Review: The Steel Woods – Old News (2019)



A recente passagem do Blackberry Smoke pelo Brasil, com shows antológicos em Curitiba, Porto Alegre e São Paulo, intensificou uma questão que ocupa a minha menta há algum tempo: existem outras bandas de southern rock tão especiais quanto o grupo do vocalista e guitarrista Charlie Starr? Quais são as novas forças do gênero que deu ao mundo ícones eternos como Lynyrd Skynyrd, Allman Brothers e toda uma geração de bandas incríveis?

A resposta para essa pergunta é uma só: pesquisa. Aproveitar a facilidade de dezenas de sites mundo afora, mergulhar no acervo dos serviços de streaming e desbravar um mar de novos sons à procura daqueles que fazem o ouvido brilhar. A primeira resposta veio logo após a descoberta do Blackberry Smoke, na forma do Whiskey Myers. Porém, era preciso mais para preencher um campo tão vasto quanto o rock sulista. Felizmente, outra pedra brilhante surgiu pelo caminho, e ela atende pelo nome de The Steel Woods.

A banda foi formada em Nashville pelo vocalista e guitarrista Wes Bayliss e o guitarrista Jason Cope, ambos músicos de estúdio com rodagem. O baixista Johnny Stanton e o baterista Jay Tooke se juntaram à dupla, e a história começou. O quarteto lançou o seu primeiro disco, Straw in the Wind, em 2017, e soltou este ano o sucessor, Old News.

O som do The Steel Woods é um southern rock clássico e com todas as características principais do gênero, incluindo a bem-vinda aproximação com o country e com o blues. As canções falam sobre o orgulho de ser um cidadão norte-americano e exploram aspectos da cultura do país, sempre cantadas com aquele vocal anasalado e carregado de sotaque. As guitarras conduzem tudo, intercaladas por violões e pedal steels, tudo amarrado por melodias, arranjos invariavelmente crescentes e harmonias deliciosas.

Old News traz quinze faixas, sendo que seis delas são versões para composições de ídolos da banda (e do ouvinte também): “Changes” do Black Sabbath (“Hole in the Sky”, também da banda inglesa, foi gravado no primeiro disco), “The Catfish Song” de Townes Van Zandt, “One of These Days” da Wayne Mills Band, “Are the Good Times Really Over (I Wish a Buck Was Still Silver)” de Merle Haggard, “Whipping Post” da The Allman Brothers Band e “Southern Accent” de Tom Petty. Apesar do número aparentemente elevado, essas versões casam perfeitamente com o contexto do disco e não soam forçadas e nem desnecessárias.

Mas é claro que a força do álbum está nas composições da própria banda, como não poderia deixar de ser. Músicas como “All of Those Years”, “Blind Lover”, “Compared to a Soul”, “Anna Lee”, “Rock That Says My Name” e a faixa título mostram uma banda com identidade própria, e mais importante: extremamente madura em seu segundo disco, pronta para alcançar um público muito maior e com potencial de crescimento enorme nos próximos anos.

Se você é fã de southern rock e quer uma banda para andar de mãos dadas com o Blackberry Smoke em seu coração, o The Steel Woods tem tudo para preencher essa lacuna.

Comentários