Google+ #CollectorsRoom ® | música além do óbvio#

27/11/2014

AC/DC: crítica de Rock or Bust (2014)

O AC/DC tem 41 anos de carreira. Eu acabei de completar 42. Nesse tempo todo, a banda foi parte importante da minha vida. O grupo foi um dos responsáveis por me apresentar o mundo do rock. Os dois primeiros discos que comprei foram dos australianos - `74 Jailbreak e For Those About to Rock (We Salute You). Ou seja, temos história. Eles e meus ouvidos.

Um amigo definiu o AC/DC, em uma conversa regada a cerveja, como a mais perfeita definição do rock and roll. Não tem como não concordar. Os riffs certeiros, os solos inspirados, as linhas vocais simples, os refrãos contagiantes, o baixo pulsante, a batida reta. Tudo isso está presente em Rock or Bust, décimo-sexto álbum da turma dos irmãos Young. 

Produzido novamente por Brendan O’Brien - o mesmo do ótimo Black Ice, de 2008 -, Rock or Bust é aquilo que o AC/DC sempre foi: uma banda de rock, e apenas isso. São onze faixas, todas compostas por Angus e Malcolm, como de costume. Rocks básicos, embebidos de blues em certos momentos, recheados de groove em outros. 

Mesmo não apresentando a força de Black Ice, trata-se de um bom disco, que irá agradar os fãs. Os problemas enfrentados pela banda na pré-produção, decorridos da demência de Malcolm Young, certamente influenciaram nesse aspecto. Soma-se isso aos perrengues recentes de Phil Rudd com a justiça neozelandesa, e você tem um quadro complexo pra caramba onde o que menos se esperava seria um álbum com canções inéditas - mas ele está aqui.

Entre as faixas, destaque para a grudenta música-título e “Play Ball” (primeiro single). Como pontos negativos, canções pouco inspiradas e até certo ponto repetitivas como “Got Some Rock & Roll Thunder” e “Hard Times”, onde a banda mostra ter sentido o turbulento período recente. Para efeito de comparação, o tracklist não tem a mesma força apresentada no último trabalho, que era recheado de grandes canções.

Resumindo, Rock or Bust não faz feio na forte discografia do AC/DC. É inferior aos clássicos, como era de se esperar, e até mesmo mediano, porém soa mais agradável aos ouvidos do que os álbuns lançados no final da década de 1980, por exemplo.

O tempo passa. O rock segue. E a vida, também.


Nota 6


Collectors Room Apresenta: Trigger Hippy

O baterista e o guitarrista do Black Crowes. O ex-guitarrista do Black Crowes. E Joan Osborne, a loira do hit “One of Us”. 

O Trigger Hippy não consegue ser ruim. Não tem como.

Formado em 2009, desde então o grupo se apresenta ao vivo. O disco de estreia, no entanto, foi lançado apenas em 30 de setembro deste ano. E apenas como nome da banda na capa, como manda o figurino.

O que temos é um rock puxado para o blues, com acento country em alguns momentos. Vocais masculinos e femininos se alternam no comando. Tudo muito bem feito. Tudo muito bom. Em alguns momentos, a música do Trigger Hippy fica próxima a da Tedeschi Trucks Band. E isso é, como você bem sabe, um tremendo de um elogio.

Pegue seu carro e saia sem rumo e sem pressa de chegar. A trilha você já tem.


Lollapalooza Brasil 2015 revela atrações de cada dia do festival

Já publicamos o line-up do Lolla Brasil 2015, que acontece nos dias 28 e 29 de março de 2015 no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Agora chegou a vez de conhecer a escalação de atrações em cada um dos dias do evento.

No sábado os destaques são Jack White, Robert Plant, Kasabian, St. Vincent e Boogarins. E no domingo, a coisa vai ferver com Pharrell Williams, Interpol, Smashing Pumpkins, O Terno e Scalene. Isso tudo na opinião deste que vos escreve, é claro.


Na imagem acima, a escalação diária completa do Lolla 2015.


26/11/2014

Uncut revela a sua lista de melhores discos de 2014

A revista inglesa Uncut divulgou em sua nova edição a sua lista com os melhores discos de 2014. Nomes que já estão presentes nas escolhas de outras publicações marcam presença, além de algumas surpresas.

O The War on Drugs já está pintando como favorito pra levantar o caneco, hein …

Abaixo, os 50 melhores álbuns de 2014 na opinião da Uncut:

50 Wild Beasts - Present Tense
49 Robyn Hitchcock - The Man Upstairs
48 Morrissey - World Peace is None of Your Business
47 Allah-Las - Worship the Sun
46 Willie Watson - Folk Singer, Vol. 1
45 Kate Tempest - Everybody Down
44 Thom Yorke - Tomorrow’s Modern Boxes
43 East India Youth - Total Strife Forever
42 Mogwai - Rave Tapes
41 Mark Lanegan Band - Phantom Radio
40 Lee Bains III & The Glory Fires - Dereconstructed
39 Future Islands - Singles
38 Fennesz - Bécs
37 Willie Nelson - Band of Brothers
36 La Roux - Trouble in Paradise
35 Drive-By Truckers - English Oceans
34 Chris Forsyth & The Solar Motel Band - Intensity Ghost
33 Sturgill Simpson - Metamodern Sounds in Country Music
32 Merchandise - After the End
31 Tune-Yards - Nikki Nack
30 Spoon - They Want My Soul
29 Jack White - Lazaretto
28 The Black Keys - Turn Blue
27 Ben Watt - Hendra
26 Steve Gunn - Way Out Weather
25 Sleafords Mods - Divide and Exit
24 Tweedy - Sukierae
23 Ariel Pink - pom pom
22 Beck - Morning Phase
21 Earth - Primitive and Deadly
20 Stephen Malkmus and The Jicks - Wig Out at Jagbags
19 Hurray for the Riff Raff - Small Town Heroes
18 Swans - To Be King
17 Lucinda Williams - Down Where the Spirit Meets the Bone
16 Gruff Rhys - American Interior
15 Rosanne Cash - The River & The Thread
14 Real Estate - Atlas
13 Ty Segall - Manipulator
12 Caribou - Our Love
11 Toumani Diabaté & Sidiki Diabaté - Toumani & Sidiki
10 Sun Kil Moon - Benji
9 St. Vincent - St. Vincent
8 Damon Albarn - Everyday Robots
7 Hiss Golden Messenger - Lateness of Dancers
6 Robert Plant - Lullaby and … The Ceaseless Roar
5 Sharon Von Etten - Are We There
4 FKA Twigs - LP1
3 Aphex Twin - Syro
2 Leonard Cohen - Popular Problems
1 The War on Drugs - Lost in the Dream


Os 50 melhores discos de 2014 segundo a NME

A tradicional NME revelou na edição desta semana a sua aguardada lista com os melhores de 2014. As escolhas da revista, como sempre, trazem uma predominância de nomes novos e recentes, seguindo a linha editorial da New Musical Express.

Abaixo, o top do ano pela NME:

50 Julian Casablancas + The Voidz - Tyranny
49 Interpol - El Pintor
48 Temples - Sun Structure
47 Gruff Rhys - American Interior
46 Twin Peaks - Wild Onion
45 Honeyblood - Honeyblood
44 Perfect Pussy - Say Yes to Love
43 Freddie Gibbs and Madib - Piñata
42 Hookworms - The Hum
41 Manic Street Preachers - Futurology
40 Bombay Bicycle Club - So Long, See You Tomorrow
39 Protomartyr - Under Color of Official Right
38 Alt-J - This is All Yours
37 Thom Yorke - Tomorrow’s Modern Boxes
36 Goat - Commune
35 Parquet Courts - Sunbathing Animal
34 Sun Kil Moon - Benji
33 Wild Beasts - Present Tense
32 Childhood - Lacuna
31 Sharon Von Etten - Are We There
30 Warpaint - Warpaint
29 Alvvays - Alvvays
28 Morrissey - World Peace is None of Your Beeswax
27 Jungle - Jungle
26 Perfume Genius - Too Bright
25 Lana Del Rey - Ultraviolence
24 Angel Olsen - Burn Your Fire For No Witness
23 Kasabian - 48:13
22 Swans - To Be Kind
21 FKA Twigs - LP1
20 Jack White - Lazaretto
19 Royal Blood - Royal Blood
18 Kate Tempest - Everybody Down
17 Todd Terje - It’s Album Time
16 Iceage - Plowing Into the Field of Love
15 Eagulls - Eagulls
14 Run the Jewels - Run the Jewels 2
13 Damon Albarn - Everyday Robots
12 Death From Above 1979 - The Physical World
11 Future Islands - Singles
10 Ex Hex - Rips
9 Sleaford Mods - Divide and Exit
8 Jamie T - Carry on the Grudge
7 Merchandise - After the End
6 La Roux - Trouble in Paradise
5 Caribou - Our Love
4 Aphex Twin - Syro
3 The War on Drugs - Lost in the Dream
2 Mac DeMarco - Salad Days
1 St. Vincent - St. Vincent


Collectors Room Apresenta: The Hoax

Ingleses. Sempre eles. No caso, não tão novos assim.

O The Hoax foi fundado em 1991. E então lançou quatro álbuns de estúdio, um ao vivo e depois se separou.

Passaram-se 15 anos, e a banda retornou no final de 2013 com Big City Blues.

O negócio aqui é blues. É rock. É blues rock. E com aquela classe, aquele tempero único, que só a terra da Rainha tem.

Não tem como não curtir. E você, meu amigo, vai curtir bastante.


Checklist #003

A nossa passada semanal nas bancas de todo o mundo, trazendo as capas das edições mais recentes das principais revistas sobre música do planeta. No episódio de hoje, destaque para o U2 na nova Mojo, AC/DC na Kerrang e Neil Young na Uncut, além das listas de melhores do ano que começam a aparecer em destaque nas publicações.