Review: Annihilator – Ballistic, Sadistic (2020)


O Annhilator sempre foi uma banda idolatrada dentro da cena thrash metal. Muito desse respeito vem dos discos iniciais dos canadenses, principalmente da dobradinha Alice in Hell (1989) e Never, Neverland (1990). No entanto, inúmeras mudanças de formação e a centralização das decisões no guitarrista e vocalista Jeff Waters fizeram com que a banda construísse uma carreira irregular, alternando ótimos discos e trabalhos esquecíveis.

 

Décimo-sétimo CD do Annihilator, Ballistic, Sadistic foi lançado em janeiro e é um dos mais fortes álbuns da turma de Waters. O disco ganhou edição nacional pela Hellion Records e traz dez músicas espalhadas em 45 minutos de thrash até os dentes. A profusão de riffs característica de Jeff Waters, bem como o seu apuro instrumental, estão presentes, como não poderia deixar de ser. Um dos pontos de maior destaque de Ballistic, Sadistic são os vocais, com Waters cantando de forma excelente, agressiva e violenta, porém sempre acessível. As faixas tem no groove um de seus principais elementos, com bumbos duplos e malabarismos de baixo salientes.

 

Aclamado pelos fãs como um retorno do Annihilator aos seus melhores momentos, Ballistic, Sadistic é um deleite para os apreciadores de um thrash metal moderno e agressivo, mas ao mesmo tempo agradável de ouvir. A produção valoriza as canções, que contam com momentos realmente elogiáveis como “Armed to the Teeth”, “Out With the Garbage” e “I Am Warfare”.

 

Um belo disco de thrash, perfeito pra ouvir no volume máximo!


Comentários