18 de set de 2017

Review: Gerson Werlang - Sistema Solar (2017)


Algumas palavras precisam ser ditas sobre este disco. Segundo álbum solo do músico gaúcho Gerson Werlang, Sistema Solar saiu originalmente em 2015, somente em CD. Agora, acaba de ganhar uma bela edição em vinil a cargo do 180 Selo Fonográfico. O trabalho sucede a estreia solo do artista, Memórias do Tempo (2008).

O rock brasileiro atual, em sua grande maioria, anda discutível. Além de o gênero ter perdido o protagonismo como música da juventude, perdeu também qualidade entre os seus mais conhecidos representantes. Enquanto uma parcela vive com as mesmas bandas de sempre _ Paralamas, Barão e afins -, outros tentam emergir com um trabalho legal mas que não chega até os ouvidos das pessoas. A facilidade de acesso através dos serviços de streaming parece estar produzindo uma geração de ouvintes preguiçosos e que, sem um canal de difusão para sons interessantes (papel que era cumprido pelas boas rádios há alguns anos atrás), navega perdido em um mar de sons. É claro que existem boas bandas fazendo bons discos agora mesmo (e elas sempre existirão), e muitas delas estamos falando aqui mesmo no site, mas esse som não vai além do que uma parcela reduzida de ouvintes, infelizmente.

O lance de Gerson Werlang é o rock progressivo. Vindo de Santa Maria, integrou durante quase trinta anos o Poços & Nuvens, banda que conseguiu um certo destaque internacional no início dos anos 2000. Em Sistema Solar, Gerson entrega um trabalho diferenciado, musicalmente lindo e que vai muito além do que encontramos na cena brasileira. Trata-se de um disco com sonoridade clássica, influenciado simultaneamente por nomes como Yes e por referências nacionais e regionais, como a cena vinda do Rio Grande do Sul. Assim como as passagens instrumentais trazem à mente lembranças dos gentis gigantes do prog inglês, as harmonias acústicas mostram que Werlang bebeu da mesma inspiração que Vitor Ramil, por exemplo.

Diversos interlúdios colam as faixas, apresentando-as como movimentos sonoros de uma peça maior. É como se uma pequena ópera se desenrolasse sobre o ouvinte, com letras que discutem a vida e o universo. A predominância de instrumentos acústicos, sempre presentes, dá um clima agreste ao trabalho, tornando-o ainda mais melancólico e bonito. 

Sistema Solar é um disco realmente excepcional, e que ganha na edição em LP uma mídia que talvez soe mais adequada à sua proposta do que o CD. Mas o fato é que, independentemente do formato, trata-se de um álbum incrível e que precisa chegar aos ouvidos de todo fã de música. Se você se considera um, aproveite que o álbum está nos streamings e delicie-se.

Nenhum comentário:

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE