8 de jun de 2012

Rush: crítica de ‘Clockwork Angels’ (2012)

sexta-feira, junho 08, 2012


Nota: 8,5


Hoje, 8 de junho, o novo álbum do Rush pousa nas lojas de todo o mundo. O décimo-nono trabalho de estúdio do trio foi gravado em Nashville e Toronto e tem produção da própria banda e de Nick Raskulinecz, o mesmo do disco anterior, Snakes & Arrows (2007). Clockwork Angels traz doze novas faixas para o amplo catálogo do grupo, sendo que as duas primeiras - “Caravan” e “BU2B” - já são conhecidas dos fãs por terem sido lançadas como single em 1 de junho de 2010 e executadas durante a última turnê dos caras, batizada como Time Machine e que passou pelo Brasil em outubro de 2010.


Acontece algo interessante com o Rush. Com 44 anos de carreira - a banda nasceu em 1968, mas só lançou o seu primeiro LP em 1974 -, Geddy Lee, Alex Lifeson e Neil Peart já experimentaram os mais variados caminhos sonoros. Do hard rock ao prog, passando pela new wave e por composições com excessos de teclados, a banda foi a extremos e acertou a mão na maioria das vezes. Hoje em dia, entretanto, o trio parece se contentar em manter o seu porto seguro dentro do universo do hard rock, explorando as infinitas possibilidades que o gênero permite. E a experiência de quem sempre ousou com flertes com outros estilos é aplicada de maneira cirúrgica em Clockwork Angels, um trabalho com qualidades para se transformar em um dos discos preferidos dos fãs.


Bastante pesado, Clockwork Angels traz o Rush soando moderno e cheio de energia. As faixas são longas, porém jamais cansativas. As composições são intrincadas, mas sem trechos desnecessários e auto-indulgentes. Todos essas características demonstram a maturidade do trio, ainda mais levando-se em conta que a própria banda produziu o play, ao lado de Raskulinecz. 


Há pouco de prog em Clockwork Angels. Se você quer um termo para definir como o disco soa, poderia defini-lo como rock moderno, sem exageros e excessos. Tudo está no lugar e na quantidade certa. 


Lee, Lifeson e Peart acertaram a mão violentamente. A faixa-título arrepia e é uma das melhores composições do Rush em décadas. “The Anarchist” tem um astral que remete aos tempos de Fly By Night (1975) e 2112 (1976) e uma trabalho sensacional de baixo e bateria - uma redundância em se tratanto de Rush, porém um elogio necessário. “Carnies” possui ecos de “The Spirit of Radio” em certas passagens - não sei se de forma intencional o não -, além de uma aula de Alex.




A inspiração é constante. O peso, onipresente. O feeling, inquestionável. As composições são fortes, donas de uma beleza que impressiona. Os flertes com o passado estão em todo o disco. A linda “The Wreckers” tem uma guitarra que remete à British Invasion e belas linha vocais de Lee e grandes melodias. “Headlong Flight” é, provavelmente, a melhor faixa de Clockwork Angels, e cheira a futuro clássico. Cheia de dinâmicas distintas, mostra o que de melhor o Rush sempre soube fazer: rock pesado e complexo, mas sempre audível. 


Todas as faixas exploram o mesmo tema - a jornada de um jovem por um mundo alternativo, em busca de seus sonhos. Neil Peart se inspirou na obra Candide, escrita por Voltaire no século XVIII. E a coisa irá além: o escritor de ficção científica Kevin J. Anderson (Duna, Arquivo X, Star Wars), amigo de longa data de Peart, está escrevendo um livro explorando de maneira mais profunda toda a trama criada pelo baterista para o trabalho.


É possível afirmar, sem medo de errar, que Clockwork Angels será figura certa nas listas de melhores de 2012. O álbum é coeso, forte, cativante, e mostra um Rush focado no presente e com os olhos no futuro, porém sem renegar, em nenhum instante, o seu glorioso passado. 


Envelhecer fazendo música de qualidade é difícil. Envelhecer produzindo rock de qualidade, mais ainda. O Rush, com mais de quatro décadas de carreira, segue relevante e surpreendente, passando por cima e atropelando nomes muito mais novos e, teoricamente, com muito mais energia e apetite para mostrar o seu trabalho.


O ditado “aprenda com os mais velhos” poucas vezes soou tão verdadeiro como aqui. 




Faixas:
  1. Caravan
  2. BU2B
  3. Clockwork Angels
  4. The Anarchist
  5. Carnies
  6. Halo Effect
  7. Seven Cities of Gold
  8. The Wreckers
  9. Headlong Flight
  10. BU2B2
  11. Wish Them Well
  12. The Garden

Metallica: vídeo de “Holier Than Thou” ao vivo na Suíça

sexta-feira, junho 08, 2012


O Metallica divulgou um vídeo oficial sobre a apresentação do último dia 30 de maio na cidade suíça de Yverdon. O vídeo segue o padrão dos últimos postados pela banda: encontro com os fãs, aquecimento tocando alguma coisa e um clipe de uma faixa do Black Album - que está sendo executado na íntegra na atual turnê - tocada no show.


Para ir direto para “Holier Than Thou”, avance o player abaixo até 09:18:

Review de show: Richie Kotzen - Aldeia Bar, Jundiaí (SP), 06/06/2012

sexta-feira, junho 08, 2012


Por Fabiano Negri


Na noite fria do último dia 6 de junho fui até Jundiaí para acompanhar o show de Richie Kotzen num apertado, porém simpático, Aldeia Bar. Acho incrível que apesar de ter uma extensa e ótima discografia, Richie ainda seja lembrado como ex-guitarrista do Poison e do Mr Big, com quem, sejamos francos, fez discos no máximo medianos. A verdade é que o guitarrista e cantor – isso no palco, pois em seus discos, na maioria das vezes, ele grava todos os instrumentos de forma convincente – é um músico de talento muito acima da média e não desfruta do reconhecimento que merece.


Com todos os ingressos vendidos, o público se espremia em frente ao baixíssimo palco quando o trio - que além de Richie é formado pelos excelentes Dylan Wilson no baixo e Mike Bennet na bateria - adentrou o recinto e começou uma apresentação com o swing em alta na empolgante “Bad Situation”, de seu ótimo último CD, 24 Hours (2011). Apesar do sistema de PA simples da casa o som estava bastante agradável, com destaque para os belos timbres de baixo e guitarrra.


A galera mostrou toda sua empolgação na versão de Richie para “Shine”, música do Mr Big. O que se viu a seguir foi um festival de boas canções e um entrosamento absurdo entre o trio. Como vocalista, Richie tem um timbre similar ao de Chris Cornell, porém menos rock e mais soul. Mesmo com o recente problema que teve nas pregas vocais sua performance foi muito boa, como pude comprovar principalmente nas baladas “High”, “My Angel” e na sensacional “Doin' What the Devil Says to Do. 


Só para ver o cara cantar já valeria o preço do ingresso, mas estamos falando de, sem dúvida, um dos melhores guitarristas do mundo. Sua técnica é simplesmente absurda. Navega com clara fluência entre os mais diversos estilos, com altas doses de virtuosismo, combinadas sempre com um fraseado rico e de extremo bom gosto. Ao mesmo tempo em que ele pode soar como um Jimi Hendrix moderno na matadora “Peace Sign”, também explode as seis cordas com uma esbugalhação na velocidade da luz na impossível “24 Hours”. 


O mais impressionante de tudo é que de uns tempos pra cá ele resolveu abandonar a palheta, reproduzindo todos os seus truques com os dedos e conseguindo abrir um novo leque de possibilidades e timbres. Toda sua classe foi desfilada em “Fooled Again” e “Paying Dues”, músicas que deram abertura para a banda improvisar durante alguns minutos, mas nada desses improvisos chatos que determinam a hora de ir ao banheiro. O que se viu foi uma sonzeira em que a música se sobrepõe ao ego.


Apesar de curto - o show durou cerca de 1 hora  e 30 minutos -,o set satisfez a todos os presentes, e mesmo com sua saída abrupta do palco encurtando a versão de “Go Faster” - não me perguntem o que aconteceu, alguma coisa saiu do controle e ele simplesmente encerrou a música e deixou o palco -, ninguém foi capaz de fazer nenhum tipo de reclamação. A apresentação foi realmente impecável.




Após o show, Richie e seus companheiros de banda ainda tiveram tempo de atender alguns fãs autografando itens e tirando fotos. Ao contrário do que dizem algumas pessoas, ele foi gentil e paciente com todos que aguardaram pela sua presença.


Se você é daqueles que ainda acha que o Richie Kotzen é um cara que fez parte de algumas bandas posers por aí, faça um favor para seu ouvido: corra atrás da discografia do cara! Você vai encontrar uma deliciosa mistura de rock, blues, soul, funk, pop e hard rock, feita por um dos músicos mais talentosos e subestimados de que se tem notícia.

Neil Young & Crazy Horse: crítica de ‘Americana’ (2012)

sexta-feira, junho 08, 2012


Nota: 9


Trigésimo-quarto álbum de estúdio de Neil Young, Americana é um dos mais belos discos gravados pelo cantor e guitarrista canadense em sua longa carreira. Novamente ao lado dos chapas da Crazy Horse - a última parceria havia rolado há 9 anos, em Greendale (2003) - e retomando o trabalho com o guitarrista Frank “Poncho” Sampedro - com quem não trocava acordes desde Broken Arrow, de 1996 -, Young voa alto em Americana.


O disco é composto apenas por músicas clássicas do folclore norte-americano, presentes no inconsciente coletivo dos cidadãos dos Estados Unidos. Um trabalho arqueológico irrepreensível, que revisita uma tradição de mais de dois séculos em quase uma hora de puro prazer sonoro.


Young, ao lado de Sampedro, Billy Talbot (baixo) e Ralph Molina (bateria), trabalhou cada faixa individualmente, reinventando composições históricas, mexendo nas melodias, imaginando novos arranjos. O repertório conta a história dos EUA através da música, indo de hinos da época da Guerra Civil como “Oh Susannah”, “Clementine”, “Tom Dula” e “Gallows Pole” a spirituals célebres como “Jesus’ Chariot (She’ll Be Coming Round the Mountain)”, culminando com “God Save the Queen”, hino do Reino Unido que Neil, quando criança, cantava junto com os colegas de escola no Canadá.


Todas as onze faixas de Americana foram gravadas ao vivo pelo quarteto - a exceção são alguns backing vocals adicionados depois -, característica que torna o disco ainda mais forte. Há erros de andamento, desafinações, notas erradas, e essas fatores fazem de Americana um disco orgânico, despojado e verdadeiro como poucos, que toca fundo em qualquer pessoa que ama a música.


Destaque para “Oh Susannah” (com acordes idênticos aos de “Venus”, do Shocking Blue), “Tom Dula”, “High Flyin’ Bird”, “Jesus’ Chariot ( She’ll Be Coming Round the Mountain)”, “This Land is Your Land” e “God Save the Queen”.


O resultado final é admirável: a maioria das faixas soam superiores às dezenas de versões já existentes. Além disso, apresentam e servem de porta de entrada da rica história musical dos Estados Unidos - terra natal do blues, do jazz, do funk e do rock -, para novos ouvintes.


Americana não é apenas o melhor disco de Neil Young desde Sleeps with Angels (1994), mas, com certeza absoluta, um dos grandes álbuns do ano.




Faixas:
  1. Oh Susannah
  2. Clementine
  3. Tom Dula
  4. Gallows Pole
  5. Get a Job
  6. Travel On
  7. High Flyin’ Bird
  8. Jesus’ Chariot (She’ll Be Coming Round the Mountain)
  9. This Land is Your Land
  10. Wayfarin’ Stranger
  11. God Save the Queen

Paradise Lost: ouça a coletânea 'Lost in Time' na íntegra

sexta-feira, junho 08, 2012


O novo disco do Paradise Lost, Tragic Idol, vai muito bem, obrigado. Comemorando a ótima aceitação do álbum, a Century Media disponibilizou via streaming e para download uma compilação batizada como Lost in Time, com uma faixa de cada um dos treze discos do grupo. 


Ótima oportunidade para quem não conhece a banda entender porque os caras são um dos nomes mais respeitados do heavy metal.


Ouça na íntegra abaixo:


My Ruin: assista o clipe de "Deconsecrated"

sexta-feira, junho 08, 2012


Os norte-americanos do My Ruin lançaram um clipe para a faixa "Deconsecrated". O som faz parte do sétimo disco do grupo, A Southern Revelation, que chegou às lojas em 7 de dezembro passado.


O My Ruin tem uma característica bem interessante: as cabeças da banda, os líderes da coisa toda, são a vocalista Tairrie Murphy e o multi-instrumentista Mick Murphy, que são casados. Ou seja, tudo em família.


Bem bom, assista abaixo:

6 de jun de 2012

The Decemberists: duplo ao vivo da banda é lançado no Brasil

quarta-feira, junho 06, 2012


Ótima notícia para quem curte boa música: a EMI está lançando no Brasil o álbum duplo ao vivo We All Raise Our Voices to the Air, da banda norte-americana Decemberists. O CD saiu em março nos EUA, e agora desembarca em nosso país.


O Decemberists foi responsável por um dos melhores discos de 2011, o espetacular The King is Dead. O rock com pitadas country e folk do grupo liderado pelo vocalista e guitarrista Colin Meloy tem conquistado cada vez mais admiradores em todo o mundo - e com justiça, diga-se de passagem.


Confira abaixo o tracklist de We All Raise Our Voices to the Air:


CD 1
  1. The Infanta
  2. Calamity Song
  3. Rise to Me
  4. The Soldiering Life
  5. We Both Go Down Together
  6. The Bangman’s Gambit
  7. Down by the Water
  8. Leslie Ann Levine
  9. The Rake’s Song
  10. The Crane Wife 1, 2 and 3
CD 2
  1. Oceanside
  2. Billy Lair
  3. Grace Cathedral Hill
  4. All Arise!
  5. Rox in the Box
  6. June Hymn
  7. Dracula’s Daughter / O Valencia!
  8. This is Why We Fight
  9. The Mariner’s Revenge Song
  10. I Was Meant for the Stage


Os 40 anos de Ziggy Stardust na NME desta semana

quarta-feira, junho 06, 2012


A edição desta semana da NME tem como destaque uma matéria especial sobre os 40 anos do clássico The Rise and Fall of Ziggy Stardust and The Spiders From Mars, lançado por David Bowie em 6 de junho de 1972. A revista dá a Bowie o título de maior músico britânico de todos os tempos, e analisa tudo o que envolveu o nascimento de Ziggy Stardust.


Além disso, a nova NME tem matérias com XX, Gaslight Anthem e outras bandas.


Para comprar a sua, acesse o site oficial.







Metallica: vídeo de “The Unforgiven” ao vivo na Bélgica

quarta-feira, junho 06, 2012


O Metallica divulgou mais um vídeo oficial da atual turnê europeia, onde o grupo está tocando o clássico Black Album na íntegra. Dessa vez, temos a apresentação que aconteceu na cidade belga de Werchter no último dia 28 de maio. 


O vídeo segue o padrão de sempre, com cenas do meet & greet com os fãs no início, imagens da banda se aquecendo tocando de maneira descontraída e um clipe ao vivo do show - no caso, da balada “The Unforgiven”.


Avance até 08:15 no vídeo abaixo e assista a banda tocando “The Unforgiven” em Werchter:

Os melhores discos de 2012 (até agora) na opinião de Ricardo Seelig

quarta-feira, junho 06, 2012


Já estamos quase na metade de 2012, e, a exemplo de 2011, estamos tendo outro grande ano para a música. Até agora, já chegaram às lojas diversos álbuns excelentes dos mais variados estilos, demonstrando que a boa música está mais viva do que nunca.


Por este motivo, e para dividir a minha empolgação com o que anda rolando, elaborei uma lista com os melhores discos que ouvi até este momento. Alguns vão estar na minha lista com o top 10 do ano em dezembro, outros não. Alguns trabalhos que nem foram lançados ainda certamente entrarão nesta lista, enquanto outros perderão força e acabarão sendo ultrapassados por álbuns superiores. Mas, neste momento, estes são, na ordem, os melhores álbuns que eu ouvi em 2012. 


Sempre lembrando que o objetivo maior de uma lista como essa é levar até vocês, leitores da Collectos Room, alguns discos que, por ventura, vocês ainda não tenham escutado.




Ficou curioso? Então confira a lista abaixo, e, é claro, comente:


Jack White - Blunderbuss
Soulfly - Enslaved
Torche - Harmonicraft
Neil Young & Crazy Horse - Americana
Lamb of God - Resolution
Storm Corrosion - Storm Corrosion
Jess and the Ancient Ones - Jess and the Ancient Ones
Flying Colors - Flying Colors
Bruce Springsteen - Wrecking Ball
Adrenaline Mob - Omertá
Orange Goblin - A Eulogy for the Damned
El Caco - Hatred, Love & Diagrams
Slash - Apocalyptic love
Every Time I Die - Ex Lives
Shadows Fall - Fire From the Sky
Rush - Clockwork Angels
Christian Mistress - Possession
Accept - Stalingrad
Leonard Cohen - Old Ideas
Joe Bonamassa - Driving Towards the Daylight
Soen - Cognitive
Primal Rock Rebellion - Awoken Broken
Galactic - Carnivale Electricos
Ian Anderson - Thick as a Brick 2: Whatever Happened to Gerald Bostock?
Alabama Shakes - Boys & Girls
Paul McCartney - Kisses on the Bottom
High On Fire - De Vermis 
Huntress - Spell Eater
Diablo Swing Orchestra - Pandora’s Piñata
Electric Guest - Mondo
Kadavar - Kadavar
3 Inches of Blood - Long Live Heavy Metal
Arjen Anthony Lucassen - Lost in the New Real
Moonspell - Alpha Noir / Omega White
Lacuna Coil - Dark Adrenaline
Saint Vitus - Lillie: F-65
Avatar - Black Waltz
Napalm Death - Utilitarian
Paradise Lost - Tragic Idol
Meshuggah - Koloss
Van Halen - A Different Kind of Truth
Marilyn Manson - Born Villain 
Kreator - Phantom Antichrist
Rage - 21
Overkill - The Electric Age 

Slipknot: banda lançará coletânea, cria festival próprio e já anuncia primeiras atrações

quarta-feira, junho 06, 2012


O Slipknot está voltando com tudo! A banda lançará em julho uma coletânea chamada Antennas to Hell, ainda sem faixas e capa definidas, e anunciou também que terá o seu próprio festival.


Intitulado Knotfest, o festival acontecerá nos dias 17 e 18 de agosto de 2012 nas cidades de Iowa e Somerset. Além da própria banda, já estão confirmadas no evento Deftones, Lamb of God, Deathlok, Cannibal Corpse, Serj Tankian e The Urge. Mais atrações serão anunciadas nas próximas semanas.


Após a morte do baixista Paul Gray em 24 de maio de 2010, essa é a primeira grande movimentação do Slipknot, que dá pintas de estar voltando com tudo. A banda é um dos maiores nomes do heavy metal nos Estados Unidos, rivalizando com o Metallica e outros gigantes do gênero. Aqui no Brasil, entretanto, uma parcela considerável de headbangers ainda tem preconceito com o grupo, sabe-se lá porque. Enfim, azar deles!

Beach Boys: ouça o novo álbum na íntegra

quarta-feira, junho 06, 2012


Em 2012, comemoramos os 50 anos dos Beach Boys, uma das mais influentes e importantes bandas da história do rock e pop. Ao mesmo tempo, o grupo liderado pelo genial Brian Wilson lançou o seu trigésimo disco, That's Why God Made the Radio, ontem, dia 5 de junho. O álbum é o primeiro a conter material original e inédito desde Summer in Paradise, de 1992 - ou seja, duas décadas atrás!


Ouça o novo trabalho da banda na íntegra neste link, e depois conte pra gente o que achou do retorno de Brian e companhia.



Os 10 anos do Download Festival na Kerrang desta semana

quarta-feira, junho 06, 2012


A edição desta semana da Kerrang traz uma matéria especial sobre os dez anos do Download Festival, que acontece todos os anos no Reino Unido e é considerado um dos mais importantes do mundo. Em 2012, o festival rolará de 8 a 10 de junho - ou seja, nesta sexta, sábado e domingo - e terá nomes como Black Sabbath, Metallica, Machine Head, Trivium, Megadeth, Lamb of God, Anthrax e Black Label Society, entre outros.


A nova Kerrang tem também matérias sobre o Black Sabbath - com detalhes exclusivos sobre o aguardado novo disco -, Life of Agony, Slayer, Judas Priest, Jettblack e outros, além de pôsteres gigantes do Paramore e do My Chemical Romance.


Para comprar, acesse o site oficial.

Evile: assista o clipe de "In Memoriam"

quarta-feira, junho 06, 2012


A banda inglesa Evile lançou um clipe para a faixa "In Memoriam". A música faz parte do excelente terceiro disco do grupo, Five Serpent's Teeth, lançado em 26 de setembro do ano passado e presente em diversas listas dos melhores de 2011.


Assista abaixo, e retorne quase duas décadas no tempo, indo parar em algum ponto entre Ride the Lightning e Master of Puppets:

Assista o lyric video de "The Fiends Who Come to Steal the Magick of the Deceased", novo som do Nile

quarta-feira, junho 06, 2012


Os norte-americanos do Nile lançaram un lyric video para a faixa "The Fiends Who Come to Steal the Magick of the Deceased", que está em seu novo álbum, At the Gate of Sethu. O disco será lançado dia 29 de junho na Europa e dia 3 de julho nos Estados Unidos, pela Nuclear Blast.


Assista abaixo:

In Solitude: assista o clipe de "To Her Darkness"

quarta-feira, junho 06, 2012


A banda sueca In Solitude lançou um soturno e sombrio clipe para a faixa "To Her Darkness", presente em seu segundo disco, The World. The Flesh. The Devil, de 2011. Dirigido por Johan Baath, o vídeo mostra uma espécie de ritual e é repleto de cenas assustadoras e cheias de sangue.


O som é aquela maravilha de sempre, heavy metal de qualidade, tradicional e bem setentista, que vai sem medo ao encontro das características mais ocultas e demoníacas do som pesado.


Assista abaixo e, se por acaso ainda não conheça a banda, recomendo que você largue tudo e corrija já essa imensa falha em sua coleção:

Pantera na capa da nova Jedbangers

quarta-feira, junho 06, 2012


Os 20 anos do clássico Vulgar Display of Power, do Pantera, são o destaque de capa da nova edição da revista argentina Jedbangers. A publicação fez entrevistas exclusivas com Phil Anselmo, Rex Brown e Vinnie Paul, e analisou como o álbum influenciou toda a cena metálica.


Além disso, o número 62 da Jedbangers tem matérias com Exodus, Steven Wilson, Annihilator, Michael Kiske, Fear Factory, Lynyrd Skynyrd e outras bandas, além de um especial dedicado à New Wave of British Heavy Metal.

5 de jun de 2012

Metallica na capa da nova edição da RockHard italiana

terça-feira, junho 05, 2012


O Metallica está na capa da nova edição da RockHard italiana. O motivo? A banda está rodando a Europa executando o disco de heavy metal mais vendido de todos os tempos, o Black Album, na íntegra.


Além do Metallica, a nova RockHard da terra da bota tem matérias como Judas Priest, Mötley Crüe, The Cult, Kreator, Gotthard, Marduk, Nile, Ihsahn e outros grupos, além de um CD de brinde só com bandas italianas de metal.

Korpiklaani: lyric video da inédita “Kunnia”

terça-feira, junho 05, 2012


Os finlandeses do Korpiklaani liberaram o lyric video da faixa “Kunnia”. A composição está no novo disco dos caras, Manala, com lançamento agendado para o dia 3 de agosto pela Nuclear Blast.


Confesso que não é o meu tipo de som preferido, mas curti essa música. Talvez seja o fato de ela ter um apelo pop gigantesco, não sei, só sei que gostei.


Ouça abaixo e confirme o que eu digo ou ateste que eu estou viajando:

Stratovarius: show de despedida de Jörg Michael lançado em CD duplo, DVD e blu-ray

terça-feira, junho 05, 2012


O Stratovarius preparou um lançamento especial para marcar a despedida do baterista Jörg Michael da banda. O experiente baterista, que passou 17 anos na banda, anunciou que estava se desligando do grupo em setembro do ano passado. O conjunto, então, realizou cinco shows em novembro em seu país de origem, a Finlândia, como despedida de Michael.


No próximo dia 29 de junho será lançado o CD, DVD e blu-ray Under Flaming Skies, em homenagem ao baterista. O vídeo terá o show realizado no dia 19 de novembro de 2011, com 2 horas de músicas do Stratovarius. O DVD e o blu-ray terão também um documentário de 30 minutos com a história da banda, entrevistas exclusivas com os músicos e um trecho especial dedicada a Jörg Michael, onde o baterista explica os motivos que o levaram a deixar o grupo.


Confira abaixo o tracklist de Under Flaming Skies nas versões em CD duplo, DVD e blu-ray:


CD 1
01 Under Flaming Skies
02 I Walk To My Own Song
03 Speed Of Light
04 Kiss Of Judas
05 Deep Unknown
06 Guitar Solo
07 Eagleheart
08 Paradise
09 Visions
10 Bass Solo
11 Coming Home

CD 2
01 Legions Of The Twilight
02 Darkest Hours
03 Burn
04 Behind Blue Eyes
05 Winter Skies
06 Keyboard Solo
07 Black Diamond
08 Father Time
09 Hunting High And Low

DVD / Blu-ray
01. Intro
02. Under Flaming Skies
03. I Walk To My Own Song
04. Speed Of Light
05. Kiss Of Judas
06. Deep Unknown
07. Guitar Solo
08. Eagleheart
09. Paradise
10. Visions
11. Bass Solo
12. Coming Home
13. Legions Of The Twillight
14. Darkest Hours
15. Jörg Speech
16. Burn
17. Behind Blue Eyes
18. Winter Skies
19. Keyboard Solo
20. Black Diamond
21. Father Time
22. Hunting High And Low

BONUS:
DOCUMENTARY: Rewinding from the past to 2012
5.1 mix of “Elysium” (do álbum “Elysium”) - somente em Blu-Ray

WhoCares: projeto de Tony Iommi e Ian Gillan lançará álbum duplo com raridades e faixas inéditas

terça-feira, junho 05, 2012


O projeto WhoCares, capitaneado por Tony Iommi e Ian Gillan ao lado de outras estrelas do rock, lançou em 2011 o ótimo single “Out of Mind”, cujo b-side foi a faixa “Holy Water”. Nestas duas composições estavam ao lado de Iommi e Gillan o baixista Jason Newsted (Metallica), o tecladista Jon Lord (Deep Purple), o baterista Nick McBrain (Iron Maiden) e o guitarrista Linde Lindström (HIM).


A boa aceitação do single motivou os dois lendários músicos a lançarem um álbum duplo com raridades e faixas retiradas de discos lançados no passado. É bem provável que os colecionadores mais dedicados tanto do Black Sabbath quanto do Deep Purple já possuam a grande maioria das faixas em itens diversos, mas, mesmo assim, a iniciativa é bem interessante.


Ainda sem título e nem capa definidos, o CD duplo será lançado no próximo 13 de julho, popularmente conhecido como Dia Mundial do Rock.


Confira abaixo o tracklist completo da bolacha:


CD 1
  1. WhoCares - Out of My Mind
  2. Black Sabbath - Zero the Hero
  3. Ian Gillan feat. Tony Iommi, Ian Paice and Roger Glover - Trashed
  4. M. Rakintzis feat. Ian Gillan - Get Away
  5. Tony Iommi feat. Glenn Hughes - Slip Away
  6. Gillan - Don’t Hold Me Back
  7. Ian Gillan - She Thinks It’s a Crime
  8. Repo Depo feat. Ian Gillan - Easy Come, Easy Go
  9. Deep Purple feat. Ronnie James Dio - Smoke on the Water


CD 2
  1. WhoCares - Holy Water
  2. Black Sabbath - Anno Mundi
  3. Tony Iommi feat. Glenn Hughes - Let It Down Easy
  4. Ian Gillan - Holy in My Vest
  5. Gillan & Glover feat. Dr John - Can’t Believe You Wanna Leave Me
  6. Ian Gillan & The Javelins - Can I Get a Witness
  7. Garth Brooks & The Moonshiners aka IG - No Laughing in Heaven
  8. Ian Gillan - When a Blind Man Cries (ao vivo)
  9. Deep Purple - Dick Pimple

Loudwire e os melhores álbuns de rock e metal de 2012 - até agora

terça-feira, junho 05, 2012


O site Loudwire publicou duas listas bem interessantes sobre o que de melhor rolou na música em 2012, até agora. O jornalista Graham Hartmann elegeu os 10 melhores discos de heavy metal lançados até o momento esse ano, enquanto Liz Ramanand fez o mesmo em relação ao rock.


Confira abaixo ambas as listas.




Top 10 Heavy Metal 2012 - até agora:
  1. Napalm Death - Utilitarian
  2. High On Fire - De Vermis Mysteriis
  3. Goatwhore - Blood for the Master
  4. Woods of Ypres - Woods 5: Greay Skies and Electric Light
  5. Lamb of God - Resolution
  6. Overkill - The Electric Age
  7. 3 Inches of Blood - Long Live Heavy Metal
  8. Meshuggah - Koloss
  9. Dragonforce - The Power Within
  10. Municipal Waste - The Fatal Feast


Top 10 Rock 2012 - até agora:
  1. Marilyn Manson - Born Villain
  2. Lacuna Coil - Dark Adrenaline
  3. Dead Sara - Dead Sara
  4. Nightwish - Imaginaerum
  5. Shinedown - Amaryllis
  6. Halestorm - The Strange Case of ...
  7. Adrenaline Mob - Omertá
  8. Foxy Shazam - The Church of Rock and Roll
  9. Epica - Requiem for the Indifferent
  10. Taproot - The Episodes
Independentemente de concordar ou não com as escolhas, sabe o que é muito mais legal fazer em listas como essas? Ir atrás dos discos que você não conhece e que não são muito divulgados aqui no Brasil. Você já ouviu o novo do Fozy Shazam? E o Dead Sara? Taproot? E o Woods of Ypres? E o Goatwhore e o High on Fire? Certamente, a maioria destes álbuns passará batida nas listas que a nossa querida e estimada imprensa especializada em rock e metal publicará no final do ano, então, se eu fosse você, não ficaria esperando para conhecer novas bandas e iria já conferir estes trabalhos.

Rolling Stones: show de 2005 será o novo bootleg oficial

terça-feira, junho 05, 2012


O quarto volume da Bootleg Series dos Rolling Stones já está definido. Intitulado Light the Fuse, o disco foi gravado em 10 de agosto de 2005 no Phoenix Theatre, em Toronto, durante a turnê do álbum A Bigger Bang (2005), o último disco de inéditas do grupo. O interessante é que a apresentação, ao contrário do que geralmente acontece quando falamos dos Stones, foi bem intimista e teve uma plateia de pouco mais de mil pessoas, o que dá ao show uma vibe totalmente diferente.


Em relação às músicas, destaque para a inclusão de “Get Up, Stand Up”, clássico de Bob Marley, além de faixas pouco habituais nos shows, como “19th Nervous Breakdown”, “She’s So Cold”, “Dead Flowers” e “Ain’t to Proud to Beg”.


A banda ainda não informou a data em que o download será liberado, mas o tracklist já é conhecido. Confira abaixo:
  1. Rough Justice
  2. Live With Me
  3. 19th Nervous Breakdown
  4. She’s So Cold
  5. Dead Flowers
  6. Back of My Hand
  7. Ain’t to Proud to Beg
  8. Introductions
  9. Infamy
  10. Oh No, Not You Again
  11. Get Up, Stand Up
  12. Mr Pitiful
  13. Tumbling Dice
  14. Brown Sugar
  15. Jumpin’ Jack Flash

E aí Mustaine, vai encarar?

terça-feira, junho 05, 2012


Essa semana aconteceu o festival Metalfest, na Croácia. Entre as dezenas de bandas que se apresentaram no evento estavam a novata Huntress e a clássica Megadeth - principal headliner.


Um fato pitoresco que rolou durante o festival merece ser dividido com vocês. Jill Janus, a bela vocalista do Huntress, postou uma foto em seu perfil no Instagram com uma pequena peça que aplicou em Dave Mustaine. Jill foi até o camarim do Megadeth, entrou no banheiro exclusivo da banda e escreveu uma frase extremamente provocativa para Dave.


Para quem ainda não conhece, o Huntress acaba de lançar o seu primeiro disco, Spell Eater, onde executa um metal tradicional muito bom. A figura principal da banda é a loira Jill Janus, ex-apresentadora do canal da Playboy. Abaixo, uma foto atual da moça, que está em turnê com a banda pela Europa. E aí Mustaine, vai encarar ou é muita areia para o seu caminhãozinho?



Ouça "Cornucopia", faixa inédita de Serj Tankian

terça-feira, junho 05, 2012


Serj Tankian disponibilizou o download da faixa "Cornucopia", presente em seu novo álbum solo, Harakiri. O disco sairá só dia 10 de julho, mas você pode baixar a música aqui


Aos apressadinhos, um aviso: "Cornucopia" é uma composição original de Tankian, e não um cover do Black Sabbath.


Ouça no player abaixo:

Slaves on Dope: assista o clipe de "Unraveling"

terça-feira, junho 05, 2012


A banda canadense Slaves on Dope lançou o clipe de faixa "Unraveling", primeiro single de de seu quarto disco, Over the Influence, cuja capa, que você faz acima, é, no mínimo, polêmica e controversa.


Falando da música, o som está menos alternativo que os trabalhos anteriores, com bastante melodia e um bom apelo radiofônico.


Assista abaixo:

Periphery: ouça a inédita "Make Total Destroy"

terça-feira, junho 05, 2012


A banda norte-americana de prog metal Periphery liberou para streaming a faixa "Make Total Destroy". A música faz parte do segundo disco do grupo, Periphery II: This Time It's Personal, que sairá no próximo dia 3 de julho.


O Periphery chamou a atenção da crítica e dos fãs com o seu primeiro disco, auto-intitulado, lançado em 2010 e aclamado como um dos melhores trabalhos de prog metal dos últimos anos. A principal característica do grupo é fazer um som intrincado e complexo sem perder o peso e a agressividade.


Ouça abaixo "Make Total Destroy":

 

ONLINE

PAGEVIEWS

PESQUISE