O arregaço chocante do Ghost no Rock in Rio

O Ghost fez ontem o seu primeiro show no Brasil, durante o Rock in Rio. Com apenas cinco anos de carreira e dois ótimos discos nas costas - Opus Eponymous (2010) e Infestissumam (2013) -, a banda sueca formada pelos mascarados e encabeçada pelo vocalista Papa Emeritus dividiu opiniões no palco do festival.

Enquanto alguns esperavam um show para pular o tempo todo, o Ghost fez aquilo que quem acompanha o trabalho do grupo já sabia: um show extremamente teatral, levando o clima soturno e sombrio de seus discos para o palco. Uma espécie de missa satânica.

O público, em alguns momentos, gritou pelo Metallica, que fecharia à noite, e chegou a vaiar os suecos.

Pessoalmente, achei uma grande apresentação. Excepcional. De dar arrepios e causar medo. Na tradição de grandes mascarados e artistas com grande apelo teatral como Alice Cooper, Kiss, King Diamond e Slipknot. Mas, como com o Ghost é tudo 8 ou 80, teve gente que odiou.

Assista abaixo, na íntegra, o show do Ghost no Rock in Rio 2013 e tire as suas próprias conclusões. Eu adorei!



Por Ricardo Seelig

Comentários

  1. Luiza da MTV tá dando uma ótima repórter. Abordou o Muse com tanta enfase que o vocal ficou irritado dizendo: "moça, vc está ocupando o nosso tempo". E agora uma imagem dessas do Ghost sem pose:

    http://www.vandohalen.com.br/a-imagem-do-rock-in-rio-ate-aqui/

    Uma ex-VJ que realmente é ótima jornalista e pega o lado b dos fatos, além de esfolar os entrevistados. Nada pior que repórter que fica com medo de entrevistar de verdade ídolos do rock com aquelas frescuras clássicas e o protocolo do "não me toque" deles. Achei ótimo o cara do Muse com raiva dela alugar eles a todo custo pegando info pro público.

    Quebra de protocolos.

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei do show do Ghost.

    Sou grande fã dos discos e estava ansioso pelo show.

    Curti, mas achei um erro de escalação terem tocado no palco principal.
    Acho que a teatralidade deles combina mais com uma proximidade maior dos fãs. Além disso, já que 95% do público ali não os conhecia, o show acabou ficando bem morno em termos do público.

    Imagino que um show deles num lugar pequeno, cara a cara com o público, e só com fãs na plateia, deve ser mil vezes mais legal.

    ResponderExcluir
  3. Gostei demais. A maioria do público de festivais sempre não sabem porra nenhuma nem da banda principal, quem dirá de outras. Certamente as vaias vieram dos viadinhos que colocam "Nothing Else Matters" como toque no smartphone.
    Acho que faltou colocar nessa matéria alguma foto do James Hetfield com camisa do Ghost, pra calar a boca dessa meia dúzia de nerd

    ResponderExcluir
  4. Achei que as músicas são mto bem tocadas. Showzaço. Mas vamos ser sinceros, infelizmente todo mundo estava lá pra ver o metallica. Se só tivesse tocado o metallica pra grande maioria não faria a menor diferença. E o avenged se não arregaçar domingo, vai ter a mesma recepção.

    ResponderExcluir
  5. Eu tava lá e gostei muito, sou fã também, mas concordo que no Palco Sunset iria funcionar mais, pois lá só vai quem quer ver mesmo o show.
    Vou assistir mais tarde em casa pra ver mais detalhes. Acho que o Sepultura funcionou mais com os tambores no Sunset.

    ResponderExcluir
  6. Yo, se você está falando do final do show do Muse com aquela repórter mala não achei legal.

    A guria parecia meio chapada, os caras querendo ir embora, foi meio constrangedor o negócio. E nada de relevante para perguntar. (O show do Muse foi ótimo!) Mas a foto do banheiro ficou muito engraçada.

    O Ghost foi muito bom, o destaque foi Ghuleh/Zombie Queen, quando começou a parte mais surf music achei que eles iriam levar umas garrafadas...hehehe

    Como falaram, o público estava lá para ver o Metallica, assim como vai estar para ver somente o Iron Maiden.

    ResponderExcluir
  7. Talvez o Ghost funcionasse melhor mesmo em um palco menor, como o Sunset.

    ResponderExcluir
  8. Irei ver o Ghost abrindo para o Slayer e o Maiden ( covardia com os caras). Não gostei do primeiro disco e nem comprei o segundo. Não espero muito deles, para mim sobra "visual" e falta música, mas tomara que façam um bom show.

    ResponderExcluir
  9. Acho que a banda não combina com estadio, nem alice cooper combina, é mais apreciação e menos " vamos pular galeraaaa ", pela tv, na minha opinião a segunda melhor do dia, atrás do Zombie apenas.

    ResponderExcluir
  10. O Felipe De paula falou uma verdade
    O Avenged Sevenfold que se prepare. Vai tocar entre Slayer e Iron Maiden. Pode preparar, que vai ter uma galera que não vai perdoar.

    ResponderExcluir
  11. Quando eu era moleque, vi pela TV shows que me deixaram maluco, como a despedida do Dickinson.

    Com o passar dos anos, vai-se ficando não só mais velho, mas mais chato e poucas coisas empolgam ou mesmo chamam atenção.

    Ontem, depois de muito tempo, me peguei delirando com um show pela TV e colocando o volume no talo (usem fones, crianças!). Cortesia do Ghost.

    Achei a reação do público babaca e condizente com aquele perfil "ouvinte de classic rock que fica excitado ao ouvir "Fade to Black" no trânsito, numa terça à tarde).

    Infelizmente não verei o Ghost em SP por questões profissionais e financeiras (muita grana e pouco tempo para ver somente uma banda), mas aguardo o dia em que poderei ver um show da banda para quem de fato a aprecia.

    ResponderExcluir
  12. Pessoalmente não vi arregaço nenhum, mas, fazer o que, gosto é gosto.

    ResponderExcluir
  13. Escutei uma única vez o Ghost B.C e achei fraco. O que achei bacana foi a atitude de incorporar no som uma característica do rock da década de 70 e sem querer imitar ninguém!

    ResponderExcluir
  14. Olha só o globo confundindo Rob Zombie com Papa Zombie (era pra ser ghost) na capa hoje:

    https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/q85/998981_10151862160659837_3148943_n.jpg

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. *o globo (Jornal) e a globo (emissora) só servem pra fazer cobertura ou reportagem de show de pagode ou axé

    ResponderExcluir
  17. É triste ver, dentro de um mesmo segmento musical, idiotas preconceituosos hostilizando um artista. E é engraçado ver outros idiotas indignados com um tema tão próximo, não só do metal, mas do rock. Que (parte dele) público tosco desse Rock in Rio! Lá no Palco Mundo vaiavam até o Rob Zombie sem mal mesmo conhecer seu som e, o que, aliás, não era possível nem mesmo ouvir.
    O público de metal é tão trouxa quanto o de música de massa. Talvez até pior, pela intolerância a bandas que não toquem um som tradicional. Otários!

    ResponderExcluir
  18. Porra,tomara que os kras do Ghost não tenham tido uma má impressão da galera! eu não curtia muito a banda,mas parei pra assistir e virei fan! especialmente,monstrance clock,com a iluminação do palco e tal.e como já disseram,a maioria dos fans de heavy metal no brasil são uns escrotos de merda.se não curte,não precisa ficar vaiando os kras,porra.puta show competente! reclamam de ter ivete sangalo,mas também reclamam de ter ghost...tomar no cu! mas concordo que preferia ver o ghost no sunset,ia dar pra ver melhor o visual e tal e só os fans e e o pessoal menos radical poderia curtir melhor o show dos kras!

    ResponderExcluir
  19. Parece que em SP a recepção também não foi boa... enfim, o país tá cheio de jecas que vão morrer ouvindo só Iron Maiden e Metallica (e ainda tem uns que querem se sentir superiores aos fãs de Manowar).

    ResponderExcluir
  20. Metallica e Iron Maiden dos anos 80 hein...pq depois disso se venderam e são falso metal rs rs rs

    Brincadeiras a parte... cada um gosta do que quer...mas vaiar quem está se apresentando profissionalmente (tipo...não está caindo bêbado ou drogado).... é de uma má educação enorme ... coisa de "fã" de música mimado .... se não gosta respeite quem gosta em quem está no palco tentando dar o seu melhor

    ResponderExcluir
  21. Se O Rob Zombie foi vaiado , foi injustamente , foi um show bacana o dele , o do Ghost apesar de eu não gostar do som da banda na questão teatral realmente os caras fazem um pu.. show mesmo.

    ResponderExcluir
  22. Gabriel Pereira, lá de onde eu estava no Palco Mundo, ouvi vaias, sim, ao Zombie. Imagino que o show deve ter sido muito massa mesmo, afinal ele é um ótimo frontman. Pena não ter sido transmitido com audio nos telões do Palco Mundo, eu queria muito ter visto.

    ResponderExcluir
  23. Foda é ler alguns comentários que já li sobre o Ghost:

    Que a banda é muito teatral e isso é ridículo. Dai vc vai olhar e o MESMO cara tá elogiando o Rob Zombie, que não tem nada de teatral né?

    Que o show é muito paradão, que o som é muito paradão pra quem quer falar do capeta. Que deveriam agitar mais, ser mais pesado, vocal gutural, etc... Ou seja, que o Ghost vire mais uma das infindáveis bandas-tudo-a-mesma-coisa de Black Metal rsrs..

    Vi o show em SP e gostei. De forma geral o público aplaudiu, embora alguns gritos aqui e ali de fora, de Maiden, etc. Falta respeito ao público. Ontem eu estava de saco cheio de ouvir o Slayer. A homenagem ao Hannemann me pareceu ter umas 15 horas de duração, já que não terminava nunca. Mas fiquei na minha, de boa, esperando o Iron. Há de se respeitar.

    ResponderExcluir
  24. No Rock In Rio é assim. As vaias não surpreendem. A grande maioria das pessoas que compra os ingressos vai com o único intuito de dizer depois que esteve lá, mas sabe muito pouco sobre as bandas que tocam no evento. Percebi que menos de 10% dos fãs que foram filmados de perto no show do Metallica sabiam as letras.

    Para o Ghost não houve nada de negativo. Eles são profissionais e sabem lidar com isso. Além disso, o objetivo principal é ficar conhecido. Se algumas pessoas que viram a banda pela primeira vez gostaram e vão comprar os discos, está ótimo para a banda.

    ResponderExcluir
  25. Vi o show completo pelo Youtube na sexta feira e gostei muito e de tão concentrado que eu estava por um momento parecia que eu estava na platéia ao vivo e a cores.

    O show foi fantástico, o set list a mesma coisa.Enfim, como fiz o texto, a banda levou todos os seus encantos e mais alguma coisa em minha opinião.

    O Ghost é uma banda, que diz muito sobre o heavy metal e mostra que o livro tem mais do que uma página como pensam os radicais.

    Tomara que voltem para mais apresentações.

    ResponderExcluir
  26. Eu estou até agora doido pra ver outro show deles. Doido mesmo rs

    ResponderExcluir
  27. Assisti o show do ghost aqui em Curitiba e gostei, apesar do set bem mais curto que no RIR, a galera não vaiou e a banda foi aplaudida no final.
    Lógico que nem todos gostam, mas sempre deve-se respeitar o artista e o público que está curtindo o show.

    ResponderExcluir
  28. G1 não deu boa avaliação no show.

    http://g1.globo.com/musica/rock-in-rio/2013/noticia/2013/09/lista-mostra-os-melhores-e-piores-momentos-do-rock-rio-2013.html

    ResponderExcluir
  29. Entonces. É o seguinte: conheci o Ghost aqui neste espaço (Dá-lhe, Collectors!), pouco mais de um ano atrás. Fui atrás do primeiro disco. Não gostei: achei sem peso, monótono e derivativo - tipo um Mercyful Fate menos invocado, afinal King Diamond sempre soube das coisas. Em mais de 20 anos de metal, confesso nunca ter tido muita paciência pra esses teatrinhos satanistas, papo de moleque metido a 'terrorista'. Porra, mais de três décadas após o Venom (e o próprio M.Fate/K.Diamond), ainda isso? Mas beleza, tem gosto pra tudo, uma firula visual sempre chama atenção - e isso faz diferença também.
    Depois veio Infestissumam, com a mesma ladainha e ainda sem o PESO que define, afinal, esse tal de METAL. Podemos, sim, chamar o Ghost de metal, desde que sejamos um tanto, digamos, 'elásticos' no conceito. Mas se metal é Slayer, por exemplo, aí já começa a ficar difícil pros mascarados suecos.
    Não tinha visto o show do RiR e o fiz agora, aproveitando a deixa do post do Seelig. Visualmente impecável, algumas boas ideias musicais, um bocado de inspiração em bandas setentistas (ponto pros caras, hehe), mas por outro lado... Levadas repetitivas, passagens instrumentais apenas corretas (acho tudo muito retinho, simples, quase básico mesmo), vocais um tanto monocórdios e a quase ausência dele, o PESO. Sim, amigos, acho que basicamente é isso: o Ghost é muito peso-pena pro meu gosto. Se posso ser mais claro, tentem pensar em outra banda no lugar deles - a primeira que me vem à cabeça é o Mastodon. Sacaram a diferença? Entonces. Mas sem crucificar (ops) os caras, há coisa MUITO pior - e quem viu o tal Kiara Rocks (?!?!?) ou a quadrilha de plagiários chamada Avenged Sevenfold sabe bem do que estou falando. O Ghost, ao menos, se influencia, mas não copia. Abraços. lml

    ResponderExcluir
  30. Alessandro, já passou pela sua cabeça que o Ghost é uma banda de rock? Saca rock? Pois é.

    ResponderExcluir
  31. Musica ruim!
    eu estava la!
    show morno uma verdadeira BOSTA!
    o vocalista nem cantar sabia...
    Musicos fracos e show chato muito CHATO!

    ResponderExcluir
  32. Gosto do som, mas essa coisa teatral é muito manjada.
    Num aguento mais metaleiro anti-cristão e ateuzinho .. satanista ... foda-se. A música tem que ser muito maior que isso. A criatividade tb.

    Novos temas.
    Penso assim.
    Repetir isso fica parecendo o Brasil no qual Dinho Ouro Preto e Caetano Veloso ficam no topo 30 anos depois sem somar realmente nada novo. Só a mesma fórmula de sempre.

    Ghost = som bom, mas imagem manjada/clichê.

    ResponderExcluir
  33. Dei uma chance pra eles e tentei assistir...uma bosta. Como falaram aqui, gosto é gosto. Arregaço? Só se foi da paciência da maioria.

    ResponderExcluir
  34. Achei muito chato, não via hora de terminar. Na minha opinião o instrumental estava ótimo, mas quando o vocalista abria a boca tudo desmoronava. Pior que tirando uns poucos fãs próximos a mim, não vi ninguém curtindo o show, cada música parecia uma tortura. E medo é o caralho, vem amenizar o lado deles com essa história de país católico e blá blá blá. Não, o show foi ruim mesmo, pelo menos para os presentes. Realmente, talvez no sunset eu tivesse visto o show deles com outros olhos...

    ResponderExcluir
  35. Eu Vi o Show, estava lá pertinho do Palco, e não gostei, os músicos tocam muito,São realmente muito Bons tecnicamente, o vocalista é fraco (voz féia alem de pouco nítida, eu não conseguia entender o que ele estava cantando) além de que coisas muito teatrais tendem a não me agradar, sempre acho que a "musica" fica pra segundo plano quando artificios como satanismo, roupa de cardeal satânico e tudo mais são usados pra conquistar adolescentes revoltadinhos! quando vc cresce essas coisas deixam de ter graça!

    ResponderExcluir
  36. GALERA QUE CURTE IN SOLITUDE
    CURTAM A IN SOLITUDE BR NO FACE!

    https://www.facebook.com/insolitudebr

    ResponderExcluir
  37. Percebe-se que a galera ainda não entendeu a mensagem e o tipo de sonoridade que o Ghost quer demonstrar. Dá pra ver isso somente vendo os comentários desta notícia.

    O Ghost está além de ser uma banda satânica com letras voltadas só para isso, em entrevista um dos Nameless Ghouls afirma que as letras não são voltadas para religião, mas sim para o ser humano.

    Seu som no primeiro disco foi uma mescla do Mercyful e Blue Oyster, mas aos poucos eles estão "saindo" deste heavy metal e criando um som psicodélico que há muito tempo não ouvimos. Podemos ver isso neste ultimo EP que eles lançaram.

    Pra finalizar, o Ghost só tocou no RIR mesmo porque bandas como Metallica, Iron... Levam consigo bandas suportes para seus shows. Só espero que eles voltem para cá algum dia!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Você pode, e deve, manifestar a sua opinião nos comentários. O debate com os leitores, a troca de ideias entre quem escreve e lê, é que torna o nosso trabalho gratificante e recompensador. Porém, assim como respeitamos opiniões diferentes, é vital que você respeite os pensamentos diferentes dos seus.