13 de set de 2011

Rival Sons: crítica do álbum 'Pressure and Time' (2011)



Nota: 8,5

Se você é fã do Led Zeppelin, preste atenção no Rival Sons. O quarteto californiano, na ativa desde 2008, estreou em 2010 com o ótimo Before the Fire e mantém a qualidade com seu novo trabalho, Pressure and Time.

A influência da banda de Jimmy Page e Robert Plant é gigantesca, e os caras não fazem questão de esconder isso. A faixa-título é o melhor exemplo, e parece saída diretamente das sessões de Led Zeppelin II (1969). Mas o grupo não se limita apenas ao universo de Page e Plant. Ecos de outros ícones podem ser ouvidos aqui, como Jimi Hendrix Experience, Mountain, Doors e até mesmo o Creedence Clearwater Revival. Aliado a isso, há a sempre bem-vinda dose de blues e algumas pitadas do groove e do soul do Motown, resultando em uma sonoridade que é um deleite para quem adora a estética setentista.

Eu sei que é um clichê, mas aqui ele é inevitável: o álbum parece saído diretamente de uma máquina do tempo. E isso, em uma época em que o rock e o heavy metal estão cada vez mais infestados por sonoridade pré-fabricadas, é uma benção.

As faixas vêm carregadas com uma musicalidade imensa, orgânica e com direito até mesmo a pequenas falhas. O vocalista Jay Buchanam soa como Robert Plant aos vinte anos. O guitarrista Scott Holiday esculpe riffs como um menestrel. A dupla é a alma do Rival Sons. Entre as faixas, destaques para pauladas de alto quilate como “All Over the Road”, “Get Mine”, “Burn Down Los Angeles” e “Save Me”, além da balada blues “Only One”, que se enquadra naquele tipo de composição repleta de feeling e alma tão difícil de se encontrar hoje em dia.

A única crítica possível e adequada a Pressure and Time é o fato de o disco ser muito curto. Seus pouco mais de trinta minutos passam voando e deixam uma agradável sensação de quero mais no ouvinte.

2011 nunca soou tão 1972 quanto aqui.



Faixas:
  1. All Over the Road
  2. Young Love
  3. Pressure and Time
  4. Only One
  5. Get Mine
  6. Burn Down Los Angeles
  7. Save Me
  8. Gypsy Heart
  9. White Noise
  10. Face of Light

5 comentários:

Marcelo Peixoto disse...

Uma das poucas bandas novas que me chamaram a atenção.

Ricardo Seelig disse...

Já ouviu Graveyard, Marcelão? Vale o play, é nessa linha.

E recomendo também o álbum 'Stars Aligned', do Von Hertzen Brothers.

Abraço.

Homem Das Cavernas disse...

Tomara que eles não abram as pernas pra fazer um mais "antenado"...

Marcelo Peixoto disse...

Ricardo, vou atrás dessas outras bandas. Gostei bastante também do Vintage Trouble e do London Souls. Como sempre, belas indicações suas.
E quando vamos combinar aquela cervejinha?
Abraço

Ricardo Seelig disse...

Quando quiser. Vamos marcar, junto com o Andre também.

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE