Slipknot: crítica de (sic)nesses (2010)

Lançado originalmente em 2010, (sic)nesses é o último home vídeo disponibilizado pelo Slipknot. O material traz a antológica apresentação da banda no Download Festival, realizada no dia 13 de junho de 2009. O grupo foi o headliner daquela data, em um dos últimos shows do baixista Paul Gray, falecido em maio de 2010. O vídeo é dedicado ao músico. A ST2 acaba de lançar (sic)nesses em blu-ray simples aqui no Brasil, o que torna a apresentação ainda mais intensa. 
 
Promovendo o seu quarto álbum, All Hope is Gone (2008), a banda fez uma apresentação aguardadíssima pelo público inglês, e correspondeu a todas as expectivas. Com a plateia na mão desde o início, Corey Taylor e companhia promoveram um verdadeiro arregaço em cima do palco, entregando versões ainda mais violentas de suas composições. O aspecto visual, elemento indissociável do Slipknot, é responsável por imprimir um clima sombrio e assustador ao show, como uma celebração macabra conduzida por psicóticos lunáticos.

Tecnicamente, a banda é estupenda. O sensacional baterista Joey Jordison acaba sendo o centro das atenções, com suas levadas insanas e pra lá de intrincadas. A dupla de guitarristas Jim Root e Mick Thomson entrega bases pesadíssimas, com Root apresentando trejeitos de palco que lembram Janick Gers, do Iron Maiden. Os percussionistas Shawn Crahan e Chris Fehn dividem os holofotes com Corey e são uma espécie de frontmen secundários, provocando e interagindo incessantemente com o público. 



A catarse coletiva promovida pelo Slipknot é impressionante. E mais impressionante ainda é o fato de a banda ter se tornado um fenômeno de vendas executando um som nada amigável, pesado, agressivo e avesso a concessões. O show dos caras é uma experiência inesquecível e hipnótica, que transforma o tempo de sua duração em algo que fica marcado profundamente na memória de quem assistiu.

Com músicas de toda a carreira do grupo, (sic)nesses traz dezoito faixas e tem como principais destaques “Wait and Bleed”, “Before I Forget”, “Sulfur”, “Dead Memories”, “Vermilion”, “Duality”, “People = Shit” e o encerramento com a clássica “Spit It Out”. Entre os extras, um documentário com dezenas de cenas dos bastidores da turnê, os clipes de “Psychosocial”, “Dead Memories”, “Sulfur” e “Snuff”, além do making of do vídeo dessa última.

Um vídeo que comprova e dá vários motivos para entender o porque de o grupo natural de Iowa ser uma das maiores bandas de metal do planeta.

Excelente!

Nota 9


 
Faixas:
742617000027
(sic)
Eyeless
Wait and Bleed
Get This
Before I Forget
Sulfur
The Blister Exists
Dead Memories
Left Behind
Disasterpiece
Vermilion
Everything Ends
Psychosocial
Duality
People = Shit
Surfacing
Spit It Out

Comentários

  1. Apenas corrigindo, o nome do baixista é Paul Gray, não Day =D

    ResponderExcluir
  2. Sem escutar esse novo play posso dizer que deve ser mais uma daquelas porcarias dessa banda. Muito bem tocado e totalmente impossivel de digerir. Resumindo: um lixo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Você pode, e deve, manifestar a sua opinião nos comentários. O debate com os leitores, a troca de ideias entre quem escreve e lê, é que torna o nosso trabalho gratificante e recompensador. Porém, assim como respeitamos opiniões diferentes, é vital que você respeite os pensamentos diferentes dos seus.