Top 2013 Collectors Room: os melhores do ano na opinião de Thiago Cardim

Como fazemos todos os anos, convidamos vários jornalistas e blogueiros de todo o Brasil para participarem do Top 2013 da Collectors Room. A partir de hoje, publicaremos as listas de cada um deles, construindo um painel heterogêneo do que de melhor aconteceu na música durante todo o ano. Você conhecerá as escolhas de pessoas ligadas aos mais variados gêneros, formando assim uma visão ampla e sem preconceitos sobre os sons que marcaram 2013.

Este ano, as coisas serão um pouco diferentes de 2012. Não teremos várias categorias como no ano passado. Nossos convidados listarão apenas aqueles que julgaram como os melhores discos do ano. Porém, nossa equipe irá um pouco mais além, com mais algumas categorias em suas listas.

No final de tudo, somaremos todos os votos dos participantes e aplicaremos uma metodologia para definir quais foram, na opinião da Collectors Room e de todos os participantes do nosso Top 2013, os melhores discos do ano.

Esperamos que vocês curtam essa saga de posts que publicaremos a partir de hoje, e que também compartilhem conosco as suas escolhas e opiniões sobre a música de 2013. E, claro, lembrem-se sempre: as listas mostram as escolhas pessoais de cada um dos participantes, que certamente serão diferentes das suas. Portanto, na hora de comentar cada uma delas, concorde ou discorde mantendo sempre o respeito.

Quem dá o pontapé inicial nessa grande e divertida brincadeira é o nosso colaborador Thiago Cardim. Pra quem não sabe, o Thiago, além de fazer parte da Collectors, também edita o Judão Música, escreve para o Whiplash e mantém o Observatório Nerd, que pode ser consumido em formato blog e Tumblr.

Somos todos tarados por listas como o personagem Rob Fleming, do livro Alta Fidelidade, do escritor inglês Nick Hornby. Acreditamos que você também seja, então vamos nessa juntos?


David Bowie - The Next Day

Indispensável. Se fosse necessário escolher um único adjetivo para definir o disco, seria este. Ouça sem moderação.


Black Sabbath - 13

Estes senhores britânicos não vieram dispostos a fazer uma mera cópia de seu passado – vieram, isso sim, provar que continuam sendo relevantes para o cenário da música pesada. E provaram.


Daft Punk - Random Access Memories

Delicioso disco retrô, que dialoga com os anos 1970 e 1980 e torna este novo trabalho um pouco mais acessível e, por que não dizer, pop. Genial e dançante ao mesmo tempo. :)


The Strokes - Comedown Machine

Pode se tratar de um susto para quem queria um novo Is This It. Mas é, de fato, uma grata surpresa para quem buscava boa música.


Queens of the Stone Age - ... Like Clockwork

Estamos diante de um álbum ao mesmo tempo muscular e envolvente, complexo mas repleto de harmonias que ajudam a torná-lo cool, cheio de estilo, único, gostoso de ouvir do início ao fim.


Paul McCartney - New

Uma surpresa mais do que grata, uma verdadeira aula de boa música pop. Paul não deixa o seu passado para trás. Só que isso não faz a obra chegar a soar como nostalgia pura e simples, essencialmente girando em volta do próprio umbigo.


The Winery Dogs - The Winery Dogs

Comendo pelas beiradas e desbancando muito medalhão, estes cães bêbados assumiram lugar definitivo na lista de melhores do ano. Uma das maiores surpresas do ano, daquelas que chega sem fazer muito barulho e te pega pelos calcanhares.


Rob Zombie - Venamous Rat Regeneration Vendor

Hellbilly Deluxe é a grande obra-prima da carreira de Rob Zombie pós-White Zombie. Venomous Rat Regeneration Vendor é, pelo menos até o momento, o seu melhor disco desde Hellbilly Deluxe. Diversão furiosa, na melhor acepção da expressão.


Sepultura - The Mediator Between Hands and Heart Must Be the Heart

Aqui tem o Sepultura de Chaos A.D.. Mas também tem o Sepultura de Roots. E muito mais. O Sepultura cria um ponto de ruptura perfeito. Aquele momento em que as viúvas dos Cavalera enfim vão abandonar o grupo. Ainda bem.


Nação Zumbi & Mundo Livre S/A - Embate do Século

Ambas as bandas mergulham de cabeça na missão e se arriscam a ponto de tornarem algumas das músicas praticamente irreconhecíveis e, ainda assim, tão deliciosas quanto as originais.


Retorno do Ano - David Bowie

Porque é difícil um sujeito sair da toca e provar assim, de maneira tão bela, que continua absolutamente em forma, tão afiado e relevante.

Disco Decepção - Bon Jovi - What About Now

Disco achatado, padrão, que segue igualzinho, produzido praticamente no piloto automático, do início ao fim. Não tem auge, não tem ápice. Não tem nada. 


Melhor CD/DVD Ao Vivo - The Rolling Stones - Sweet Summer Sun: Hyde Park Live

Uma banda memorável. Um lugar memorável. Uma apresentação memorável. 


Melhor livro - Freddie Mercury: A Biografia Definitiva, de Lesley Ann-Jones

Porque é um livro sobre o Freddie Mercury. E não precisa de nenhuma justificativa adicional. :)


Melhor Show - Bruce Springsteen em São Paulo

Como disse um grande amigo, é o tipo de apresentação que deveria servir como "template" para qualquer boa banda de rock nos próximos anos. 


5 Melhores Sites/Blogs Sobre Música

Tenho Mais Discos Que Amigos!
Scream & Yell
Whiplash!
Wikimetal
All Music

Comentários

  1. A lista foi precisa. Apesar de apenas três discos (Sepultura, Sabbath e McCartney) estarem entre os meus 10+ (por enquanto), todos os outros disco são excelentes e foram sim, alguns dos destaques de 2013.

    ResponderExcluir
  2. Caraleo ... esse moleque tem o cérebro igual ao meu. Só o bolso é diferente: não tenho dinheiro pra esses DVD's e livro .... Kkkkkkkkkkk

    Ótima lista.
    De aprendizado: roubei pra mim a referência do wikimetal do UOL. Nunca tinha ouvido falar. E conteúdo parece ser bom. Pow, blog/site fazendo entrevista com Alice in Chains.
    Valeu

    ResponderExcluir
  3. Nem montei a minha ainda!! kkkkkkk
    Vou esperar a do big boss Ricardo Seelig pra postar a minha!!

    ResponderExcluir
  4. Na minha opinião, com exceção do Rob Zombie e do Nação Zumbi & Mundo Livre S/A, as demais escolhas - para quem acompanha religiosamente a CR - foram muito previsíveis.

    No geral, essas escolhas - incluindo as duas supramencionadas - apontam para álbuns de “medalhões”.

    Nada contra, até porque eu gosto de quase todos os artistas escolhidos, porém torço para que outras listas sejam menos previsíveis e tragam álbuns de artistas menos badalados.

    ResponderExcluir
  5. Impressionante a insistência no Sepultura.Qualquer album meia-boca que eles lançam são ovacionados. Não é possível que é só eu que acho esses últimos discos tão fracos quanto qualquer outro com o Derick. Sei lá...já foi. O Korzus lança albuns de Thrash Metal primorosos e não tem 1/3 da repercussão que esses últimos discos do Sepultura.Não dá pra conformar.

    ResponderExcluir
  6. Desses, acho que só Sabbath e Daft Punk vão entrar na minha lista.

    Desculpe destoar da postagem, mas não sei onde poderia deixar essa crítica/questionamento, então aqui vai: por que o Hibria, com o baita disco que lançou neste ano, passou batido aqui na Collectors Room em 2013 (claro que não estou me referindo somente às top lists, até porque acabaram de inciar)?

    ResponderExcluir
  7. Pra mim o ''What about Now'' do Bon Jovi não foi uma decepção, porque eu e todo mundo que escutou os últimos discos da banda já sabia que ia ser uma porcaria de disco e isso só veio a se confirmar depois que saiu o álbum.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela lista, Thiago, mais próxima do que eu gosto. Tem três discos da minha aí.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Na categoria, o Coxinha do ano, o vencedor com 100% dos votos é Ricardo Seelig, parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  11. 1) David Bowie - The next day
    2) Paul McCartney - New
    3) Buddy Guy - Rhythm & Blues
    4) Blues Etílicos - Puro Malte
    5) Black Sabbath - 13
    6) Mavericks - In time
    7) Johnny Marr - The messenger
    8) Ian McCulloch - Holy ghosts
    9) Depeche Mode - Delta machine
    10) Hugh Laurie - Didn't it rain

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Você pode, e deve, manifestar a sua opinião nos comentários. O debate com os leitores, a troca de ideias entre quem escreve e lê, é que torna o nosso trabalho gratificante e recompensador. Porém, assim como respeitamos opiniões diferentes, é vital que você respeite os pensamentos diferentes dos seus.