1 de jul de 2017

Álbum ao vivo do Dokken ganha reedição

sábado, julho 01, 2017

Lançado originalmente em novembro de 1988, o ao vivo Beast from the East ganhará uma nova edição. O disco foi gravado no Japão durante a turnê do quarto álbum do Dokken, Back for the Attack (1987).

A nova versão está sendo chegando via Rock Candy Records e vem em um CD duplo com 17 faixas (o mesmo número da edição original em vinil), ao contrário da versão anterior em CD, que tinha apenas 14 músicas. O áudio foi totalmente remasterizado e o disco vem com um encarte de dezesseis páginas contendo textos, entrevistas, fotos e outras informações.

Vocalista do Agnostic Front escreve livro sobre a história da banda

sábado, julho 01, 2017

My Riot: Agnostic Front, Grit, Guts & Glory, livro que conta a história do Agnostic Front, chegará às livrarias dos Estados Unidos dia 29 de agosto. 


A obra foi escrita pelo frontman da banda nova-iorquina, Roger Miret, junto com o jornalista Jon Wiederhorn, autor de Barulho Infernal (Louder Than Hell: The Definitive Oral History of Metal).


Miret conta as suas memórias e revela toda a trajetória de uma das bandas mais importantes e influentes do punk e hardcore norte-americanos.


Ainda não há previsão de lançamento do livro aqui no Brasil.



Novo clipe de Neil Young

sábado, julho 01, 2017

Neil Young soltou uma nova música. "Children of Destiny"  foi gravada com a banda Promise of the Real e ganhou um clipe super patriótico, enaltecendo os Estados Unidos (só pra lembrar, Neil é canadense, apesar de viver no país há décadas).

A música é uma parceria de Young com o produtor Niko Bolas, com quem o guitarrista trabalhou nos discos This Note´s for You (1988), Freedom (1989) e Living With War (2006).


Achei bem fraquinha, mas você pode assistir abaixo e mudar de opinião:


Cinebiografia do The Smiths ganha primeiro trailer

sábado, julho 01, 2017

England is Mine, cinebiografia que conta a trajetória do seminal The Smiths, ganhou o seu primeiro trailer.

Dirigido por Mark Gill, o filme foca nos anos de juventuda de Morrissey em Manchester, quando o vocalista estava conhecendo os seus futuros companheiros de banda. Jack Lowden interpreta Morrissey.


A obra estreia neste domingo, 02/07, no Festival Internacional de Cinema de Edimburgo, e chega aos cinemas ingleses dia 4 de agosto. Por aqui, sem previsão.


Assista ao trailer abaixo:


Os dez discos de metal favoritos de George Clarke, vocalista do Deafheaven

sábado, julho 01, 2017

O frontman do Deafheaven foi o novo participante da série de posts da Rolling Stone sobre os melhores discos de heavy metal de todos os tempos.

A matéria original, em inglês, pode ser lida aqui.

E abaixo está o top 10 do metal segundo Clarke:

1 Burzum - Filosofem (1996)
2 ColdWork - Melancholie2 (2008)
3 Iron Maiden - Powerslave (1984)
4 Leviathan - The Tenth Sub Level of Suicide (2003)
5 Metallica - Master of Puppets (1986)
6 Morbid Angel - Gateways to Annihilation (2000)
7 Pantera - Far Beyond Driven (1994)
8 Sepultura - Arise (1991)
9 Slayer - Hell Awaits (1985)
10 Weakling - Dead as Dreams (2000)

Adele cancela shows em Wembley por problemas nas cordas vocais

sábado, julho 01, 2017

Os shows que Adele faria no estádio de Wembley, em Londres, neste sábado e domingo, foram cancelados. 

A cantora fez o anúncio na noite desta sexta, 30/06, através de uma mensagem bastante sincera.

Não há informações, ainda, sobre shows futuros, já que a artista sinalizou que precisa de um descanso para recuperar a voz e focar em assuntos pessoais.

Leia abaixo o texto publicado por Adele em suas redes sociais:



Marty Friedman divulga mais uma música de seu novo disco

sábado, julho 01, 2017

O guitarrista, ex-Megadeth, lançará o seu novo álbum dia 4 de agosto. Com o título de Wall of Sound, o disco foi foi produzido pelo próprio músico ao lado do engenheiro de som Paul Fig (Rush, Alice in Chains, Ghost) e mixado por Jens Bogren (Sepultura, Kreator, Opeth).

"Whiteworm", nova faixa de Marty Friedman, pode ser ouvida abaixo:


Ouça "Wrestle the Devil", nova música do Edguy

sábado, julho 01, 2017

A banda alemã Edguy divulgou o lyric video de "Wrestle the Devil", faixa inédita que está em Monuments, compilação que será lançada dia 14 de julho pela Nuclear Blast.

A música tem a pegada tradicional do grupo, equilibrando elementos de hard rock e power metal, e deve agradar bastante aos fãs.


Assista abaixo:


30 de jun de 2017

Review: Stone Sour - Hydrograd (2017)

sexta-feira, junho 30, 2017

Os dois últimos discos do Stone Sour colocaram a banda em um outro patamar. A dobradinha House of Gold & Bones teve a primeira parte lançada em 2012 e a segundo em 2013, e apresentou o auge criativo do grupo de Corey Taylor. Com canções fortes e inúmeros singles, alavancaram o Stone Sour para um ponto até então inédito em sua carreira.

Quatro anos mais tarde, temos Hydrograd. O sexto trabalho do quinteto acaba de ser lançado e vem com força para conquistar mais corações e mentes. Produzido por Jay Ruston, o disco marca a estreia do guitarrista Christian Martucci e do baixista Johnny Chow,que assumiram os postos de Jim Root (parceiro de Corey no Slipknot) e Rachel Bolan (aquele mesmo do Skid Row).

Hydrograd vem com nada mais nada menos do que quinze faixas, totalizando mais de 65 minutos de música. E traz a banda indo por dois caminhos: refinando a sua mistura cada vez mais bem feita de metal com hard rock, mas também experimentando novas sonoridades. O que chama a atenção de saída é o derramamento constante de riffs, com as guitarras fazendo um excelente trabalho - Josh Rand é o parceiro de Martucci. Taylor segue com a capacidade intacta de equilibrar agressividade com acessibilidade, entregando linhas cheias de melodia e mostrando o quão versátil é a sua voz.

Temos desde porradas como “Knievel Has Landed” e “Whiplash Pants”, que mostram a pegada violenta da banda e aproximam o som do universo do Slipknot, até o outro lado da moeda, com canções fortes e que cativam de imediato como “Song #3”, “Fabuless" e a faixa-título. Aliás, esse trio talvez seja o ponto mais forte do disco, com uma sequência que demonstra o alto grau de inspiração do grupo.

No que tange às experimentações, a que mais chama a atenção é o flerte com o country e o southern rock na bela “St. Marie”, cheia de melancolia e inegavelmente desde já uma das grandes canções da carreira do quinteto.

Em diversos aspectos, o Stone Sour intensifica a sensação que ficou com os dois volumes de House of Gold & Bones: a banda é, hoje, muito mais interessante do que o próprio Slipknot. A variedade de sonoridades exploradas abre a gama de opções e oferece mais diversidade musical não apenas para os ouvintes, mas principalmente para os músicos. Corey Taylor é, como todo mundo sabe, um vocalista muito acima de média, e ao cantar sem os guturais habituais de seu bando de mascarados mostra mais uma vez a qualidade de sua voz. Outro que merece destaque é o baterista Roy Mayorga, com batidas precisas e a inserção constante de viradas que alteram a dinâmica das faixas.

Um ponto que depõe um pouco contra o disco é a sua duração excessiva. Um foco um pouco maior, com algumas faixas a menos, deixaria o trabalho ainda mais eficiente. Apesar de que, após quatro anos sem material inédito - com exceção dos dois EPs de covers lançados em 2015 -, duvido que algum fã irá reclamar disso.

Hydrograd segue mantendo o Stone Sour na ascendente. Ainda que inferior aos dois discos anteriores, é um dos trabalhos mais fortes e maduros da banda e, sem dúvida, um dos principais álbuns de música pesada do ano.

Aberta investigação para apurar possível fraude na venda de ingressos para os shows do U2 em São Paulo

sexta-feira, junho 30, 2017

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça abriu uma investigação contra a Tickets For Fun para aferir os problemas ocorridos na venda online dos ingressos para os shows que o U2 realizará no Brasil em outubro.

Milhares de usuários reclamaram que os ingressos que estavam sendo vendidos não foram disponibilizados para o público. Há suspeita de fraude porque o sistema simplesmente não funcionava, com as pessoas passando horas em uma fila virtual que não levava a lugar nenhum. Além disso, os ingressos destinados às pessoas com deficiência também tiveram a sua venda dificultada pela empresa. Em suma, o que se suspeita é que houve oferta de ingressos sem a efetiva disponibilização para a venda.

A Tickets For Fun tem um prazo de dez dias para responder, após ser notificada.

Quem acompanha os eventos realizados pela TFF sabe que os problemas enfrentados para a compra de ingressos não aconteceram somente neste caso do U2. É notória a dificuldade para adquirir entradas acessando o site da empresa, que sempre apresentou este problema, o que levanta a dúvida de que a possível fraude que pode ter ocorrido na venda dos ingressos para os shows da banda irlandesa não é um caso isolado, mas sim uma prática comum da Tickets For Fun. 

A investigação deve responder a essa pergunta - pelo menos, esperamos que sim.

The Smashing Pumpkins está planejando reunião de sua formação clássica

sexta-feira, junho 30, 2017

Bomba! Jimmy Chamberlain, baterista da formação clássica do The Smashing Pumpkins, revelou que ele e Billy Corgan estão conversando para reunir o line-up original da banda norte-americana. 

O baterista contou que a dupla está negociando com a baixista D’Arcy Wretzky e com o guitarrista James Ilha para a realização de uma turnê em 2018.

Segundo Chamberlain: “Musicalmente, nunca estivemos em desacordo. Desde 1988, não acho que Billy e eu tenhamos discutido por algo relacionado à música. Nossa relação musical segue intacta”.

O quarteto Corgan, Ilha, D’Arcy e Chamberlain foi responsável pelos melhores álbuns do The Smashing Pumpkins, incluindo o clássico Mellon Collie and the Infinite Sadness, lançado em outubro de 1995 e um dos melhores discos daquela década.



Metal Hammer escolhe os 50 melhores discos de metal lançados no primeiro semestre

sexta-feira, junho 30, 2017

A Metal Hammer passou o primeiro semestre do ano a limpo e elaborou uma lista com aqueles que julgou serem os 50 melhores discos de heavy metal lançados em 2017 até agora.

A matéria original, com comentários sobre cada um dos títulos, está aqui.

Como sempre, o foco passa por muitas bandas que são ignoradas pela imprensa brasileira especializada em metal, então as escolhas servem como um ótimo garimpo para sangrar os ouvidos.

Estes são os 50 melhores álbuns de metal de 2017 segundo a Metal Hammer, até o momento e em ordem alfabética:

AFI - AFI (The Blood Album)
Anathema - The Optmist
Avatarium - Hurricanes and Halos
Aversions Crown - Xenocide
Barrabus - Barrabus
Bathsheba - Servus
Battle Beast - Bringer of Pain
Blood Command - Cult Drugs
Body Count - Bloodlust
Code Orange - Forever
Creeper - Eternity, In Your Arms
Danko Jones - Wild Cat
Darkest Hour - Godless Prophets & The Migrant Flora
Devilskin - Be Like the River
Disperse - Foreword
Dool - Here Now, There Then
Dragonforce - Reaching to Infinity
Employed to Serve - The Warmth of a Dying Sun
Fen - Winter
Full of Hell - Trumpeting Ecstasy
Goatwhore - Vengeful Ascension
Horisont - About Time
Iced Earth - Incorruptible
In Reverence - The Selected Breed
Junius - Eternal Rituals for the Accretion of Light
Kreator - Gods of Violence
Lock Up - Demonization
Malevolence - Self Supremacy
Mastodon - Emperor of Sand
Memoriam - For the Fallen
Mutoid Man - War Moans
Obelyskkh - The Providence
Ohhms - The Fool
Overkill - The Grinding Wheel
Oxbow - Thin Black Duke
Pallbearer - Heartless
Royal Thunder - Wick
Sikth - The Future in Whose Eyes?
Sólstafir - Berdreyminn
Sunlight’s Bane - The Blackest Volume: Like All the Earth Was Buried
The Great Old Ones - EOD: A Tale of Dark Legacy
The Ruins of Beverast - Exuvia
Trollfest - Helluva
Ulsect - Ulsect
Vallenfyre - Fear Those Who Fear Him
Völur - Ancestors
Voyager - Ghost Mile
Wear Your Wounds - WYM
Wednesday 13 - Condolences
While She Sleeps - You Are We

Os 50 melhores discos de 2017 até agora, segundo a Classic Rock Magazine

sexta-feira, junho 30, 2017

Fechando o primeiro semestre do ano, a revista inglesa Classic Rock publicou uma lista com aqueles que são, na sua opinião, os 50 melhores discos de 2017 até agora.

A matéria, com breves textos sobre cada uma das escolhas, pode ser lida aqui.

E uma dica: como sempre, tem coisas boas pra caramba e que costumam passar totalmente batidas aqui pelo Brasil.

Abaixo está o top 50 da Classic Rock, em ordem alfabética:

Aaron Buchanan and The Cult Classics - The Man with the Stars on His Knees
Aaron Keylock - Cut Against the Grain
All Them Witches - Sleeping Through the War
Anathema - The Optimist
Bash & Pop - Anything Could Happen
Benjamin Brooker - Witness
Beth Blade & The Beautiful Disasters - Bad Habit
Big Big Train - Grimspound
Biters - The Future Ain’t What It Used to Be
Black Star Rides - Heavy Fire
Cheap Trick - We’re All Alright
Chuck Berry - Chuck
Deep Purple - InFinite
Dragonforce - Reaching Into Affinity
faUSt - Fresh Air
Goldray - Rising
Gov’t Mule - Revolution Come … Revolution Go
Hawkwind - Into the Woods
Hunter & The Bear - Paper Heart
Inglorious - II
Jah Wobble & The Invaders of the Heart - The Usual Suspects
Jim Jones & The Righteous Mind - Super Natural
Low Cut Connie - Dirty Pictures (Part 1)
Mark Lanegan Band - Gargoyle
Mastodon - Emperor of Sand
Night Ranger - Don’t Let Up
Paul Weller - A Kind Revolution
Pond - The Weather
Pride of Lions - Fearless
Procol Harum - Novum
Rainbow - Live in Birmingham 2016
Ray Davies - Americana
Roger Waters - Is This the Life We Really Want?
Royal Blood - How Did We Get So Dark?
Royal Thunder - Wick
Sepultura - Machine Messiah
Sharks - Killers of the Deep
Sheryl Crow - Be Myself
Steel Panther - Lower the Bar
Steve Hackett - The Night Siren
Styx - The Mission
The Afghan Whigs - In Spades
The Black Angels - Death Song
The Chris Robinson Brotherhood - Betty’s Blend’s Volume 3: Self-Rising Southern Blends
The Flaming Lips - Oczy Mlody
The Magpie Salute - The Magpie Salute
The Picturebooks - Home is a Heartache
The Weeks - Easy
Thunder - Rip It Up
Todd Rundgren - White Knight

Minha Coleção: conheça Cláudio Costa e seus mais de 400 itens do Kiss

sexta-feira, junho 30, 2017

Quantos discos você tem em sua coleção?

Devo ter por volta de uns 1.000.

Quando você começou a colecionar discos?

Desde 1983, quando comecei a gostar de rock.

Você lembra qual foi o seu primeiro disco? Ainda o tem em sua coleção?

O primeiro foi o LP Dynasty, do Kiss. Não tenho mais, por que peguei o importado que vinha com pôster.

Quando caiu a ficha e você percebeu que não era só um ouvinte de música, mas sim um colecionador de discos?

Assim que eu comecei, no inicio dos anos 1980, a gostar de hard rock e heavy metal.




Como você organiza a sua coleção? Por ordem alfabética, de gêneros ou usa algum outro critério?

Eu organizo por gêneros, ordem alfabética e cronológica. Mas os discos do Kiss estão organizados separadamente.

Onde você guarda a sua coleção? Foi preciso construir um móvel exclusivo pra guardar tudo, ou você conseguiu resolver com estantes mesmo?

Eu tenho duas estantes. Uma eu guardo os CDs e LPs, e outra os VHS, DVDs e Blu-rays.

Que dica de conservação você dá para quem também coleciona discos?

Proteger sempre com os plásticos específicos para CDs e LPs, assim evita poeira, mofo e arranhões.




Você já ouviu tudo que tem? Consegue ouvir os títulos que tem em sua coleção frequentemente?

Sim, já ouvi tudo que tenho. Nem sempre consigo ouvir tudo, às vezes fico sem ouvir um bom tempo alguns títulos.

Qual o seu gênero musical favorito e a sua banda preferida?

Gosto muito de classic rock, hard rock, heavy metal tradicional e AOR.

De qual banda você tem mais itens em sua coleção?

Sem dúvidas é o Kiss. Tenho 170 LPs (incluindo bootlegs e singles), 180 CDs (também entre boots e singles), 21 fitas K7 e 32 DVDs.




Quais são os itens mais raros, e também aqueles que você mais gosta, na sua coleção?

Para mim é a caixa japonesa de LPs The Originals: 1974-1979 do Kiss, além de autógrafos da banda original no KISSTORY e o LP do Kiss Kruise V, autografado pela banda atual.

Você é daqueles que precisa ter várias versões do mesmo disco em seu acervo, ou se contenta em completar as discografias das bandas que mais curte?

Em relação ao Kiss, sim, mas com as outras bandas não.

Além de discos (CDs, LPs), você possui alguma outra coleção?

Gosto muito de colecionar camisetas, tour books e livros relacionados ao Kiss.

Em uma época como essa, onde as lojas de discos estão em extinção, como você faz para comprar discos? Ainda frequente alguma loja física ou é tudo pela internet?

Eu prefiro ainda comprar em lojas físicas, de vez em quando compro pela internet. Frequento muito as lojas Headbanger e Sempre Música, ambas aqui no Rio.




Que loja de discos você indica para os nossos leitores? 

Indico a Headbanger, Tropicália e Sempre Música, todas localizadas no Rio de Janeiro.

O que as pessoas pensam da sua coleção de discos, já que vivemos um tempo em que o formato físico tem caído em desuso e a música migrou para o formato digital?

Meus pais acham que sou louco por gastar tanto dinheiro nisso, já a grande maioria dos meus amigos acha bacana e elogia o meu acervo.

Você se espelha em alguma outra coleção de discos, ou outro colecionador, para seguir com a sua? Alguém o inspira nessa jornada?

Não me espelho em ninguém. Às vezes pego algumas dicas com meus amigos.

Qual o valor cultural, e não apenas financeiro, que você vê em uma coleção de discos?

Para mim, meus discos são como filhos. O valor cultural é saber valorizar as grandes bandas e músicos.



Vai chegar uma hora em que você vai dizer "pronto, tenho tudo o que queria e não preciso comprar mais discos", ou isso é uma utopia para um colecionador?

Não sei, mas dizer que já tenho tudo que eu queria é mentira, sempre vai ter alguma coisa que vai te interessar.

O que significa ser um colecionador de discos?

É se dedicar a ter o máximo da obra dos artistas que você mais gosta e procurar sempre por raridades.

Qual o papel da música na sua vida?

Fundamental! Não vivo sem música! Desde que comecei há 34 anos atrás, se tornou indissociável da minha vida!

Dave Murray fala: esta não é a última turnê do Iron Maiden e a banda trará surpresas para os fãs em 2018

sexta-feira, junho 30, 2017

Conversando com o The Press Enterprise, o único integrante a estar em todos os discos do Iron Maiden ao lado de Steve Harris, Dave Murray, falou sobre o futuro da lendária banda inglesa.

Nas palavras de Dave: “Não vamos parar depois dessa turnê. Ela não será a última. Vamos descansar quando ela acabar, e no próximo ano haverá algumas surpresas. Quando você faz algo que ama, tudo segue sendo fantástico mesmo depois de todo esse tempo. Obviamente, ao perceber a reação do público nos nossos shows, isso nos dá um grande impulso. Eles estão cantando as novas e as velhas músicas do mesmo jeito. Se fosse para tudo terminar amanhã, acho que poderia dizer de maneira muito honesta que me sinto muito feliz e sortudo. Fiz de tudo e gostei da maior parte, por causa de todos os lugares que visitamos e que eu nunca iria conhecer se não estivesse em uma banda. Nós temos a sorte suficiente para ver o mundo várias vezes em nossas turnês. Isso, em si, tem sido uma ótima experiência. Ainda há coisas para fazer no futuro, então você continua inventando novidades todos os dias."

Ouça “Permanating”, mais uma música do novo disco de Steven Wilson

sexta-feira, junho 30, 2017

Principal referência do rock progressivo contemporâneo, o inglês Steven Wilson divulgou mais uma música de seu novo disco, To the Bone, que será lançado dia 18 de agosto pela Caroline International.

“Permanating” é, segundo o próprio Wilson, a união entre o ABBA e a Electric Light Orchestra e destoa do restante do álbum.

Deliciosamente pop, a canção por ser ouvida abaixo:

29 de jun de 2017

Review: Doris Encrenqueira - Doris Encrenqueira (2017)

quinta-feira, junho 29, 2017

E Porto Alegre nos traz mais uma boa novidade. O quarteto Doris Encrenqueira acaba de lançar o seu primeiro disco pelo Selo 180 em um belo CD didipak, e acerta no alvo ao entregar um rock and roll sem pudor, dó e nem frescura.

O grupo liberou um EP em 2015 e retorna mais madura neste primeiro álbum. O que temos é um rock direto, calcado em riffs e cantado em português. Com produção da banda ao lado de Sebastian Carsin e Fábio Jardim, o disco vem com dez faixas inéditas.

Divertido e urgente, o auto-intitulado primeiro CD do Doris Encrenqueira traz influências de nomes como AC/DC, Van Halen dos primeiros anos, Guns N’ Roses, uns quês de Velhas Virgens e até uns ecos de nomes clássicos do rock brazuca como Made in Brazil. A banda é pródiga na construção de faixas eficientes e repletas de ganchos melódicos que conduzem a refrãos certeiros, o que faz a música descer redondo pelo ouvido.


Em termos de estilo, daria para classificar o som como um hard rock com a pegada mais festeira do gênero, meio que na linha do The Darkness e da cena californiana, porém com uma pegada menos pomposa e muito mais agressiva e punk, por assim dizer.

Resumindo: um bom disco que mostra que o rock brasileiro segue gerando boas bandas. Vale a pena conferir o trabalho dos gaúchos!




Os 50 melhores discos de 2017 até agora, segundo o Stereogum

quinta-feira, junho 29, 2017

O Stereogum passou 2017 a limpo e listou os 50 melhores discos lançados no primeiro semestre.

A matéria original, com textos sobre cada um dos títulos, pode ser lida aqui.

E a lista, com dicas que podem ter passado batido pelos ouvidos, está abaixo:

50 Strand of Oaks - Hard Love
49 The New Pornographers - Whiteout Conditions
48 Spencer Radcliffe & Everybody Else - Enjoy the Great Outdoors
47 Tonstartssbandth - Sorcerer
46 Blanck Mass - World Eater
45 Arca - Arca
44 Fleet Foxes - Crack-Up
43 G Perico - All Blue
42 The Mountain Goats - Goths
41 Future Islands - The Far Field
40 TOPS - Sugar at the Gate
39 Palehound - A Place I’ll Always Go
38 Tara Jane O’Neil - Tara Jane O’Neil
37 Spoon - Hot Thoughts
36 Jason Isbell and The 400 Unit - The Nashville Sound
35 Jlin - Black Origami
34 Bedouine - Bedouine
33 Paramore - After Laughter
32 Forest Swords - Compassion
31 Japandroids - Near to the Wild Heart of Life
30 Fred Thomas - Changer
29 Vagabon - Infinite Worlds
28 Sampha - Process
27 Kreator - Gods of Violence
26 The Menzingers - After the Party
25 Thundercat - Drunk
24 Hundredth - RARE
23 Syd - Fin
22 Girlpool - Powerplant
21 Juana Molina - Halo
20 Guerilla Toss - GT Ultra
19 Feist - Pleasure
18 Dirty Projectors - Dirty Projectors
17 Drake - More Life
16 Migos - Culture
15 Roc Marciano - Rosebudd’s Revenge
14 Jay Som - Everybody Works
13 (Sandy) Alex G - Rocket
12 Pallbearer - Heartless
11 Julie Byrne - Not Even Happiness
10 Father John Misty - Pure Comedy
9 Elder - Reflections of a Floating World
8 Allison Crutchfield - Tourist in This Town
7 Sorority Noise - You’re Not As, As You Think
6 Priests - Nothing Feels Natural
5 Mount Eerie - A Crow Looked At Me
4 Perfume Genius - No Shape
3 Charly Bliss - Guppy
2 Slowdive - Slowdive
1 Kendrick Lamar - Damn


ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE