Foreigner: crítica do álbum 'Can't Slow Down … When It's Live!' (2010)


Nota: 8,5

Registro da bem sucedida turnê do álbum Can't Slow Down (2009), que marcou a estreia do vocalista Kelly Hansen no lugar de Lou Gramm, Can't Slow Down … When It's Live! repassa a carreira do Foreigner e mostra que a banda ainda tem muita energia em cima do palco.

Duplo, o disco ganha lançamento nacional pela Hellion Records em CD duplo a preço de CD simples. Ou seja, você leva o dobro e paga por apenas um disco! O conteúdo dos disquinhos irá agradar os fãs do grupo, já que mostra a banda desfilando com grande autoridade os seus maiores hits, com uma segurança e um pique um tanto incomuns para artistas com décadas de estrada.

Hansen canta com imensa categoria não só as faixas que gravou originalmente, mas, sobretudo, o vasto catálogo de sucessos do Foreigner, não deixando um pingo de saudades de Gramm. Entre os destaques, menção mais que especial para “Waiting for a Girl Like You”, “Urgent” e a arrasa quarteirão “Hot Blooded”.

Can't Slow Down … When It's Live! prova na prática que o Foreigner, considerado por muitos o pai do AOR, está com o tanque cheio e grande apetite para seguir na estrada por mais alguns anos. A escolha de Kelly Hansen se consolida como acertada nesse duplo ao vivo, um disco ótimo e saboroso como um vinho da melhor safra.

Faixas:

CD1
  1. Double Vision
  2. Head Games
  3. Cold as Ice
  4. In Pieces
  5. Blue Morning, Blue Day
  6. Waiting for a Girl Like You
  7. When It Comes to Love
  8. Dirty White Boy
  9. Starrider

CD 2
  1. Feels Like the First Time
  2. Urgent
  3. Juke Box Hero
  4. Long, Long Way From Home
  5. I Want to Know What Love Is
  6. Hot Blooded
  7. Can't Slow Down (bonus track)

Comentários