[Carrossel][carousel][6]

29 de abr de 2017

Cheap Trick confirma novo disco e mostra nova música

sábado, abril 29, 2017

O Cheap Trick confirmou que lançará um novo disco de estúdio. O sucessor de Bang, Zoom, Crazy ... Hello (2016), trabalho bastante elogiado pela crítica, deve chegar às lojas no segundo semestre. 

Com o título de We´re All Alright - alusão a um dos maiores clássicos da banda, "Surrender" -, o novo álbum tem produção de Julian Raymond e será disponibilizado em uma versão standard e uma deluxe - essa última com uma das faixas bônus sendo um cover para "Blackberry Way", música gravada pelo The Move em 1968.

Abaixo está a primeira prévia do disco, "Long Time Coming", cujo riff é uma homenagem a "All Day and All of the Night", dos Kinks.

King Crimson anuncia EP ao vivo com versão para clássico de David Bowie

sábado, abril 29, 2017

O King Crimson lançará dia 2 de junho o EP Heroes: Live in Europe 2016. O material trará cinco faixas ao vivo, incluindo uma versão para "Heroes", um dos maiores clássicos de David Bowie.


Para quem não sabe, Robert Fripp gravou as guitarras presentes na versão original de "Heroes", um dos seus mais celebrados trabalhos, com camadas e camadas do instrumento se entrelaçando em um arranjo perfeito. 


A faixa foi gravada em Berlim, na mesma cidade onde o disco de David Bowie foi registrado em 1977. Segundo Fripp, "nós tocamos 'Heroes' no Admiralpalast em Berlim como uma celebração, uma lembrança e uma homenagem".


Além de "Heroes" em uma versão mais longa e outra editada, o EP traz uma versão de 10 minutos de "Easy Money" gravada em Paris e versões editadas de "Starless" e "The Hell Hounds of Krim", ambas gravadas em Viena. Todas são gravações ao vivo até então inéditas e desconhecidas pelos fãs.






28 de abr de 2017

Adrenaline Mob anuncia novo álbum e mostra nova música

sexta-feira, abril 28, 2017

We the People, terceiro disco do Adrenaline Mob, será lançado dia 2 de junho pela Century Media. O álbum marcará a estreia do baixista Jordan Cannata e do baterista David Zablidowsky (ex-Trans Siberian Orchestra) em estúdio com a banda.

Vale lembrar que Russell Allen, o fenomenal vocalista do Symphony X, e Mike Orlando, fritador da guitarra, são os chefões que completam o quarteto.

O disco trará treze faixas, sendo que uma delas tem o título de "Rebel Yell" e parece ser uma versão para o clássico de Billy Idol, apesar de o grupo ainda não ter confirmado a informação.


"King of the Ring", música de abertura e primeiro single, pode ser conferida no vídeo abaixo:

Ozzy confirma retorno da parceria com Zakk Wylde e anuncia turnê solo

sexta-feira, abril 28, 2017

Após mais de uma década separados, Ozzy Osbourne e Zakk Wylde anunciaram o retorno da parceria responsável pelo período de maior sucesso na carreira do Madman. Com o fim do Black Sabbath, Ozzy confirmou que realizará uma série de shows pelos Estados Unidos a partir de julho, todos  com a presença de Zakk na guitarra.

Zakk Wylde se juntou à banda de Ozzy Osbourne em 1987, estreando no álbum No Rest for the Wicked, lançado em 28 de setembro de 1988. Permanecendo vinte anos na banda, Wylde gravou também os discos No More Tears (1991), Ozzmosis (1995), Down to Earth (2001), Under Cover (2005) e Black Rain (2007), além dos ao vivos Live & Loud (1993) e Live at Budokan (2002). 

O primeiro show da turnê acontecerá dia 14 de julho no Rock USA Festival, na cidade de Oshkosh, em Wisconsin. Junto a Ozzy e Zakk estarão Rob "Blasko" Nicholson (baixo), Adam Wakeman (teclado) e Tommy Clufetos (bateria).

Segundo fontes próximas à banda, os planos de Ozzy prevêem entrar em estúdio após a turnê e lançar um novo disco solo em 2018. O último álbum de Ozzy, Scream, saiu em 2010.



Review: Criolo - Espiral de Ilusão (2017)

sexta-feira, abril 28, 2017

Kleber, ó Kleber, lá vem você com os seus larará … espera: e não é que eles são bons mesmo?

“Lá Vem Você”, faixa de abertura de Espiral de Ilusão, deixa claro em sua primeira frase a proposta do novo disco de Criolo: “lá vem você com os seus larará”. Em seu quarto álbum, o (há muito tempo não apenas) rapper paulista envereda sem medo pelo samba. Sim, o mais brasileiros de todos os gêneros musicais. Tem samba de roda, samba canção, samba de breque. Tudo com a poesia afiada e única de Criolo, repleta de surrealismo (aqui, bem menos do que em seus trabalhos anteriores) e cheia de lirismo e ironia (como sempre).

O disco, produzido por Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral, traz dez faixas. Oito delas são compostas por Criolo, uma em parceria com Ricardo Rabelo e Jefferson Santiago e também uma interpretação para “Hora de Decisão”, de Rabelo e Dito Silva. O álbum saiu nos formatos físico e digital nesta sexta, dia 28 de abril. Tá na loja, tá na rua, tá no ouvido - e tá bom demais!

Ao trilhar pelo samba, Criolo faz, ao mesmo tempo, uma aposta acirrada e uma carta de intenções. A aposta é a de não agradar uma parcela de seu público, atraído para a sua música pela embalagem entregue pelo rap. A carta de intenções é o pau na mesa, deixando claro que tem muito a dizer e que pode utilizar a plataforma musical que achar mais adequada para transmitir o que pensa. Ele tem vocabulário, tem background, tem talento para tomar uma atitude assim. E é justamente esse um dos fatores que faz Kleber Cavalcante Gomes, seu verdadeiro nome, do alto de seus 41 anos ser um dos principais nomes da música brasileira contemporânea.


Da abertura com “Lá Vem Você”, passando pelo samba delicioso “Dilúvio de Solidão” e pela crítica inteligente de “Menino Mimado”, Criolo, ao mesmo tempo em que filtra as influências de nomes consagrados do samba como Paulinho da Viola e Martinha da Vila, traz também para a mistura ecos dos melhores momentos de Caetano Veloso e Chico Buarque, estabelecendo-se em um patamar artístico até então inédito. Como dito no início do texto, Criolo está muito além do rap, distante das fronteiras do hip hop, caminhando de maneira própria através de seu próprio e peculiar universo sonoro, que vai se revelando ao público a cada novo ato.

Tanto em Nó na Orelha (2011) (ouça “Linha de Frente”) quanto em Convoque seu Buda (2014) (agora é a vez de “Fermento pra Massa), Criolo já havia colocado o samba em seu repertório, mostrando que suas influências eram muito mais amplas que a de seus pares. Mas em Espiral de Ilusão o passo que ele dá é certeiro, resultando não apenas em um disco excelente, mas também em um dos melhores álbuns de samba dos últimos anos. E isso vindo de um cara que veio, teoricamente, de outra seara musical, mas cujo talento e criatividade são capazes de demolir qualquer limitação (boba, sempre) entre gêneros musicais.

Se a carreira de Criolo até aqui já se mostrava algo não apenas gratificante de se acompanhar por tudo que ele tem a dizer e cantar, com Espiral de Ilusão temos a convicção de que esse rapaz já começou a subir, e a passos largos, a escadaria que leva ao clube dos grandes artistas desse país tropical - sofrido, engraçado e complicado, mas sempre apaixonante e cheio de esperança. 

Afinal, um pouco de ilusão é fundamental para digerirmos os absurdos cada vez maiores a que somos expostos todos os dias, né não?

Ouça “Seven Headed Whore”, nova música do Iced Earth

sexta-feira, abril 28, 2017

O Iced Earth divulgou a inédita “Seven Headed Whore”, música que faz parte do novo disco da banda, Incorruptible, com data de lançamento confirmada para 16 de junho pela Century Media - o álbum será lançado no Brasil pela Hellion Records.

Incorruptible é o sucessor de Plagues of Babylon (2014) e o terceiro trabalho com o vocalista Stu Clock. 


O álbum será disponibilizado em CD digipak, LP duplo colorido e CD standard, além dos formatos digitais.

Ouça “Seven Headed Whore” abaixo, e divida a sua opinião sobre a nova do Iced Earth conosco nos comentários deste post.

FOLLOW @ INSTAGRAM

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE