12 de mai de 2012

11 de mai de 2012

Saint Vitus: crítica de ‘Lillie: F-65’ (2012)

sexta-feira, maio 11, 2012

Nota: 8


O Saint Vitus é um dos nomes mais importantes e influentes da história do doom metal. Criada em Los Angeles no final dos anos setenta, a banda lançou o seu primeiro disco em 1984 e serviu de guia e referência para toda uma geração. Lillie: F-65, lançado no último dia 27 de abril pela Season of Mist, é o oitavo álbum da banda e o primeiro trabalho de inéditas desde Die Healing, de 1995. Além disso, o disco marca o retorno do vocalista Scott “Wino” Weinrich ao grupo e é o primeiro a contar com a sua voz desde V, de 1990.


Produzido por Tony Reed, Lillie: F-65 tem uma sonoridade que remete diretamente ao clássico Master of Reality, lançado pelo Black Sabbath em julho de 1971. O timbre da guitarra de Dave Chandler é gordo, grave, gordurento, remetendo aos primeiros anos do Sabbath. Esse fator, aliado aos andamentos sempre cadenciados, característica predominante do doom, tornam o trabalho extremamente pesado e sombrio. Soma-se isso ao fato das músicas serem todas construídas a partir da estrutura padrão do blues e temos um trabalho que remete às raízes do heavy metal e ao seu surgimento e consolidação como gênero musical. Um tipo de som que acabou sendo deixado para trás pela maioria dos grupos a partir do advento da New Wave of British Heavy Metal, quando as bandas afastaram o som pesado do blues e investiram em doses cada vez maiores de melodia e agressividade.


“Let Them Fall” abre o play com o pé direito, ótima impressão que “The Bleeding Ground” mantém. A inclusão de algumas vinhetas e trechos instrumentais introdutórios dá um clima ainda mais soturno ao material, principalmente por essas passagens levarem a música em direção ao psicodelismo. Chandler brilha acima dos outros músicos, entregando riffs que levam adiante o legado único de Tony Iommi. O outro destaque é Wino, cujo vocal nada sutil torna o som do quarteto ainda mais forte, áspero e perturbador.


Descontando-se alguns delizes, como o riff de “Blessed Night” ser praticamente o mesmo de “After Forever”, do Sabbath, e a semelhança das linhas vocais de Wino em algumas faixas, o resultado final é um trabalho dono de uma beleza lúgubre, cujo único defeito é o fato de durar apenas 33 minutos. Para quem esperou 17 anos por um álbum de inéditas e 22 para um novo disco com o vocalista, convenhamos que isso pode ser um pouco decepcionante. Porém, apesar de curto, Lillie: F-65 não desperdiça o tempo do ouvinte, fazendo valer cada segundo. 


Ouça, vale a pena!




Faixas:
  1. Let Them Fall
  2. The Bleeding Ground
  3. Vertigo
  4. Blessed Night
  5. The Waste of Time
  6. Dependence
  7. Withdrawal

Shadows Fall: assista o clipe de “The Unknown”

sexta-feira, maio 11, 2012


O Shadows Fall lançou o clipe do primeiro single de seu novo álbum, Fire From the Sky. O  vídeo foi inspirado no conto The Pit and the Pendulum, de Edgar Allan Poe, que também serviu de inspiração para uma das cenas mais famosas da série de filmes Jogos Mortais.


Sétimo disco do Shadows Fall, Fire From the Sky será lançado no próximo dia 15 de maio e foi produzido por Adam Dutkiewicz, guitarrista do Killswitch Engage.


Assista abaixo:

Lita Ford: ouça a inédita “Mother”

sexta-feira, maio 11, 2012


O novo disco de Lita Ford, Living Like a Runaway, sairá dia 19 de junho pela Steamhammer. Mas você pode experimentar um pouco do que vem por aí ouvindo agora mesmo a inédita “Mother”, uma bela balada que faz parte do álbum.


Ficou curioso? Então dê play abaixo, ouça e conte pra gente o que achou:

Pantera na nova RockHard francesa

sexta-feira, maio 11, 2012


Os vinte anos do clássico Vulgar Display of Power, do Pantera, continuam rendendo. A banda está na capa da nova edição da RockHard francesa, que falou com o vocalista Phil Anselmo sobre o disco.


Além do Pantera, o número 122 da revista tem matérias com Marilyn Manson, Moonspell, Guns N' Roses, Watain, Storm Corrosion, Europe, Grand Magus, Slash e muitos outros artistas.

Moonspell: assista o clipe de “White Skies”

sexta-feira, maio 11, 2012


O novo álbum do Moonspell, Alpha Noir, tem uma edição especial onde vem acompanhado de um segundo disco chamado Omega White. Nele, a banda executa oito faixas inéditas onde explora a sua veia gótica, com uma sonoridade totalmente diferente da apresentada em Alpha Noir.


A bela “White Skies”, uma das músicas de Omega White, ganhou um bonito clipe, onde é possível perceber como a banda portuguesa alcançou um nível altíssimo nos dois caminhos sonoros.


Confira abaixo:

Game of Thrones na capa da nova Rolling Stone

sexta-feira, maio 11, 2012


O ator Peter Dinklage, que interpreta o personagem Tyrion Lannister na série Game of Thrones, estrela a capa da nova edição da Rolling Stone norte-americana. O ator, que é anão, fez vários papéis secudários ao longo dos anos em diversos filmes, mas em Game of Thrones encara um dos protagonistas e é um dos destaques da série.



10 de mai de 2012

Todo mundo já esqueceu o que aconteceu no Metal Open Air?

quinta-feira, maio 10, 2012


Amanhã, dia 11 de maio, completaremos três semanas do maior fiasco da história do heavy metal aqui no Brasil. Amanhã, dia 11 de maio, fará três semanas que o festival Metal Open Air teve início. Amanhã, dia 11 de maio, fará três semanas que as dezenas de shows prometidos se transformaram em um festival de cancelamentos, desrespeito e falcatruas com as bandas, os profissionais contratados e, principalmente, com o público.


Hoje, porém, apenas três semanas depois do maior 171 da história do metal brasileiro, ninguém fala mais nada sobre o ocorrido. Hoje, apenas TRÊS SEMANAS depois! Meros 21 dias! Nessas horas, é de se pensar que os irresponsáveis por trás do festival de atrocidades que foi o MOA e o público que, aparentemente, gostou de ser enganado por eles, realmente se merecem.


Se não, vejamos. Cansei de ler comentários em sites e redes sociais de pessoas que foram ao festival dizendo que, pelo preço que pagaram pelo ingresso, estava de bom tamanho ver as bandas que conseguiram assistir. Sim, você leu corretamente: pagaram por quarenta bandas, mas estão felizes por terem visto apenas treze. Sei lá, mas, pessoalmente, acho que isso é caso de interdição por incapacidade mental. 


Além disso, qualquer matéria publicada sobre o assunto está repleta de comentários do tipo “ah, já deu”, “como vocês são chatos”, “parem de falar nisso”. Não, não paramos! Não dá pra alguém parar de falar no que aconteceu! Esqueceram que os campings estavam localizados em estábulos? Esqueceram da falta de estrutura? Esqueceram da falta de segurança? Esqueceram da falta de higiene? Esqueceram do que foi prometido e não foi cumprido?


Enquanto isso, resenhas claramente direcionadas para isentar uma das partes surgiram em sites de projeção nacional - leia aqui. Uma das (ir)responsáveis pelo MOA, a Negri Concerts, continua promovendo shows com, aparentemente, casas cheias, como se nada tivesse acontecido e não estivesse envolvida nas falcatruas do festival. Além disso, posta em seu site notas onde tira o seu da reta e joga tudo nas costas da outra (ir)responsável, a Lamparina Produções - aqui. Uma das porta-vozes da Negri, ciente da imensa bola fora que deu, mudou o seu sobrenome nas redes sociais e agora assina, estranhamente, com um até então inédito “Mello”. Já o dono da empresa, que antes discursava aos quatro ventos, sumiu de circulação e não é mais visto online. Dá até para criarmos um jogo intitulado Por Onde Andará o Produtor do Evento, que tal?


Aqui, é preciso fazer um elogio público para a matéria publicada na última edição da Roadie Crew sobre o Metal Open Air. Escrita por Maicon Leite, que esteve e acompanhou pessoalmente tudo o que aconteceu no Maranhão, mostra um posicionamento claro da revista em relação a tudo o que aconteceu, fato raro na nossa mídia especializada, que geralmente não diz o que precisa ser dito porque fulano de tal é amigo do ciclano e por aí. Mas isso não aconteceu na matéria da Roadie Crew, que critica veementemente os absurdos do MOA e faz revelações até então inéditas da relação da revista com o Wacken Open Air. Parabéns, mais uma vez, pela forma como publicaram o texto.

Amanhã fará três semanas que o sonho do Metal Open Air virou um pesadelo. Não se esqueça disso. Nunca. Se você foi ao MOA, vá atrás dos seus direitos. Se não foi, o mínimo que você tem que fazer é não dar as caras em shows promovidos tanto pela Negri Concerts quanto pela Lamparina Produções. Ou, se achar melhor, não faça nada e assine embaixo da fama de acomodado que o brasileiro possui. O que você prefere?

As Novas Caras do Metal - Parte 11: tem música de qualidade sendo produzida e você nem sabia

quinta-feira, maio 10, 2012


A nova edição da série As Novas Caras do Metal traz dez bandas dos mais variados estilos e países, que estão fazendo a diferença dentro da música pesada. Sons recentes, que chegaram esse ano ao mercado, predominam. Portanto, se você pensa que tudo de bom foi produzido só no passado e ficou por lá, está na hora de rever os seus conceitos!


Sacred Mother Tong


Banda inglesa formada em 2004. A estreia do quarteto, The Ruin of Man, saiu em 2009. O grupo acaba de assinar com a EMI e lançará o seu segundo disco ainda em 2012. Ouça abaixo o primeiro single do novo disco, “Seven”.



Allegaeon


Estes norte-americanos estão na estrada desde 2008. O som é um death metal extremamente técnico e cheio de melodia. Fragments of Form and Function, primeiro disco dos caras, saiu em 2010. O segundo, Formshifter, acaba de chegar às lojas. Altamente recomendado!



Jettblack


Hard rock californiano feito na Inglaterra. O quarteto lançou o seu primeiro disco em 2010, Get Your Hands Dirty, e o segundo, Raining Rock, sairá no próximo dia 4 de junho. Levante o som!



Barren Earth

Banda finlandesa cuja sonoridade transita entre o prog e o death metal. O grupo foi formado em 2007 e o primeiro disco - Curse of the Red River - chegou às lojas em 2010. O novo trabalho dos caras, The Devil’s Resolve, saiu em março e é um dos álbuns de heavy metal mais interessantes de 2012.



7 Horns 7 Eyes

Esta banda de Seattle, nos Estados Unidos, foi formada em 2006 mas lançou o seu primeiro disco, Throes of Absolution, apenas em março deste ano. A sonoridade pode ser definida como “death metal progressivo”, já que o grupo alterna momentos extremos com passagens intrincadas e atmosféricas.



Gorod


Banda francesa na ativa desde 2005. O grupo já lançou quatro discos, sendo que o último, A Perfect Absolution, saiu em 12 de março passado e vem recebendo críticas bastante positivas da imprensa europeia. Indicado para quem curte um death metal extremamente técnico.



Black Breath

Grupo norte-americano natural de Seattle que faz um death ‘n’ roll cheio de energia e bastante cru. O quinteto já lançou dois discos, Heavy Breathing (2010) e Sentenced to Life (2012). 



Every Time I Die

Esta banda norte-americana já é veterana, mas permanece pouco conhecida no Brasil. Fundado em 1998, o Every Time I Die já lançou seis discos, sendo que o mais recente, Ex Lives, é, provavelmente, o melhor de todos. Atualmente, o grupo é um dos maiores nomes do estilo nos Estados Unidos.



Ufomammut

Banda italiana formada em 1999. A sonoridade do trio é bem viajante, com elementos de stoner, sludge, doom e fartas doses de psicodelia. O grupo já lançou vários discos, e um mergulho em sua discografia é pra lá de recomendado.



Hail Spirit Noir

Duo grego que mistura black metal com psicodelia, com grande presença de sintetizadores. O grupo tem apenas um disco, Pneuma, lançado em março passado. Sonoridade original e cativante.

Europe na capa da nova Metal Hammer italiana

quinta-feira, maio 10, 2012


O Europe, que está lançando o seu novo álbum, Bag of Bones, é capa da nova edição da Metal Hammer italiana. Na matéria, a banda fala sobre as diferenças entre o som atual e a antiga sonoridade do grupo.


A revista tem também matérias com Paradise Lost, Gotthard, The Cult, Accept, Burzum, 3 Inches of Blood e várias outras bandas.

Slash na capa da nova RockHard italiana

quinta-feira, maio 10, 2012


Slash e Myles Kennedy estão na capa da nova edição da RockHard italiana. A dupla fala sobre o novo disco do guitarrista, Apocalyptic Love, que vem recebendo boas críticas em todo o mundo.


A revista traz também matérias como Europe, Storm Corrosion, Firewind, Jeff Loomis, Watain, Six Feet Under e outras bandas, além de dois CDs de brinde com sons do metal atual.

Nova coletânea do Black Sabbath em junho

quinta-feira, maio 10, 2012


O Black Sabbath anunciou o lançamento de uma nova compilação. Iron Man: The Best of Black Sabbath chegará às lojas no próximo dia 4 junho com quatorze faixas retiradas dos álbuns gravados pela banda entre 1970 e 1978 - ou seja, a fase clássica com Ozzy Osbourne.


Não há nada de novo, todas as faixas já foram lançadas nas dezenas de compilações que existem do grupo por aí. A única novidade é a capa diferente das outras.


Confira o tracklist abaixo:


1. Paranoid
2. Iron Man
3. Changes
4. Fairies Wear Boots
5. War Pigs
6. Never Say Die
7. Children of the Grave
8. The Wizard
9. Snowblind
10. Sweet Leaf
11. Evil Woman
12. Sabbath Bloody Sabbath
13. Black Sabbath
14. N.I.B.

9 de mai de 2012

3 Inches of Blood: crítica de ‘Long Live Heavy Metal’ (2012)

quarta-feira, maio 09, 2012


Nota: 8,5


O principal mérito da banda canadense 3 Inches of Blood é fazer o tradicional soar moderno e atual. Isso é tarefa para poucos. Executando um heavy metal clássico que bebe diretamente na escola do Judas Priest e da NWOBHM, o quinteto construiu uma discografia sólida, forte e competente ao longo dos anos. Long Live Heavy Metal é o novo capítulo dessa jornada sempre ascendente.


Lançado no último dia 15 de março pela Century Media, o quinto álbum do 3 Inches of Blood é um atestado de amor e comprometimento com o metal. O título não está ali por acaso: se depender da banda, o heavy metal continuará vivo por séculos. A sonoridade é construída sobre o lado mais tradicional, porém o grupo não se contenta em seguir os caminhos óbvios que as faixas apontam. Com arranjos inteligentes e criatividade de sobra, a banda mostra que ter um som tradicional não é sinônimo de música repetitiva, muito pelo contrário. Canções como “Metal Woman”, “Leather Lord” e “Look Out” são ótimos exemplos disso.


O trabalho de composição é muito bom. As faixas são intensas, com um ótimo trabalho da cozinha formada por Byron Stroud (baixo) e Ash Pearson (bateria). O timbre do vocalista Cam Pipes, extremamente semelhante ao de Rob Halford, faz com que tenhamos a impressão de estar ouvindo, em alguns momentos, uma versão rejuvenescida do Judas Priest.


A banda experimenta novos caminhos em alguns momentos. A instrumental “Chief and the Blade” leva o ouvinte para o velho oeste e introduz a ótima “Dark Messenger”, um dos destaques do disco. “My Sword Will Not Sleep” é de uma competência inequívoca, enquanto a bela instrumental “One for the Ditch” encerra o disco em grande estilo.


O saldo final é mais um grande acerto do 3 Inches of Blood. Long Live Heavy Metal é um belo trabalho, com qualidade de sobra para cair no gosto de qualquer headbanger. Se você curte metal, vai curtir esse disco!




Faixas:
  1. Metal Woman
  2. My Sword Will Not Sleep
  3. Leather Lord
  4. Chief and the Blade
  5. Dark Messenger
  6. Look Out
  7. 4000 Torches
  8. Leave It on the Ice
  9. Die for Gold (Upon the Boiling Sea IV)
  10. Storming Juno
  11. Men of Fortune
  12. One for the Ditch

“Souls For Belial”, novo clipe do Marduk

quarta-feira, maio 09, 2012


Os suecos do Marduk disponibilizaram o clipe da faixa “Souls For Belial”, primeiro single de seu novo disco, Serpent Sermon. O single foi encartado em uma quantidade limitada na última edição da revista Sweden Rock.


Serpent Sermon é o décimo-segundo álbum do grupo, um dos mais tradicionais e importantes do black metal.


Assista a pancadaria abaixo:

Opeth: Mikael Akerfeldt não quebrou o braço - já a sua cabeça ...

quarta-feira, maio 09, 2012


Diversos sites em todo o mundo relataram ontem, dia 8 de maio, que Mikael Akerfeldt, vocalista e guitarrista do Opeth, teria sofrido um acidente de carro e quebrado o braço, o que levou a banda a cancelar o show que faria na cidade de Maplewood, no Minnesota, parte da turnê conjunta ao lado do Mastodon e do Ghost.


O que realmente aconteceu foi que Mikael bateu de maneira muito forte a sua cabeça no tourbus do Mastodon, sofrendo um corte muito profundo. A pancada foi tão violenta que Akerfeldt foi levado para a emergência e levou oito pontos. Para acabar de vez com qualquer dúvida, o próprio músico postou uma foto no Facebook do Opeth mostrando o ferimento.


Desejamos melhoras a Mikael Akerfeldt, um dos caras mais criativos e inovadores do heavy metal e do rock atual.

Alabama Shakes na NME da semana

quarta-feira, maio 09, 2012


A nova edição da NME enche a bola do quarteto norte-americano Alabama Shakes. O grupo lançou o seu primeiro disco, Boys & Girls, no último dia 9 de abril pela gravadora Rough Trade. A matéria especial da NME conta com depoimentos de gente como Jack White, Alex Turner (Arctic Monkeys), Jarvis Cocker (Pulp) e integrantes dos Strokes sobre o grupo, todos babando no som do conjunto.


Além disso, a nova NME tem um guia de A a Z sobre o Guns N’ Roses, um tributo ao Bestie Boy Adam Yauch e muito mais.


Veja algumas páginas da revista abaixo. E, se quiser comprar a sua, acesse o site oficial da NME.






8 de mai de 2012

Allegaeon: assista o lyric video de “Behold (God I Am)”

terça-feira, maio 08, 2012


O Allegaeon é mais uma banda que embarcou na onda dos lyric videos. Os norte-americanos produziram um para a faixa “Behold (God I Am)”, música presente em seu segundo disco, Formshifter, que acaba de sair pela Metal Blade.


Executando um death metal técnico e melódico, o quarteto de Fort Collins, no Colorado, mostra talento e criatividade em uma sonoridade muito interessante.


Assista abaixo e comprove:

P.O.D.: veja a capa do novo álbum da banda

terça-feira, maio 08, 2012


O grupo norte-americano P.O.D. divulgou a capa do seu aguardado novo álbum, intitulado Murdered Love. O trabalho é o sucessor de When Angels & Serpentes Dance (2008) e será lançado no próximo dia 10 de julho. O disco foi produzido por Howard Benson (Motörhead, Sepultura, Skindred), que já trabalhou com a banda em Satellite, de 2001.


A capa de Murdered Love foi criada pelo estúdio Invisible Creature, que já desenvolveu artes para nomes como Foo Fighters, Chris Cornell e outros.

Assista “Metal Woman”, novo clipe do 3 Inches of Blood

terça-feira, maio 08, 2012


A banda canadense 3 Inches of Blood lançou o primeiro clipe de divulgação do seu novo álbum, Long Live Heavy Metal. A faixa escolhida para ganhar um vídeo foi a que abre o play, “Metal Woman”. 


Long Live Heavy Metal é o quinto disco do quinteto e foi lançado no último dia 15 de março pela Century Media. A repercussão tem sido muito boa junto aos fãs e à imprensa especializada. A Metal Hammer, por exemplo, deu nota 9 para o trabalho.


Assista abaixo o clipe de “Metal Woman”:

Nova edição da Revolver com três capas diferentes

terça-feira, maio 08, 2012



A nova edição da revista norte-americana Revolver conta com três capas diferentes. As duplas Slash e Alice Cooper, Chris Jericho e Corey Taylor e Black Veil Brides e Dee Snider estampam a nova edição, que traz um especial sobre a recente premiação Golden Gods, promovida pela publicação.

E aí, qual é a sua capa favorita?

Um anão psicopata, muita violência gratuita e diversas mulheres seminuas: "Raining Rock", o novo clipe do Jettblack

terça-feira, maio 08, 2012


A banda londrina Jettblack divulgou o clipe da faixa-título e primeiro single do seu novo álbum, Raining Rock. O disco é o sucessor de Get Your Hands Dirty, de 2010, e chegará às lojas no próximo dia 4 de junho.


Se você curte hard rock, assista no volume máximo e divirta-se:

Godsmack: assista o clipe para a versão de “Rocky Mountain Way”, clássico de Joe Walsh

terça-feira, maio 08, 2012


O Godsmack incluiu algumas versões para clássicos do rock em seu novo disco, o ao vivo Live & Inspired. Uma das canções regravadas pela banda foi “Rocky Mountain Way”, de Joe Walsh, um dos maiores hinos dos anos setenta.


A competente releitura do Godsmack foi lançada como single e ganhou um clipe, que você pode assistir abaixo:

Os segredos por trás das grandes canções na nova Kerrang

terça-feira, maio 08, 2012


A edição desta semana da Kerrang traz uma matéria especial sobre os segredos por trás de alguns dos maiores clássicos do rock. A revista conta como surgiram, quais foram as motivações e muitos detalhes sobre sons emblemáticos de bandas como Metallica, Mastodon, Iron Maiden, Avenged Sevenfold, Green Day e outras.


Além disso, a nova Kerrang tem matérias como Cancer Bats, um tributo ao Beastie Boy Adam Yauch e pôsteres do Black Veil Brides, My Chemical Romance e Falling in Reverse. 


Para comprar, acesse o site oficial.

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE