aguardada lista do Marcelo! 

Bruce Springsteen - Wrecking Ball 

A molecada, perdida entre viajar e se apaixonar, esqueceu que uma canção também pode ser veículo de contestação. Bruce, que não é moleque, aponta sua guitarra para os banqueiros em um dos álbuns textualmente mais punks de 2012. E soul. Discaço 

Fiona Apple - The Idler Wheel... 

Todas as mulheres são loucas, ou só as que nós conhecemos? Bem, quer entender uma mulher? Ouça esse disco com atenção especial às letras... 

Patti Smith - Banga 

Fazia oito anos que ela não lançava um disco de inéditas, e seu retorno não poderia ter sido melhor. 

Paul Weller - Sonik Kicks 

Paul Weller é o Paul McCartney do movimento punk. Ok, é um definição que desmerece o talento deste britânico que vem lançando um disco sensacional atrás do outro (enquanto Paul...).

Jack White - Blunderbuss 

Para quem gosta de guitarras e dispensa refrões. Jack White mostra, em 2012, como a música era antes do capitalismo vencer a batalha. 

Tulipa Ruiz - Tudo Tanto 

Um disco inteiro (ou quase) para tocar na rádio, mas vivemos em um país que não se preocupa com qualidade, mas com dinheiro. Dito isto, vá ao site da Tulipa e baixe um dos discos do ano

Jair Naves - E você se sente numa cela escura… 

O nome do disco é quilométrico assim como o da Fiona Apple, e, assim como o disco dela, vale muito ouvir a estreia solo de Jair prestando atenção às letras. Outro disco disponibilizado de graça. 

Siba - Avante 

Siba decidiu descansar a rabeca em Avante, seu terceiro álbum, e se concentrar na guitarra. Não poderia ter sido melhor. Outro disco que vale pegar de graça

Felipe Cordeiro - Kitsch Pop Cult 

Um baita guitarrista que, por sorte, nasceu em Belém. Sorte porque acompanhou vários mestres de guitarrada, e percebeu que a guitarra (e a música) pode fazer dançar. Também é possível baixar de graça

Cris Braun - Fábula 

Mais um disco disponibilizado gratuitamente - o que, de certa forma, demonstra que o melhor da música brasileira atual está sendo ofertado de graça para o ouvinte. Vale uma pensata... 



Clipe do Ano
Molho Negro – Aparelhagem de Apartamento 



Quase Ficou Entre os 10 
O disco do Titus Andronicus... 



Melhor Estreia 

Alabama Shakes (e deve ser um dos grandes shows de 2013 no Brasil)


Retorno do Ano 

Old Ideas, de Leonard Cohen. Fazia oito anos que ele não lançava um disco de inéditas...



Disco Decepção 

O disco do Otto...



Melhor Álbum Ao Vivo
Parklive, do Blur 


10 Melhores Músicas 
 
Carly Rae Jepsen – Call Me Maybe
Alabama Shakes – Hold On
Neil Young – Walk Like A Giant
B-Negão & os Seletores de Frequencia – Essa é Pra Tocar no Baile
Tulipa Ruiz e Lulu Santos – Dois Cafés 
Leonard Cohen – The Darkness
Tame Impala – Elephant
Brendan Benson – Bad For Me
The Vaccines – Lonely World
Titus Andronicus – Still Life with Hot Deuce on Silver Platter

DVD do Ano 
Bridge School 25th Anniversary Edition 

Melhor Documentário
Tropicália



Melhor Livro
João Gilberto, da Cosac Naif 



Melhor Show
Mogwai, no Sonar SP 


Melhor Capa
B-Negão & os Seletores de Frequência 


Mico do Ano
SWU, que ainda está na duvida se desocupa a moita...



Filme do Ano
As Vantagens de Ser Invisível 

Melhor Rádio / Web Rádio 

5 Melhores Sites / Blogs Sobre Música
  

Top 2012 Collectors Room: os melhores do ano na opinião de Sergio Martins

quarta-feira, dezembro 19, 2012
Sergio Martins é um dos jornalistas e críticos de música mais conhecidos e respeitados do Brasil. Com passagens por diversas publicações, comandou a revista Bizz como editor-chefe durante vários anos. Já há algum tempo, Sergio é o responsável pela editoria de música da maior revista do país, a Veja. 

Confira abaixo, com exclusividade, a sua aguardada lista de melhores do ano. 

Jack White – Blunderbuss 

Para mim, Jack White é um dos artistas mais completos do cenário atual do rock americano. Belíssimo guitarrista, bom compositor e sua voz esganiçada dá conta do recado. Blunderbuss é o primeiro disco solo (bem, se não contarmos que ele fazia praticamente tudo no White Stripes) e tem um monte de blues rock adoráveis, além da ótima versão de "I’m Shakin’", de Rudy Toombs.     

Patti Smith – Banga 

É o melhor disco dela em anos. Ou melhor, em décadas. Banga – o nome foi tirado de um personagem do livro O Mestre e a Margarida, o mesmo que inspirou Mick Jagger para compor "Sympathy for the Devil" – e traz um belo casamento entre música e poesia. As influências de Patti são vastas, vão de Jimi Hendrix ao jazzista Sun Ra. As letras citam do escritor russo Gogol à descoberta do novo mundo pelo navegador Americo Vespúcio. E poucas releituras são tão belas quanto a de "After the Gold Rush", de Neil Young.  

Bob Dylan – Tempest 

2012 foi o ano em que os vovôs do rock mostraram por que merecem nossa admiração. Tempest é uma paulada, um dos melhores discos da fase recente de Bob Dylan (e olha que ele não tem dado bola fora). Uma coleção de canções do período pré rock (blues, jazz, rhythm’n’blues) cantadas com aquela voz de cão sarnento. Dá até para perdoar o roubo que ele faz de Muddy Waters em "Early Roman Kings".     

Nick Waterhouse – Time’s All Gone 

Eu descobri este disco por acidente. No final de abril, eu estava gravando um especial sobre a música de Nashville numa loja de discos da cidade quando me encantei com a música que saía das caixas. Perguntei quem era para à lojista e ela me apresentou Nick Waterhouse. Rhythm’n’blues calcado nas décadas de 50 e 60, esplendidamente bem interpretado (o cara manda muito bem!).  

Jessie Baylin – Little Spark 

Jessie é de Nova Jersey. Mas aprimorou seu trabalho em Nasvhille, cidade em que mora ao lado do marido, Nathan Followill, baterista do Kings of Leon. Little Spark, seu segundo disco, mostra uma cantora do jeito que eu gosto: uma interpretação delicada, canções que vão do blues ao country, do pop ao rock.   

Frank Ocean – Channel Orange 

Para mim, o grande disco de música negra deste ano. Frank Ocean pertence ao Odd Future, um combo de rappers misóginos e homofóbicos. No início de 2012, ele assumiu que teve uma relação com alguém do sexo masculino – curiosamente, a tal revelação foi feita às vésperas do lançamento deste álbum. Que se dane. Channel Orange é uma aula de música negra contemporânea. 

Robert Glasper Experiment – Black Radio 

Robert Glasper é pianista do primeiro escalão do jazz. Mas aqui ele se permitiu a fazer um disco de pop, com repertório pinçado entre música negra, pop e até grunge. As releituras dele são sensacionais e o time tem gente boa como a cantora Lalah Hathaway, o rapper Mos Def e o soulman Bilal.  

Alabama Shakes – Boys & Girls 

Uma boa banda de garagem. Mas a diferença está nos vocais da Brittany Howard. Tem o tom negroide e a agressividade na medida certa!   

Dr. John – Locked Down 

É o grande mestre do piano de Nova Orleans, turbinado pelo Dan Auerbach (dos Black Keys). Eu até gosto dos trabalhos recentes do Dr. John, mas este aqui é imbatível.   

André Mehmari, Chico Pinheiro, Sérgio Santos – Triz 

Três virtuoses (Mehmari é um pianista genial, Pinheiro toca violão e guitarra como poucos e o Santos é um dos melhores cantores do Brasil) em interpretações fora-de-série. E nenhum rouba o espaço do outro... 


 
Clipe do Ano
"Labrador", da Aimee Mann, que recria "Voices Carry", do Till Tuesday   

Quase ficaram entre os 10

São tantos. Escolho dois: Stars are Indifferent to Astronomy, lição de power pop do Nada Surf, e Charmer, da Aimee Mann, que não sabe o que é disco ruim.

Nacionais? Estação Sé, do Cae Rolfsen e o disco do Caio Bosco, além do Próxima Estação, do Volver, que pode ser baixado aqui.     

Melhor Estreia
Pode repetir? Alabama Shakes em Boys & Girls   

Retorno do Ano
Patti Smith em Banga, e Kiss em Monster   

Melhor Álbum Ao Vivo
Everybody’s Talkin’, da Tedeschi Trucks Band, e Celebration Day, do Led Zeppelin   

10 Melhores Músicas
"Arabesca", de André Mehmari, Chico Pinheiro e Sérgio Santos 
"Early Roman Kings", do Bob Dylan 
"Labrador", da Aimee Mann 
"When I Was Young", do Nada Surf 
"Back to the Stone Age", do Kiss 
"Sixteen Saltines", do Jack White 
"Constantine’s Dream", da Patti Smith 
"Hold On", de Alabama Shakes 
"Religion", do Frank Ocean 
"Getaway", do Dr. John     

DVD do Ano
Celebration Day, do Led Zeppelin   

Melhor Documentário
Marley, do Kevin MacDonald   

Melhor Livro
Make Up to Break Up, do Peter Criss

Merda pra tudo quanto é lado: Ace Frehley é bissexual, Paul Stanley é gay, Gene Simmons passou herpes pra mulher....   

Melhores Shows
Maria Scheneider e um combinado de músicos brasileiros no Sesc Pinheiros   
Kiss no Arena Anhembi   
Chick Corea, Stanley Clarke e Lenny White no BMW Jazz Festival Robert Plant   

Mico do Ano
O festival from hell do Maranhão...   

Filme do Ano
Argo 

5 Melhore Sites / Blogs 

Top 2012 Collectors Room: Guilherme Guedes, do TMDQA!, revela os seus melhores do ano

quarta-feira, dezembro 19, 2012
Guilherme Guedes é músico e jornalista, e faz parte da equipe do Tenho Mais Discos Que Amigos!, um dos melhores sites sobre música do país. 

Abaixo, ele revela para os leitores da Collectors Room os seus melhores do ano. 

Cloud Nothings - Attack On Memory


A produção crua de Steve Albini deu o tempero certo para o sucesso deste excelente álbum, que resgata o punk, o indie e o powerpop dos anos 90 (mas já?). 

Sigur Rós - Valtari


Mais um êxito incontestável dos islandeses, Valtari tende mais à ambient music do que os últimos álbuns do grupo, mas evita a chatice com arranjos belíssimos e produção impecável. 

Graveyard - Lights Out


Após o ótimo Hisingen Blues, o Graveyard fez o improvável e voltou com um álbum ainda mais potente, e com a melhor música do ano: "Slow Motion Countdown". 

Baroness - Yellow & Green


O Baroness anda na contramão da maioria dos grupos de metal ao incorporar elementos de folk, pop e ambient music. O resultado? O melhor álbum da banda. 

Soundgarden - King Animal 

É bom ter o Soundgarden de volta, e melhor ainda perceber que o quarteto não se acomodou. 

Torche - Harmonicraft


Stoner metal com uma sensibilidade pop surpreendente. 

Alabama Shakes - Boys & Girls

O mundo precisa de mais bandas como o Alabama Shakes. O desafio agora é conseguir manter o frescor sem perder a identidade nos próximos álbuns. 

Christian Scott - Christian aTunde Adjuah


Christian Scott faz jazz inspirado pelo Radiohead, embalado pelas levadas inspiradas em hip-hop do excepcional baterista Jamire Williams. A técnica é perfeita, mas este álbum duplo ambicioso se curva muito mais à emoção do que ao virtuosismo. 

The Smashing Pumpkins - Oceania


Após os dois fraquíssimos EPs da série Teagarden By Kaleidoscope, Billy Corgan surpreendeu e lançou o melhor álbum do Smashing Pumpkins - ou pelo menos assinado pelo SP - em muitos anos. 

Karriem Riggins - Alone Together


Produtor e baterista que já trabalhou com The Roots, Paul McCartney e diversos outros, Karriem derrama grooves e batidas nesta estreia solo que impressiona. 

  
Clipe do Ano
O Terno - 66 

Quase Ficou Entre os 10
Deftones - Koi No Yokan


Koi No Yokan leva todos os elementos do antecessor, Diamond Eyes, ao extremo. Mais um pra ótima discografia do grupo. 

Melhor Estreia
Thriven - A Bag of Scumbags


Certamente uma das melhores bandas da nova safra do metal nacional. 

Retorno do Ano
Soundgarden - King Animal


Disco Decepção
Gary Clark Jr. - Blak and Blu


Potencial para ser um dos melhores do ano, mas deixou a desejar por soar "plástico" demais nas faixas mais próximas do pop. 


Melhor Álbum Ao Vivo
Thrice - Anthology


Triste despedida de uma banda que começou limitada ao post-hardcore, mas com o tempo se revelou como uma das mais ousadas e experimentais do estilo. 

10 Melhores Músicas (em ordem alfabética)
2:54 - Scarlet

Christian Scott - Phyrric Victory of a Tunde Adjuah

Cloud Nothings - Wasted Days

Graveyard - Slow Motion Countdown

Japandroids - The House That Heaven Built

Macaco Bong - Summer Seeds

Portico Quartet - Ruins

Sigur Rós - Fjögur píanó

The Smashing Pumpkins - Violet Rays

Soundgarden - Bones of Birds 

DVD do Ano
Led Zeppelin - Celebration Day

Melhor Documentário
Searching For Sugar Man 

Melhor Livro
David Byrne - How Music Works



Melhor Show
Mogwai - Sónar SP - 11/05/2012 

Melhor Capa
Torche - Harmonicraft 

Mico do Ano
Metal Open Air 

Filme do Ano
Beasts of a Southern Wild, de Benh Zeitlin 

Melhor Rádio / Web Rádio

5 Melhores Sites / Blogs Sobre Música
SPIN 

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE