18 de mai de 2018

Vídeo de Elis Regina cantando “Como Nossos Pais” é remasterizado para HD

sexta-feira, maio 18, 2018

O vídeo com a versão ao vivo de “Como Nossos Pais” cantada por Elis Regina foi remasterizado e disponibilizado novamente no YouTube. A canção, composta por Belchior, tem na releitura de Elis o seu maior momento, alcançando uma dimensão absolutamente incrível.

O processo de remasterização para HD teve a participação de diversos profissionais da área, que trataram mais de 5 mil frames, apagando imperfeições existentes na gravação original. Além disso, a cor do vídeo também recebeu um novo tratamento.

Assista como ficou abaixo:

Música e quadrinhos: baterista do Mastodon lança música baseada em série da DC Comics

sexta-feira, maio 18, 2018

Brann Dailor, baterista do Mastodon e também um ótimo vocalista, lançou a sua primeira composição solo. Com o título de “Red Death”, a música é inspirada na graphic novel Dark Days: The Road to Metal, publicada pela DC Comics. A história foi escrita por Scott Snyder e ilustrada por Jim Lee, Andy Kubert e John Romita Jr. e conta com a participação de personagens como Batman, Aquaman e Flash. O título é um prólogo de Dark Nights: Metal, o mega evento mais recente da DC Comics.

Dailor apenas canta na faixa, enquanto o trio Tyler Bates (guitarra), Mike Elizondo (baixo) e Gil Sharone (bateria) completa a banda. Brann comentou: “Estou muito feliz por fazer parte desta incrível colaboração musical. Sempre fui fã de qualquer coisa relacionada ao Batman e ao universo DC como um todo, então a chance de estar conectado a essa universo é a realização de um sonho”.

A música está disponível no Spotify para quem quiser ouvir. O interessante é que ela consta como parte de um álbum chamado Dark Nights: Metal Soundtrack, uma indicação de que a DC provavelmente irá lançar uma trilha sonora para a história criada por Scott Snyder? Vamos aguardar e ver.


Enquanto isso, dê play e curta a música, que por sinal é ótima:

Eutanásia Social, a nova paulada hardcore do Escombro

sexta-feira, maio 18, 2018

O Escombro inaugura uma nova fase da sua curta e sólida carreira com o EP Eutanásia Social, um passo adiante do disco de estreia homônimo de 2017. São cinco composições viscerais, com passagens brutais e recheadas de levadas dinâmicas. Nesta toada, este registro do quarteto paulistano lançado pela Artico Music nas principais plataformas de streaming é também, sem exageros, um marco do hardcore nacional devido ao profissionalismo e criatividade única que rondam suas músicas, letras e concepção artística. Ouça aqui.

Eutanásia Social é tanto o nome de uma das faixas como o conceito do EP, com arte gráfica assinada por Pedro Von Haggen. Como explica o vocalista Jota, o termo faz um alerta ao estado alarmante e à beira do colapso em que se encontra a sociedade brasileira. “Tem uma galera que está sendo desligada do mundo, tamanho é o descaso com o que a cerca. Só pensam em si, num grau zero de consciência social. Ao mesmo tem que, por outro lado, o povo é constantemente sabotado por estes governos corruptos”.

Duas participações marcam Eutanásia Social. Em “Libertar”, Fábio Prandini, do Paura, canta algumas partes e aumenta a pressão da carga revolucionária da faixa. Para Jota, entre todas as participações que o Escombro já teve, esta é a mais representativa. “Depois de Ratos do Porão, Paura é a mais importante do hardcore nacional. E rolou muito bem! Admiro muito ele como vocalista e pessoa, um guerreiro do hardcore”.

A letra de “Libertar” expõe o lado político do Escombro, que desta vez resolve se posicionar contra aqueles que alimentam o ódio e segregam a já cambaleante sociedade brasileira. “Escrevi a letra pensando em quem apoia incondicionalmente o Jair Bolsonaro, e tinha rolado aquela parada do Orgulho Branco nos EUA, e pensei em escrever em se libertar em tudo sobre isso, o ódio, sexismo, racismo, homofobia. O hardcore que conheço é um cenário libertário sem espaço para esse tipo de coisa”, enfatiza Jota.

O mexicano Chema Valenzuela Galero é o outro convidado, nome forte da cena hardcore/hip-hop do país latino. Ele canta com Jota em “Hijos de la calle”, uma música com beatdowns, cantada em português e em espanhol. “É uma faixa importante. Galero construiu a letra pensando numa revolução, da galera manifestando e indo pra frente dos políticos, uma visão muito parecida com a do Escombro”. Nesta faixa, ainda há, no início e no fim, a incursão de pequenos fragmentos de clássicos do rap, que são influencias para todos do Escombro.


As demais faixas são “Eutanásia Social”, inspirada numa vivência pessoal de Jota que aborda o desesperador sistema público de saúde na mais agressiva e crua música do EP, com uma pegada quase punk. “Vivi um dia de SUS e fiquei puto”. Tem também a “Entre Lobos”, o single deste material lançado mês passado, e “Descaso”, um manifesto contra a uma das tantas formas de violência que machucam o indivíduo: a política. “O que é violento de verdade? Violento é o que o governo faz com o nosso povo. Gente morando ao lado do esgoto, gente que sai da escola analfabeto, o judiciário que só funciona pra quem tem grana. O Brasil é o país do descaso e essa faixa é um desabafo brutal”, pontua.

Estamos bem contentes com o resulto de Eutanásia Social, contentes com a qualidade da gravação e do potencial das músicas. Acredito que atingimos um outro nível”, finaliza o vocalista.

Uma das formações mais robustas e ácidas do estilo dentro da cena nacional, o Escombro foi formado em 2015 e preza pelas letras em português que abordam temas sociais, além do peso que remete ao hardcore consagrado por Madball e Terror, ao mesmo tempo em que conversa com a proposta da nacional Oitão (o vocalista Henrique Fogaça é amigo da banda). 

Para o primeiro trabalho em parceria da Artico Music, o Escombro gravou o sucessor do elogiado álbum homônimo (julho/2017) no estúdio Dual Noise (o mesmo utilizado pela Paura no Slowly Dying of Survival, de 2017) e o resultado é nada menos do que um colossal hardcore, direto e reto, que convoca o ouvinte ao moshpit. Hoje a banda é formada por Lucas "Jota" Ferreira (vocal), Felipe Felipeles (bateria), Igor "Japonês" Fugiwara (baixo) e Ricardo Quattrucci (guitarra). 


Como foi o primeiro show da nova turnê dos Rolling Stones

sexta-feira, maio 18, 2018

A estreia da No Filter Tour em Dublin não podia ser melhor. Os Rolling Stones botaram os irlandeses para cantar. Com um show de pouco mais de duas horas, a banda desfilou clássicos pelo Croke Park, mas também atendeu de certa maneira aos anseios dos fãs e incluiu "Neighbours", que não era tocada ao vivo desde a Licks Tour, e mantiveram no setlist duas faixas de Blue and Lonesome, "Just Your Fool" e "Ride ‘Em on Down".

O estádio recebeu um público numeroso, que rondou talvez as 70 mil pessoas. E tudo colaborou para o sucesso do concerto. O dia amanheceu ensolarado e muito agradável. Assim, os irlandeses, e também fãs de todo mundo, puderam desfrutar o show ao máximo.


A multidão estava animada e cantou a plenos pulmões hits como "Start Me Up", "Wild Horses" e "Brown Sugar". A estrutura do show, e também o palco, foi mantida. O concerto começou com "Sympathy For the Devil" e teve no bis "Gimmer Shelter" e "Satisfaction". A surpresa da noite, sem dúvida, foi Neighbours, que soou bastante bem para um tema que não era tocado ao vivo há tantos anos.

O próximo concerto ocorre no dia 22 de maio, no London Stadium. Nós vamos estar presentes nas próximas três apresentações da banda, que incluem um segundo show em Londres no dia 25 e outro em Southampton, no dia 29.  Nós iremos trazer todos os detalhes na medida do possível. Se as condições técnicas e climáticas ajudarem, pretendemos atualizar o site e as nossas redes sociais frequentemente.


Setlist:

1) Sympathy For the Devil
2) Tumbling Dice
3) Paint it Black
4) Just Your Fool
5) Ride ‘Em on Down
6) Neighbours
7) Wild Horses
8) You Can´t Always Get What You Want
9) It’s Only Rock and Roll
10) Honky Tonk Women

Apresentações
11) Before They Make Me Run
12) The Worst
13) Miss You
14) Midnight Rambler
15) Start me Up
16) Jumping Jack Flash
17) Brown Sugar

Bis
18) Gimme Shelter
19) Satisfaction



17 de mai de 2018

Coleção de graphic novels da DC é expandida pela Eaglemoss

quinta-feira, maio 17, 2018

Publicada pela Eaglemoss desde 2015, a DC Comics - Coleção de Graphic Novels teria 60 exemplares, mas a editora anunciou uma expansão com mais 40 volumes, totalizando uma centena de títulos para os fãs da editora das lendas e dos quadrinhos.

Dos novos volumes anunciados, apenas dois são inéditos no Brasil: JSA - Justice Be Done e Batman Odyssey.

Confira abaixo a lista de títulos presentes na expansão da coleção:

Volume 61: Batman/Caçadora – Sede de Sangue
Roteiro de Greg Rucka e arte de Rick Burchett

Volume 62: LJA – Desígnios Divinos
Roteiro de Doug Moench e arte de David Ross

Volume 63: Superman – O Que Aconteceu ao Homem de Aço?
Roteiros de Alan Moore e artes de Curt Swan, Dave Gibbons e Rick Veitch

Volume 64: LJA/SJA – Vícios e Virtudes
Roteiro de Geoff Johns e David S. Goyer, e arte de Carlos Pacheco

Volume 65: Batman – A Luva Negra
Roteiro de Grant Morrison e arte de  J. H. Williams III

Volume 66: Monstro do Pântano – Parte 1
Roteiro de Alan Moore e arte de John Totleben

Volume 67: Monstro do Pântano – Parte 2
Roteiro de Alan Moore e arte de Steve Bissette

Volume 68: Os Melhores do Mundo – Pesadelos Infernais
Roteiro de Walt Simonson e arte de Dan Brereton

Volume 69: Lanterna Verde – A Vingança dos Lanternas Verdes
Roteiro de Geoff Johns e arte de Ivan Reis

Volume 70: Superman/Shazam – O Primeiro Trovão
Roteiro de Judd Winick e arte de Joshua Middleton

Volume 71: Liga da Justiça – Ascensão e Queda
Roteiro de J.T. Krul e artes de Kevin Sharpe, Michael Mayhew, Fabio Jansen, Diogenes Neves, Sergio Arino Peralta, Federico Dallocchio, Fabrizio Fiorentino e Geraldo Borges

Volume 72: Liga da Justiça Internacional – Parte 1
Roteiro de Keith Giffen e J.M. DeMatteis, e arte de Kevin Maguire

Volume 73: Liga da Justiça Internacional – Parte 2
Roteiro de Keith Giffen e J.M. DeMatteis, e arte de Kevin Maguire

Volume 74: Lanterna Verde – Hal Jordan: Procurado
Roteiro de Geoff Johns e arte de Ivan Reis

Volume 75: Superman e a Legião dos Super-Heróis
Roteiro de Geoff Johns e arte de Gary Frank

Volume 76: Os Novos Titãs – O Futuro Começa Agora
Roteiro de Geoff Johns e artes de Ivan Reis e Mike McKone

Volume 77: Batman – Dinastia Cavaleiro das Trevas
Roteiro de Mike W. Barr e arte de Scott Hampton

Volume 78: Flash – Rápido como um Relâmpago
Roteiros de Paul Demeo e Danny Bilson, e artes de Ken Lashley, Ron Adrian, Sal Velluto, Tom Derenick, Thomas Denrenick e Andy Smith

Volume 79: Superman – Krisis of the Krimson Kryptonite
Roteiros de Roger Stern, Dan Jurgens e Jerry Ordway, e artes de Jurgens, Ordway, Bob McLeod, Kerry Gammill e Curt Swan

Volume 80: Hawkman – Endless Flight
Roteiros de James Robinson e Geoff Johns, e arte de Rags Morales

Volume 81: Superman/Batman – Generations 1
Roteiro e arte de Johns Byrne

Volume 82: Novos Deuses – Parte 1
Roteiro e arte de Jack Kirby

Volume 83: Novos Deuses – Parte 2
Roteiro e arte de Jack Kirby

Volume 84: New Teen Titans – Birth of Titans
Roteiro de Marv Wolfman e arte de George Pérez

Volume 85: Superman – Panic in the Sky
Roteiros de Dan Jurgens, Roger Stern, Louise Simonson e Jerry Ordway, e artes de Jurgens, Bob McLeod, Jon Bogdanove e Ordway

Volume 86: Legion of Super-Heroes – The Great Darkness Saga
Roteiro de Paul Levitz e arte de Keith Giffen

Volume 87: JSA – Justice Be Done
Roteiros de James Robinson e David S. Goyer, e arte de Stephen Sadowski

Volume 88: Reino do Amanhã – Part 1
Roteiro de Mark Waid e arte de Alex Ross

Volume 89: Reino do Amanhã – Part 2
Roteiro de Mark Waid e arte de Alex Ross

Volume 90: Batman Odyssey – Part 1
Roteiro e arte de Neal Adams

Volume 91: Batman Odyssey – Part 2
Roteiro e arte de Neal Adams

Volume 92: Lendas
Roteiro de John Ostrander e Len Wein, e arte de John Byrne

Volume 93: Homem-Animal
Roteiro de Grant Morrison e arte de Charles Truog

Volume 94: The Flash – Terminal Velocity
Roteiro de Mark Waid e artes de Salvador Larroca, Oscar Jimenez e Mike Wieringo

Volume 95: Teen Titans – The Return of Donna Troy
Roteiro de Phil Jimenez e arte de José Luis García-López

Volume 96: Batman and the Outsiders
Roteiro de Mike W. Barr e arte de Jim Aparo

Volume 97: A Era de Ouro
Roteiro de James Robinson e arte de Paul Smith

Volume 98: Time Masters – Vanishing Point
Roteiro e arte de Dan Jurgens

Volume 99: Teen Titans – A Kid’s Game
Roteiro de Geoff Johns e arte de Mike McKone

Volume 100: JLA – Scary Monsters
Roteiro de Chris Claremont e arte de Josh Hood

Cinquentenário do Cream é celebrado “em família”

quinta-feira, maio 17, 2018

Após uma bem recebida turnê pela Austrália e Nova Zelândia em 2017, um trio cheio de pedigree já está de malas prontas para celebrar o cinquentenário do Cream, uma das mais influentes bandas da história do rock.

A tour The Music of Cream - 50th Anniversary World Tour conta com Kofi Baker (bateria, filho de Ginger Baker), Malcolm Bruce (vocal e baixo, filho de Jack Bruce) e Will Johns (vocal e guitarra, sobrinho de Eric Clapton), em uma celebração ao legado do super trio que colocou doses cavalares de peso no rock durante a segunda metade dos anos 1960. A turnê iniciará dia 28 de setembro em Ottawa, no Canadá, e conta com mais de trinta shows já confirmados pela América do Norte.

Além das músicas do Cream, o show conta com um telão que exibe imagens inéditas de Eric Clapton, Jack Bruce e Ginger Baker, em um espetáculo multimídia que deve agradar aos admiradores do Cream.

Abaixo está um vídeo que mostra um pouco mais como serão os shows:


Novidades para os fãs de David Bowie

quinta-feira, maio 17, 2018

Duas novidades para quem é fã e coleciona material de David Bowie. A primeira é o lançamento em CD do ao vivo Welcome to the Blackout, material gravado entre junho e julho de 1978 em Londres, na tour Isolar II. O disco foi mixado por Bowie e pelo produtor David Richards ainda naquele ano, porém permaneceu inédito até ganhar uma edição limitada em vinil triplo disponibilizada no Record Store Day deste ano. Agora, Welcome to the Blackout será lançado em CD duplo no dia 29 de junho.

Na mesma data, uma nova edição da trilha de Christiane F. também será lançada. O material, composto por David Bowie para a soundtrack da icônica biografia da adolescente alemã, será relançado em LP vermelho e virá acompanhado de um vinil de 10 polegadas chamado Baal EP.  

Ambos os tracklists estão abaixo:

Welcome To the Blackout (Live London ’78)
CD 1
1. Warszawa (Live)
2. “Heroes” (Live)
3. What In The World (Live)
4. Be My Wife (Live)
5. The Jean Genie (Live)
6. Blackout (Live)
7. Sense Of Doubt (Live)
8. Speed Of Life (Live)
9. Sound And Vision (Live)
10. Breaking Glass (Live)
11. Fame (Live)
12. Beauty And The Beast (Live)

CD 2
1. Five Years (Live)
2. Soul Love (Live)
3. Star (Live)
4. Hang On To Yourself (Live)
5. Ziggy Stardust (Live)
6. Suffragette City (Live)
7. Art Decade (Live)
8. Alabama Song (Live)
9. Station To Station (Live)
10. TVC 15 (Live)
11. Stay (Live)
12. Rebel Rebel (Live)


CHRISTIANE F. – WIR KINDER VOM BAHNOFF ZOO
Red vinyl LP

Side 1:
V-2 Schneider
TVC 1
“Heroes/Helden”
Boys Keep Swinging
Sense Of Doubt

Side 2:
Station To Station
Look Back In Anger
Stay
Warszawa

DAVID BOWIE IN BERTOLT BRECHT’S BAAL
10” vinyl EP

Side 1:
Baal’s Hymn (Der Choral Vom Großen Baal)
Remembering Marie A. (Erinnerung An Die Marie A.)

Side 2
Ballad Of The Adventurers (Die Ballad Von Den Abenteurern)
The Drowned Girl (Vom Ertrunkenen Mädchen)
The Dirty Song

Fallen Idol lança terceiro disco e já disponibiliza trabalho para venda

quinta-feira, maio 17, 2018

Com seis anos de estrada, a banda paulista Fallen Idol chega ao seu terceiro disco de estúdio completo. Ao todo (se contarmos os três singles) este é o sexto trabalho do power trio de Arujá, que carrega o título de Mourn the Earth. O álbum traz a banda em seu melhor momento e conta com sete faixas distribuídas em cerca de 44 minutos.

Tracklist:
1 Witches of Lucifer
2 Time to Mourth the Earth
3 Wait
4 Shattered Mirror
5 Chrisalism
6 Lucidity
7 Secret Place

Transitando pelos caminhos do doom metal oitentista, o Fallen Idol carrega influências que também passam pelo heavy metal tradicional dos anos 1970 e 1980, o que faz com que sua sonoridade resulte em algo pesado e sombrio. As caraterísticas da banda, que foi formada em 2012, se devem ao fato de sua formação se manter a mesma desde o início, contando com Rodrigo Sitta (vocal/guitarra), Márcio Silva (baixo) e Ulisses Campos (bateria).

Gravado no estúdio No Limits entre outubro e dezembro de 2017, Mourn the Earth foi produzido por Ivi Kardec, Felipe Stresser e Rod Sitta. Mixado e masterizado por Ivi Kardec e Felipe Stress, o disco contou com a arte gráfica feita por Cesar Benatti, além do design do próprio Cesar e Rodrigo Bernardo. O trabalho sucede o aclamado segundo álbum da banda, Seasons of Grief, lançado em 2016.

Clique abaixo e ouça os singles que serviram como prévia do disco:


Mourn the Earth é lançado em parceria com os selos Nomade Records, Tales from the Pit, The Metalvox, Left Hand Prod., Mutilation Records e Nuktemeron Records.

Discografia:
Fallen Idol (2015)  
The Boy and the Sea (single – 2016)  
Seasons of Grief  (2016)  
Witches of Lucifer (single - 2018)  
Shattered Mirror (single – 2018)  
Mourn the Earth (single – 2018)

Mais informações e encomendas:



16 de mai de 2018

Bento Araújo inicia campanha de financiamento coletivo para o livro Lindo Sonho Delirante Vol. 2

quarta-feira, maio 16, 2018

O objetivo do livro Lindo Sonho Delirante vol.2: 100 Discos Psicodélicos ou Audaciosos do Brasil (1976-1985) é mostrar que o Brasil produziu trabalhos musicais transgressores, muitos deles que, infelizmente, continuam negligenciados pelo grande público. Este novo volume funciona como um presente à memória da música brasileira e àqueles artistas que expandiram a mente e seus conceitos em nome da arte, ainda em plena era de repressão militar.

A garimpagem das obras contidas neste segundo volume começa em 1976. Partimos rumo a uma jornada de dez anos, que termina justamente no ano de 1985, quando teve fim a ditadura militar no país.

De pioneiros como Lula Côrtes, Tom Zé, Arnaldo Baptista, Alceu Valença, Antonio Adolfo, Odair José, Belchior, Robertinho de Recife e Zé Ramalho, até heróis e heroínas não tão celebrados como Marinho Castellar, Taiguara, Cátia de França, Piry Reis, Jarbas Mariz, Ricardo Uchoa, Luli & Lucinha, Mário Garcia, Jocy de Oliveira, Hugo Filho, Ivinho e Flaviola e o seu Bando do Sol. Do rock bem brasileiro do Papa Poluição, Flor de Cactus e Aratanha Azul, até a música vanguardista de Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção e Aguilar e sua Banda Performática. Da sofisticação progressiva d’A Barca do Sol, Terreno Baldio, Recordando o Vale das Maçãs e Bacamarte, até a fusão promovida por nomes como Hermeto Pascoal, Grupo Um, Cheiro de Vida e Cesar Mariano & Cia. Todos estão juntos nesse segundo volume do Lindo Sonho Delirante.


O livro é ricamente ilustrado, com reproduções das capas de todos os 100 discos apresentados. Cada disco é acompanhado de uma resenha em português e inglês, minuciosa reprodução da arte gráfica original, um cabeçalho contendo o nome do grupo/artista, nome do disco/compacto, seu respectivo selo fonográfico, número de série da prensagem original e ano de lançamento. Além das resenhas, o livro contém uma introdução, onde uma particular visão do período é abordada. A profundidade da pesquisa somada à beleza artística das capas dos discos deve atrair tanto os colecionadores de longa data, como aqueles que estão adentrando agora ao mundo do colecionismo.

Especificações:
232 páginas
21 cm de largura x 19,5 cm de altura
600g
Inteiramente colorido
Capa em papel couchê 300 g/m2, miolo em couchê 115 g/m2, lombada PUR
Textos em português e inglês
100 resenhas de discos + 100 reproduções das capas originais + Introdução


Novos lançamentos da Panini chegando nas bancas e livrarias

quarta-feira, maio 16, 2018

Através do site do ISBN, foi possível identificar quais serão os próximos lançamentos da Panini nas bancas e livrarias brasileiras. Temos novidades em materiais da Marvel, DC e Image, abrangendo os mais variados gostos.

Destaque para a chegada da nova mega saga da DC, Metal, escrita por Scott Snyder, e também para o segundo volume da ótima Providence de Alan Moore e para a nova roupagem de Corrida Maluca, além da continuidade dada aos encadernados do DC Renascimento e aos novos volumes de The Walking Dead.

A lista é essa, com algumas capas abaixo:

Corrida Maluca, de Ken Pontac e Leonardo Manco (172 páginas)
DC Renascimento: Asa Noturna Vol. 4, de Tim Seeley e Miguel Mendonça (168 páginas)
DC Renascimento: Batwoman Vol. 2, de Marguerite Bennet, Fernando Blanco e John Rauch (136 páginas)
Noite de Trevas: Metal Vol. 2, de Scott Snyder e Greg Capullo (112 páginas)
Providence Vol. 2, de Alan Moore e Jacen Burrows (184 páginas)
The Walking Dead: A Melhor Defesa, de Robert Kirkman e Eric Novello (140 páginas)
The Walking Dead: Um Novo Começo, de Robert Kirkman e Eric Novello (140 páginas)

 





Iron Maiden é uma das prováveis atrações da próxima edição do Rock in Rio

quarta-feira, maio 16, 2018

A informação é de Bruce Dickinson. Passando pelo Brasil para participar do VTex Day, evento voltado para empreendedores e empresários, o vocalista do Iron Maiden revelou que a banda não fará shows no país durante 2018. E mais: o músico revelou que o grupo inglês está conversando para ser um dos headliners da próxima edição do Rock in Rio, que acontecerá em 2019.

Se isso se confirmar, será a quarta participação da banda no festival. O Iron Maiden tocou no Rock in Rio em 1985, 2001 e 2013, chegando até a gravar um álbum e um vídeo ao vivo na edição de 2001 e que foi lançado um ano depois.

Que a informação se confirme e que o Rock in Rio tenha mais uma vez o Maiden: é isso que desejamos.

Spotify implementa sanções a artistas envolvidos em casos de assédio e violência contra a mulher

quarta-feira, maio 16, 2018

O Spotify está implantando medidas em seu sistema para limitar o acesso do público às canções de artistas envolvidos em casos de assédio sexual e violência contra a mulher. Os primeiros a sentirem isso foram R. Kelly e XXXTentación, que tiveram as suas músicas retiradas das playlists oficiais do app.

A repercussão foi positiva e levou o grupo UltraViolet, que luta pelos direitos das mulheres, a tornar público o seu posicionamento e solicitar também que a ação seja aplicada a outros artistas envolvidos em casos do tipo. Em carta pública, a instituição afirmou: "Toda vez que um indivíduo famoso continua a ser glorificado apesar das alegações de abuso, nós perpetuamos de maneira equivocada o silêncio mostrando às sobreviventes de abuso sexual e violência doméstica que não haverá consequências por esses abusos. Isso tem um efeito cultural que vai além de um artista específico”.

O UltraViolet citou os nomes de Chris Brown, Nelly, Eminem, Red Hot Chili Peppers, Don Henley (Eagles) e Steven Tyler como exemplos de artistas envolvidos em casos de violência doméstica e assédio sexual. Em relação a Anthony Kiedis e Tyler, ambos admitiram publicamente relações sexuais com meninas menores de idades, sendo que Steven Tyler inclusive obrigou a garota com quem se relacionava a realizar um aborto.

Que mais ações como esse sejam implantadas. Evoluímos, estamos em 2018, e casos de abusos e assédios devem ser tratados com o rigor e a seriedade que o crime envolve.

15 de mai de 2018

O novo álbum solo de Dee Snider

terça-feira, maio 15, 2018

Dee Snider lançará dia 27 de julho For The Love of Metal, o seu terceiro disco solo. O material sairá pela Napalm Records e foi produzido por Jamey Jasta, vocalista do Hatebreed. 

Este será o primeiro álbum de Snider desde Dee Does Broadway (2012), em uma discografia que conta ainda com Never Let the Bastards Wear You Down (2000). O trabalho conta com as participações especiais de Howard Jones (ex-Killswitch Engage), Mark Morton (Lamb of God), Alissa White-Gluz (Arch Enemy), Charlie Bellmore (Kingdom of Sorrow) e a dupla Joel Brind e Nick Bellmore (Toxic Holocaust).

A capa foi criada pelo artista brasileiro Marcelo Vasco, que é também guitarrista do Patria.

Tracklist abaixo:

01. Lies Are a Business 
02. Tomorrow's No Concern 
03. I Am the Hurricane 
04. American Made 
05. Roll Over You 
06. I'm Ready 
07. Running Mazes 
08. Mask 
09. Become the Storm 
10. The Hardest Way 
11. Dead Hearts (Love Thy Enemy) 
12. For the Love of Metal

Carl Palmer celebra o legado do ELP em novo álbum ao vivo

terça-feira, maio 15, 2018

Será lançado dia 29 de junho em CD e DVD Carl Palmer’s ELP Legacy Live. O material traz o baterista original do trio, Carl Palmer, celebrando o legado do Emerson, Lake & Palmer ao lado de sua banda e com as participações especiais de Steve Hackett (Genesis), Mark Stein (Vanilla Fudge) e David Frangioni. A banda que acompanha Palmer é formada pelo guitarrista Simon Fitzpatrick e pelo baixista Paul Bielatowicz.

O CD traz um show gravado em Nova York em 2014, enquanto o DVD vem com o show Pictures At An Exhibition - A Tribute to Keith Emerson Live Miami 2016, com mais de 2 horas de duração.


Abaixo os tracklists:

CD: 
Live In New York 2014 - Tralf Music Hall Buffalo, New York, U.S.A., November 25, 2014
* Rondeau Des Indes Galantes / Ride Of The Valkyries 
* Toccata And Fugue In D Minor 
* Mars, The God Of War / 21st Century Schizoid Man 
* Tarkus (Full Version) 
* America 
* Knife-Edge 
* Trilogy (Short Version)
CD running time: 48 minutes. CD album previously unavailable digitally

DVD: 
Pictures At An Exhibition - A Tribute To Keith Emerson - Olympia Theater, Miami, Florida, U.S.A., June 24, 2016. Special Guests: Steve Hackett, Mark Stein and David Frangioni
01. Introduction 
02. Peter Gunn 
03. Karn Evil 9 (Welcome Back My Friends) 
04. The Barbarian 
05. Bitches Crystal 
06. Jerusalem 
07. Romeo & Juliet 
08. 21st Century Schizoid Man 
09. Clair De Lune 
10. Knife-Edge 
11. Hoedown 
12. Take A Pebble 
13. Carmina Burana 
14. Pictures At An Exhibition 
15. Fanfare For The Common Man / Drum Solo 
16. Nutrocker
Bonus footage:
17. Behind The Scenes At The Tribute For Keith Emerson
DVD running time: 2 hours 4 minutes


Assista ao trailer de Bohemian Rhapsody, filme que conta a história do Queen

terça-feira, maio 15, 2018

Dirigido por Dexter Fletcher e Bryan Singer e com data de estreia marcada para 2 de novembro, Bohemian Rhapsody, filme que conta a história do Queen, ganhou o seu primeiro trailer. O destaque, além das cenas, está na ótima montagem sonora, que une os vários hits da banda em uma mesma canção.

O elenco é formado por Rami Malek (Freddie Mercury), Gwilym Lee (Brian May), Joseph Mazzelo (John Deacon) e Ben Hardy (John Taylor), além de outros atores.

Assista ao trailer de Bohemian Rhapsody abaixo:

Novo clipe do Devotos é um trabalho coletivo feito por 127 animadores

terça-feira, maio 15, 2018

Depois do estrondoso sucesso da abertura da exposição A Arte É Um Manifesto - 30 Anos de Devotos…, na última quarta-feira (09/05), a banda recifense de punk rock e hardcore Devotos dá mais um motivo para ir ao Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam), no Centro do Recife. 

Na sexta-feira, 18 de maio, rola a estreia do clipe para a música "Eu O Declaro Meu Inimigo”, que estará em O Fim Que Nunca Acaba, próximo disco do trio formado por Cannibal (voz e baixo), Neilton Carvalho (guitarra) e Cello Brown (bateria), previsto para agosto. Mas não é um clipe comum: trata-se de uma verdadeira epopeia colaborativa, em que 127 artistas contribuíram com imagens para uma experiência em animação que ainda vai dar que falar. O clipe também vai para o canal oficial do trio no YouTube, à meia-noite do dia 18.

O diretor do clipe é o conceituado animador e professor Marcos Buccini. Foi dele a ideia de ir chamando gente para ilustrar o trabalho. Cada convidado contribuiu com seis frames - o que soma meio segundo. A técnica usada para o trampo foi a rotoscopia, que nada mais é do que uma pintura em cima do frame. Na cabeça de Buccini, seriam entre cinco a dez artistas. Mas ele foi se empolgando e "Eu O Declaro Meu Inimigo" terminou sendo feito com 127 ilustradores, artistas plásticos, designers, animadores e artistas gráficos de todo o Brasil.




A técnica permite que os desenhos usem como base imagens já filmadas”, explica Buccini, que teve Thiago Delácio como codiretor. As filmagens ocorreram no estúdio da banda e no bairro onde vivem, Alto José do Pinho. Não houve amarras para os colaboradores, a não ser a restrição às cores preto e branco - e um pouco de vermelho como opção. "Cada colaborador ficou livre para fazer o que quisesse com as imagens. Lápis de cor, aquarela, carvão, desenho digital, podia qualquer técnica. A estética também. Então, a cada meio segundo o clipe muda drasticamente, formando um caos de imagens ligadas pelo movimento e pela música do Devotos”, completa Buccini, que foi baterista da banda pernambucana Dona Margarida Pereira e Os Fulanos, nos anos 1990.

A inspiração desse trabalho foi o clipe de Johnny Cash, 'Ain’t No Grave', produzido coletivamente por milhares de pessoas do mundo inteiro. Gosto muito dessa estética caótica. Uns fizeram em estilo mais cartum, outro mais realista. Teve gente que imprimiu e desenhou por cima, outros usaram carvão, stop motion e até bordado. O resultado é surpreendente”, comenta Buccini.




Entre os participantes do clipe, estão gente como César Coelho e Aída Queiroz (fundadores do Anima Mundi), Victor-Hugo Borges (criador e diretor da série de animação Historietas Assombradas, atualmente exibida no Cartoon Network), Maurício Squarisi e José Maia. Entre os conterrâneos do trio do Alto José do Pinho estão André Rodrigues, Rafael Barradas e Chaps Melo (da animação pernambucana Mundo Bita), artistas plásticos como Lourival Cuquinha, o grafiteiro Galo de Souza e ilustradores mais ligados ao heavy metal, como Alcides Burn e Guga Burkhardt. Sem falar no próprio guitarrista Neilton. Buccini e Delácio ainda pediram para crianças desenharem, como o filho do diretor, Gabriel Buccini, 10 anos, e a filha do vocalista Cannibal, Maria Vitória.

Após a exibição do clipe, no dia 18, haverá um debate com a participação dos diretores, da banda e de colaboradores que participaram da produção. “A ideia é justamente explicar melhor como foi todo o processo e tirar as dúvidas da galera”, explica Buccini. "Eu O Declaro Meu Inimigo" vai  ser exibido inicialmente no auditório do Mamam. Logo depois, entrará na programação de clipes da sala de cinema que compõe a exposição, junto com outros trabalhos do Devotos.

SERVIÇO
Lançamento do vídeo clipe "Eu O Declaro Meu Inimigo"
Sexta, 18/05, às 19h
Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam)
Rua da Aurora, 265 - Boa Vista
Recife

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE