27 de nov de 2015

Personalizado e original: uma dica de presente legal para este Natal

sexta-feira, novembro 27, 2015

Espalhar o amor para o mundo neste Natal: esta é a ideia que motivou um trio de amigos de Florianópolis - todos publicitários - a criar o projeto Árvore Lousa. Funciona assim: você cria a frase que quiser, ou escolhe uma entre as opções disponibilizadas, e a sua árvore de Natal será enviada para quem você desejar.

Todas as árvores são produzidas a mão e de forma artesanal pelos amigos Camila, Ana Luiza e Claudecir. A ideia nasceu pequena, mas a ótima aceitação está fazendo com que o trio receba encomendas de todo o Brasil e até mesmo do exterior.

É uma iniciativa legal, e que realmente emociona quem recebe, pois você pode colocar um texto personalizado e que fala diretamente com o destinatário. Traduzindo: você pode escrever o que desejar, basta usar a criatividade e pronto. Já encomendei algumas e presenciei a enorme emoção que essas pessoas tiveram ao receber as árvores em suas mãos.

Um presente original e barato, e que vai encher de alegria o coração de quem você gosta neste Natal.

Para saber mais e fazer os seus pedidos, acesse:


Abaixo, alguns exemplos de como as pessoas estão usando a criatividade para levar emoção:







Os 20 melhores discos de 2015 segundo o CraveOnline

sexta-feira, novembro 27, 2015

Baseado em Los Angeles, o CraveOnline é um site dedicado ao modo de vida da cidade californiana, um dos principais centros urbanos dos Estados Unidos. Fala de arte, cultura, design, estilo e, é claro, música.

E, como não poderia deixar de ser, os caras divulgaram a sua lista de melhores discos de 2015. A matéria original pode ser lida neste link. E abaixo estão os 20 álbuns que resumiram o que de melhor a música nos entregou neste ano que está chegando ao fim, segundo a equipe do CraveOnline:

20 Sleaford Mods - Key Markets
19 Courtney Barnett - Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit
18 CHVRCHES - Every Open Eye
17 Lamb of God - VII: Sturm Und Drang
16 Songhoy Blues - Music in Exile
15 Jason Isbell - Something More Than Free
14 Eagles of Death Metal - Zipper Down
13 Pokey LaFarge - Something in the Water
12 Sufjan Stevens - Carrie & Lowell
11 Jamie xx - In Colour
10 D’Angelo - Black Messiah
9 Kamasi Washington - The Epic
8 Dr. Dre - Compton: A Soundtrack by Dr. Dre
7 Puscifer - Money Shot
6 The Dead Weather - Dodge and Burn
5 Action Bronson - Mr. Wonderful
4 Doomtree - All Hands
3 Father John Misty - I Love You, Honeybear
2 Clutch - Psychic Warfare
1 Kendrick Lamar - To Pimp a Butterfly

Motörhead cancela show por problema de saúde de integrante (e não foi o Lemmy)

sexta-feira, novembro 27, 2015

O Motörhead foi obrigado a cancelar a apresentação que faria nesta sexta em Berlim, na Alemanha, por problemas com o guitarrista Phil Campbell. 

A banda divulgou um comunicado oficial a respeito, mas não deu maiores detalhes do estado de saúde de Campbell, limitando-se a dizer que “Phil de repente precisou ser internado. Ele vai estar bem em breve, mas não temos escolha a não ser cancelar o show. Todos desejamos uma rápida recuperação para Phil”.

Lembrando que diversos shows foram cancelados recentemente devido ao frágil estado de saúde de Lemmy. E, há algumas semanas, o baterista Phil “Animal" Taylor faleceu, deixando os fãs em luto.

Resumindo, a zica anda solta pelos lados do Motörhead.

26 de nov de 2015

Os Melhores Discos de Todos os Tempos: 1974

quinta-feira, novembro 26, 2015


1974 marcou a transição definitiva entre os velhos ícones e os novos ídolos que estavam surgindo. Com o fim dos Beatles e os Stones passando por uma transição criativa, além do The Who e dos Kinks também trilhando novos caminhos, o trono do rock abriu inesperadas vagas. E candidatos não faltavam para elas. Neil Young vivia o seu auge criativo, enquanto o Lynyrd Skynyrd ajudava a disseminar, popularizar e, consequentemente, consolidar o southern rock. 

Entre os grandes eventos do ano estiveram o anúncio da criação da Swan Song (selo de propriedade do Led Zeppelin e que lançou o Bad Company neste mesmo ano), os discos de estreia do Kiss e do Rush, os Ramones estreando nos palcos, o primeiro show do AC/DC com Bon Scott e a inesperada saída de Mick Taylor dos Rolling Stones, abrindo uma temporada de especulações que colocou praticamente todo guitarrista do planeta como novo integrante do grupo.

Foram formados em 1974 o Blondie, Cheap Trick, Ramones, Raven e Spyro Gyra, entre outros. Encerraram suas atividades durante o ano o Jefferson Airplane, The Moody Blues, The Stooges e King Crimson.

Os cinco maiores hits de 1974 foram “Kung Fu Fighting” de Carl Douglas, “Tiger Feet” do Mud, “Waterloo" do ABBA, “The Joker” de Steve Miller e “Rock Your Baby” de George McCrae. Outros grandes sucessos do período: “Already Gone” (Eagles), “Can't Get Enough” (Bad Company), “Dreamer" (Supertramp), “Everyday”, “Far Far Away” (Slade), “Hooked on a Feeling” (Blue Swede), “I Shot the Sheriff” (Eric Clapton), “It's Only Rock ’n' Roll (But I Like It)” (Rolling Stones), “Killer Queen” (Queen), “Radar Love” (Golden Earring), “Rebel Rebel” (David Bowie), “Rikki Don’t Lose That Number” (Steely Dan) e “Sweet Home Alabama” (Lynyrd Skynyrd).

Entre os principais nascimentos de 1974 estão Robbie Williams (13/02), Mikael Akerfeldt (17/04), Jewel (23/05), CeeLo Green (30/05) e Alanis Morissette (01/06). Na música, as principais mortes foram as de Duke Ellington (24/05), Mama Cass Elliott (29/07) e Nick Drake (25/11).

Os grandes vencedores da 16ª edição do Grammy foram:

Gravação do Ano - Killing Me Softly With His Song, de Roberta Flack
Canção do Ano - Killing Me Softly With His Song, de Roberta Flack
Disco do Ano - Innervisions, de Stevie Wonder
Melhor Novo Artista - Bette Midler


Após pesquisa para chegar aos discos mais importantes lançados no ano, aplicamos as avaliações de diversos veículos, jogamos em nossa planilha e chegamos à lista abaixo.

Com você, os melhores discos de 1974:

50 Stevie Wonder - Fulfillingness’ Fisrt Finale
49 Arnaldo Baptista - Lóki?
48 Deep Purple - Burn
47 Miles Davis - Get Up With It
46 Kiss - Kiss
45 Bad Company - Bad Company
44 Hawkwind - Hall of the Mountain Grill
43 Leonard Cohan - New Skin for the Old Ceremony
42 Blue Öyster Cult - Secret Treaties
41 King Crimson - Starless and Bible Black
40 Queen - Sheer Heart Attack
39 Robin Trower - Bridge of Sighs
38 The Charlie Daniels Band - Fire on the Mountain
37 Stan Getz - Captain Marvel
36 James Brown - Hell
35 Jackson Browne - Late for the Sky
34 Betty Davis - They Say I’m a Different
33 Van Morrison - Veedon Fleece
32 Gong - You
31 Frank Zappa - Apostrophe
30 Randy Newman - Good Old Boys
29 The Meters - Rejuvenation
28 Raul Seixas - Gitâ
27 Elis Regina & Antônio Carlos Jobim - Elis & Tom
26 Electric Light Orchestra - Eldorado
25 Big Star - Radio City
24 Roxy Music - Country Life
23 Shuggie Otis - Inspiration Information
22 Joni Mitchell - Court and Spark
21 Steely Dan - Pretzel Logic
20 Willie Nelson - Phases and Stages
19 Toots & The Maytals - In the Dark
18 Lynyrd Skynyrd - Second Helping
17 Robert Wyatt - Rock Bottom
16 Kraftwerk - Autobahn
15 Bob Marley & The Wailers - Natty Dread
14 Tangerine Dream - Phaedra
13 New York Dolls - Too Much Too Soon
12 Clifford Jordan - Glass Bead Games
11 Jorge Ben - A Tábua de Esmeralda
10 Gil Scott-Heron & Brian Jackson - Winter in America
9 King Crimson - Red
8 Genesis - The Lamb Lies Down on Broadway
7 Fenton Robinson - Somebody Loan Me a Dime
6 Brian Eno - Taking Tiger Mountain (By Strategy)
5 Richard & Linda Thompson - I Want to See the Bright Lights Tonight
4 Gram Parsons - Grievous Angel
3 Brian Eno - Here Come the Warm Jets
2 Gene Clark - No Other
1 Neil Young - On the Beach

Abaixo, meu top de 1974 e uma playlist com as canções mais marcantes do ano (os comentários estão esperando as suas listas):

1 Neil Young - On the Beach
2 Lynyrd Skynyrd - Second Helping 
3 Jorge Ben - A Tábua de Esmeralda
4 Shuggie Otis - Inspiration Information
5 Deep Purple - Burn
6 The Charlie Daniels Band - Fire on the Mountain
7 Big Star - Radio City
8 Bad Company - Bad Company
9 Kiss - Kiss
10 Arnaldo Baptista - Lóki?

Ouça “The Threat is Real", nova música do Megadeth

quinta-feira, novembro 26, 2015

Dystopia, novo álbum do Megadeth, será lançado em 22 de janeiro e marcará a estreia da nova formação da banda, com Kiko Loureiro e Chris Adler ao lado de Dave Mustaine e David Ellefson.

Tá todo mundo curioso pra saber como a banda irá soar, e aos poucos esse quebra-cabeça começa a ser montado. A inédita “The Threat is Real” foi divulgada e mostra o quarteto investindo em uma faixa que remete aos tempos de Countdown to Extinction, com fartas doses de solos de guitarras.

Bata cabeça abaixo:

25 de nov de 2015

A trilha da vida

quarta-feira, novembro 25, 2015

O Thiago do Judão me desafiou lá no Facebook. O que o ele propôs foi que eu fizesse um post por dia, durante 7 dias, compartilhando e falando sobre minhas músicas favoritas. Uma dessas correntes que aparecem nas redes sociais, mas que, ao contrário da maioria, é divertida e faz a gente pensar.

Tentando responder a pergunta do Cardim, me vi olhando para trás e vasculhando a memória para encontrar qual seria, afinal de contas, a trilha da minha vida. E não é uma resposta fácil. Por mais que algumas canções venham de imediato, outras tantas não surgem assim tão rápido. E, quando emergem, trazem junto lembranças de momentos, pessoas e sentimentos que vivemos, conhecemos e temos saudades.

Nesse exercício, surgiram trinta canções que representam meus dias por aqui. Coisas óbvias como “Stairway to Heaven”, “Tiny Dancer” e “Bohemian Rhapsody”, e outras nem tanto como “Thirteen”, “Thunder Road” e “Nobody Girl”. Olhando para essas três dezenas de lembranças, uma característica veio à tona: a melancolia. Na grande maioria dessas canções que entendo como importantes e marcantes nos meus 43 anos de vida, nessas faixas que me representam, a melancolia bate o ponto de maneira constante. Talvez ela seja a característica que eu associe com a beleza quando o assunto é música, o elemento que faz com que uma canção soe bonita e tocante aos meus ouvidos. Não sei explicar assim de maneira tão simples.

Está sendo um ano difícil. A trilha pela qual a vida está me levando neste 2015 não é das mais agradáveis. Meu pai está internado desde maio. Seis meses preso em uma cama, sem responder, com um fiapo de consciência. Aos 71 anos, está aqui, mas não está. Essa situação mexe com a gente. E de uma maneira que não conseguimos mensurar antes de vivermos nós mesmos algo semelhante. É algo que vai te consumindo, porque não há possibilidade de mudança. Ele não vai levantar, não vai falar, não vai se comunicar novamente. Segue em uma realidade que não sabemos qual é, em um limbo de consciência, esperando o descanso chegar.

Mas a vida segue, em uma realidade que a gente não imagina. Ninguém pensa que isso irá acontecer, mas é a situação que existe e os dias precisam seguir. Tudo isso afeta cada um de maneira diferente. Você passa por diferentes momentos, sempre tendo uma emoção como protagonista. Tem a hora da tristeza, da raiva, da incompreensão. Tem horas em que tudo fica à flor da pele. Até que entende que não adianta, é isso mesmo e deve lidar com tudo. Uma atitude que funciona muito bem no meio de um parágrafo, mas que não é tão simples no dia a dia. E então tudo que você sente começa a se manifestar também fisicamente, seja na imprevisibilidade de suas noites de sono (onde acordar de madrugada já se transformou em um clichê), no ganho ou perda de peso, na tentativa de exercer a sua profissão enquanto o cérebro teima em trazer outro assunto para a ordem do dia.

Moro longe do resto da minha família. Meu irmão também. E isso faz a gente se sentir ainda mais impotente. Não dá pra fazer nada, a não ser ligar todo dia e ver como a sua mãe está, trazendo assuntos diferentes para que a vida de todo mundo siga em frente.

Nessa situação, tudo assume um significado diferente. E claro, as canções que estão ao seu lado durante toda a vida também passam por essa transformação. “Thunder Road” vira sua amiga do peito. “Jesus, etc”, sua confidente. “Stairway”, o caminho que você quer seguir.

É claro que tudo uma hora vai mudar. É inevitável. Enquanto isso, essas trinta e poucas canções e mais aquelas tantas que a gente vai esbarrando pelo caminho, ajudam a vida a seguir em frente.

24 de nov de 2015

A força de Adele: novo álbum responde por 42% do total de discos vendidos esta semana

terça-feira, novembro 24, 2015

O ato de comprar um disco - seja a partir seu computador ou indo até a sua loja de discos favorita - tornou-se algo cada vez mais raro. À exceção de um pequeno aumento de 1,4% nas vendas de discos em 2011, em todos os últimos 15 anos o formato físico foi perdendo força e participação no mercado da música.

Com isso em mente, o fato de 25, novo álbum de Adele, estar quebrando um recorde de vendas que já dura 24 anos passados apenas quatro dias de seu lançamento, é um feito impressionante. Analisando esses números olhando para o passado, no entanto, fica ainda mais evidente o tamanho do sucesso da cantora inglesa.

Conforme as projeções do mercado, 25 deve vender 2,9 milhões de cópias (físicas, CD e LP, é bom frisar) em sua semana de estreia, um número acima do atual recorde, alcançado pelo *NSYNC em 2000 com o disco No Strings Attached, que vendeu 2,4 milhões na primeira semana. 

As vendas de discos chegaram ao seu pico histórico em 2000, e desde então despencaram 60,6%. Embora os formatos digitais tenham preenchido este vazio, as vendas totais caíram acentuadamente. No Strings Attached foi lançado quando as vendas totais de música (formato físico + digital) eram duas vezes e meia maiores do que são hoje.

Ao comparar estas duas diferentes épocas e cenários, 25 bate com folga No Strings Attached quando analisamos o resultado das vendas da primeira semana de ambos. A participação de Adele nos números totais de venda do mercado na primeira semana de vida de 25 é muito maior do que representou para o *NSYNC com No Strings Attached. Adele está a caminho de alcançar impressionantes 42% do total de vendas no formato físico esta semana. Pra sentir a diferença, No Strings Attached representou 16,7% em sua primeira semana de lançamento.


Outra maneira de comparar os números de hoje e de ontem é ajustando a “inflação”. Tudo, desde o preço dos alimentos até as receitas de filmes, são ajustados periodicamente para transferir os valores da moeda - por exemplo, 100 dólares de 1980 hoje valem aproximadamente 290 dólares. A diferença, claro, é que as vendas de música caíram, e não ressuscitaram, desde 2000. Ajustando esses números à realidade de quinze anos atrás, 25 teria vendido aproximadamente 7,59 milhões de cópias em seus primeiros sete dias de vida.


É importante frisar que algumas diferenças entre esses dois períodos não podem ser suprimidas quando comparamos as vendas. O iTunes não existia em 2000 e No Strings Attached não alcançou 900 mil cópias encomendadas na pré-venda. Naquela época, quando os varejistas online como a Amazon e a CD Now representavam uma pequena parte do total de vendas, quase todos os números vinham de lojas físicas, o que garantia um bom preço e um grande espaço nas prateleiras por pelo menos um mês.

No entanto, a indústria da música não perdeu o seu entusiasmo de seguir os números de vendas da primeira semana como se fosse um esporte competitivo. Gravadoras e artistas continuam querendo alcançar desesperadamente o número 1 nas paradas. Por isso, as vendas das primeiras quatro semanas podem ser a melhor maneira de comparar álbuns lançados em diferentes períodos.

Fonte: Billboard

Os 50 melhores discos de 2015 segundo a Q Magazine

terça-feira, novembro 24, 2015

Mais uma publicação tradicional colocou na roda a sua lista de melhores do ano.

Confira abaixo as escolhas da revista inglesa Q - a matéria original pode ser lida neste link:

50 Mac DeMarco - Another One
49 Hotton Tennis Club - Highest Point in Cliff Town
48 Mbongwana Star - From Kinshasa
47 Gwenno - Y Dydd Olaf
46 Palma Violets - Danger in the Club
45 The Prodigy - The Day is My Enemy
44 Wolf Alice - My Love is Cool
43 Years & Years - Communion
42 Slaves - Are You Satisfied?
41 Wilco - Star Wars
40 Sufjan Stevens - Carrie & Lowell
39 Róisín Murphy - Hairless Toys
38 Leon Bridges - Coming Home
37 Bill Ryder-Jones - West Kirby Country Primary
36 Jessica Pratt - On Your Own Love Again
35 Sleater-Kinney - No Cities to Love
34 FFS - FFS
33 Natalie Prass - Natalie Prass
32 Muse - Drones
31 Wire - Wire
30 Ezra Furman - Perpetual Motion People
29 John Grant - Grey Tickles, Black Pressure
28 CHVRCHES - Every Open Eye
27 The Maccabees - Marks to Prove It
26 The Chemical Brothers - Born in the Echoes
25 Paul Weller - Saturns Pattern
24 Sun Kil Moon - Universal Themes
23 Lonelady - Hinterland
22 Gaz Coombes - Matador
21 The Fall - Sub-Lingual Tablet
20 Everything Everything - Get to Heaven
19 Dr. Dre - Compton
18 Four Tet - Morning / Evening
17 Noel Gallagher - Chasing Yesterday
16 Miguel - Wildheart
15 Django Django - Born Under Saturn
14 Sleaford Mods - Key Markets
13 Joanna Newsom - Divers
12 Foals - What Went Down
11 Father John Misty - I Love You, Honeybear
10 Florence + The Machine - How Big, How Blue, How Beautiful
9 Kendrick Lamar - To Pimp a Butterfly
8 Laura Marling - Short Movie
7 Kurt Vile - B’lieve I’m Going Down …
6 Courtney Barnett - Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit
5 New Order - Music Complete
4 Blur - The Magic Whip
3 Jamie xx - In Colour
2 Julia Holter - Have You in My Wilderness
1 Tame Impala - Currents

Os melhores discos de 2015 segundo a Uncut

terça-feira, novembro 24, 2015

A revista inglesa Uncut também revelou a sua lista de melhores do ano. Tradicional e influente, a publicação escolheu trabalhos dos mais variados gêneros.

Confira abaixo quais foram os 50 melhores discos de 2015 na opinião da Uncut:

50 Yo La Tengo - Stuff Like That There
49 Songhoy Blues - Music in Exile
48 My Morning Jacket - The Waterfall
47 Miguel - Wildheart
46 Olivia Chaney - The Longest River
45 Panda Bear - Panda Bear Meets The Grim Reaper
44 Laura Marling - Short Movie
43 Ezra Furman - Perpetual Motion People
42 JD McPherson - Let the Good Times Roll
41 Jessica Pratt - On Your Own Love Again
40 Bob Dylan - Shadows in the Night
39 Paul Weller - Saturns Pattern
38 Dave Rawlings Machine - Nashville Obsolete
37 Low - Ones and Sixes
36 Destroyer - Poison Season
35 Young Fathers - White Men Are Black Men Too
34 FFS - FFS
33 Matthew E. White - Fresh Blood
32 Sun Kil Moon - Universal Themes
31 Four Tet - Morning/Evening
30 Kamasi Washington - The Epic
29 Kurt Vile - B’lieve I’m Going Down …
28 Bassekou Kouyate & Ngoni Ba - Ba Power
27 Jamie xx - In Colour
26 Joanna Newsom - Divers
25 John Grant - Grey Tickles, Black Pressure
24 Richard Thompson - Still
23 Sleater-Kinney - No Cities to Love
22 Gwenno - Y Dydd Olaf
21 Alabama Shakes - Sound & Color
20 Holly Herndon - Platform
19 Mbongwana Star - From Kinshasa
18 Wilco - Star Wars
17 Blur - The Magic Whip
16 The Weather Station - Loyalty
15 Jason Isbell - Something More Than Free
14 Robert Forster - Songs to Play
13 Jim O’Rourke - Simple Songs
12 Unknown Mortal Orchestra - Multi-Love
11 Björk - Vulnicura
10 New Order - Music Complete
9 Sleaford Mods - Key Markets
8 Natalie Prass - Natalie Prass
7 Courtney Barnett - Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit
6 Tame Impala - Currents
5 Father John Misty - I Love You, Honeybear
4 Ryley Walker - Primrose Green
3 Sufjan Stevens - Carrie & Lowell
2 Kendrick Lamar - To Pimp a Butterfly
1 Julia Holter - Have You in My Wilderness

Mojo revela sua lista com os 50 melhores discos de 2015

terça-feira, novembro 24, 2015

A revista de música mais vendida da Inglaterra, e uma das mais influentes do mundo, divulgou a lista com os títulos que escolheu como os melhores de 2015. Como sempre, tem coisas ótimas na seleção de títulos abaixo, vale a pena checar cada uma das indicações.

Estes são os 50 melhores álbuns de 2015 segundo a Mojo:

50 Kurt Vile - B’lieve I’m Going Down …
49 Ibeyi - Ibeyi
48 David Gilmour - Rattle That Lock
47 Deerhunter - Faded Frontier
46 Tobias Jesso Jr - Goon
45 The Weeknd - Beauty Behind the Madness
44 Ryley Walker - Primrose Green
43 Mark Ronson - Uptown Special
42 Boz Scaggs - A Fool to Care
41 Kamasi Washington - The Epic
40 Alabama Shakes - Sound & Color
39 Keith Richards - Crosseyed Heart
38 Lonelady - Hinterland
37 Promised Land Sound - For Use and Delight
36 Father John Misty - I Love You, Honeybear
35 The Libertines - Anthems for Doomed Youth
34 Jason Isbell - Something More Than Free
33 Noel Gallagher - Chasing Yesterday
32 Jamie xx - In Colour
31 Ezra Furman - Perpetual Motion People
30 Bill Fay - Who is the Sender?
29 Earl Sweatshirt - I Don’t Like Shit, I Don’t Go Outside
28 Matthew E. White - First Blood
27 Leon Bridges - Coming Home
26 Wilco - Star Wars
25 Paul Weller - Saturns Pattern
24 Gaz Coombes - Matador
23 John Grant - Grey Tickles, Black Pressure
22 Young Fathers - White Me Are Black Men Too
21 Richard Thompson - Still
20 Dungen - Allas Sak
19 Joanna Newsom - Divers
18 Blur - The Magic Whip
17 Hooton Tennis Club - Highest Point in Town
16 D’Angelo & The Vanguard - Black Messiah
15 Richard Dawson - Nothing Important
14 Sleater-Kinney - No Cities to Love
13 Low - Ones and Sixes
12 Courtney Barnett - Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit
11 Bob Dylan - Shadows in the Night
10 Sufjan Stevens - Carrie & Lowell
9 Sleaford Mods - Key Markets
8 Mbongwana Star - From Kinshasa
7 Songhoy Blues - Music in Exile
6 Bill Ryder-Jones - West Kirby County Primary
5 Jim O’Rourke - Simple Songs
4 Tame Impala - Currents
3 New Order - Music Complete
2 Kendrick Lamar - To Pimp a Butterfly
1 Julia Holter - Have You in My Wilderness

Novo álbum de Adele deve superar recorde histórico de vendas - e isso é só o começo

terça-feira, novembro 24, 2015

Quando a gente fala que o 25, novo álbum de Adele, é um dos lançamentos mais esperados do ano, muito disso vem da imensa expectativa que a indústria fonográfica, como um todo, depositou sobre o trabalho.

E todo esse barulho já começou a ser respondido apenas três dias após o disco ser lançado - o álbum chegou às lojas de todo o mundo na última sexta, 20/11. Em apenas três dias, 25 vendeu mais de 2,3 milhões de cópias, e a previsão é que alcance a marca de 2,9 milhões na primeira semana. 

Essa é apenas a segunda vez que um disco conseguiu superar a barreira de 2 milhões de cópias vendidas em uma semana desde que a Nielsen começou a medir as vendas e se transformou no termômetro padrão deste tipo de levantamento, em 1991. E aqui vale um detalhe: 25 superou a marca em apenas três dias.

Até agora, o recorde de venda de um álbum em sua semana de lançamento é do *NSYNC com No Strings Attached (2000), que alcançou a marca de 2,41 milhões nos primeiros sete dias. Ou seja, enquanto você lê este texto, 25 provavelmente já atropelou a turma de Justin Timberlake.

Fechando o pacote, “Hello”, primeiro single de 25, segue na primeira posição do Hot 100 da Billboard pela quarta semana consecutiva.

É, Adele vai fazer história mais uma vez.

A vida do Marquês de Sade, a excelente Jessica Jones e o fim da Playboy

23 de nov de 2015

Ouça versão do Stone Sour para “Running Free”, clássico do Iron Maiden

segunda-feira, novembro 23, 2015

O Stone Sour divulgou a versão que gravou para “Running Free”, um dos maiores clássicos do Iron Maiden. A releitura da banda liderada pelo vocalista Corey Taylor é extremamente fiel à gravação original, não acrescentando praticamente nada novo.

“Running Free” faz parte de Straight Outta Burbank, segundo EP de covers que o grupo lançará este ano, e que será liberado esta semana.

Ouça abaixo:

Os melhores discos de 2015 segundo a American Songwriter

segunda-feira, novembro 23, 2015

Publicada desde 1984, a American Songwriter é uma revista norte-americana dedicada à música em geral. Há um foco maior no mercado e nos artistas dos Estados Unidos, mas o espaço também está disponível para artistas de outros países.

Abaixo está a lista de melhores do ano da AS. A matéria original, com comentários sobre cada um dos títulos, pode ser lida aqui

Divirtam-se!

50 Kristin Diable - Create Your Own Mythology
49 Sleater-Kinney - No Cities to Love
48 Glen Hansard - Didn’t He Ramble
47 Iris Dement - The Trackless Woods
46 Punch Brothers - The Phosphorescent Blues
45 Nora Jane Struthers & The Party Line - Wake
44 Father John Misty - I Love You, Honeybear
43 Gospelbeach - Pacific Surf Line
42 Adele - 25
41 Aaron Lee Tasjan - In the Blazes
40 Bully - Feels Like
39 Promised Land Sound - For Use and Delight
38 My Morning Jacket - The Waterfall
37 Rodney Crowell and Emmylou Harris - The Traveling Kind
36 Jessica Pratt - On Your Own Love Again
35 Lana Del Rey - Honeymoon
34 Deerhunter - Fading Frontier
33 Built to Spill - Untethered Moon
32 Florence + The Machine - How Big, How Blue, How Beautiful
31 Dwight Yoakam - Second Hand Heart
30 Leon Bridges - Coming Home
29 Lucero - All a Man Should Do
28 Beach Slang - The Things We Do to Find People Who Feel Like Us
27 The Deslondes - The Deslondes
26 Drake - If You’re Reading This, It’s Too Late
25 Steve Earle & The Dukes - Terraplane
24 Titus Andronicus - The Most Lamentable Tragedy
23 Dave Rawlings Machine - Nashville Obsolete
22 Andrew Combs - All These Dreams
21 Alabama Shakes - Sound & Color
20 Josh Ritter - Sermon on the Rocks
19 Patty Griffin - Servant to Love
18 Ashley Monroe - The Blade
17 Dawes - All Your Favorite Bands
16 Kacey Musgraves - Pageant Material
15 Rayland Baxter - Imaginary Man
14 Kurt Vile - b’lieve i’m goin down …
13 Houndmouth - Little Neon Limelight
12 CHVRCHES - Every Open Eye
11 Kendrick Lamar - To Pimp a Butterfly
10 Sufjan Stevens - Carrie & Lowell
9 Natalie Prass - Natalie Prass
8 Craig Finn - Faith in the Future
7 Wilco - Star Wars
6 John Moreland - High on Tulsa Heat
5 James McMurtry - Complicated Game
4 Courtney Barnett - Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit
3 Jason Isbell - Something More Than Free
2 Torres - Sprinter
1 Chris Stapleton - Traveller

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE