Minha Coleção: hard rock e muita sonzeira no acervo de Rafael Pereira


De colecionador pra colecionador, faça uma breve apresentação para os nossos leitores.

Meu nome é Rafael Pereira, tenho 43 anos. Ouço rock desde 1988, quando peguei emprestado com um tio três discos (Led IV, Pearl da Janis e Soundtrack Recordings From the Film Jimi Hendrix), e daí não parei mais. Gosto principalmente de hard rock de fim dos anos 1960, começo dos 1970, heavy metal 70/80, rock progressivo, power metal, blues, bandas da invasão britânica dos anos 60 e folk rock. Artistas preferidos: Led Zeppelin (o favorito), Rush, Pink Floyd, AC/DC, Iron Maiden, Judas Priest e Jethro Tull. Também curto bastante The Band, Deep Purple, Van Halen, Metallica, Mountain, Eric Clapton, Helloween, Blind Guardian, Rolling Stones, The Who, Aerosmith, Beatles, Crosby, Stills & Nash. De rock nacional cito O Terço, Legião Urbana, Mutantes, Engenheiros do Hawaii e Titãs.

Quantos discos você tem em sua coleção?

Cerca de 900 CDs. Tenho uns 10 discos de vinil sobreviventes, da época em que fui vendendo ou trocando e comprando tudo em CD. Tenho também uns 250 DVDs e Blu-rays de shows, e vários livros sobre rock.

Quando você começou a colecionar discos?

Comecei a ouvir rock em 1988, mas colecionar mesmo foi lá pelo começo dos anos 2000, quando comecei a ter mais grana para gastar.

Você lembra qual foi o seu primeiro disco? Ainda o tem em sua coleção?

Meus primeiros CDs foram do Led Zeppelin. Já tinha toda obra deles em vinil e gravada em K7, e o primeiro que comprei em CD foi o Physical Graffiti.


Quando caiu a ficha e você percebeu que não era só um ouvinte de música, mas sim um colecionador de discos?

Foi quando começou a me dar vontade de ter toda a obra de bandas e artistas de que gostava. Só uma coletânea ou só baixar músicas não me satisfazia. Para algumas bandas o basicão The Best Of até que é suficiente, mas para aquelas que realmente curto, só tendo tudo mesmo!

Como você organiza a sua coleção? Por ordem alfabética, de gêneros ou usa algum outro critério? 

Organizo por ordem alfabética, e depois por ordem cronológica de lançamento dos discos. Os que ainda não ouvi com o tempo merecido eu deixo separados em várias sacolas plásticas (aquelas que as lojas dão quando se compra o CD). À medida que vou ouvindo, vou guardando na ordem mencionada.

Onde você guarda a sua coleção? Foi preciso construir um móvel exclusivo pra guardar tudo, ou você conseguiu resolver com estantes mesmo? 

A grande maioria não fica no meu apartamento, por falta de espaço. O que está em ordem eu guardo em um armário, e os que estão nas sacolas ficam em várias prateleiras.


Que dica de conservação você dá para quem também coleciona discos? 

Os que estão organizados estão dentro do armário, longe de poeira, pó, a uma temperatura que não prejudica os CDs. Já os outros estão acondicionados nas sacolas, também protegidos. Caso eu veja que o disco está sujo, com alguma marca, limpo com uma flanela.

Você já ouviu tudo que tem? Consegue ouvir os títulos que tem em sua coleção frequentemente?

Como todo colecionador de discos, livros, revistas, tenho vários que ainda não ouvi com aquela atenção especial que eu gosto de dispensar. Gosto de ouvir cada faixa, de "pegar o espírito" de cada música do disco. Às vezes tu tem que ouvir a música umas 3 ou 4 vezes para absorver e gostar, curtir (especialmente aquelas com 10, 15 minutos...). Às vezes antes de ir em um show eu pego todos os CDs que tenho daquela banda e ouço. Ou então quando me reúno com amigos e levo alguns discos para uma "audio session". Tenho um grupo fiel, e nos encontramos frequentemente para as reuniões "rocker". Todos gostariam que as reuniões fossem mais seguidas, mas é difícil de conseguir conciliar trabalho, família, férias, viagens, etc.

Qual o seu gênero musical favorito e a sua banda preferida?

Hard rock do final dos anos 1960, começo dos 1970. E, naturalmente, minha banda preferida é o Led Zeppelin.


De qual banda você tem mais itens em sua coleção? 

Rush e Deep Purple tenho mais de 30 itens. De Led, Jethro Tull e Iron Maiden tenho entre 25 e 30 títulos. De Judas Priest, Helloween, Stones e Eric Clapton, cerca de 20 cada. 

Quais são os itens mais raros, e também aqueles que você mais gosta, na sua coleção?

Alguns bootlegs do Led, como Led Zeppelin Live In Dallas 1975, Straitjacket de 1980 e Led Zeppelin The Cover Versions; The Who-Quadrophenia edição deluxe; Rush - Bad Boys In Cleveland (Bootleg); Captain Beyond (o primeiro); Trapeze - Medusa; The Zombies - Odessey And Oracle; Beck, Bogart & Appice. Também gosto bastante do  AC/DC Live duplo (que vem com uma cédula de dinheiro), Deep Purple Live in London e Jethro Tull - Heavy Horses. 

Você é daqueles que precisa ter várias versões do mesmo disco em seu acervo, ou se contenta em completar as discografias das bandas que mais curte?

Não sou aquele que compra qualquer coisa da banda: discos iguais, mas lançados em países diferentes com um detalhezinho diferente na capa, ou discos só com entrevistas com a banda, isso não me interessa. Estou comprando as reedições deluxe dos álbuns do Led agora porque todas têm material inédito, em CDs duplos ou triplos. Mas várias versões da mesma coisa não é comigo.


Além de discos (CDs, LPs), você possui alguma outra coleção?

Desde criança sempre gostei de colecionar, desde álbuns de figurinhas (que volta e meia ainda faço, agora com meu filho) até gibis. Tenho a coleção completa dos gibis da Marvel lançados pela editora abril entre 1979 e 1988.

Em uma época como essa, onde as lojas de discos estão em extinção, como você faz para comprar discos? Ainda frequenta alguma loja física ou é tudo pela internet?

Infelizmente, em Porto Alegre, onde trabalho, várias lojas de discos fecharam nos últimos anos. Resido em São Leopoldo, a 30 km de Poa. Em Novo Hamburgo, cidade vizinha, existem duas lojas que frequento: a Jam Sons Raros e a Hocus Pocus. Gosto de frequentar lojas físicas, mas também compro bastante pela internet. As lojas da Galeria do Rock em SP são as minhas preferidas (Paranoid, So What!, Die Hard, Volumen Brutal), e às vezes dou uma olhada nas grandes redes (Saraiva, Cultura, Submarino, Extra). Também já comprei vários CDs em Buenos Aires e Montevidéu (cerca de uma centena) nas vezes em que viajei para lá.

Que loja de discos você indica para os nossos leitores?

Para comprar via internet, indicaria a Paranoid. O acervo é bem grande. E para quem gosta de som mais extremo, tem muita coisa. Mas também tem bastante material de vários gêneros de rock. Para quem mora em Porto Alegre indicaria a Toca do Disco, do Rogério. E as duas lojas de Novo Hamburgo citadas antes.


Qual foi o lugar mais estranho em que você já comprou discos?

Uma loja de velas em Gramado, uma locadora de vídeo em Nova Petrópolis (perto de Gramado), uma loja R$ 1,99 em Estância Velha (região metropolitana de Porto Alegre).

O que as pessoas pensam da sua coleção de discos, já que vivemos um tempo em que o formato físico tem caído em desuso e a música migrou para o formato digital?

Os amigos que gostam de música valorizam e admiram, embora sempre exista algum comentário de que está tudo disponível na internet, Spotify, etc. Mas em geral as pessoas devem achar, no mínimo, excêntrico. Só que elas não falam nada para mim (risos).

Você se espelha em alguma outra coleção de discos, ou outro colecionador, para seguir com a sua? Alguém o inspira nessa jornada?

Não. Penso que sou diferente dos colecionadores mais aficionados, em que suas coleções são muito mais volumosas e às vezes concentradas em uma ou duas bandas. Não me considero um fanático. Gosto de garimpar e sou resistente à novidades. Prefiro mesmo o rock clássico. Para mim a melhor época da música é entre 1966 e 1976 (pré-punk). Sobre os anos 1990 e 2000, são pouquíssimos os artistas que me chamaram atenção.


Qual o valor cultural, e não apenas financeiro, que você vê em uma coleção de discos?

Assim como uma biblioteca, o valor agregado de conhecimento e cultura é muito significativo. Mas para mim não basta apenas comprar e colecionar. Tem que se aprofundar, realmente procurar aprender e conhecer a obra dos artistas. Esse é realmente o colecionador. Conheço gente que possui terabytes de músicas no HD do micro, milhares e milhares de bandas, mas que não conhece, não sabe nada sobre e nem ouviu 0,5% do que possui.

Vai chegar uma hora em que você vai dizer "pronto, tenho tudo o que queria e não preciso comprar mais discos", ou isso é uma utopia para um colecionador?

Não, não... é utopia. Sempre vai haver uma nova velha banda dos anos 60/70 que a gente descobre, sempre vai ter um relançamento com inéditas, material tirado do baú, gravações ao vivo nunca lançadas... Talvez isso acabe algum dia, mas vai demorar... e já vou ter ido desta para melhor até lá...


O que significa ser um colecionador de discos?

É onde gasto a maior parte dos meus momentos de lazer. É um mundo à parte. Uma terapia. Quando fico entre os discos, ouvindo, organizando, lendo os encartes, limpando, esqueço dos problemas. Música para mim é mais do que um hobby, um passatempo. Já enchi muito o saco de amigos e parentes querendo que ouvissem algum disco, ou vissem algum show. Hoje estou bem melhor, mas tenho umas recaídas.

Pra fechar: o que você está ouvindo e o que recomenda para os nossos leitores?

No momento estou ouvindo Sly & The Family Stone - The Woodstock Experience, CD duplo em que um deles é o Stand!, disco de estúdio, e o outro é a apresentação deles em Woodstock. Muita gente, inclusive artistas de renome, acham que o melhor show daquele festival foi o desse grupo. Indicaria algumas bandas não tão conhecidas, como Captain Beyond, Warhorse e Blodwyn Pig. Também tenho que indicar The Band, Mountain e, é claro, Led Zeppelin, pra aqueles que ainda não conhecem (existe alguém?!?).

Comentários

  1. Colecionador é sempre bem vindo ainda mais Gaúcho como eu!! Sou proprietário do blog Venenos do Rock e admiro e respeito todos os colecionadores e dissiminadores do rock...do bom e velho rock n roll! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Vou dar uma conferida no Venenos do Rock. Grande abraço!

      Excluir
  2. Beleza, Rafael. Conheço um pouco da tua coleção. Parabéns pela dedicação a algo tão legal. Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela coleção, Rafael!

    ResponderExcluir
  4. Rafa Rocker, meu amigo, maior conhecedor do assunto, parabéns!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Você pode, e deve, manifestar a sua opinião nos comentários. O debate com os leitores, a troca de ideias entre quem escreve e lê, é que torna o nosso trabalho gratificante e recompensador. Porém, assim como respeitamos opiniões diferentes, é vital que você respeite os pensamentos diferentes dos seus.