2 de out de 2012

Ian Gillan & Tony Iommi: crítica de WhoCares (2012)

Você sabe quem são Ian Gillan e Tony Iommi. Talvez o que você não saiba é que a dupla juntou forças no WhoCares, que lançou um excelente single em 2011 e agora coloca no mercado um álbum duplo, lançado aqui no Brasil pela Hellion Records.

Batizado com o nome do projeto, o disco tem 18 faixas que repassam composições e versões pouco conhecidas da carreira de Gillan e Iommi, com direito a diversos lados B e canções raras. Essa característica torna WhoCares, o disco, bastante interessante para colecionadores e fãs inveterados do Deep Purple e do Black Sabbath.

Os destaques vão para as duas faixas lançadas no single de 2011, as ótimas “Out of My Mind” e “Holy Water”, onde Ian e Tony tiveram a ilustre companhia de Jon Lord, Jason Newsted, Nicko McBrain e Linde Lindstrom. Ambas continuam esbanjando frescor e criatividade, comprovando o ótimo trabalho realizados pelos músicos. 

Merece menção também a inclusão da versão remasterizada de “Zero the Hero”, faixa do errático Born Again, disco do Black Sabbath lançado em 1983 e que contou com Gillan nos vocais. Desse álbum, há também “Trashed”, mas aqui em uma releitura com Gillan e Iommi acompanhados por Roger Glover e Ian Paice, a clássica dupla de baixo e bateria do Purple. 

Falando em Deep Purple, os apreciadores da banda irão curtir a versão ao vivo de “Smoke on the Water” com a participação especial do falecido Ronnie James Dio, além da jam inspirada de “Dick Pimple”. Isso sem falar, é claro, nas diversas faixas pouco conhecidas de Gillan, com participações especiais do vocalistas em vários projetos. Ian brilha também em uma bela versão acústica de “When a Blind Man Cries”.

Em relação ao Black Sabbath, há duas músicas raras da cultuada parceria entre Iommi e Glenn Hughes - “Slip Away” e “Led It Down Easy” - e a subestimada “Anno Mundi (The Vision)”, resgate da época do vocalista Tony Martin no grupo.

Porém, o que faz WhoCares ser um disco interessante é também o seu calcanhar de Aquiles. Por se tratar de uma compilação onde grande parte das músicas são b-sides, em diversos momentos o valor histórico se sobrepõe à qualidade do material. Há um destaque maior para Ian Gillan em todo o disco, resgatando material de bandas como The Javelins e Garth Rockett and The Moonshiners, enquanto que, em relação a Tony Iommi, o resgate não é tão profundo e extenso quanto. Muitas das faixas são atraentes para fãs e colecionadores, mas não possuem grandes atrativos para quem é apenas um ouvinte casual e procura somente um bom álbum de rock para se divertir. Aos que estão em busca da segunda opção, poucas soluções são ainda tão eficazes quanto os trabalhos clássicos dos próprios Black Sabbath e Deep Purple.

WhoCares é um trabalho com um resultado que varia do cativante ao irregular, e essa característica faz com que o disco seja indicado, em sua maior parte, apenas para colecionadores. 

Nota: 7

Faixas:

CD 1
  1. WhoCares - Out of My Mind
  2. Black Sabbath - Zero the Hero
  3. Ian Gillan - Trashed
  4. Ian Gillan & Mihalis Rakintzis - Get Away
  5. Tony Iommi & Glenn Hughes - Slip Away
  6. Ian Gillan - Don’t Hold Me Back
  7. Ian Gillan - She Thinks It’s a Crime
  8. Repo Depo feat. Ian Gillan - Easy Come, Eady Go
  9. Deep Purple feat. Ronnie James Dio - Smoke on the Water (live)

CD 2
  1. WhoCares - Holy Water
  2. Black Sabbath - Anno Mundi (The Vision)
  3. Tomy Iommi & Glenn Hughes - Let It Down Easy
  4. Ian Gillan - Holy in My Vest
  5. Gillan & Glover feat. Dr. John - Can’t Believe You Wanna Leave Me
  6. Ian Gillan and The Javelins - Can I Get a Witness
  7. Garth Rockett and The Moonshiners - No Laughing in Heaven
  8. Ian Gillan - When a Blind Man Cries (live)
  9. Deep Purple - Dick Pimple

8 comentários:

André Luiz disse...

Ótima crítica, Gillan e Iommi juntos sempre é interessante.

Só uma dúvida: Essa Anno Mundi (The Vision) é alguma regravação com vocais do Ian Gillan ou é exatamente a mesma que está no Tyr (1990)?

Ricardo Seelig disse...

É com o vocal do Tony Martin, não do Gillan.

Bruno Sousa disse...

Bacana, já esperava que o valor histórico fosse maior que a qualidade do disco. Mas, sem dúvida, vou comprar o disco.

Ps.: Ricardo, pretende fazer alguma do novo do Muse?

Ricardo Seelig disse...

Estou com o disco aqui, Bruno, mas ainda não ouvi. O que você achou de The 2nd Law?

Yo disse...

É tão bom ver um cara que e fanzaço dos dois artistas não ficar de babação de ovo só pq gosta desses artistas.

Isso aqui é sensacional: "WhoCares é um trabalho com um resultado que varia do cativante ao irregular, e essa característica faz com que o disco seja indicado, em sua maior parte, apenas para colecionadores."

Ricardo, tu é um cara muito sensato e inteligente. Escreve bem e suas resenhas sempre valem à pena. O aprendizado dessa aqui pra quem fanboy do TI e IG é que, sim, não é pq os dois artistas são foda que todos os discos são nota 11. Eles podem, sim, fazer coisas irregulares.

Quem dera o pessoal do Whiplash fosse mais crítico e menos bitola.

Eu dou nota 9 pro disco, mas pra resenha é nota 10. Gosto muito desse blog. Muito bem feito.

Bruno Sousa disse...

Então Ricardo, eu achei o 2nd Law aquele tipo de álbum Ame-o ou Odeie-o. Eu particularmente achei o disco muito bom, os caras têm evoluído de uma forma impressionante. Mas alguns amigos me disseram que não curtiram...

Carlos A. disse...

Quer ver um discaço bem melhor que esse? é o Iommi-Iommi 2000. As dez faixas são matadoras, com os vocalistas convidados e com o rei dos riff despejando toda sua competência.....é um disco que não vejo ninguém ao menos citá-lo, o que é uma pena.

Ricardo Seelig disse...

Yo, obrigado pelo elogio.

Bruno, tenho que ouvir o Muse.

E Carlos, o disco de 2000 do Iommi é realmente muito bom.

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE