6 de abr de 2012

Assista o documentário 'Black Metal Satanica'

sexta-feira, abril 06, 2012

Em 2008, o diretor Mats Lundberg lançou o documentário Black Metal Satanica, onde conta a história da cena black metal da Noruega, que deu ao mundo nomes hoje clássicos como Mayhem, Burzum, Immortal, Emperor, Darkthrone e muitos outros. O vídeo, com mais de 1 hora de duração, traz depoimentos de diversos músicos, além de uma trilha sonora com sons de bandas como Watain, Vreid, Shining e outros.


Para entender um pouco mais sobre como surgiu e se desenvolveu a cena black norueguesa, que influenciou profundamente os rumos do metal extremo em todo o mundo e se tornou um fenômeno cultural, aperte o play (em inglês):

Metallica: 10 horas de sons da banda direto nessa sexta-feira, na Rádio Shock Box

sexta-feira, abril 06, 2012


A web rádio Shock Box (www.radioshockbox.com) apresenta nesta sexta-feira, dia 06/04, às 14 horas, a Maratona Metallica, um programa especial com 10 horas de duração sem interrupções, com 80 músicas que foram tocadas nos shows realizados nos dias 5, 7, 9 e 10 de dezembro último, no The Fillmore, em São Francisco. 


Em cada uma das noites foi executado um repertório diferente e o grupo recebeu convidados do primeiro escalão do mundo do rock, incluindo Ozzy Osbourne, Rob Halford, King Diamond, Marianne Faithfull e Jerry Cantrel, além de todos os ex-integrantes. No público, fãs de longa data, que fazem parte do fã-clube do grupo, sendo que alguns sortudos até cantaram músicas com a banda no palco. 




Além disso, a programação da rádio está recheada de lançamentos: Accept (Stalingrad), Unisonic (Unisonic), Iron Maiden (En Vivo!), Ministry (Relapse), Overkill (The Electric Age), Meshuggah (Koloss), Soulfly (Enslaved), Adrenaline Mob (Omertá), Epica (Requiem For the Indifferent) entre muitos outros. Entre os destaques nacionais estão: King Bird (Beyond the Rainbow), Mysteriis (Hellsurrection – sorteio de 3 CDs), Dirty Glory (It's On!), Divine Uncertainty (single “The Ego”) e a nova banda do vocalista Fabiano Negri, Unsuspected Soul Band. 


Toda quinta-feira, às 22 horas, tem o programa Metal Bones, apresentado e produzido por Edson Graseffi, baterista da banda Reviolence, onde são apresentadas bandas desconhecidas do grande público, mas que possuem muita qualidade e fizeram parte da cena dos anos 80 e 90, além de clássicos da mesma época. Os ouvintes podem fazer seus pedidos através do e-mail metalbones@radioshockbox.com 


A web rádio Shock Box é dirigida por Julio Marcondes, está no ar desde 2009 e já chegou a estar entre as 20 web rádios de hard rock / heavy metal mais ouvidas no mundo segundo o site da ShoutCast. Em 2011 a Shock Box foi totalmente reformulada e mudou o domínio para o atual, mantendo seu direcionamento musical de só tocar lançamentos e qualidade sonora de alta definição. Confira tudo isso e muito mais acessando www.radioshockbox.com



Nervecell: veja clipe com participação de Karl Sanders, do Nile

sexta-feira, abril 06, 2012


A banda de death metal Nervecell divulgou o clipe da faixa "Shunq (To the Dispaired ... King of Darkness)", presente em seu último disco, Psychogenocide. A música tem a participação especial de Karl Sanders, líder do Nile, que também aparece no vídeo.


O Nervecell foi formado em Dubai em 2000 e executa um death metal com passagens que se aproximam do thrash. O grupo já lançou dois discos, Preaching Venom (2008) e Psychogenocide (2011), além de alguns EPs. Atualmente a banda é formada por James Khazaal (vocal e baixo), Barney Ribeiro (guitarra) e Rami H. Mustafa (guitarra).


Assista abaixo o clipe de "Shunq (To the Dispaired ... King of Darkness)":

 

Sabaton: ouça a inédita "Carolus Rex"

sexta-feira, abril 06, 2012


O Sabaton divulgou a faixa-título de seu novo álbum, Carolus Rex. Este é o sétimo disco do grupo e será lançado durante o mês de maio. O Sabaton se destacou por executar um power metal com letras baseadas em fatos históricos como a Primeira e a Segunda Guerra Mundiais, temas que casam perfeitamente com o instrumental épico da banda.


E daí, o que você achou de "Carolus Rex"?

5 de abr de 2012

Enquete da semana: o melhor álbum de metal de 2006

quinta-feira, abril 05, 2012

A enquete dessa semana colocou dois ícones do heavy metal nas duas primeiras posições. O Iron Maiden foi o vencedor com o álbum A Matter of Life and Death, seguido de perto por Christ Illusion, do Slayer. Na sequência, briga de foice entre Sepultura, Celtic Frost, Mastodon, Lamb of God, Trivium e Motörhead.

Confira abaixo o resultado final, e deixe o seu comentário:

Iron Maiden - A Matter of Life and Death - 32%
Slayer - Christ Illusion - 28%
Sepultura - Dante XXI - 24%
Celtic Frost - Monotheist - 23%
Mastodon - Blood Mountain - 22%
Lamb of God - Sacrament - 21%
Trivium - The Crusade - 20%
Motörhead - Kiss of Death - 20%
Circle II Circle - Burden of Truth - 15%
Enslaved - Ruun - 14%
Krisiun - AssassiNation - 12%
Amon Amarth - With Oden on Our Side - 11%
Cannibal Corpse - Kill - 11%
Cradle of Filth - Thornography - 10%
Hammers of Misfortune - The Locust Years - 10%
Tool - 10,000 Days - 10%
Evergrey - Monday Morning Apocalypse - 10%
Edguy - Rocket Ride - 9%
In Flames - Come Clarity - 9%
Children of Bodom - Are You Dead Yet? - 9%
Napalm Death - Smear Campaign - 9%
Blind Guardian - A Twist in the Myth - 8%
Kalmah - The Black Waltz - 7%
Vader - Impressions in Blood - 7%
Dissection - Reinkaos - 6%
Amorphis - Eclipse - 6%
Katatonia - The Great Cold Distance - 6%
Rage - Speak of the Dead - 5%
Scar Symmetry - Pitch Black Progress - 5%
I - Between Two Worlds - 4%
Deicide - The Stench of Redemption - 4%
Voivod - Katorz - 4%
Killswith Engage - As Daylight Dies - 3%
Lacuna Coil - Karmacode - 3%
All That Remains - The Fall of Ideals - 2%
Communic - Waves of Visual Decay - 1%
Mercenary - The Hours That Remain - 1%

Children of Bodom: banda lança coletânea comemorativa

quinta-feira, abril 05, 2012

A banda finlandesa Children of Bodom lançará no próximo dia 22 de maio a coletânea Holiday At Lake Bodom (15 Years of Wasted Youth), em comemoração aos 15 anos do seu primeiro álbum. A compilação virá com um CD e um DVD e trará faixas de todos os sete discos gravados pela banda - do primeiro, Something Wild (1997), ao mais recente, Relentless Reckless Forever (2011). Além disso, dois covers até então inéditos - “I’m Shipping Up to Boston”, do Dropkick Murphys, e “Jessie’s Girl”, de Rick Springfield - farão parte do pacote. O DVD trará diversos vídeos gravados durante as turnês realizadas pela banda, mais os clipes de “Relentless Reckless Forever” “Shovel Knockout”.


O Children of Bodom surgiu na cidade de Espoo, na Finlândia, em 1993. Liderada pelo vocalista e guitarrista Alexi Laiho, então com apenas 14 anos, a banda se destacou logo de cara com o seu death metal repleto de melodia, conquistando, simultaneamente, um grande número de fãs e altas posições nas paradas. Ao longo de sua discografia, o grupo se aproximou e fez experimentações com vários gêneros da música pesada como power metal, metal neo-clássico, prog, black e até mesmo alguns momentos mais thrash. 


O nome do grupo é uma homenagem aos três jovens finlandeses assassinados em 5 de junho de 1960 em um camping próximo ao Lago Bodom. Nils Gustafsson, então com 18 anos, sobreviveu ao ataque e levou uma vida normal até 2004, quando foi acusado de ser o autor dos crimes. Ele foi julgado em outubro de 2005 e considerado inocente. Os assassinatos do Lago Bodom tiverem grande repercussão e impacto na sociedade finlandesa, e acabaram se transformando em uma espécie de fenômeno cultural no país. Durante toda a sua carreira, o Children of Bodom gravou diversas músicas sobre o tema.



Confira abaixo o tracklist completo de Holiday At Lake Bodom:
  1. Hate Crew Deathroll
  2. Shovel Knockout
  3. Hate Me
  4. Everytime I Die
  5. Needled 24/7
  6. I’m Shipping Up to Boston
  7. Sixpounder
  8. Warheart
  9. Roundtrip to Hell and Back
  10. Trashed, Lost & Strungout
  11. Living Dead Beat
  12. Deadnight Warrior
  13. Blooddrunk
  14. Follow the Reaper
  15. Are You Dead Yet?
  16. Silent Night, Bodom Night
  17. Jessie’s Girl
  18. In Your Face
  19. Angels Don’t Kill
  20. Downfall

Hellyeah: ouça a inédita “War in Me”

quinta-feira, abril 05, 2012

Band of Brothers, novo álbum do Hellyeah, banda formada por Chad Gray (vocal, Mudvayne), Tom Maxwell (guitarra, Nothingface), Greg Tribett (guitarra, Mudvayne), Bob Zilla (baixo, Damageplan) e Vinnie Paul (bateria, Pantera e Damageplan), sairá somente dia 5 de junho, mas a primeira faixa do disco já caiu na rede.

Intitulada “War in Me”, a música mantém as duas principais características do som do Hellyeah - a agressividade e o groove. Band of Brothers tem produção de Jeremy Parker (Godsmack, Evanescence), e foi gravado no estúdio caseiro de Vinnie Paul em Dallas, no Texas. Segundo a banda, o disco será mais pesado e mais orientado para o heavy metal que seus antecessores, Hellyeah (2007) e Stampede (2010). O álbum será o primeiro lançamento pela nova gravadora do grupo, a Eleven Seven Music - os anteriores saíram pela Epic.


Confira abaixo “War in Me” e diga o que achou nos comentários:


Assista “Sultans of Sin”, novo clipe do Dynazty

quinta-feira, abril 05, 2012


Os suecos do Dynazty, uma das melhores bandas da geração atual do hard rock, disponibilizaram o clipe da faixa-título de seu novo álbum, Sultans of Sin. No vídeo, a banda aparece tocando intercalada por cenas do vocalista Nils Molin em uma partida de pôquer que, obviamente, não acaba bem.

Sultans of Sin é o terceiro disco do Dynazty e sucede o ótimo Knock You Down. O trabalho marca a estreia do guitarrista Mark Láver e foi produzido por Peter Tägren. Sultans of Sin saiu dia 29 de fevereiro na Europa, e, assim como Knock You Down, será lançado no mercado brasileiro pela Hellion Records.


Ao menos nesse primeiro single, percebe-se uma mudança no som da banda, que está menos melódico e mais pesado que no trabalho anterior. Não ouvi ainda o novo álbum, então não sei dizer se esse direcionamento se mantém nas demais faixas, mas confesso que gostei bastante da sonoridade da faixa “Sultans of Sin”.

Assista o clipe abaixo:

4 de abr de 2012

Metallica: veja ilustrações do jogo de videogame abandonado pela banda

quarta-feira, abril 04, 2012


Em 2003, como parte da estratégia de lançamento do álbum St Anger, o Metallica começou a desenvolver um jogo de videogame baseado em uma corrida de carros ambientada em um cenário pós-apocalíptico. Entretanto, não se sabe bem por qual motivo, a banda abandonou a ideia.

Porém, algumas coisas já haviam sido desenvolvidas, incluindo um teaser trailer e artes representando James Hetfield, Lars Ulrich e Kikk Hammett. Robert Trujillo, talvez por ser ainda um integrante recente do grupo, não teve nada esboçado a seu respeito. Foram criadas também ilustrações para alguns personagens secundários.







Essas artes acabam de cair no mundo online através do site Metal Injection, que publicou uma matéria a respeito – saiba mais clicando aqui.

E aí, o que você achou do visual meio Mad Max dos personagens? Curtiu?

Assista abaixo o teaser do videogame abortado pelo Metallica:

“No Reflection”, novo clipe de Marilyn Manson

quarta-feira, abril 04, 2012


Primeiro single do álbum Born Villain, a faixa “No Reflection” acaba de ganhar um clipe. O vídeo traz os personagens habituais do universo particular do cantor, e foi dirigido por Lukas Ettlin, que já havia trabalhado antes com Manson no clipe de “Personal Jesus”.

“No Reflection” será lançado em uma edição limitada em vinil branco de 7 polegadas durante o Record Store Day deste ano, que acontece no próximo dia 21 de abril. Detalhe: essa versão só estará disponível nas lojas europeias que participam do evento, excluindo as norte-americanas.

Assista abaixo o clipe de “No Reflection”:

Overkill: assista o clipe de “Electric Rattlesnake”

quarta-feira, abril 04, 2012


O Overkill divulgou o clipe de faixa “Electric Rattlesnake”, presente em seu novo disco, The Electric Age. O vídeo foi dirigido por Kevin J. Custer (Hatebreed, Testament), que já havia trabalhado com a banda antes no clipe de “Bring Me the Night”.

The Electric Age é o décimo-sexto álbum do Overkill, e foi lançado mundialmente no último dia 27 de março pela Nuclear Blast. A recepção tem sido muito positiva, com reviews bastante positivos em diversas revistas e sites especializados em todo o mundo.

Confira abaixo o clipe de “Electric Rattlesnake”:

Joey Ramone: novo álbum solo do falecido cantor

quarta-feira, abril 04, 2012

Dia 22 de maio chegará às lojas … Ya Know?, segundo disco solo de Joey Ramone, o falecido vocalista dos Ramones. O álbum será composto de versões demos e faixas que Joey estava trabalhando antes de falecer em 15 de abril de 2001, vítima de um linfoma. O primeiro trabalho solo de Joey, Don't Worry About Me, foi lançado em 2002.

A produção executiva do projeto está sendo feita por Mickey Leigh, irmão do cantor. Segundo Leigh, o álbum trará faixas até então desconhecidas, cantadas e compostas pelo vocalista.

O produtor Ed Stasium, responsável por discos clássicos do Ramones como Leave Home (1977), Rocket to Russia (1977) e Road to Ruin (1978), está envolvido no projeto, e produziu dez das quinze faixas da bolacha, além de fazer overdubs de instrumentos e vozes.

“Rock 'n' Roll is the Answer”, composta por Joey e pelo guitarrista do Plasmatics, Richie Scotts, será lançada como single em uma edição limitada em vinil de 7 polegadas durante o Record Store Day, que acontecerá no próximo dia 21 de abril.

Ótima notícia para os milhões de órfãos que o Ramones deixou em todo o mundo.

Soen: assista o clipe de “Delenda”

quarta-feira, abril 04, 2012


O Soen divulgou o clipe da faixa “Delenda”, segundo single do seu disco de estreia, Cognitive. Dirigido novamente por Patric Ullaeus, o vídeo mostra a banda tocando a canção ao vivo em seu estúdio.

O Soen é formado pelo baterista Martin Lopez (ex-Opeth e Amon Amarth), pelo baixista Steve DiGiorgio (Sadus, Testament, Death, Iced Earth), pelo guitarrista Kim Platbarzdis e pelo vocalista Joel Ekelöf. A som da banda é um rock progressivo com pitadas heavy metal e alguma passagens mais experimentais que lembram o Tool. O primeiro disco do grupo, Cognitive, será lançado no Brasil pela Hellion Records.

Confira abaixo o clipe de “Delenda”:

Alice Cooper: crítica de 'No More Mr. Nice Guy Live!' (2012)

quarta-feira, abril 04, 2012

Nota: 8

Gravado no dia 29 de outubro de 2011 durante a já famosa apresentação anual que Alice Cooper faz todos os anos às vésperas do Halloween, No More Mr. Nice Guy Live! é o registro ao vivo da última turnê do lendário cantor americano e traz o show realizado dia 29 de outubro de 2011 no Alexandra Place, em Londres.A excursão, que passou pelo Brasil, promovia o álbum Welcome 2 My Nightmare, lançado no ano passado pelo vocalista.

Com uma banda competente formada por Steve Hunter (guitarra), Tommy Henriksen (guitarra), Orianthi (guitarra), Chuck Garric (baixo) e Glen Sobel (bateria), o novo duplo ao vivo de Alice Cooper foi lançado lá fora pela ConcertLive com excelente qualidade sonora e acabamento gráfico, e, apesar de não ser um item oficial da discografia de Alice, poderia facilmente constar nela. Com uma bela embalagem digipak dobrável que acondiciona os três CDs – dois com o áudio do show, e um terceiro com os arquivos em MP3 das músicas -, No More Mr. Nice Guy Live! é a alternativa perfeita para quem quer ter uma recordação da última turnê de Alice Cooper, já que o músico não sinalizou com a possibilidade de lançar um álbum ao vivo oficial da tour.

Com uma performance competente tanto do vocalista quanto da banda que o acompanha, o disco é um deleite para os fãs. Cantando muito bem, com interpretações que exploram a sua conhecida veia teatral, Alice comprova sobre o palco que está passando por um ótimo momento em sua carreira. O setlist visita vários clássicos de sua longa trajetória, começando nos anos 70 e chegando até as faixas de Welcome 2 My Nightmare.


Apesar de não ser um item oficial, vale a pena reforçar que tanto o áudio quanto a parte gráfica de No More Mr. Nice Guy Live! são excelentes, e até mesmo superiores há uma parcela considerável de discos oficiais lançados no mercado. O box digipak é lindo, forte e resistente, e traz os CDs acondicionados da maneira correta, encaixados em suportes plásticos, evitando que eles se risquem. A única falha é a ausência de um encarte com mais detalhes da apresentação, fato esse que acaba tendo um peso menor devido ao excelente material sonoro.

As 21 faixas proporcionam ao ouvinte grandes doses de satisfação, com destaque para hinos imortais como “The Black Widow”, “I´m Eighteen”, “Under My Wheels”, “Billion Dollar Babies”, “No More Mr Nice Guy”, a nova “I'll Bite Your Face Off”, “Muscle of Love”, “Only Women Bleed”, “Schools Out” - com a inserção de um trecho de “Another Brick in the Wall”, do Pink Floyd – e “Elected”.

Se você assistiu e ficou fascinado com os shows que Alice Cooper fez no Brasil durante essa turnê, esse é um disco perfeito para ter em sua coleção e recordar dos momentos mágicos que passou com Cooper. E, se você não foi nos shows, No More Mr. Nice Guy Live! serve para mostrar que, apesar de alguns delizes em seu último álbum, Alice Cooper ainda tem muita energia em cima de um palco e deve continuar nos brindando com seu universo único por vários anos ainda.

Disponível através da Hellion Distro.


Faixas:

CD 1
  1. The Black Widow
  2. Brutal Planet
  3. I'm Eighteen
  4. Under My Wheels
  5. Billion Dollar Babies
  6. No More Mr Nice Guy
  7. Hey Stoopid
  8. Is It My Body?
  9. Halo of Flies

CD 2
  1. I'll Bite Your Face Off
  2. Muscle of Love
  3. Only Women Bleed
  4. Cold Ethyl
  5. Feed My Frankenstein
  6. Clones (We're All)
  7. Poison
  8. Wicked Young Man
  9. I Love the Dead
  10. Schools Out
  11. Elected
  12. Fire (with Arthur Brown)

CD 3
1. Áudio em MP3 de todas as faixas

Randy Rhoads na capa da nova Jedbangers

quarta-feira, abril 04, 2012

A revista argentina Jedbangers traz uma matéria especial de capa sobre os 30 anos da morte do guitarrista Randy Rhoads. A publicação tem entrevistas com Randy, Ozzy Osbourne, Rudy Sarzo e a família de Rhoads.

Além disso, o número 60 da Jedbangers contém matérias sobre o Cannibal Corpse, Exodus, Brujeria, Rage, Paul Bostaph e outros, além da quarta parte do suplemento especial que está contando a história do heavy metal e da música pesada.

A Jedbangers é publicada desde 2007, e é a principal revista argentina dedicada ao metal. Além disso, conta também com uma edição chilena.

Para comprar o número atual e os antigos, acesse o site oficial.

3 de abr de 2012

Iron Maiden: banda é capa da RockHard italiana

terça-feira, abril 03, 2012

O Iron Maiden estampa a capa da nova edição da RockHard italiana. O último número da revista traz uma matéria especial sobre o novo lançamento da banda inglesa, o DVD En Vivo!, gravado em Santiago do Chile durante a turnê do álbum The Final Frontier.

Além do Maiden, a nova RockHard italiana tem matérias com Accept, Running Wild, Paradise Lost, Moonspell, Steel Panther, Huntress, 3 Inches of Blood, Ancient VVisdom, Saint Vitus e outras bandas.

A RockHard Itália deriva da original alemã, uma das revistas de heavy metal mais antigas do mundo, publicada desde novembro de 1983, e que conta, além da versão da terra da bota, também com edições próprias na França, Grécia, Espanha e Japão. A RockHard também foi publicada no Brasil por um breve período, em parceria com a extinta revista Valhalla.

Para comprar a nova edição da RockHard Itália, acesse o site da revista.

Rival Sons: disponível show completo da banda em streaming

terça-feira, abril 03, 2012


Atenção fãs do Rival Sons: o áudio de uma apresentação completa da banda está disponível para streaming no YouTube. O show realizado pelo grupo norte-americano dia 6 de dezembro de 2011 no Strand, em Estocolmo, na Suécia, foi gravado de forma profissional e transmitido pela Sveriges Radio. Nele, é possível conferir todo o poder de uma das maiores revelações surgidas no hard rock nos últimos anos.

Enquanto a banda trabalha em seu novo álbum, o sucessor do ótimo Pressure & Time, dê play abaixo e curta quase uma hora de ótimo rock and roll:

Saint Vitus: assista o clipe de “Let Them Fall”

terça-feira, abril 03, 2012


A banda norte-americana Saint Vitus, uma das pioneiras do doom metal, divulgou o clipe de faixa “Let Them Fall”, presente em seu novo disco, Lillie: F-65. Produzido pela Scion Audio Visual e dirigido por Michael Panduro, o vídeo traz cenas de diversas pessoas em situações limite.

Lillie: F-65 chegará às lojas dia 27 de abril e é o primeiro álbum do Saint Vitus em dezessete anos. O último lançamento da banda havia sido Die Healing, de 1995. Lillie F-65 é o oitavo trabalho do grupo, e foi produzido por Tony Reed. Aguardadíssimo, o disco marca o retorno do vocalista Scott “Wino” Weinrich à banda, e será o primeiro com a sua voz em 22 anos, desde V, de 1990.

O Saint Vitus é formado atualmente por Wino nos vocais, Dave Chandler na guitarra, Mark Adams no baixo e Henry Vasquez na bateria.

Assista abaixo o clipe de “Let Them Fall”:

Record Store Day: veja alguns pôsteres da edição 2012

terça-feira, abril 03, 2012

O Record Store Day 2012 está chegando. O dia das lojas de discos acontecerá no próximo dia 21 de abril nas principais lojas independentes dos Estados Unidos e da Inglaterra.

O evento acontece anualmente desde 2008, sempre no terceiro sábado de abril, e foi criado pelos lojistas para celebrar o milenar costume de comprar discos. Pra você ter ideia do tamanho da coisa, são mais de 700 lojas norte-americanas e mais de 200 inglesas envolvidas no evento.

Para colocar os colecionadores no clima, a página do Record Store Day no Facebook está divulgando alguns dos pôsteres oficiais da edição deste ano. Confira abaixo e fique com água na boca – seja pelos discos ou pelas belas ilustrações:







Entrevista com o colecionador Eddie Asheton

terça-feira, abril 03, 2012

Por Ronaldo Rodrigues

Olá, Eddie. Primeiramente gostaria que você se apresentasse aos leitores da Collector´s Room.

Olá, amigos leitores. Eu sou Eddie Asheton, baixista e vocalista dos Mothers, colaborador - faço resenhas de discos, filmes, livros e escrevo alguns contos - da revista eletrônica Acesso Total (www.acessototalrevista.org) e mais um grande apaixonado pelo rock and roll, como eu imagino que a maioria de vocês, se não todos, sejam.

Quais são seus estilos favoritos, qual formato coleciona e quantos discos você tem?

Cara, além de rock eu escuto uma ou outra coisa de jazz, blues, folk, beat africano dos anos 60/70, música sufi turca, alguma coisa de música indiana … mas o meu forte ainda é e creio que sempre será o rock. Dentro dele, os meus estilos favoritos são as garageiras dos anos 60, o rock padrão dessa época (como Beatles, Who e Stones que, aliás, são as minhas três bandas favoritas, nessa mesma ordem), progressivo, hard setentista. Inclusive, a minha banda segue bem por esse estilo.

Fiz uma contagem agora há pouco, especialmente pra esta entrevista, e cheguei ao número de 1.310 discos, sendo que a maioria, infelizmente, é em CD.

Como surgiu seu interesse pela música e quando você percebeu que havia se tornado um colecionador?

O meu pai já arranhava um violão quando eu era mais novo, mas o interesse despertou de verdade mesmo aos onze anos, quando comecei a fuçar a então pequena coleção da minha irmã mais velha. A primeira banda que ouvi nessa época que me acompanha até hoje foi o Doors.

Ainda tem lembranças do primeiro disco que você adquiriu?

Então, dos discos que eu mantive comigo até hoje o primeiro que me foi dado foi o Sgt Pepper's quando eu tinha meus 13 anos. Comecei muito bem, né? Agora, o primeiro que eu comprei, se não me engano, foi um compacto do Who que comprei num sebo pequeno que tinha perto da minha escola. Comprei nesse mesmo ano. Era um compacto de 75 que tinha “Postcard” e “My Generation” no lado A e “Too Much of Anything” e “The Real Me” no lado B.


Qual item da sua coleção você considera mais raro e quais são seus itens favoritos?

Mais raro? Humm, eu tenho alguns vinis aqui de bandas da Polônia, e um do Czervoni Gitari, banda tcheca dos anos 60/70. E também a trilha sonora em vinil da animação Le Planete Salvage, de 1973. Imagino que esses sejam os mais raros da minha coleção.

Agora, para os favoritos não tenho como eu dar uma lista 100% precisa, mas alguns dos meus itens favoritos, sem ordem de preferência, são o White Album dos Beatles, o In Rock do Purple, o Piper at the gates of Dawn do Pink Floyd, Sheer Heart Attack do Queen, E Pluribus Funk do Grand Funk Railroad, Truth do Jeff Beck Group, Slayed? do Slade, Yes álbum do Yes, Sell Out do The Who, Brain Salad Surgery do ELP ... nossa, daria pra fazer uma lista imensa!

Já fez alguma loucura pra conseguir algum disco?

Não me lembro de nenhuma grande loucura. Talvez eu tenha feito algumas, em todos esses anos, mas não que eu me lembre. Provavelmente, se eu tivesse feito uma ou mais grandes loucuras, a minha coleção estaria hoje ainda maior. Ou talvez eu nem estivesse aqui pra contar essas histórias.

Qual item que passou batido na sua mão e você nunca mais viu?

Ih, vários itens já passaram assim. Um dos quais eu mais me arrependo ter deixado passar foi o Astral Weeks, do Van Morrison, de 68. Eu o encontrei na Pedro Lessa, novinho, pela mixaria de 5 reais. Mereço ou não apanhar depois de uma dessas?

Que tipo de formato mais impressiona você?

Vinil, sem a menor sombra de dúvida!




Todo colecionador possui algumas manias. Fale sobre as suas.

Não acho que eu tenha manias. Já vi colecionadores que realmente têm manias, mas não acho que eu me enquadre nessa categoria. Uma coisa que eu evito ao máximo é cortar a música no meio. De preferência escuto o disco do início ao fim, mas se a falta de tempo não permitir, que eu escute pelo menos a música até o final. A não ser quando você realmente está apressado e ainda está no meio de “Thick as a Brick”. Aí não tem jeito, né?

Como você organiza sua coleção? Você é um fã “completista”? Qual artista ou banda você tem mais itens?

Eu organizo as bandas e artistas por ordem alfabética, e dentro da obra do artista eu ponho em ordem cronológica. Não sou daqueles que dividem por estilo. As coletâneas de vários artistas não seguem uma ordem específica. Ficam lá, no final da coleção.

Cara, não me considero tão completista assim. Algumas bandas, como os Stones, por exemplo, eu só consigo escutar os discos até a saída do Mick Taylor. Deep Purple eu só consigo ouvir o material do período de 68 a 76. Pink Floyd sem o Roger Waters eu também não consegui parar pra escutar até hoje. Mas de bandas como o Yes, o Rush e o Who eu tenho tudo e consigo ouvir todas as fases. Claro que reconheço que o auge deles já passou há bastante tempo, mas mesmo assim ainda descem bem.

Apesar de os Beatles serem a minha banda preferida, o artista de quem tenho mais discos é o velho Robert Zimmerman. Tenho 32 discos dele.

E a família, como ela vê esse monte de discos?

Cara, sem maiores alardes. O único problema, e a minha namorada que sofre com isso também, é na hora de me dar algum disco de presente. Ficam sempre naquela dúvida sobre o que eu já tenho, ou não (risos).


O rock vem em uma trajetória de décadas e em cada uma delas, temos características e estilos muito marcantes que são prontamente associados. Pra você qual o grande barato de cada uma delas, dos anos 50 até os dias atuais?

Ótima pergunta. Vou tentar ser suscinto. Acho que o grande barato dos anos 50 é a simplicidade, a ingenuidade da coisa toda. A década de 60, na minha opinião, é aquela na qual as coisas mudaram mais, e de onde vieram as bandas e artistas mais influentes até hoje. A década de 70 pegou todas as lições dos anos 50 e 60, especialmente dos anos 60, e levou ao limite. O que foi lindo!

Os anos 80 serviram para provar que os anos 70 não foram tão cafonas assim. Os anos 90 trouxeram a volta de uma crueza (via Seattle e afins) ao mainstream que se fazia necessária desde o momento em que o punk rock foi engolido pela new wave, post punk, new romantics e essa gente. Da década passada eu curto o revival hard 70 (tirando o Darkness, por favor) e outros como o White Stripes, que apesar de uma ou outra música chatinha que tocava na MTV fez muita coisa boa. O revival da disco e as modernidades estéreis de The Killers, Yeah Yeah Yeahs e afins eu dispenso.

A década de 10? Ainda é bem cedo pra se falar dela, né? Tecnicamente, ela começou agora no dia 1º de janeiro do ano passado. Eu espero que ela traga uma reafirmação do bom e velho rock and roll.

Existe algum item que algum desavisado consideraria “estranho” na sua coleção?

Tenho alguns, sim. Por exemplo, eu tô ouvindo muito umas coletâneas que eu tenho, de bandas da Nigéria dos anos 70. Aquilo é um groove muito bom! Eu tenho um vinil da cantora Orietta Berti, onde ela canta músicas ciganas de vários países do mundo. Tenho também Paolo Pietrangeli, que é uma espécie de trovador político italiano. Ah, sim, e os discos do Engenheiros do Hawaii da formação clássica, como trio. Pronto, me entreguei (risos). Além disso, tenho o disco Return to Forever, aquele do passarinho voando, com Chick Corea, Stanley Clarke, Flora Purim e Airto Moreira. E o pessoal folk mais das antigas, como Woody Guthrie e Pete Seeger.

Onde você costuma comprar seus CDs e LPs?

Os CDs eu compro principalmente na Halley Discos, no Flamengo, e algumas coisas nas lojas grandes como a Saraiva e a Fnac também. E na internet, principalmente na CD Point, especialmente os mais difíceis de se achar por aí. Os vinis eu compro principalmente na Tropicália Discos e nas feiras de vinil que aparecem por aí.

Como é ser colecionador de discos nesses difíceis tempos da indústria fonográfica?

Certamente dá uma sensação de nadar contra a corrente, né? Mas eu acho que se você é um apaixonado pela música você deveria fazer o possível pra ter em mãos o disco, a obra, o conceito. Me entristece pessoas que eu sei que têm condições de comprar discos, se dizem grandes amantes de tal arte, e enchem a boca pra dizer que não compram discos há séculos, que agora baixam tudo. Acho um tremendo dissabor. Chega a doer o coração.


Todo colecionador adora montar suas listinhas de favoritos. Então vamos lá, cite os 5 melhores baixistas do rock:

Geddy Lee (Rush), John Entwistle (Who), Chris Squire (Yes), Jack Bruce (Cream) e Geezer Butler (Black Sabbath).

Os 10 discos mais viscerais da história:

Led Zeppelin (Led Zeppelin, 1969), Funhouse (Stooges, 1970), Ramones (Ramones, 1976), Black Sabbath (Black Sabbath, 1970), In Rock (Deep Purple, 1970), Reign in Blood (Slayer, 1986), Exile on Main Street (Rolling Stones, 1972), Love it to Death (Alice Cooper, 1971), Monk Time (The Monks, 1966) e o Fresh Fruits for Rotten Vegetables (Dead Kennedys, 1980).

10 discos para apresentar o rock de forma geral para alguém:

Rubber Soul (Beatles, 1965), Led Zeppelin IV (Led Zeppelin, 1971), Slayed? (Slade, 1972), Rocket to Russia (Ramones, 1977), Almendra (Almendra, 1969), Ashes are Burning (Renaissance, 1973), Nevermind (Nirvana, 1991), Back in the USA (MC5, 1970), Aqualung (Jethro Tull, 1971) e, lógico, o Who’s Next (The Who, 1971).

10 discos mais bacanas do Brasil (todos os estilos):

Made in Brazil (Made in Brazil, 1974), Scrabby? (Pin Ups, 1993), Brasil (Ratos de Porão, 1989), Chaos A.D. (Sepultura, 1993), Casa de Rock (Casa das Máquinas, 1977), São Paulo: 1554/Hoje (Joelho de Porco, 1974), Snegs (Som Nosso de Cada Dia, 1974), Killing Chainsaw (Killing Chainsaw, 1992), A Revolta dos Dandis (Engenheiros do Hawaii, 1987), Stress (Stress, 1982).

Valer lembrar que nenhuma dessas listas é definitiva.



E pra finalizar, sem enrolação, as rapidinhas:

Beatles x Rolling Stones.

Beatles.

Stooges x MC5.

MC5.

Blues americano x blues inglês.

Blues inglês, apesar dos americanos serem os pais da criança.

Funk x soul.

Soul.

Cream x Jimi Hendrix Experience.

Cream.

Espaço aberto para comentários!

Amigos leitores, vocês se lembram daquele velho slogan que dizia que disco é cultura? Pois é, ele não só é cultura como é a história, a vida! Ouçam discos, sejam eles comprados, dados ou emprestados!

Luis Carlos Spinetta na bela capa da nova poeira Zine

terça-feira, abril 03, 2012


Nova edição impressa da pZ na área, número 41! 
Veja mais e compre a sua edição em http://www.poeirazine.com.br/ 


# LUIS ALBERTO SPINETTA


A obra e a vida do compositor argentino celebrada neste número. Suas aventuras pelo Almendra, Pescado Rabioso, Invisible, Spinetta Jade e muito mais. Não deixe de mergulhar no peculiar universo desse genial músico. 


# MONTROSE 


Martin Popoff disseca minuciosamente os primeiros anos do Montrose, época em que o grupo registrou seus dois primeiros álbuns de estúdio. Inclui entrevistas com Ronnie Montrose e Sammy Hagar. Homenagem da pZ ao guitarrista morto recentemente e a sua banda mega influente. 


# NETINHO 


O lendário baterista brasileiro relembrou sua vida musical ao responder as perguntas de nossos leitores. Os Incríveis, Casa das Máquinas e muito mais! 


# STU COOK 


O ex-baixista do Creedence Clearwater Revival e atual Creedence Clearwater Revisited abre o jogo com a pZ e fala de passado, presente e futuro. 


# OS ARANHAS 


A trajetória do grupo obscuro do rock nacional dos anos 60. 


# STEVEN WILSON & MIKAEL ÅKERFELDT


A dupla mais emblemática do progressivo atual marca presença nessa nova edição. O novo projeto, Storm Corrosion, as carreiras em suas respectivas bandas (Porcupine Tree e Opeth) e os shows no Brasil. 


# PETER GREEN 


O pZ Hero desta edição, em texto que aborda suas aventuras com os Bluesbreakers de John Mayall, com o Fleetwood Mac e em sua carreira-solo. Do estrelato à loucura, e a volta aos palcos e aos discos. 


E mais: Thelonious Monk, a tour de Mark Farner pelo Brasil, T2, Lee Moses, Carol of Harvest, Los Vidrios Quebrados, Alan Sorrenti, Cos, Ódmenn, Cerebrum, Cassim & Barbária, Arbouretum, The Mauroks e muito mais!

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE