14 de dez de 2012

Top 2012 Collectors Room: Bento Araújo, da poeira Zine, revela os seus melhores do ano

sexta-feira, dezembro 14, 2012
Sou fã do Bento. Ele é um dos meus maiores ídolos no jornalismo musical, e, naturalmente, uma grande influência. Seu trabalho na poeira Zine é exemplar, e merecedor de todos os elogios. 

E uma das maiores qualidades do Bento, apesar de focar o seu trabalho no rock poeirento, é não viver preso ao passado, como comprovam as suas listas de melhores do ano, sempre muito aguardadas pelos nossos leitores. 

Mais um exemplo está nesta abaixo, onde ele revela os seus preferidos de 2012. 

Howlin Rain – The Russian Wilds 

Foi o disco lançado este ano que mais rodou aqui na redação da pZ. Diversificado como pede os novos tempos, mas com o capricho e competência das bandas clássicas de antigamente.   

Dexys - One Day I'm Going to Soar 

A volta dos Dexys Midnight Runners foi uma das mais surpreendentes de 2012. Disco impecável, com o líder Kevin Rowland em forma.   

Änglagård - Viljans öga 

Banda sueca de progressivo sinfônico que voltou à ativa e lançou esse belo registro. Quatro faixas, com 15 minutos de duração em média cada uma delas. Mellotron, synths, pedais Taurus no baixo etc.   

Van Halen – A Different Kind of Truth 

Um arraso. Típico disco de puro hard californiano que não se escutava há décadas. É o Van Halen clássico da virada dos 70 para os 80. Canções "recauchutadas"? Não importa, o que importa é que a festa continua. Ao vivo o repertório desse disco cresceu ainda mais. A tour norte-americana de A Different Kind of Truth foi a melhor tour de 2012.    

Cody Chesnutt – Landing On A Hundred 

Segundo disco completo desse talento da soul music, gênero que se encontra revitalizado, ao contrário de tantos outros. Gravado em Memphis e com uma banda de dez integrantes, Landing On A Hundred é aquele disco para ouvir, e ouvir, e ouvir… Cody é o cantor/compositor revelação de 2012 da música negra ao lado de Michael Kiwanuka.   

Spectrum Road – Spectrum Road 

Uma homenagem ao monstro Tony Williams com Jack Bruce (que tocou no Lifetime ao lado de Williams), Vernon Reid, Cindy Blackman Santana e John Medeski. Precisa dizer algo mais? Fusion da pesada.   

Donald Fagen – Sunken Condos 

Outra pérola da esporádica carreira solo de Fagen. Arranjos sublimes, execução impecável, aquela coisa que os fãs de Fagen e de seu Steely Dan esperam.   

Patti Smith – Banga 

A mulher mais poderosa do rock 'n' roll voltou com um disco de estúdio especial. Nada mexeu mais comigo este ano do que a música "Constantine's Dream", que encerra este álbum.   

Neil Young – Psychedelic Pill 

O cara lançou dois discos este ano, um livro e ainda excursiona sem parar. Tive a honra e o prazer de escutar ao vivo, muitas das faixas deste álbum, em primeira mão, num show que vi de Neil e seu Crazy Horse em São Francisco. Quando peguei o LP triplo nas mãos, não tive dúvida: é um dos melhores lançamentos de 2012.   

Jack White – Blunderbuss 

Outro sujeito que assisti ao vivo este ano e que mostrou que está no auge de sua carreira como performer. Escutando Blunderbuss, seu primeiro disco solo, é evidente que Jack também está no auge como compositor. Talvez o músico mais impressionante da atual geração.   

  
Clipe do Ano
Trem Fantasma - Nunca se Sabe 

Quase Ficou Entre os 10 
Ian Hunter – When I'm President   

Melhor Estreia 
Michael Kiwanuka – Home Again   

Retorno do Ano 
Van Halen   

Disco Decepção 
Steve Harris - British Lion   

Melhor Álbum Ao Vivo 
Led Zeppelin - Celebration Day   

10 Melhores Músicas 
Patti Smith - Constantine's Dream 
ZZ Top - Flyin High 
Chris Robinson Brotherhood - Tulsa Yesterday  
Ondatrópica - I Ron Man 
Trem Fantasma - Nunca Se Sabe 
Donald Fagen - I'm Not The Same Without You    
Dewolff - A Mind Slip 
Violeta de Outono - Anos-Luz (Manito's Dream) 
Bill Fay - Jesus, etc 
The Wanteds - Cold Dark Night   

DVD do Ano 
King Crimson – Live In Argentina 1994   

Melhor Documentário 
Frank Zappa – From Straight To Bizarre   

Melhor Livro 
Psychedelia: An Ancient Culture, A Modern Way Of Life (de Patrick Lundborg)   

Melhor Show 
No Brasil: Mark Farner (Belo Horizonte) 
No exterior: Van Halen (Tampa, Florida)   

Melhor Capa 
Can – The Lost Tapes   

Mico do Ano 
Os preços dos ingressos de shows internacionais no Brasil.

Filme do Ano 
Cosmópolis   

Melhores Sites / Blogs Sobre Música 

O retorno de Jason Newsted

sexta-feira, dezembro 14, 2012
Jason Newsted, ex-baixista do Metallica, Flotsam & Jetsam e Voivod, está voltando à ativa depois de um longo intervalo. O músico montou um trio e quebrará o silêncio com um EP que sairá no início de 2013. Confesso que pesquisei bastante para encontrar o nome dos outros músicos, mas não consegui nada. Se souberem os nomes do baterista e do guitarrista que estão acompanhando Jason, por favor informem nos comentários. 

Intitulado simplesmente Metal, o novo trabalho de Newsted será lançado dia 8 de janeiro exclusivamente via iTunes e trará quatro faixas: “Soldierhead”, “Godsnake”, “King of the Underdogs” e “Skyscraper”. Para promover o trabalho, Jason e banda gravarão um vídeo este final de semana, mais precisamente amanhã, sábado, dia 15/12. 

Curioso para ouvir!

“Opticks, o novo clipe do Chronographs

sexta-feira, dezembro 14, 2012
A banda inglesa Chronographs retorna à ativa no início de 2013. O quinteto, que já lançou dois discos - There’s Nothing More Natural Than Disaster (2009) e Outhouse Sessions (2010) -, colocará o EP Nausea nas lojas no dia 7 de janeiro, através da Ghost Music.

Uma das faixas que estará no disco, “Opticks”, ganhou um clipe onde os caras mostram que não estão para brincadeira. Groove metal com boas doses de melodia, como você pode conferir abaixo:

Ouça “As Grace Descends”, a nova do Suffocation

sexta-feira, dezembro 14, 2012
A veterana banda norte-americana de death metal Suffocation divulgou a inédita “As Grace Descends”, faixa que estará em seu novo disco, Pinnacle of Bedlam, com lançamento marcado para 15 de fevereiro via Nuclear Blast.

O sétimo álbum do grupo foi produzido por Jon Cincotta, terá dez faixas e a sua capa foi criada por Raymond Swanland.

Aumente o volume e bata cabeça abaixo:

Top 2012 Collectors Room: os melhores do ano segundo Nando Machado, do Wikimetal

sexta-feira, dezembro 14, 2012
Nando Machado é apresentador do podcast semanal e um dos responsáveis pelo portal Wikimetal. Em 1983 começou a tocar baixo, a ir em shows e deixou seu cabelo crescer. Entrou para a música ouvindo Beatles por influência dos pais e depois começou com Queen, Kiss, Deep Purple, Black Sabbath, Iron Maiden, Motörhead, Metallica, Slayer, Sepultura e nunca mais parou. Participou ativamente da cena headbnager paulista de 1983 até hoje, e teve o prazer de frequentar lugares lendários como Rock Show, Carbono 14, Praça do Rock, Lira Paulistana, Dama Xoc, Aeroanta, Projeto SP, Black Jack, Rainbow Bar, etc. Tocou baixo e cantou numa banda de metal dos anos 80/90 chamada Exhort, onde lançou dois discos. Trabalha há muitos anos no mercado da música na área de marketing e promoção. Há 2 anos foi convidado por dois grandes amigos de infância, Daniel Dystyler e Rafael Masini, para criar o projeto Wikimetal. 

Tem o sonho de ver o heavy metal no Brasil sendo trabalhado de forma realmente profissional em termos de estrutura para bandas, shows, empresários e mídia especializada, e com o devido espaço e respeito que o estilo merece dentro do mercado da música. 

É com muita alegria que apresentamos a sua lista de melhores do ano abaixo.

Testament – Dark Roots of Earth 

O disco perfeito começa pela capa, e com Dark Roots of Earth esse foi exatamente o caso. Um álbum de thrash metal puro, produzido pelo excelente Andy Sneap (Kreator, Accept, Exodus, Megadeth). O disco também marca a volta de Gene Hoglan para a bateria e mais uma vez se destacam os excelentes solos, riffs e bases de guitarra. Alex Skolnick mostra mais uma vez que é o maior guitarrista da história do thrash, enquanto Eric Peterson também está em plena forma. Fiquei feliz também em poder ouvir o poder da voz de Chuck Billy, que se recuperou de um câncer recentemente e está muito bem. 

Graveyard – Lights Out 

Um disco sensacional do início ao fim. Impressionante a quantidade de bandas fazendo um som bem influenciado pelo Black Sabbath dos anos 70, mas para mim o Graveyard é a melhor de todas. Essa banda sueca já está no terceiro álbum, e esse é o melhor dos seus três trabalhos. O vocal Joakim Nilsson canta muito! Lights Out é sem dúvida um dos melhores discos do ano. 

Serj Tankian – Harakiri 

É um disco sensacional, com ótimas letras e uma excelente produção feita pelo próprio Serj. É o trabalho solo de Serj Tankian mais próximo do som do System of a Down. Esperamos que ele volte em breve ao Brasil. 

Stone Sour – House of Gold & Bones Part 1 

Eu prefiro o Stone Sour ao Slipknot, acho uma banda muito mais legal e original. Nesse disco, Corey Taylor mostra todo o seu talento e maturidade. Ao lado de Rachel Bolan (baixista do Skid Row), compôs excelentes músicas e o melhor trabalho de sua carreira. Ao lado do produtor David Bottrill (Muse, Dream Theater, Tool, Godsmack), o Stone Sour lançou um disco que mescla hard rock, heavy metal, grunge, anos 70, Slipknot e até baladas. É um som moderno e criativo, e mostra o caminho para onde o metal vai no futuro. Que venha a parte 2! 

Lamb of God – Resolution 

Desde que ouvi esse disco pela primeira vez sabia que entraria nessa lista (inclusive eu falo isso no nosso especial do Lamb of God). O show que fizeram em São Paulo foi excelente e a banda realmente está na sua melhor fase. É realmente muito triste o que aconteceu com Randy Blythe esse ano, mal puderam aproveitar a tour desse excelente álbum. Estamos torcendo muito para que essa situação se resolva logo e que a banda volte com tudo depois do julgamento na República Tcheca no início de 2013. Esperamos que Randy não seja vítima de preconceito e que os juízes o absolvam dessa acusação absurda. 

The Cult – Choice of Weapon 

Uma das minhas bandas de rock preferidas, o The Cult lançou discos fantásticos ao longo dos últimos trinta anos. Em Choice of Weapon, Ian Astbury voltou a cantar muito (dizem que está sóbrio novamente), e as guitarras de Billy Duffy estão mais afiadas do que nunca. A banda parece que tem uma formação estável novamente, com destaque para o experiente baterista John Tempesta. Produção do parceiro de longa data do Cult, o grande Bob Rock, e de Chris Goss do Master of Reality (e produtor de excelentes discos do Queens of the Stone Age e do Kyuss). 

Kiss – Monster 

Como é bom ver o Kiss de volta ao som pesado, pra mim o melhor disco desde Revenge. O Kiss acabou de passar pelo Brasil para uma série de três shows e mostrou estar em plena forma. O show deles continua sendo o maior espetáculo da Terra. 

Van Halen – A Different Kind of Truth 

Assim que ouvi pela primeira vez, fiquei feliz em imaginar que dessa vez a volta de David Lee Roth seria pra valer. Apesar de também gostar da fase “pop” com Sammy Hagar nos vocais, o Van Halen pra mim sempre vai ser com Roth no vocal. Infelizmente tiveram que cancelar parte da tour, mas espero que voltem o mais rápido possível e que incluam o Brasil nos futuros shows. Com certeza lotaria um Morumbi, concordam? Outra pena foi Michael Anthony não fazer mais parte da banda, mas temos que admitir que Wolfgang Van Halen aprendeu direitinho. Eddie continua sendo um dos maiores guitarristas do universo! 

Rush – Clockwork Angels 

Rush é Rush. Dessa vez a maior banda do Canadá volta com um disco pesado e produzido pelo experiente Nick Raskulinecz (que já havia trabalhado com a banda no passado em Snakes & Arrows). Além do Rush, Nick já produziu Foo Fighters, Alice in Chains, Trivium, Evanescence, Stone Sour, Deftones, Marilyn Mason, Ministry, Death Angel, Danzig, Velvet Revolver, entre outros. Clockwork Angels é mais uma prova da originalidade do trio canadense, que mostra a cada dia um som diferente e complexo. Difícil escolher quem é o músico que mais brilha no disco, cada um tem seus momentos, mas é realmente impressionante o que esses três caras fazem com seus instrumentos. 

Adrenaline Mob – Omertá 

O primeiro disco da super banda formada por Russell Allen, Mike Orlando, Mike Portnoy e John Moyer não decepciona. Pesado, com excelentes linhas vocais e melodias muito boas. Nós do Wikimetal torcemos para que esse novo projeto de Mike Portnoy venha para ficar. Esperamos um show no Brasil em breve, será sensacional! 


 
Clipe do Ano 
Halestorm - Love Bites (So Do I) 

Quase Ficou Entre os 10 
Andre Matos – The Turn of the Lights 

Esse é com certeza o melhor disco solo do Andre. 2012 foi um ano excelente para o maior vocalista do metal nacional. A turnê To Live Again com o Viper fez muito bem pra ele e ficou claro que Andre está passando por um ótimo momento na carreira. A qualidade da produção e dos músicos são os destaques desse excelente disco. Existe uma variação muito legal de estilos dentro de Turn of the Lights, fica clara a influência de Queen em alguns momentos, mas Andre realmente está fazendo um som original. Heavy Metal puro e sem rótulos! 

Melhor Estreia 
Adrenaline Mob 

Apesar de terem lançado um EP anteriormente, com Omertá a banda mostra que veio pra ficar. 

Retorno do Ano 
Kiss- Monster

Decepção 
Rock of Ages (o filme) 

Melhor Álbum Ao Vivo 
Led Zeppelin - Celebration Day 

10 Melhores Músicas 
Serj Tankian - Harakiri 
Stone Sour - Gone Sovereign 
Graveyard - An Industry of Murder 
Lamb of God - Ghost Walking 
The Cult - Life > Death 
Steve Harris - Karma Killer 
Adrenaline Mob - Undaunted 
Accept - Hung, Drawn and Quartered 
Van Halen - China Town 
Rival Sons - You Want To 

DVD do Ano 
Led Zeppelin - Celebration Day

Melhor Documentário 
George Harrison - Living in the Material World 

Apesar de ter sido lançado lá fora em 2011, eu e a maioria dos brasileiros só assistimos em 2012.

Melhor Livro 
Metallica, A Biografia - Mick Wall 

Melhor Show 
Viper no Via Marquês, em São Paulo 

Pra mim, pessoalmente, ver o triunfo desse projeto que começou "dentro de casa", foi uma grande honra e motivo de muito orgulho. Somos amigos (irmãos) desses caras há muitos anos e sabemos da honestidade e amizade que existe entre eles. Foi um grande desafio pessoal e profissional. Uma tour de reunião que estava prevista para durar 10 shows em 1 mês, acabou virando 28 shows com ingressos esgotados em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo e abertura do Kiss em São Paulo e no Rio. Ver os rostos de alegria de fãs que esperam isso há 22 anos não teve preço. Eu vi adutos chorando de emoção e diferentes gerações vibrando ao som de quase 3 horas de show. O DVD sai em breve, aguardem!!! 

Melhor Capa 
Testament - Dark Roots of Earth 

Mico do Ano 
Metal Open Air

Filme do Ano 
As Aventuras de Pi 

Melhor Rádio / Web Rádio 

Melhores Sites / Blogs Sobre Música

Ouça “Harmonslaught”, o novo single do Torche

sexta-feira, dezembro 14, 2012
O quarteto norte-americano Torche, responsável por um dos melhores discos de 2012, Harmonicraft, segue mostrando que está no auge da carreira com o seu novo single.

A inédita e pesadíssima “Harmonslaught” foi lançada ontem, 13 de dezembro, em um compacto de 7” com a também nova “Rock N Roll Mantasy” no lado B. A tiragem do disco é limitada a apenas 1.000 cópias.

Um arregaço, com você pode conferir no player abaixo:

Assista “Nabataea”, o novo clipe do Helloween

sexta-feira, dezembro 14, 2012
O Helloween divulgou o primeiro clipe de seu novo disco, Straight Out of Hell, que chegará às lojas em 18 de fevereiro. O vídeo intercala imagens da banda com computações em 3D que recriam o cotidiano do lendário reino que existiu a três mil anos atrás e é considerado o berço da primeira democracia.

Divirta-se abaixo:

13 de dez de 2012

Top 2012 Collectors Room: Vitor Bemvindo, do Mofodeu, e os seus melhores do ano

quinta-feira, dezembro 13, 2012
Vitor Bemvindo é historiador e, acima de tudo, um grande fã de rock. Há anos está à frente do divertidíssimo podcast Mofodeu, especializado em rock clássico. Mas isso não quer dizer que o cara não esteja antenado com o que anda rolando, como podemos ver na sua lista de melhores de 2012. 

Rival Sons – Head Down 

Em 2011, o quarteto californiano já havia figurado entre os meus favoritos do ano com o seu ótimo Pressure and Time. Mas em 2012 eles se superaram com Head Down, com um absurdo amadurecimento, mesclando a influência zeppeliana direta do disco anterior com pitadas blues rock, progressivo, entre outros. Enfim, a obra-prima da banda. 

Van Halen – A Different Kind of Truth 

A expectativa era enorme. Mas muitas também eram as desconfianças. Por isso, o retorno do Van Halen surpreendeu muita gente. O disco, apesar ser repleto de regravações de músicas perdidas da banda, traz uma fusão entre o som direto dos primeiros discos com o peso que vinham tentando fazer quando da interrupção da carreira, no fim dos anos 90. Ótima surpresa! 

ZZ Top – La Futura 

O ZZ Top não é uma banda que costuma se arriscar muito. Segue à risca suas receitas desde os primeiros discos. La Futura não seria muito diferente do que eles vêm fazendo desde o início da carreira, se não fosse o capricho nas distorções das guitarras e a primorosa produção de Rick Rubin. O toque de Rubin fez com que a banda não fugisse de suas características, mas soasse muito mais moderna. Arrisco-me a dizer que é um dos grandes discos da carreira do trio. 

Rush – Clockwork Angels 

Não há como não esperar algo menos do que um trabalho competente do trio canadense. O Rush não costuma errar muito, e foi assim com Clockwork Angels. O hiato de cinco anos após o excepcional Snake & Arrows fez com que a expectativa para o novo disco fosse enorme. Acredito que ninguém se decepcionou. Apesar de ser menos direto e pesado que o seu antecessor, o álbum traz de volta músicas mais longas (não tanto como as dos anos 70) que dão a oportunidade de mostrar o quão competentes são os nerds de Toronto. 

Howlin’ Rain – The Russian Wilds 

O novo trabalho do grupo de San Francisco traz claras influências de bandas californianas do final dos anos 60, como o Love. Mas reduzi-los a uma nova onda do rock psicodélico seria um pecado. A banda transita muito bem entre o hard rock, o blues, o funk e até música latina (como se percebe em faixas como “Phantom in the Valley”). O mais interessante é que a banda consegue fazer essa mescla em cada uma das faixas do álbum. “Self Made Man” é um exemplo claro disso, começa com riffs a la Black Sabbath,  tem um refrão funkeado e um epílogo ultra psicodélico. Imperdível! 

Graveyard – Lights Out 

Os suecos do Graveyard são daqueles tipos que te surpreendem a cada audição. Eles também fizeram parte da minha lista em 2011 com Hisingen Blues, e voltam agora com o ainda melhor Lights Out. O disco já valeria se contasse apenas com a arrastada “Slow Motion Countdown”, a pegada “Endless Night” e a divertida “Goliath”. Mas o álbum tem muito mais. Vale muito a audição. 

Joe Bonamassa – Driving Towards the Daylight 

Bonamassa segue na incansável saga de lançar bons trabalhos um após o outro. Driving Towards the Daylight é menos autoral dos seus últimos trabalhos solos, mas nem por isso é menos interessante. As versões para canções de Robert Johnson, Howlin’ Wolf e Willie Dixon são todas primorosas e apontam para um retorno as suas raízes mais bluseiras. Entre as faixas de sua composição, destaque para a linda balada-título do álbum e para “Dislocated Boy”. Tudo com o selo Joe Bonamassa de qualidade. 

Kiss – Monster 

Quando todos achavam que os cara-pintadas já haviam amarrado o burro na sombra e estavam mais preocupados com sua linha de brinquedos e produtos bizarros, eis que somos surpreendidos por um divertidíssimo álbum de rock and roll que só o Kiss seria capaz de nos proporcionar. Parece que Simmons, Stanley e companhia lembraram que são uma banda e que deveriam fazer música e, enfim, voltaram a fazer um trabalho digno de atenção. Monster é surpreendentemente bom e parece ter sido menos compromissado com a repetição de algum álbum clássico específico. Pode-se ouvir ali um pouco de tudo que a banda fez durante a carreira, e o melhor, com qualidade. O melhor trabalho da banda desde Creatures of the Night

Black Country Communion – Afterglow 

O encontro entre Hughes, Bonamassa, Bonham (o filho) e Sherinian parecia já ter encontrado a forma para agradar público e crítica: um hard rock furioso com evidentes influências dos trabalhos originais das árvores genealógicas de seus membros. Mas em Afterglow há uma clara ruptura com esse caminho. O disco é claramente mais calmo e sóbrio que os anteriores, com o a banda se arriscando por outros caminhos, com especial influência de um blues rock, a la Free ou Humble Pie. É sem dúvida o trabalho mais diversificado do grupo, o que pode ter decepcionado um pouco os fãs de um som mais pesado. No entanto, pelos riscos corridos e pela qualidade de canções como “Cry Freedom”. é justo que esteja entre os melhores do ano. 

Spectrum Road – Spectrum Road 

Não, esse não é um disco de fácil audição. Os ouvidos menos adaptados ao jazz ou ao fusion terão dificuldades para compreender a união de Jack Bruce (Cream) com Vernon Reid (Living Colour). O trabalho é, basicamente, uma homenagem ao baterista Tony Williams (tido como uma lenda do jazz e companheiro de Bruce no projeto Lifetime). Mesmo sendo um projeto majoritariamente não-autoral, as canções são propícias para a demonstração do talento desses grandes músicos, que contam ainda com o auxílio da baterista Cindy Blackman (Santana) e do tecladista John Medeski. Destaque para a alucinante “Wild Life”, remanescente do encontro de Bruce com Williams. Bela fusão do rock com o jazz. 

 
Clipe do Ano
Graveyard - Endless Night

Quase Ficou Entre os 10  
Slash – Apocalyptic Love 

Slash segue fazendo boa música, ao contrário de sua banda original. Se ele fosse mais criterioso na escolha de seus vocalistas, talvez conseguisse fazer trabalhos ainda melhores. Os frontmen de suas bandas ou são loucos demais ou talentosos de menos. 


Melhor Estreia  
Spectrum Road – Spectrum Road 

Retorno do Ano  
Van Halen 

Disco Decepção  
Lynyrd Skynyrd - Last of a Dyin’ Breed 

Após dois bons discos de estúdios Vicious Cycle (2003) e God & Guns (2009) e a ótima apresentação no SWU, esperava-se muito mais do novo álbum, que tem mais elementos de AOR do que do tradicional southern rock. Poderia ter citado o novo do Aerosmith, mas ninguém espera mais nada da banda mesmo. 

Melhor Álbum Ao Vivo  
Led Zeppelin – Celebration Day 

Ainda soando como zepelim de chumbo. Faz-nos imaginar o quanto seria maravilhoso vê-los juntos mais vezes. 

10 Melhores Músicas  
ZZ Top - I Gotsta Get Paid 
Joe Bonamassa & Jimmy Barnes – Lazy (cover do Deep Purple) 
Rival Sons – Manifest Destiny, Pt. 2 
Spectrum Road – Wild Life 
Howlin Rain – Self Made Man 
Graveyard – Endless Night 
Van Halen – Outta Space 
Black Country Communion – Cry Freedom 
Richie Sambora – Burn That Candle Down 
Rolling Stones – Doom and Gloom 

DVD do Ano  
Joe Bonamassa - Beacon Theatre: Live from New York 

Todo o talento explícito de Bonamassa aliado a grandes participações de Beth Hart, John Hiatt e, especialmente Paul Rodgers, com quem reeditou com maestria clássicos do Free. Já sabemos quem seria capaz de substituir Kossoff numa eventual reunião da banda. 

Melhor Documentário  
Rolling Stones: Crossfire Hurricane 

Quem melhor para contar a história dos 50 anos de Rolling Stones do que os próprios Stones? 

Melhor Livro  
Luz e Sombra: Conversas com Jimmy Page 

Melhor Show 
Roger Waters - “The Wall”, no Engenhão, Rio de Janeiro 

Esse show redefiniu o que eu entendo por concerto de rock, e poderia considerá-lo hors concours, pois certamente foi o maior espetáculo que já tive oportunidade de presenciar. Por isso cito algumas menções honrosas: Joe Bonamassa (Vivo Rio – Rio de Janeiro), G3: Steve Morse, John Petrucci & Joe Satriani (Citibank Hall – Rio de Janeiro) e Slash feat. Myles Kennedy and the Conspirators (Fundição Progresso – Rio de Janeiro).

Melhor Capa  
Slash – Apocalyptic Love 

Mico do Ano  
Chilique de Bill Ward e o retorno frustrado da formação original do Black Sabbath.

Filme do Ano  
A Invenção de Hugo Cabret

Martin Scorsese (re)inventando o cinema 3D. 

Melhor Rádio / Web Rádio  

5 Melhores Sites / Blogs Sobre Música

Notícias sobre o aguardado segundo disco do Ghost

quinta-feira, dezembro 13, 2012
A banda sueca Ghost, um dos maiores fenômenos surgidos no metal nos últimos anos, mandou notícias sobre o seu aguardado segundo disco. O álbum teve produção de Nick Raskulinecz (Rush, Foo Fighters, Death Angel) e está em seu estágio final. O trabalho ainda não tem data de lançamento agendada, mas é certo que chegará às lojas em 2013 através da Loma Vista Recordings, uma divisão da toda poderosa Universal Music.

O grupo, através do seu vocalista e porta-voz, o vocalista Papa Emeritus, não divulgou maiores detalhes sobre o direcionamento que o sucessor de Opus Eponymous, a sua excelente estreia, irá seguir. Mas uma coisa é certa: com a soma de todo o culto que se formou em torno da banda junto com o mistério que ronda a identidade de seus integrantes e o imenso apoio de uma gigante com a Universal por trás, o Ghost tem tudo para ficar ainda maior em 2013.

Com ansiedade, aguardamos.

O fim do Planeta Terra Festival

quinta-feira, dezembro 13, 2012
A informação é do sempre bem informado Lúcio Ribeiro, do Popload, cujo texto reproduzimos na íntegra abaixo:

Vou contar exatamente como me falaram. O tradicionalíssimo festival Planeta Terra, principal evento indie do país, NÃO deve acontecer mais a partir do ano que vem. 

O mercado brasileiro de shows enlouqueceu. Se confirmado, o Planeta Terra se juntaria assim à crise que assola a rota de concertos internacionais, agravadas pela “suspensão” estranha do SWU, o malogro de público de Lady Gaga e Madonna, os cancelamentos de Coldplay, Fiona Apple e Norah Jones (estes últimos completamente entendíveis). 

Mas vai de encontro, por outro lado, ao boom de shows que se insinuam para 2013, com o anúncio em breve da milionária turnê do Cure e as grandes possibilidades dos shows por aqui de New Order e The Who. Fora o mastodôntico festival de 60 bandas Lollapalooza em março. Fora o Rock in Rio gigantesco.

Sabe-se nos bastidores que o Planeta Terra não foi bem de ingressos vendidos neste ano. Pelo menos longe do que era esperado (o ano passado esgotou em horas). Que teriam ainda “encurtado” o Jockey Club duas vezes para acomodar menos público e eliminar eventuais “buracos”. O Jockey foi outro problema. O festival, que começou em galpões e se estabeleceu no Playcenter, teria perdido seu “charme” de ser realizado em lugares “diferentes”, com cara própria. 

Enfim, vamos aguardar informes oficiais, possivelmente só no ano que vem.

“Who’s to Blame?”, o novo clipe do Hour of 13

quinta-feira, dezembro 13, 2012
A banda norte-americana Hour of 13 divulgou o clipe da faixa “Who’s to Blame?”, música presente em seu terceiro álbum, 333, lançado em maio de 2012 pela Earache. 

O vídeo traz os caras tocando em um cenário noturno e sombrio. Já o som é um doom bem tradicional, com um ótimo riff e uma pegada bem Black Sabbath, característica acentuada pelo timbre do vocalista Phil Swanson, bastante similar ao de Ozzy Osbourne.

Lembrando que antes de 333 o Hour of 13 lançou um debut auto-intitulado (2007) e The Ritualist (2010).

Bata cabeça abaixo:

Novo álbum do Darkthrone em fevereiro

quinta-feira, dezembro 13, 2012

A lenda do black metal norueguês Darkthrone lançará seu novo disco em fevereiro. Intitulado The Underground Resistance, o novo trabalho do grupo desembarcará nas lojas dia 25/02. O álbum sucede Circle the Wagons, de 2010, e será o décimo-quinto trabalho da banda formada pelo vocalista, baixista e guitarrista Nocturno Culto e pelo baterista Fenriz.

O release oficial informa que o novo play dos caras contém “classic metal, thrash, speed e black metal, sem esquecer uma dose de punk”. Ou seja, é o Darkthrone de sempre.

O disco foi composto e gravado entre a primavera de 2010 e o verão de 2012 - no hemisfério norte, outono de 2010 e inverno de 2012 aqui -, no Necrohell 2 Studios, e tem produção da própria banda, com masterização de Jack Control. A capa foi criada pelo ilustrador Jim Fitzpatrick.

Ainda não foi divulgado o tracklist de The Underground Resistance.







Os 20 melhores discos de metal de 2012 segundo a Spin

quinta-feira, dezembro 13, 2012
A revista norte-americana Spin publicou em seu site uma lista com os 20 melhores discos de metal lançados em 2012 na opinião de sua equipe. Para ler a matéria original, em inglês, clique aqui.

Confira abaixo o top 20 do metal em 2012 na opinião da Spin:

1. Baroness - Yellow & Green
2. Pallbearer - Sorrow and Extinction
3. Torche - Harmonicraft
4. Goat - World Music
5. Deftones - Koi No Yokan
6. Royal Thunder - CVI
7. Converge - All We Love We Leave Behind
8. High On Fire - De Vermis Mysteriis
9. Gojira - L’Enfant Sauvage
10. Meshuggah - Koloss
11. Lamb of God - Resolution
12. Eagle Twin - The Feather Tipped the Serpent’s Scale
13. Napalm Death - Utilitarian
14. Enabler - All Hail the Void
15. Neurosis - Honor Found in Decay
16. Orange Goblin - A Eulogy for the Damned
17. Astra - The Black Chord
18. Killing Joke - MMXII
19. Horseback - Half Blood
20. Marduk - Serpent Semon

Rotting Christ revela título e data de lançamento de novo disco

quinta-feira, dezembro 13, 2012
Os gregos do Rotting Christ, uma das bandas mais interessantes do heavy metal, anunciaram os detalhes do seu novo e aguardado disco. O décimo-primeiro álbum da banda se chamará Kata ton Daimona Eaytoy (em inglês, Do What Thou Wilt - “Seja Feita a Vossa Vontade”, em português) e sucederá o ótimo Aealo, lançado em 2010 e na minha opinião o melhor álbum daquele ano.

Kata ton Daimona Eaytoy chegará às lojas dia 1º de março através da Season of Mist e será disponibilizado em três formatos diferentes: CD normal, LP duplo com capa gatefold e um box limitado incluindo o CD em embalagem digipak e com uma faixa bônus - intitulada “Welcome to Hell”, porém a banda não informou se é uma regravação do clássico do Venom ou uma canção inédita -, um pingente e uma bandeira exclusivos.

O tracklist do novo trabalho do Rotting Christ é esse:

1 In Yumen - Xibalba
2 P’unchaw Kachun - Tuta Kachun
3 Grandis Spiritus Diavolos
4 Kataton Demona Eaftou
5 Cine Iubeste Si Lasa
6 Iwa Woodoo
7 Gilgames
8 Rusalka
9 Ahura Mazda Anra Mainiuu
10 666

Krisiun encontra o universo de Tarantino no clipe de “The Will to Potency”

quinta-feira, dezembro 13, 2012
O Krisiun lançou o clipe da faixa “The Will to Potency”, uma das melhores de seu último disco, o ótimo The Great Execution (2011). O vídeo foi filmado no deserto do Novo México e tem direção de Tommy Jones.

O clima do material lembra os filmes do cultuado diretor norte-americano Quentin Tarantino.

Dê play abaixo:

Assista “In the End”, o novo clipe do Black Veil Brides

quinta-feira, dezembro 13, 2012
Os norte-americanos do Black Veil Brides colocaram na roda o clipe da grudenta “In the End”, música presente em seu novo álbum, Wretched and Divine: The Story of the Wild Ones, que tem data de lançamento marcada para o dia 8 de janeiro.

O vídeo mostra os músicos em um deserto, em um cenário que lembra o universo dos clássicos filmes Mad Max.

Confira abaixo:

Os 20 melhores discos de metal de 2012 segundo o About.com

quinta-feira, dezembro 13, 2012
O About.com é um grande portal de notícias e entretenimento. A parte dedicada à música é muito interessante, com páginas exclusivas para diversos gêneros musicais. A sobre heavy metal é editada pelo jornalista e crítico Chad Bowar, um dos nomes mais respeitados no assunto nos Estados Unidos.

Abaixo está a lista elaborada por Bowar e sua equipe, com os 20 melhores álbuns de metal do ano:

1. Pallbearer - Sorrow and Extinction
2. Cattle Decapitation - Monolith of Inhumanity
3. Meshuggah - Koloss
4. Pig Destroyer - Book Burner
5. Baroness - Yellow & Green
6. High On Fire - De Vermis Mysteriis
7. Neurosis - Honor Found in Decay
8. Converge - All We Love We Leave Behind
9. Dragged Into Sunlight - Widowmaker
10. Witch Mountain - Cauldron of the Wild
11. Evoken - Atra Mors
12. The Faceless - Autotheism
13. Enslaved - RIITIIR
14. Beastwars - Beastwars
15. Grave - Endless Procession of Souls
16. Alcest - Les Voyage De L’Âmes
17. Bereft - Leichenhaus
18. Gojira - L’Enfant Sauvage
19. Deftones - Koi No Yokan
20. Woods of Ypres - Woods 5: Grey Skies & Electric Light

“End of Time”, o novo clipe do Lacuna Coil

quinta-feira, dezembro 13, 2012
A banda italiana Lacuna Coil divulgou o vídeo da música “End of Time”, faixa presente em seu último disco, Dark Adrenaline, lançado em janeiro de 2012. 

O clipe traz as duas vozes do grupo, Cristina Scabbia e Andrea Ferro, contracenando em uma mesa de jantar formada por elementos inusitados. A direção é do também italiano Roberto Cinardi.

Assista abaixo:

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE