30 de set de 2017

Carmine e Vinnie Appice mostram primeira música de álbum colaborativo

sábado, setembro 30, 2017

Dois dos bateristas mais emblemáticos da música pesada, os irmãos Carmine e Vinnie Appice lançarão no dia 27 de outubro o disco Sinister, primeiro álbum em que tocam juntos em quase cinquenta anos de carreira.

O primeiro single é a faixa "Monsters and Heroes", que teve a letra escrita pelo lendário vocalista Ronnie James Dio. 


Carmine fez história com o Vannila Fudge, Cactus, King Kobra e na banda de Rod Stewart, enquanto Vinnie tocou com o Black Sabbath e Dio.


Os vocais são de Paul Shortino (Quiet Riot, Rough Cutt, King Kobra), com Mick Sweda e David Michael-Philips nas guitarras (King Kobra) e Johnny Rodd no baixo (também do King Kobra).


Novo álbum do Saxon já está pronto e traz música em homenagem ao Motörhead

sábado, setembro 30, 2017

O novo álbum da banda inglesa Saxon tem o título de Thunderbolt e deve ser lançado no início de 2018. O quinteto já finalizou as gravações com o produtor Andy Sneap e pretendo iniciar o próximo ano com novidades para os fãs.

Sucessor do sólido Battering Ram (2015), Thunderbolt trará uma música chamada "They Played Rock and Roll", cuja letra fala sobre o Motörhead e é dedicada à banda do falecido Lemmy Kilmister.

29 de set de 2017

Playlist Collectors Room: Hip Hop

sexta-feira, setembro 29, 2017

O hip hop surgiu na costa leste dos Estados Unidos no final da década de 1970, e tem como principais características uma forte ênfase nas batidas e no ritmo, além de vocais falados ao invés de melodias harmônicas e cantadas.

As principais raízes do estilo vem do deejay, uma ramificação do reggae que o DJ Kool Herc tentou emular no final dos anos 1970 no bairro do Bronx, em Nova York. A iniciativa de Herc caiu nas graças da população negra de regiões como o Harlem e o Queens, principalmente pela origem africana da então nova música. Kool Herc criou uma sonoridade própria, distanciando-se do deejay e do reggae e incorporando elementos do funk e da disco music em sua mistura, dando um ar mais urbano ao novo som que estava surgindo.

Durante os anos 1980 e 1990, o hip hop rapidamente ganhou popularidade em Nova York, expandindo-se na sequência para outras áreas dos Estados Unidos e também para outros países. Características do soul e do jazz foram incorporadas ao gênero, tornando-o mais elaborado, complexo e desafiador. Paralelamente, o discurso social presente desde o surgimento do estilo intensificou-se com o passar dos anos, fazendo do hip hop uma das formas de música mais politizadas das últimas décadas.

O impacto do hip hop na cultura pop foi imenso e alcançou diversos níveis. Da moda à maneira de falar, o estilo influenciou profundamente a sociedade e encontrou ecos também em outros gêneros musicais, fundindo-se ao rock, ao funk e ao pop.

Abaixo está uma playlist com mais de 190 músicas organizadas em ordem cronológica, que monta passo a passo a evolução do estilo, iniciando em 1980 e chegando até 2017. Além de uma excelente ferramenta para conhecer mais sobre um dos gêneros musicais mais populares dos últimos trinta anos, exemplifica o seu desenvolvimento com os ingredientes pessoais dos mais variados artistas.

Para ouvir, é só dar play abaixo:

Ouça “Energy”, nova música de Joe Satriani com participação de Chad Smith e Glenn Hughes

sexta-feira, setembro 29, 2017

Joe Satriani divulgou “Energy”, primeiro single do seu novo álbum, What Happens Next. O disco será lançado dia 12 de janeiro pela Sony/Legacy e é o sucessor de Shockwave Supernova (2015).

O fato legal é que o guitarrista gravou o trabalho ao lado do colega de Chickenfoot e baterista do Red Hot Chili Peppers, Chad Smith, e do vocalista e baixista Glenn Hughes (Trapeze, Deep Purple, Black Country Communion).

Paulada certeira abaixo:

28 de set de 2017

Steven Tyler sofreu uma convulsão após show no São Paulo Trip

quinta-feira, setembro 28, 2017

Aos poucos, mais informações sobre o que está acontecendo com Steven Tyler começam a surgir. 

Segundo o jornal norte-americano The Boston Globe, o vocalista do Aerosmith sofreu uma convulsão logo após o show da banda no São Paulo Trip, ocorrido no último domingo, 24/09. A causa para a convulsão não foi informada, e não se sabe se a equipe médica do festival chegou a elaborar um diagnóstico sobre o estado de saúde do cantor. Steven Tyler voou para os Estados Unidos logo após o show de domingo para a realização de mais exames, o que levou ao cancelamento do restante da turnê latino-americana. 

Como já publicamos, durante toda a turnê brasileira o músico estava tomando injeções diárias para dor e usava um cateter porque não conseguia urinar. A suspeita é de que o vocalista do Aerosmith esteja com um câncer de próstata em um estágio já avançado. No entanto, nenhum comunicado oficial da banda ou da assessoria de Tyler foi divulgado a esse respeito.

Aimee Preston, namorada de Steven, postou na última terça-feira uma foto em seu perfil no Instagram ao lado do vocalista, legendada com um coração e o sinal de oração, em mais um sinal de que as coisas não andam muito bem com Steven Tyler.

Quando tivermos mais notícias sobre o estado de saúde do vocalista do Aerosmith, seguiremos informando nossos leitores.


Discoteca Básica Bizz #082: Buddy Holly - Legend (1985)

quinta-feira, setembro 28, 2017

Toda a obra de Buddy Holly editada em vida resume-se a cerca de cinquenta canções, distribuídas em 18 singles e três LPs. Seu trágico falecimento, em fevereiro de 1959, estimulou um verdadeiro vampirismo de seu legado, e inúmeros discos póstumos foram editados.

Entre compilações e relançamentos dos discos originais, uma quantidade de material inédito foi sendo oferecida ao público, como demos, outtakes, etc. O melhor desse Holly inédito está no álbum For the First Time Everywhere, compilado por Steve Hoffman para a MCA em 1983. Resumindo, a obra completa de Holly pode ser estimada em cerca de setenta músicas, gravadas entre 1956 e 1958.

O mesmo Steve Hoffman montou esta coletânea Legend, editada em 1985 nos EUA e mais recentemente no Brasil pela WEA, na série Discoteca Básica. Traz as vinte melhores e mais influentes gravações originais de Holly, tudo com som remasterizado da melhor qualidade. A fenomenal influência dessas músicas no pop/rock/country dos anos 1960 em diante pode ser constatada nos revivals dessas faixas quando regravadas com sucesso por outros artistas. A música de Holly não envelheceu, permanece viva, fresca e vigorosa.


Buddy Holly era um texano que adorava música country. Acabou criando um estilo de cantar, tocar e compor absolutamente original. Suas primeiras gravações para a Decca são puro country com um toque de hillbilly. Depois, se autoproduziu gravando rockabilly, como protesto pelas limitações impostas pela Decca. Ao encontrar Norman Petty, que passou a produzi-lo em seu estúdio em Clovis, New Mexico, Holly achou seu som e seu caminho.

Sem Petty, Holly teria se tornado, na melhor das hipóteses, um astro da música country sem maior importância. Ou talvez tivesse radicalizado ao peitar os intransigentes produtores da Decca e ficasse para sempre garroteado pelos acordes primitivos do rockabilly. Poderia ter se transformado num dos muitos heróis obscuros do rock, como Charlie Feathers, que até hoje vagueia, tocando a mesma música de meados dos anos 1950.

Tendo Petty como produtor, parceiro e manager, Holly criou os Crickets; mudou constantemente o line-up da banda; liberou sua inventividade; foi gravar em Nova York com novos produtores; rompeu com seus antigos músicos; gravou novos compositores, como Bobby Darin e Paul Anka, e adicionou cordas ao seu som. Quando morreu, planejava gravar um LP inteiro com músicas de Ray Charles.

Legend tem um pouco do melhor de cada fase de Holly, com ênfase no período com os Crickets originais Joe Mauldin, Jerry Allison e Niki Sullivan. 

Buddy Holly inventou a formação básica dos grupos de rock com duas guitarras, baixo e bateria, que permanece até hoje. Isso deveria bastar para torná-lo imortal.

Texto escrito por René Ferri e publicado na Bizz #082, de maio de 1992

Novo álbum ao vivo do Yes

quinta-feira, setembro 28, 2017

O Yes lançará dia 24/11 pela Rhino Records o ao vivo Topographic Drama: Live Across America. O material estará disponível em CD duplo e LP triplo.

O disco foi gravado durante 12 datas em que o Yes tocou pelos Estados Unidos no último mês de fevereiro, shows nos quais a banda apresentou seis canções do álbum Drama (1980) e os lados 1 e 3 do disco Tales From Topographic Oceans (1973).

Abaixo está o tracklist:

Disc 1
1 Machine Messiah
2 White Car
3 Does It Really Happen?
4 Into The Lens
5 Run Through The Light
6 Tempus Fugit
7 And You And I - Close to the edge
8 Heart Of The Sunrise - Fragile

Disc 2
1 The Revealing Science Of God
2 Leaves Of Green
3 Ritual
4 Roundabout
5 Starship Trooper

Jeff Beck mostra vídeo de seu novo material ao vivo com participação de Steven Tyler

quinta-feira, setembro 28, 2017

Jeff Beck lançará dia 06/10 o ao vivo Live at the Hollywood Bowl. O material sairá em DVD com CD duplo, blu-ray com CD duplo e DVD com LP triplo pela Eagle Rock Entertainment.

Um dos destaques é a participação de Steven Tyler em “Train Kept A-Rollin”, música que é um dos maiores clássicos do blues e faz parte do repertório tanto de Beck quanto do Aerosmith.

Assista a parceria no vídeo abaixo:

27 de set de 2017

Review: Greta Van Fleet - Black Smoke Rising (2017)

quarta-feira, setembro 27, 2017

Quando o Rival Sons surgiu há alguns anos, as comparações com o Led Zeppelin foram imediatas devido à enorme influência da banda de Jimmy Page no som do quarteto californiano. Some-se a isso um vocalista com o timbre agudo que lembrava Robert Plant, um guitarrista voador com riffs influenciados por Page e um baterista que fazia questão de emular com perfeição os timbres do saudoso John Bonham, e o pacote estava completo.

Tudo isso pra dizer que temos um novo herdeiro nessa dinastia. O Greta Van Fleet vem de Michigan e lançou no final de abril o seu segundo EP, Black Smoke Rising. A sonoridade é um hard blues que bebe direto da fonte do Led Zeppelin, de maneira até mais explícita que o Rival Sons. O disquinho tem apenas quatro músicas, todas excelentes, e que mostram que o grupo possui potencial para fazer muito barulho nos próximos anos.

Formado pelos irmão Joshua (vocal), Jacob (guitarra) e Samuel Kiszka (baixo e teclado), mais o baterista Daniel Wagner, o Greta Van Fleet entrega um rock puro e repleto de energia, que lembra muito os primeiros álbuns da banda de Page e Plant. A sensação é de estar ouvindo canções vindas diretamente do Led Zeppelin II, e isso é um tremendo elogio. 

Os principais pontos para isso tudo são a voz e a interpretação de Joshua. O rapaz soa como uma versão mais jovem de Robert Plant, incluindo na receita as explosões vocais típicas do Golden God. A semelhança chega a ser assustadora - ouça “Flower Power” e comprove.

Curiosamente, a única faixa em que a banda consegue se distanciar do universo do Led Zeppelin é a que batiza o disco. A música que dá nome ao EP é um hard meio funkeado e com cheiro de estrada, onde o quarteto tenta trilhar um caminho com mais personalidade e alcança um bom resultado.

Resumindo: este EP do Greta Van Fleet é ótimo e um senhor disco de rock. Ouça, você vai curtir e se divertir!

Supersonic Blues Machine mostra nova música com participação de Eric Gales

quarta-feira, setembro 27, 2017

O trio Supersonic Blues Machine lançará o seu segundo disco, Californisoul, no próximo dia 20 de outubro.

E um dos destaques do disco, ao que parece, é a recém divulgada "Elevate", que traz o giitarrista Eric Gales ao lado da banda formada por Lance Lopez, Fabrizio Grossi e Kenny Aronoff.

Groove, blues e funk ao alcance de todos, é só dar play!

As belas novidades de setembro da Mythos Editora

quarta-feira, setembro 27, 2017

Neste mês de setembro, a Mythos Editora vem com quatro lançamentos muito interessantes para quem gosta de quadrinhos. Abaixo, vamos falar brevemente sobre cada um deles.

Império (capa dura, 204 páginas, formato 17x26) é uma obra escrita por Mark Waid (O Reino do Amanhã, Quarteto Fantástico, Demolidor) e ilustrada por Barry Kitson (JLA: Year One, Batgirl, Superman) em que somos apresentados a uma realidade onde um tirano fascista destruiu todos os heróis do mundo. Cheia de conspirações, segredos, reviravoltas e violência, Império foi publicada pela DC Comics entre setembro de 2003 e fevereiro de 2004 nos Estados Unidos, sendo indicada ao Eisner Award em 2004. Você pode adquirir Império com desconto neste link.


Já em James Bond: VARGR temos a releitura do clássico agente secreto criado pelo escritor inglês Ian Fleming pelas mãos de Warren Ellis (Transmetropolitan, Frequência Global, The Authority) e com arte de Jason Masters (Batman, Esquadrão Suicida, Guardiões da Galáxia). A edição lançada pela Mythos vem com capa dura, 180 páginas e formato 17x26, e traz a pegada característica de Ellis, com textos afiados que revigoram o personagem. A série começou a ser publicada no mercado norte-americano em novembro de 2015 e já teve 18 edições. O encadernado da Mythos reúne o primeiro arco de histórias. James Bond: VARGR pode ser adquirida com desconto neste link. 


E fechando as novidades, dois títulos do Juiz Dredd, um dos personagens mais marcantes e amados da nona arte. O primeiro deles é Dia do Caos: A Quarta Facção (capa dura, 196 páginas, formato 18,7 x 25,9), com roteiro de John Wagner e arte de Ben Willsher, Staz Johnson, Colin MacNeil e Henry Flint. A trama foca na mudança de comando em Mega-City Um, com a eleição de um novo prefeito, dando início a uma trama onde a política é uma das protagonistas. Como sempre acontece com o universo do Juiz Dredd, não é necessário ter lido nada do personagem anteriormente, já que a história se sustenta de maneira independente. Juiz Dredd: A Quarta Facção está à venda neste link.


O outro é Juiz Dredd Mega-Almanaque Volume 4 (capa cartão, 384 páginas, formato 20,5 x 27,5), que reúne a quarta temporada completa da saga do personagem. O material conta com roteiros de nomes como Alan Moore, John Wagner e Robbie Morrison, e artes de Carlos Ezquerra, Dave Gibbons, Colin MacNeil e Simon Fraser, entre outros. Este título é uma ótima porta de entrada para quem nunca leu nada do Juiz Dredd, e está disponível nas bancas por um preço bastante acessível. Você pode comprar o Mega-Almanaque Volume 4 neste link.

Lollapalooza Brasil revela line-up e terá Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers e The Killers como atrações principais

quarta-feira, setembro 27, 2017

A edição 2018 do Lollapalooza Brasil acontecerá entre 23 e 25 de março no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, e terá como principais atrações o Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers e The Killers.

O line-up do festival foi revelado hoje e traz outros destaques como Lana Del Rey, Liam Gallagher, David Byrne, Royal Blood, Volbeat e outros.

Veja a lista completa de atrações na imagem abaixo:


Review: The War on Drugs - A Deeper Understanding (2017)

quarta-feira, setembro 27, 2017

Não, eu passo longe de um resenhista musical, pouco domino os termos mais técnicos e, não raras vezes, sou incapaz de traçar paralelos com momentos distintos de outras bandas, num exercício que Gastão Moreira faria de ouvidos tapados, observando o encarte apenas. Daí, então, perguntarão: o que faz aqui? Como todo bom ouvinte, que sabe ao menos que música se faz polarizada – a boa e a ruim -, eu gosto de discutir alguns álbuns. E não costumo gastar muitas palavras para aquilo que julgo irrelevante, afinal, demanda certo exercício cerebral e dispenso a fadiga.

Breve introdução feita. Vamos ao álbum.

2017 tem sido um ano estranho. Vi bons lançamentos, claro, mas pouquíssimos que tragam aquela sensação de não-tem-algo-parecido-vou-escutar-de-novo, tão comum em álbuns já consagrados. Eu digo um com absoluta certeza, e que integrará muitas listas: DAMN, do Kendrick Lamar. Digo outro também, e que é o tema disso: A Deeper Understanding, do The War On Drugs.

Antes, faz-se necessário dizer o seguinte: o álbum é lindo. Não encontrei algo melhor para defini-lo numa única palavra. Se quiser parar por aqui, já deveria ser o bastante para convencê-lo a escutar. 

Esqueçamos a bibliografia & afins, o tipo de informação que possa ser contemplada numa wikipedia. 

A banda vem numa crescente desde a mudança gradual no direcionamento sonoro, acentuado no Slave Ambient (2011), seguido pelo belíssimo Lost in the Dream (2014) e que culminou neste que aqui é um pouco comentado. Vale dizer: Ouçam todos.

Voltando ao A Deeper Understanding: a duração é atípica para uma era de informações superficiais, de fácil digestão. A faixa mais curta tem quatro minutos, enquanto as demais superam a casa dos cinco, sendo a mais longa com onze minutos e pouquinho - a duração total do álbum bate em uma hora e seis minutos, segundo o streaming. Contudo, em momento algum é enfadonho ou cansativo, tem fluidez, algo que tem sido um grande defeito em muitos álbuns de rock, seja indie, alternativo ou mais tradicional mesmo. 

Há, também, uma delicadeza, certa sensação de fragilidade talvez, no canto do vocalista que acalenta os ouvidos. As músicas parecem sempre estar prontas a se desmancharem e se perderem pelo ar, com a mesma agilidade que esquecemos um sonho bom no simples abrir dos olhos. É isso: cada faixa surge como uma camada que resulta num estágio do sono, tal o esmero que Adam Granduciel teve ao criar os sons, pinçando cada acorde, cada palavra, a melodia e os colocando um a um na composição. Não sei, aliás, qual será a sensação de quem se atrever a escutar o disco, entretanto, quando o ouvi, senti um inevitável universo de sensações, podendo ser uma euforia ou melancolia, até urgência, sabe-se lá a razão. Creio eu ser esta uma característica dos grandes álbuns, como este se revelou ao longo da audição. No mais, um trabalho dedicado, certamente, de horas a fio em busca do REM musical.

Por Pietro Mirandez

Box cobre toda a carreira do Emerson, Lake & Palmer

quarta-feira, setembro 27, 2017

Fanfare 1970-1990, box que será lançado dia 27 de outubro, cobre (quase) toda a carreira do ícone britânico do rock progressivo Emerson, Lake & Palmer. 

A caixa vem com 18 CDs, 1 LP triplo e 2 compactos de sete polegadas, além de um blu-ray com áudio 5.1 de quatro álbuns do trio. Itens de memorabilia completam o pacote.


O material está sendo lançado pela BMG e tem todo o seu conteúdo abaixo:

CDs: Original albums
1 Emerson, Lake & Palmer (2012 remaster)
2 Tarkus (2012 remaster)
3 Pictures at an Exhibition (2016 remaster)
4 Trilogy (2015 remaster)
5 Brain Salad Surgery (2014 remaster)
6 Welcome Back, My Friends, to the Show That Never Ends ~ Ladies and Gentlemen (2CD) (2016 remaster)
7 The Works Volume 1 (2CD) (2017 remaster)
8 The Works Volume 2 (2017 remaster)
9 Love Beach (2017 remaster)
10 Black Moon (2017 remaster)
11 In The Hot Seat (2017 remaster)

CDs: Live performances (Previously unreleased)
1 Live at Pocono International Raceway, USA 8th July 1972
2 On The BBC (Whistle Test ’79 / Pop Goes Summer ’93)
3 Live at Waterloo Concert Field Stanhope NJ USA, 31st July 1992
4 Live at Birmingham Symphony Hall, 27th November 1992
5 Live at Élysée Montmartre, Paris,  2nd July 1997

Blu-ray audio disc
Stereo and 5.1 mixes of:
Emerson, Lake & Palmer (Steven Wilson 2012 remixes)
Tarkus (Steven Wilson 2012 remixes)
Trilogy (Jakko M Jakszyk 2015 remixes)
Brain Salad Surgery (Jakko M Jakszyk 2014 remixes)

Vinyl
3LP vinyl LP (Previously unreleased)
ELP Live In Italy: Rome & Milan 1973

7″ vinyl singles
Lucky Man/Knife Edge
Fanfare For The Common Man/Brain Salad Surgery

Artefacts
Replica 1974 and 1992 tour programmes
Reprinted 1970 promo poster
Reprinted 1972 promo brochure
Metal/enamel ELP pin-badge
40-page 12″ x 12″ hardcover book with photos, notes from Chris Welch and quote from the band

26 de set de 2017

Mais informações sobre os problemas de saúde de Steven Tyler

terça-feira, setembro 26, 2017

O cancelamento do restante da turnê latino-americana do Aerosmith devido a problemas de saúde do vocalista Steven Tyler deixou os fãs preocupados e ansiosos por notícias. Afinal de contas, o quinteto norte-americano apenas informou que os shows estavam cancelados - leia mais aqui - mas não entrou em detalhes sobre o estado de saúde de Tyler.

Conseguimos mais detalhes sobre a situação, e ela não é nada agradável. A informação veio de um profissional que acompanhou e trabalhou diretamente com o Aerosmith nos shows do Rock in Rio e do São Paulo Trip e viu de perto o problema. 

Há uma enorme desconfiança de que o vocalista do Aerosmith esteja com um câncer de próstata. O diagnóstico ainda não foi confirmado, mas os sintomas levam a essa situação. Durante toda a turnê pelo Brasil, Steven tomou injeções diárias para aliviar as dores e usava uma sonda porque não conseguia urinar. Inclusive, o show no São Paulo Trip quase foi cancelado no último minuto devido às condições de saúde do vocalista.

Tyler voou de volta para os Estados Unidos após o show do Aerosmith no SP Trip no domingo, 24/09, para realizar exames mais detalhados. Essa é uma das razões, por exemplo, para parte da imprensa especializada brasileira ter classificado a apresentação da banda no festival como “morna”. A ideia era que, após realizar esses exames, Tyler retornasse ao Brasil para o show de Curitiba, que estava marcado para esta quarta, 27/09, mas os planos mudaram. Muito provavelmente, os exames realizados por Steven nos EUA não devem ter tido resultados muito positivos, infelizmente.

Como frisamos, ainda não há um diagnóstico oficial, mas tudo indica que o estado de saúde de Steven Tyler inspira realmente grandes cuidados e que o vocalista deve passar por um longo tratamento nos próximos meses para vencer a doença.

Aerosmith cancela restante da turnê pela América Latina devido a problemas de saúde de Steven Tyler

terça-feira, setembro 26, 2017

Em comunicado oficial, o Aerosmith anunciou o cancelamento dos quatro shows restantes da turnê latino-americana devido a problemas de saúde do vocalista Steven Tyler.

Os shows cancelados são esses:

27/09 - Curitiba - Brasil
30/09 - Santiago - Chile
03/10 - Rosario - Argentina
07/10 - Monterrey - México

Segundo o texto enviado aos veículos de imprensa, não há nada de mais sério com Tyler, porém o músico necessita de descanso e tratamento para a sua recuperação completa. Não foram dados maiores detalhes sobre o estado do músico e qual doença ele estaria sofrendo.

O próprio vocalista divulgou uma declaração sobre os cancelamentos, que pode ser lida abaixo:

"Para todos na América do Sul ... Brasil, Chile, Argentina e México .... Desculpe-me e sinto que decepcionei vocês... Não poderei fazer os últimos quatro shows desta turnê. Por ordens médicas, eu voei de volta para os Estados Unidos na noite de domingo após o show em São Paulo. Por favor, não se preocupem...

A minha vida não está ameaçada, mas preciso lidar com isso imediatamente, descansar um pouco, receber cuidados médicos imediatamente para sustentar e manter minhas futuras performances... Eu prometo que voltarei ... infelizmente, a saúde não espera e é algo que não consigo agendar em meio aos nossos shows ... Como dizem: "Nós humanos fazemos planos, e Deus ri ..." Eu amo todos vocês e estarei de volta com vocês em breve….."


Para quem havia adquirido ingresso para o show em Curitiba, o procedimento para reembolso deverá seguir as orientações abaixo:

Os valores estornados incluirão: valor de face do ingresso, taxa de conveniência e taxa de entrega (se houve a cobrança).

As compras realizadas via Site, Celular, Aplicativo Ingresso Rápido e Contact Center serão estornadas automaticamente através do próprio cartão de crédito utilizado na compra e constarão na próxima fatura ou subsequente do mesmo cartão.

Para as compras realizadas no Hard Rock Café Curitiba (ponto de venda oficial do show) e em bilheterias e pontos de venda Ingresso Rápido, é preciso enviar um e-mail, com os dados abaixo para aero@ingressorapido.com.br:

·         Nome Completo;
·         Telefone de contato;
·         CPF do Titular da Compra;
·         Senha de compra (sequência de 10 números que estão no canhoto do ingresso);
·         Nome do Banco;
·         Agência (com dígito);
·         Conta Corrente (com dígito) – se for conta poupança, especificar na mensagem;
·         Foto do Ingresso

O estorno será realizado em até 15 dias úteis, a contar do envio dos dados. Lembramos que o prazo só será válido caso todos os dados estejam completos e corretos.

IMPORTANTE: As compras parceladas (com ou sem juros) serão estornadas em única vez e se houver parcelas à vencer serão antecipadas na mesma fatura em que ocorrer a devolução.

Novo box reúne residência de Halloween realizada por Frank Zappa em 1977

terça-feira, setembro 26, 2017

Em 1977, Frank Zappa realizou seis shows em Nova York comemorando o Halloween. As apresentações aconteceram no Palladium, casa com capacidade para 3 mil pessoas onde a banda de Zappa tocou entre os dias 28 e 31 de outubro. Os dias 28 e 29 tiveram ambos dois shows cada, e em 30 e 31/10 Zappa e banda se apresentaram uma vez. Esses shows foram gravados em película e estão presentes no filme Baby Snakes, lançado em 1979.

Agora, este material retornará às lojas em sua totalidade. Dia 20/10 será lançada a caixa Halloween 77 Costume Box, trazendo na íntegra os seis shows realizados por Zappa. Além do box, uma versão em CD triplo também será disponibilizada.

Ao todo, temos 158 faixas (devidamente remixadas em 2016 a partir das fitas originais) acondicionadas em em USB que imita uma barra de chocolate e tem o título de Zappa’s Oh Punky. As músicas estão em formato WAV 24-bit. O material vem também com um livreto de 28 páginas com textos e fotos inéditas. A caixa inclui uma máscara de Halloween e uma fantasia do próprio Zappa. A versão em CD triplo vem com a íntegra do show realizado no dia 31 de outubro de 1977, mais algumas faixas selecionadas da apresentação ocorrida no dia 30.

Na época, a banda de Frank Zappa era formada pelo baterista Terry Bozzio, pelos tecladistas Tommy Mars e Peter Wolf, pelo guitarrista Adrian Belew, pelo percussionista Ed Mann e pelo baixista Patrick O’Hearn. O repertório dos shows traz faixas de discos como Hot Rats (1969), Over-Nite Sensation (1973), Bongo Fury (1975), One Size Fits All (1975) e Zoot Allures (1976), então o álbum mais recente de Zappa. Além disso, o tracklist contém músicas que na época eram inéditas e que seriam lançadas somente em 1979, em Sheik Yerbouti.


Abaixo está o tracklist completo:

10-28-77 Show 1
1.  10-28-77 Show 1 Start/Introductions  3:28
2.  Peaches En Regalia  2:42
3.  The Torture Never Stops  13:05
4.  Tryin’ To Grow A Chin  3:37
5.  City Of Tiny Lites  6:04
6.  Pound For A Brown  8:05
7.  Bobby Brown Goes Down  4:33
8.  Conehead (Instrumental)  9:19
9.  Flakes  4:03
10. Big Leg Emma  1:47
11. Envelopes  2:29
12. Terry’s Solo #1  4:42
13. Disco Boy  3:53
14. Lather  3:36
15. Wild Love  24:05
16. Titties N Beer  7:16
17. Audience Participation #1  :48
18. The Black Page #2  3:02
19. Jones Crusher  2:48
20. Broken Hearts Are For Assholes  3:52
21. Punky’s Whips  9:43
22. Encore Audience #1  1:21
23. Dinah-Moe Humm  4:55
24. Camarillo Brillo  3:35
25. Muffin Man  4:36

10-28-77 Show 2
1.  10-28-77 Show 2 Start/Introductions  3:13
2.  Peaches En Regalia  2:42
3.  The Torture Never Stops  12:33
4.  Tryin’ To Grow A Chin  3:37
5.  City Of Tiny Lites  8:00
6.  Pound For A Brown  9:19
7.  Bobby Brown Goes Down  5:36
8.  Conehead (Instrumental)  9:18
9.  Flakes  4:10
10. Big Leg Emma  1:48
11. Envelopes  2:33
12. Terry’s Solo #2  4:17
13. Disco Boy  3:54
14. Lather  3:42
15. Wild Love  26:01
16. Titties N Beer  7:50
17. Audience Participation #2  2:37
18. The Black Page #2  3:14
19. Jones Crusher  2:58
20. Broken Hearts Are For Assholes  3:54
21. Punky’s Whips  9:51
22. Encore Audience #2  2:13
23. Dinah-Moe Humm  4:01
24. Camarillo Brillo  3:36
25. Muffin Man  6:20

10-29-77 Show 1
1.  10-29-77 Show 1 Start/Introductions  4:06
2.  Peaches En Regalia  2:42
3.  The Torture Never Stops  12:59
4.  Tryin’ To Grow A Chin  3:34
5.  City Of Tiny Lites  7:15
6.  Pound For A Brown  8:26
7.  Bobby Brown Goes Down  6:06
8.  Conehead (Instrumental)  5:50
9.  Flakes  3:53
10. Big Leg Emma  1:52
11. Envelopes  2:42
12. Terry’s Solo #3  3:51
13. Disco Boy  3:57
14. Lather  3:40
15. Wild Love  22:51
16. Titties N Beer  6:01
17. Audience Participation #3  2:42
18. The Black Page #2  3:05
19. Jones Crusher  2:53
20. Broken Hearts Are For Assholes  3:50
21. Punky’s Whips  9:18
22. Encore Audience #3  1:46
23. Dinah-Moe Humm  5:12
24. Camarillo Brillo  3:29
25. Muffin Man  5:09

10-29-77 Show 2
1.  10-29-77 Show 2 Start/Introductions  4:21
2.  Peaches En Regalia  2:42
3.  The Torture Never Stops  11:30
4.  Tryin’ To Grow A Chin  3:36
5.  City Of Tiny Lites  7:01
6.  Pound For A Brown  9:05
7.  Bobby Brown Goes Down  9:12
8.  Conehead (Instrumental)  6:29
9.  Flakes  3:28
10. Big Leg Emma  1:49
11. Envelopes  2:52
12. Terry’s Solo #4  4:07
13. Disco Boy  3:54
14. Lather  3:56
15. Wild Love  27:33
16. Titties N Beer  8:12
17. Audience Participation #4  5:02
18. The Black Page #2  2:57
19. Jones Crusher  2:49
20. Broken Hearts Are For Assholes  3:48
21. Punky’s Whips  9:36
22. Encore Audience #4  2:23
23. Dinah-Moe Humm  6:19
24. Camarillo Brillo  3:30
25. Muffin Man  6:02

10-30-77 Show
1.  10-30-77 Show Start  1:40
2.  Stink-Foot  7:45
3.  The Poodle Lecture  5:10
4.  Dirty Love  2:32
5.  Peaches En Regalia  2:40
6.  The Torture Never Stops  12:53
7.  Tryin’ To Grow A Chin  3:32
8.  City Of Tiny Lites  7:36
9.  Pound For A Brown  10:03
10. I Have Been In You  8:35
11. Dancin’ Fool (World Premiere)  4:50
12. Jewish Princess (Prototype)  4:41
13. King Kong  8:45
14. Terry’s Solo #5  5:07
15. Disco Boy  4:01
16. Envelopes  2:19
17. A Halloween Treat with Thomas Nordegg  6:17
18. Lather  3:47
19. Wild Love  25:19
20. Titties N Beer  7:01
21. Audience Participation #5  8:28
22. The Black Page #2  2:59
23. Jones Crusher  2:53
24. Broken Hearts Are For Assholes  3:52
25. Punky’s Whips  12:36
26. Encore Rap  1:11
27. Dinah-Moe Humm  6:06
28. Camarillo Brillo  3:27
29. Muffin Man  5:18
30. San Ber’dino  6:20

10-31-77 Show
1.  Halloween 1977 Show Start/Introductions  3:11
2.  Peaches En Regalia  2:42
3.  The Torture Never Stops  13:54
4.  Tryin’ To Grow A Chin  3:35
5.  City Of Tiny Lites 8:17
6.  Pound For A Brown  13:40
7.  The Demise Of The Imported Rubber Goods Mask  8:33
8.  Bobby Brown Goes Down  3:49
9.  Conehead (Instrumental)  8:21
10. Flakes  3:04
11. Big Leg Emma  1:58
12. Envelopes  2:25
13. Terry’s Halloween Solo  4:38
14. Disco Boy  3:55
15. Lather  3:58
16. Wild Love  30:11
17. Titties ’N’ Beer  7:24
18. Halloween Audience Participation  7:04
19. The Black Page #2  2:55
20. Jones Crusher  2:58
21. Broken Hearts Are For Assholes  3:52
22. Punky’s Whips  11:23
23. Halloween Encore Audience I  2:07
24. Dinah-Moe Humm  6:41
25. Camarillo Brillo  3:24
26. Muffin Man  5:21
27. San Ber’dino  5:01
28. Black Napkins  9:19

Frank Zappa
Halloween 77
3CD

Disc 1
1.  Halloween 1977 Show Start/Introductions
2.  Peaches En Regalia
3.  The Torture Never Stops
4.  Tryin’ To Grow A Chin
5.  City Of Tiny Lites
6.  Pound For A Brown
7.  The Demise Of The Imported Rubber Goods Mask
8.  Bobby Brown Goes Down
9.  Conehead (Instrumental)
10. Flakes
11. Big Leg Emma

Disc 2
1. Envelopes
2. Terry’s Halloween Solo
3. Disco Boy
4. Lather
5. Wild Love
6. Titties ’N’ Beer
7. Halloween Audience Participation
8. The Black Page #2
9. Jones Crusher
10. Broken Hearts Are For Assholes

Disc 3
1. Punky’s Whips
2. Halloween Encore Audience
3. Dinah-Moe Humm
4. Camarillo Brillo
5. Muffin Man
6. San Ber’dino
7. Black Napkins
Bonus Section:
8.  King Kong  8:17
9.  A Halloween Treat With Thomas Nordegg  6:15
10.  Audience Participation #5  7:46
11.  The Black Page #2  2:59

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE