A música como fio condutor da vida


Ao pensar na vida, é normal que nos deparemos com alguns arrependimentos. E se tivesse feito tal coisa? E se não tivesse tomado tal decisão? Mas o passado não pode ser alterado, e ficar preso às armadilhas que ele traz apenas dificulta viver o presente e planejar o futuro.

Música, discos, cultura, livros, seja o que for: a companhia e o conforto que esses itens nos proporcionam vão muito além do prazer de colecionar. São retratos de nossas vidas, recortes de recordações, projeções do que sonhamos. Uma coleção de discos, analisada com sensibilidade e atenção, revela muito sobre seu dono. Em diversos aspectos, é como um raio x da personalidade de cada colecionador: complexa, variada, plural e com algumas surpresas.

Behemoth lado a lado com os Beatles. Chico Buarque fazendo companhia ao Clash. Judas Priest bem pertinho de Jorge Ben. Amor e ódio, admiração e inveja, alegria e tristeza. A montanha-russa de emoções que faz parte dos nossos dias é o que faz nos sentirmos vivos. Sem sentir nada, sem o coração bater mais forte, tudo fica sem sentido.

A música tem um papel fundamental em tudo isso. No meu caso, é a única companhia constante. Há quase quarenta anos é assim. Discos que já foram trilhas de momentos inesquecíveis hoje soam apenas como memórias indesejáveis. Músicas que eram somente mais do mesmo com o tempo ganharam significado muito maior.

Eu me relaciono com o mundo tendo a música como elemento central. E quem não possui uma relação forte com essa arte única e maravilhosa certamente jamais entenderá isso. Posso estar errado, e sei que já cometi, cometo e ainda cometerei muitos erros. Porém, por mais que meus defeitos sejam claros – e acredite, os seus também -, uma coisa que posso afirmar com absoluta certeza é que, apesar de adorar séries policiais e gostar de ler sobre o comportamento humano, não consigo manipular minimamente o meu próprio cotidiano. O que acontece é exatamente o contrário: as pessoas me conhecem, percebem minha transparência e me conduzem para os seus objetivos, não os meus. Mas dia após dia, um passo de cada vez, vou aprendendo a mudar isso.

A vida é cheia de surpresas. Algumas maravilhosas, outras nem tanto. Cada um tem uma receita para lidar com tudo isso. No meu caso, esse remédio é a música. E, posso afirmar com toda certeza, que ele continua funcionando.


Comentários

  1. Também compartilho do mesmo pensamento.

    Quando um momento tem a música nos acompanhando, este exato tempo nos envolve em uma áurea, quase que divino.

    E como dizia o Ferreira Gullar, a arte existe porque a vida não bastaria.

    Que bom que temos as artes para todos os nosso momentos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto sincero!
    Abraços aqui do sul

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Você pode, e deve, manifestar a sua opinião nos comentários. O debate com os leitores, a troca de ideias entre quem escreve e lê, é que torna o nosso trabalho gratificante e recompensador. Porém, assim como respeitamos opiniões diferentes, é vital que você respeite os pensamentos diferentes dos seus.