6 de mai de 2017

Derek and the Dominos: o mágico encontro entre Eric Clapton e Duane Allman

sábado, maio 06, 2017

Layla & Other Assorted Love Songs é, ao mesmo tempo, um álbum fundamental e uma declaração de amor sem igual. Completamente apaixonado por Pattie Boyd, esposa de seu chapa de longa data George Harrison, Eric Clapton tentou, por muito tempo e em vão, lutar contra o que sentia, mas não conseguiu. Ele precisava se expressar, colocar para fora o que o seu coração dizia, e o resultado está neste disco.

A começar pela capa, que mostra um buquê de flores, e tendo como alicerce principal a canção que batiza o disco, Layla & Other Assorted Love Songs é um trabalho extremamente emocional, doloroso em muitos momentos, mas que, talvez justamente por causa disso, acabou se transformando em um dos melhores momentos da carreira de Eric Clapton.

Acompanhado por aquela que pode ser classificada como a melhor banda que já esteve ao seu lado (Bobby Whitlock no teclado e vocal, Carl Radle no baixo e Jim Gordon na bateria), Clapton contou ainda com a participação especialíssima de Duane Allman na guitarra. Isso fez com que, mesmo inconscientemente, as performances tanto de Clapton quanto de Allman estejam entre as melhores da carreira de ambos, em uma competição sadia que gerou alguns dos solos mais marcantes da dupla.

O repertório original mantém a sua força mesmo após quase quarenta anos do seu lançamento. Basta ouvir canções como "Layla", a linda "Bell Bottom Blues", "Keep on Growing", "Tell the Truth", os solos faiscantes de "Why Does Love Got to Be So Sad" ou a versão para "Little Wing" de Jimi Hendrix para que isso fique evidente.



Não bastasse toda essa qualidade, Layla & Other Assorted Love Songs ganhou uma versão absolutamente obrigatória em comemoração aos vinte anos do lançamento original do disco, em 1990. Se você encontrá-la, não pense duas vezes: compre, porque o que você irá ouvir vai além da capacidade de análise de qualquer crítico.

Essa edição traz três discos. O primeiro contém o álbum original, enquanto o segundo é focado em outtakes e o terceiro em jams. No CD dois os destaques são duas versões alternativas para "Have You Ever Loved a Woman", variando entre uma mais acelerada e outra mais lenta, deixando clara as experimentações que o grupo fez até chegar à versão final. Outros momentos altos estão nas três versões para o blues acústico "Mean Old World", onde Clapton e Duane estraçalham nos violões, e nas duas longas jams sobre o tema de "Tell The Truth".



Mas o filé é o disco três. Nele estão cinco jams, variando entre vinte e doze minutos de duração. Nelas percebe-se o quanto a química entre o grupo, e principalmente entre Eric Clapton e Duane Allman, beirava o transcendental. Os dois passeiam por temas inspirados, levando um ao outro a limites cada vez mais altos, em uma cumplicidade absurda. Ouvir os caminhos traçados por Clapton e Duane nestas jams é um alimento para o espírito de qualquer fã de música. A impressão que dá é que, se deixassem, os dois passariam dias e dias tocando e improvisando juntos, tamanha é a energia que emana destas faixas.

Se Layla & Other Assorted Love Songs já era um álbum obrigatório, essa versão especial de vinte anos é um documento de um momento histórico, mostrando na intimidade toda a força do encontro entre dois dos maiores guitarristas do século XX.

Tem que ter: nunca essa frase soou tão adequada para um álbum quanto para The Layla Sessions: 20th Anniversary Edition.

Neil Murray revela que gravou material com Adrian Smith na década de 1990

sábado, maio 06, 2017

Em entrevista ao eonmusic, o baixista Neil Murray, que tocou com dezenas de bandas ao longo de sua carreira incluindo nomes como Black Sabbath, Whitesnake e Gary Moore, contou que gravou material com Adrian Smith, logo após o guitarrista deixar o Iron Maiden, no início de 1990.

Murray contou que Adrian o chamou para um ensaio, e que as coisas evoluíram até a gravação de uma demo com quatro músicas. Na bateria estava outro músico com relação com o Maiden, o baterista italiano Fabio Del Rio, que havia tocado no primeiro disco solo de Bruce Dickinson, Tattooed Millionaire, lançado em maio de 1990. As gravações ocorreram no início de 1990, e alguns meses mais tarde, em março de 1991, Adrian Smith voltou a procurar Neil Murray para convidá-lo a ingressar em sua nova banda, mas não acabou rolando. 


Não há informação sobre o que aconteceu com as quatro músicas da demo, se elas foram reaproveitadas no Psycho Motel (banda que Adrian formou alguns anos mais tarde e que lançou dois bons discos, ambos atualmente fora de catálogo), ou na banda solo de Bruce Dickinson (Smith tocou nos discos Accident of Birth e The Chemical Wedding) ou no próprio Iron Maiden (Adrian retornou ao grupo em janeiro de 1999, junto com Dickinson). 

Ou essas músicas podem ter continuado sem ver a luz do dia até hoje ...

5 de mai de 2017

Exodus começará a gravar novo disco nos próximos meses

sexta-feira, maio 05, 2017

O Exodus confirmou que entrará em estúdio nos próximos meses para gravar o sucessor de Blood in Blood Out, disco mais recente da banda, lançado em 2014. Este será o segundo CD após o retorno do vocalista Steve "Zetro"  Souza, que substituiu Rob Dukes.

Gary Holt, líder e principal compositor da banda, está também no Slayer, e a ideia é focar no Exodus nos próximos meses. Os planos do grupo prevêem a entrada em estúdio no segundo semestre e o lançamento do novo disco no início de 2018.

Documentário conta a história e a influência da MTV Brasil

sexta-feira, maio 05, 2017

Com direção de Lucas Tomaz Neves e assinado pela Crua Produções, o documentário A Imagem da Música: Os Anos de Influência da MTV Brasil foi disponibilizado no YouTube e conta a história e a influência do primeiro canal de TV dedicado totalmente ao público jovem brasileiro.

O filme traz depoimentos de VJs e músicos, que contam histórias de bastidores e dimensionam a importância que a MTV teve na linguagem televisiva nacional das décadas de 1990 e 2000. 

Segunda filial internacional da emissora norte-americana, a MTV Brasil impactou uma geração de espectadores com seus programas inovadores e criativos, além de formar diversos ótimos nomes que hoje brilham em outros canais e plataformas como Zeca Camargo, Astrid Fontenelle, Marcos Mion, Gastão Moreira e inúmeros outros.

O documentário pode ser assistido no player abaixo:

Lendas do blues gravam disco em homenagem aos Rolling Stones

sexta-feira, maio 05, 2017

Após o lançamento de Blue and Lonesome (2016), onde os Stones regravaram clássicos do blues em homenagem a alguns de seus ídolos, chegou a hora do troco. Músicos da cena blues de Chicago, o berço do blues elétrico, se reuniram e lançaram o CD Chicago Plays the Stones. O disco já está disponível para venda através do site oficial do projeto.

O disco conta com a participação de ícones como Buddy Guy, Jimmy Burns, Omar Coleman e outros, todos acompanhados pela The Living History Band, e tem como grande destaque a parceria entre Buddy Guy e Mick Jagger em "Doo Doo Doo Doo Doo (Heartbreaker)".

Abaixo está o tracklist:

1 John Primer - Let It Bleed
2 Billy Boy Arnold - Play With Fire
3 Buddy Guy & Mick Jagger - Doo Doo Doo Doo Doo (Heartbreaker)
4 Ronnie Baker Brooks - Satisfaction
5 Billy Branch - Sympathy of the Devil
6 John Primer - Angie
7 Leanne Faine - Gimme Shelter
8 Jimmy Burns - Beast of Burden
9 Mike Avery - Miss You
10 Omar Coleman - I Go Wild
11 Carlos Johnson - Out of Control
12 Jimmy Burns - Dead Flowers


Segundo a Billboard, não vai rolar Led Zeppelin no Desert Trip

sexta-feira, maio 05, 2017

De acordo com a Billboard, os integrantes remanescentes do Led Zeppelin - Jimmy Page, Robert Plant e John Paul Jones - não chegaram a um acordo para que a banda participe do Desert Trip Festival, cuja segunda edição acontecerá em outubro na California.

Segundo fontes ligadas à organização, o trio recusou uma oferta de 14 milhões de dólares para tocar na primeira edição do festival, que aconteceu em outubro de 2016 e reuniu os gigantes Paul McCartney, Roger Waters, Bob Dylan, The Who, Rolling Stones e Neil Young, e cuja estimativa de arrecadação total girou em torno de 160 milhões de dólares. 

Gary Tovar, um dos organizadores do Desert Trip, declarou ao The Guardian que gostaria de ter o Led Zeppelin no evento, deixando claro que entrou em contato e sentou com a banda para discutir os termos de uma possível participação.

E a tal mensagem enigmática postada por Robert Plant? Segundo a Billboard, é provável que seja algo relacionado ao novo disco e à nova turnê do vocalista.

Seguimos acompanhando, e torcendo.

4 de mai de 2017

Nova banda reúne ex-integrantes do Graveyard e do Witchcraft

quinta-feira, maio 04, 2017

O trio sueco Big Kizz merece uma atenção de quem gosta de música. A banda é formada por Axel Sjöberg, ex-baterista do Graveyard, e John Hoyles, ex-guitarra do Witchcraft (Hoyles toca também no Spiders). Completando o time temos o vocalista, baixista e guitarrista Pontus Westerman, macaco velho na cena do hard/metal sueca e integrante do Lady Banana.

O grupo foi formado no início do ano em Gotemburgo e lançará o seu EP de estreia dia 9 de junho pela Tee Pee Records. O disquinho virá com três músicas, sendo duas originais ("Eye on You" e "Baby Boy") e um cover (para "White Faces", de Roky Erickson). Segundo os músicos, a ideia é fazer um rock and roll cheio de energia com elementos de punk e power pop. O primeiro álbum deve sair até o final do ano.

Abaixo você pode sacar a proposta do Big Kizz através do vídeo de "Eye on You":

3 de mai de 2017

ATENÇÃO COLECIONADORES DE DISCOS: queremos mostrar a sua coleção aqui na Collectors Room

quarta-feira, maio 03, 2017

Após um longo período, resolvi retomar o motivo que levou à criação deste site: entrevistar colecionadores de discos e mostrar as suas coleções para os leitores. 

Portanto, se você quer bater um papo conosco e dividir a sua paixão pela música - além, é claro, de possuir uma coleção de discos legal e que valha a pena ser publicada aqui -, envie um e-mail para falacollectorsroom@gmail.com dando detalhes de seu acervo (número de itens, qual formato você coleciona - CD, LP, ... -, se uma banda predomina, essas coisas) e nós retornaremos.

E os colecionadores que já mostraram os seus discos aqui e quiserem atualizar as suas entrevistas, já que estamos publicando matérias assim há 9 anos, sintam-se à vontade para também entrar em contato.

Estamos esperando vocês!

Rumores apontam para possível reunião do Led Zeppelin na nova edição do Desert Trip Festival

quarta-feira, maio 03, 2017

Tá na NME, tá no Metal Injection e tá chegando na boca de todo mundo: um forte rumor aponta para uma possível reunião do Led Zeppelin! O encontro entre Jimmy Page, Robert Plant, John Paul Jones e Jason Bonham aconteceria na segunda edição do Desert Trip Festival, mega evento que rolou em 2016 na Califórnia com shows dos gigantes Rolling Stones, Bob Dylan, Paul McCartney, Neil Young, Roger Waters e The Who.

A possibilidade ganhou força após Robert Plant atualizar o seu site oficial com a enigmática mensagem “any time now …” (“a qualquer momento”, em tradução livre), e ganhou corpo quando veículos como a NME começaram a ventilar a possibilidade. 

Outro ponto interessante é que o Led Zeppelin completará 50 anos de sua formação em 2018 e os eventos comemorativos à data iniciariam em outubro deste ano, no Desert Trip. 

A última reunião da banda aconteceu em 2007 para shows na O2 Arena, em Londres, posteriormente lançados no CD e DVD Celebration Day (2012).

Ou tudo isso pode ser nada disso, e apenas um teaser para o novo álbum solo de Robert Plant …







Detalhes do novo álbum do Riverdogs, banda de Vivian Campbell

quarta-feira, maio 03, 2017

O novo disco do Riverdogs, banda do guitarrista Vivan Campbell, tem o título de California e será lançado dia 7 de julho pela Frontiers Music. O CD traz Campbell ao lado da dupla original Rob Lamothe (vocal e guitarra) e Nick Brophy (baixo), e marca a estreia do novo baterista, Marc Danzeisen.

Quinto álbum do Riverdogs, California é o sucessor de World Gone Mad, disponibilizado em 2011.

Vivian Campbell foi revelado ao mundo por Ronnie James Dio e integrou a banda do lendário vocalista em seu período mais clássico, gravando os discos Holy Diver (1983), The Last in Line (1984) e Sacred Heart (1985). Após uma breve passagem pelo Whitesnake, entrou no Def Leppard em 1992 substituindo o falecido Steve Clark e desde então é integrante da banda inglesa.


Clássico do Marillion ganha edição deluxe

quarta-feira, maio 03, 2017

Terceiro álbum do Marillion, Misplaced Childhood (1985) está retornando às lojas em uma edição deluxe. Com data de lançamento marcada para 21 de junho pela Parlophone, a nova versão traz o disco original remasterizado e também em uma edição 5.1 remixada por Steven Wilson. Completam o pacote um show inédito realizado em Utrecht, na Holanda, em 1985, onde a banda tocou o álbum na íntegra, além de faixas de demo e raridades.

O pacote vem com 4 CDs e um blu-ray com os vídeos promocionais da época, um documentário de um hora sobre o disco e o já citado remix em áudio 5.1. Tudo embalado em um case de capa dura, com direito a um livro de 60 páginas com textos sobre o álbum.

Será disponibilizada também uma opção em vinil quádruplo, com LPs de 180 gramas trazendo o disco original remasterizado e o show da Holanda. O box em vinil trará também um livro de 24 páginas com o programa de turnê original e um texto sobre o álbum escrito pelo crítico musical Dave Everley.


Abaixo está o tracklist completo da nova edição de Misplaced Childhood:

CD 1: Misplaced Childhood (2017 Remaster)
1 Pseudo Silk Kimono
2 Kayleigh
3 Lavender
4 Bitter Suite
5 Heart Of Lothian
6 Waterhole (Expresso Bongo)
7 Lords Of The Backstage
8 Blind Curve
9 Childhoods End?
10 White Feather

CD 2: Live at Utrecht 1985
1 Emerald Lies (intro)
2 Script For A Jester's Tear
3 Incubus
4 Chelsea Monday
5 The Web

CD3: Live at Utrecht 1985 (continued)
1 Pseudo Silk Kimono
2 Kayleigh
3 Lavender
4 Bitter Suite
5 Heart Of Lothian
6 Waterhole (Expresso Bongo)
7 Lords Of The Backstage
8 Blind Curve
9 Childhoods End?
10 White Feather
11 Fugazi
12 Garden Party
13 Market Square Heroes

CD 4: Demos & B-Sides (2017 Remaster)
1 Lady Nina
2 Freaks
3 Kayleigh (Alternative Mix)
4 Lavender Blue
5 Heart Of Lothian
6 Lady Nina (Steven Wilson Stereo Remix)
7 Pseudo Silk Kimono (Demo)
8 Kayleigh (Demo)
9 Lavender (Demo)
10 Bitter Suite: Brief Encounter/Lost Weekend (Demo)
11 Lords Of The Backstage (Demo)
12 Blue Angel (Demo)
13 Misplaced Rendezvous (Demo)
14 Heart Of Lothian: Wide Boy/Curtain Call (Demo)
15 Waterhole (Expresso Bongo) (Demo)
16 Passing Strangers: Mylo/Perimeter Walk/Threshold (Demo)
17 Childhood's End? (Demo)
18 White Feather (Demo)

2 de mai de 2017

Radiohead dá detalhes sobre a edição de 20 anos do clássico OK Computer

terça-feira, maio 02, 2017

O Radiohead lançará em junho uma edição comemorativa às duas décadas de vida de seu disco mais importante, o clássico OK Computer (1997). Com o título de OK Computer OKNOTOK 1997 2017, a nova versão virá com o som totalmente remasterizado, oito b-sides e três músicas inéditas: "I Promise", "Lift" e "Man of War".

A nova edição da OK Computer chegará às lojas no dia 23 de junho em CD duplo, LP triplo e também em um box especial, além dos formatos digitais. A caixa trará um livro de capa dura com 30 telas com a arte original do disco - muitas delas inéditas -, 104 páginas com a história do álbum e outros quitutes para os fãs.

O material já está em pré-venda.

Ian Paice fala sobre o fim cada vez mais próximo do Deep Purple

terça-feira, maio 02, 2017

Único músico presente em todos os discos do Deep Purple, o baterista Ian Paice, que sofreu uma isquemia recentemente e ainda está em tratamento depois do incidente, comentou sobre o período atual de sua carreira e o final cada vez mais próximo da trajetória do Purple.

"A música é infinita, imortal, mas os músicos, infelizmente, não. Precisamos reconhecer que, em algum momento, tudo acabará. Emocionalmente, é algo muito difícil de se admitir. Estou envolvido com isso há 50 anos. Não é fácil simplesmente dar as costas e dizer que acabou", declarou Ian Paice.

É, não é fácil não. Mas se serve de consolo, velho amigo, o legado do Deep Purple é imenso e seguirá conquistando gerações e gerações de novos fãs.

Livro de luxo detalha a carreira do Pearl Jam

terça-feira, maio 02, 2017

O livro Pearl Jam Anthology - The Complete Scores está sendo lançado, e já chega com cara de item obrigatório para os fãs da banda norte-americana. Com mais de 800 páginas, o livro traz avaliações e detalhes sobre cada uma das 130 canções gravadas pelo Pearl Jam em toda a sua carreira, com avaliações sobre as músicas, quem tocou qual instrumento em cada faixa e por aí vai. 

Além disso, o livro vem com tablaturas de guitarra e baixo para as principais canções da banda, como “Alive”, “Better Man”, “Black”, “Corduroy”, “Daughter”, “Do the Evolution”, “Even Flow”, “Given to Fly”, “Jeremy”, “Not for You”, “Once”, “Wishlist” e outras.

Como cereja do bolo, o livro vem com capa dura e dentro de uma embalagem protetora, também em capa dura.



Novo disco (e nova música) do Rancid

terça-feira, maio 02, 2017

Já tem data de lançamento o novo disco do Rancid. Trouble Maker, nono álbum da banda norte-americana, chegará às lojas dia 9 de junho pela Hellcat/Epitaph Records. O disco é o sucessor de Honor is All We Know, trabalho lançado em 2014 e bastante elogiado pela crítica. Quem assina a produção é Brett Gurewitz, fundador de Epitaph e há anos produtor do Rancid.

Junto com a novidade veio também “Ghost of a Chance”, primeiro single de Trouble Maker, que pode ser ouvida no player abaixo:

Para Jason Newsted, problemas enfrentados pelo Metallica tornaram a apresentação no Grammy mais poderosa

terça-feira, maio 02, 2017

Perguntado sobre a sua opinião a respeito da parceria entre o Metallica e Lady Gaga na última edição do Grammy, Jason Newsted, ex-baixista da banda norte-americana, declarou: "Aprendi que duvidar do Metallica nunca é algo muito inteligente a se fazer. Eles sempre estão prontos para dar a volta por cima, e isso é muito impressionante. Eu estive dentro da banda e agora vejo tudo de fora, e isso me faz entender melhor como as coisas funcionam com a banda".

Sobre o show no Grammy: "Sim, assisti à apresentação. E sim, fiquei chateado com o que aconteceu, com o desrespeito por causa do equipamento. Isso não deve acontecer. Se eles querem ter uma chance de fazer algo com alguém tão talentosa e poderosa como Lady Gaga, então eles devem aproveitar toda a oportunidade que surgir. Eles são do mesmo calibre que ela, são forças musicais equivalentes. Ela teve sorte de estar lá com eles. Podemos falar sobre um ou outro problema, como a falha no equipamento, mas o fato foi que James e Gaga fora capazes de ficar frente a frente e, como superstars experientes que são, alimentarem-se um do outro. E foi justamente isso que deixou a performance mais poderosa do que eles poderiam imaginar. Foi fantástico!".

Revolver Magazine, principal revista de metal dos EUA, troca de dono

terça-feira, maio 02, 2017

A Revolver Magazine, a mais lôngeva publicação especializada em metal atualmente em circulação no mercado norte-americano, foi vendida para uma nova empresa, a Project M Group, LLC. O antigo editor da revista, Brandon Geist, retornou para a redação, assim como Jimmy Hubbard, anteriormente fotógrafo do título e agora o novo diretor criativo da Revolver. Geist passou dez anos na Revolver e saiu em 2014, indo para a Rolling Stone, enquanto Hubbard realizou trabalhos para a Guitar World e a Guitar Aficionado, além de criar vídeos para bandas como Metallica, Mastodon e Baroness.

A Project M Group, LLC foi criada pelo seu CEO, Enrique Abeyta, e está há 25 anos no mercado investindo em tecnologia e na mídia musical.

Ainda não há nenhuma informação se a mudança de dono causará alterações na Revolver, que é publicada bimensalmente nos Estados Unidos.

Russell Allen revela que não há planos para o futuro do Symphony X

terça-feira, maio 02, 2017

Em entrevista ao Metal Wani, Russell Allen admitiu que não existem planos para o futuro do Symphony X e que está 100% comprometido com a sua outra banda, o Adrenaline Mob. O último disco do Symphony X, Underworld, foi lançado em 2015 e foi bem aceito pela crítica e pelo público, rendendo uma extensa turnê ao redor do planeta.


Respondendo ao Metal Wani se a banda tinha planos de iniciar o trabalho em um novo disco, Allen declarou: "Não existem planos dessa vez. Não vejo nada em um futuro próximo porque ... eu sei que Michael Romeo está falando sobre o seu disco solo e outras coisas, e os outros caras estão fazendo coisas semelhantes. Não houve nenhuma conversa sobre um álbum novo, nada sobre uma nova turnê, e assim por diante. Pra ser honesto com você, estou 100% comprometido com o Adrenaline Mob e é isso que eu estou fazendo agora. Então se você quiser me ouvir cantar nos próximos anos, você vai ter que vir assistir ao Mob. Não há planos futuros para o Symphony X no momento".


1 de mai de 2017

Radiohead dá pistas de que comemorará os 20 anos de OK Computer em grande estilo

segunda-feira, maio 01, 2017

Em 21 de maio, um dos mais importantes discos da história do rock completará 20 anos de vida. OK Computer, terceiro álbum do Radiohead, mudou a forma como a música passou a ser produzida desde então, trazendo uma sonoridade inovadora e fora do formato padrão do rock e do pop. Unindo a instrumentação normal do rock à elementos eletrônicos, além de um raciocínio propositalmente contrário ao tradicional, OK Computer influenciou de maneira profunda não apenas o indie rock - cena a qual a banda inglesa é geralmente associada -, mas todo o cenário da música.

Dando início à comemoração de duas décadas de seu principal trabalho, o Radiohead está espalhando pôsteres misteriosos nas principais cidades do mundo, como Nova York, Londres, Paris e Berlim, todos com mensagens políticas travestidas de street art.

As especulações são que as artes presentes nesses pôsteres são o indício de uma edição comemorativa super especial de OK Computer, fato que ficou ainda mais evidente com o vídeo divulgado pela banda, onde uma voz feminina lê a letra de "Climbing up the Walls", uma das músicas do disco.

Podcast Collectors Room #005: Roger Waters, tributo a Belchior e música instrumental

segunda-feira, maio 01, 2017

Começando a semana com uma nova edição do nosso podcast. Nesta quinta edição falamos sobre o novo disco de Roger Waters, relembramos a obra de Belchior, passamos pela cena da música instrumental brasileira e internacional e apresentamos releituras deliciosas de clássicos do rock e do pop.

Para ouvir e baixar, use o player abaixo.

E aqui está o tracklist do programa, para você ir atrás das bandas e das músicas que curtir:

Bloco 1
Roger Waters - Smell the Roses

Bloco 2
Manoel Magalhães - Velha Roupa Colorida
Dario Julio & Os Franciscanos - Apenas um Rapaz Latino Americano
Nevilton - Sujeito de Sorte

Bloco 3
Yangos - The Trooper
Muntchako - Emoções
Skrotes - Black Sabiá

Bloco 4
The Budos Band - The Sticks
The Mighty Mocambos - Road to Earth
The Bad Plus - Gold Prisms Incorporated

Bloco 5
Postmodern Jukebox feat. Miche Braden - Sweet Child O´ Mine
Postmodern Jukebox feat. Noah Guthrie - Sledgehammer
Postmodern Jukebox feat. Sarah Marie Young - Bizarre Love Triangle

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE